Rapper Ja Rule revela que os anos na prisão o levaram a se aproximar de Deus: “Estou num fluxo constante com Ele”

1

Após dois anos preso por fraudar o imposto de renda, o rapper norte-americano Ja Rule, 37 anos, afirmou que o tempo encarcerado o fez refletir sobre sua vida e buscar uma aproximação com Deus.

“Foi uma verdadeira loucura, um momento real de reflexão. Quando você atravessa algo assim, isto tudo te muda um pouco”, disse o artista durante uma entrevista à rádio New York City’s Hot 97.

O tempo na prisão, segundo Rule, força essa introspecção: “Você tem a chance de realmente estar em harmonia com você mesmo. Foram muitas noites comigo mesmo”, disse, acrescentando que aproveitou para buscar ajuda espiritual: “Quando eu estive na cadeia, eu li toda a Bíblia”.

Essa leitura, aparentemente o fez enxergar detalhes que estavam ofuscados pela vida de luxo e ostentação: “Eu vejo em mim a falta


Foto do Rapper Ja Rule sendo registrado na entrada do presídio
Rapper Ja Rule sendo registrado na entrada do presídio

de perdão, amargura e ressentimento, tudo isso bloqueia o fluxo das bênçãos de Deus na vida”, disse.

Ja Rule não detalhou como tem levado a vida nesse período pós prisão, mas afirmou que tem se esforçado para tornar a mudança permanente: “Então, sabe como é, eu estou realmente com um bom espaço livre na cabeça. E eu quero apenas seguir com que estou fazendo e não me concentrar em nada de negativo ao meu redor. Agora que eu estou no meu fluxo constante com Deus, isso significa algo para mim. Eu tenho Jó 1: 21 tatuado no meu peito”, revelou, citando a passagem bíblica que diz “nu saí do ventre de minha mãe e nu tornarei para lá; o Senhor o deu, e o Senhor o tomou: bendito seja o nome do Senhor”.

Agora o rapper se prepara para voltar às atividades profissionais, e estrelará o filme cristão I’m in Love with a Church Girl, que numa tradução livre pode ser entendido como “Eu estou apaixonado por uma garota da Igreja”.

Segundo o Christian Post, o longa-metragem conta a história do pastor Galley Molina, líder da Evergreen Valley Church, na Califórnia. Antes de sua conversão, Molina teve envolvimento com o tráfico de drogas. O filme estreia nos cinemas dos Estados Unidos no dia 18 de outubro.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA