Jean Wyllys e Maria do Rosário são severamente criticados por lideranças evangélicas: “Transformaram tragédia em panfleto eleitoral”

14

As declarações do deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) e da ministra Maria do Rosário, titular da Secretaria de Direitos Humanos, sobre a morte do jovem Kaique Augusto dos Santos, 17 anos, foram tidas como oportunistas e inadequadas por diversas lideranças cristãs e autoridades.

À época que se noticiou a morte do jovem homossexual, a família lançou suspeitas sobre a definição de suicídio que a Polícia Militar de São Paulo deu ao caso no registro da ocorrência, e levantou a hipótese de que se tratava de um crime de homofobia.

Entretanto, com o decorrer das investigações, tanto a Polícia quanto a família do jovem chegaram à conclusão de que Kaique havia se suicidado por conta de uma frustração amorosa.

Antes do fim das investigações, Jean Wyllys e a ministra Maria do Rosário se posicionaram sobre o assunto de forma enfática e agressiva.


O deputado federal e ex-BBB acusou os evangélicos “fundamentalistas” pela responsabilidade do crime, e chegou a dizer que não era de se duvidar que os assassinos tivessem recitado versículos bíblicos durante a suposta execução do rapaz.

Já Maria do Rosário afirmou que o jovem havia sido “brutalmente assassinado” e que por conta de crimes como esses era importante que o Congresso aprovasse leis específicas contra os crimes de homofobia.

Críticas

A repercussão das declarações abusivas movimentou autoridades e lideranças evangélicas, indignadas com a irresponsabilidade de discursos precipitados emitidos pela dupla.

“Mais uma vez, o país assiste estarrecido um grupo de políticos e militantes transformarem a tragédia humana em panfleto eleitoral e bandeira ideológica. A trágica morte por suicido do jovem Kaique no centro de São Paulo é usada politicamente pelo governo federal e militantes da causa gay”, sintetizou Danilo Fernandes, blogueiro responsável pelo Genizah.

Para Fernandes, a postura de presunção dos fatos adotada por Wyllys e Maria do Rosário é lamentável: “Qual foi a sustentação factual da tese de crime movido por homofobia para a morte de Kaique? O disse-me-disse das redes sociais da militância gay e as declarações da família traumatizada com a morte violenta do jovem. E mais nada! Não se esperou ou pediu por laudos de perícia, não se indagou as autoridades constituídas acerca dos rumos das investigações. E ainda houve quem desconfiasse da parcialidade da apuração jornalística da mídia ‘vendida’ ao governo estadual!”, criticou.

A linha de crítica à ministra dos Direitos Humanos foi acompanhada pela secretária de Justiça de São Paulo, Eloisa Arruda: “Lamento que uma situação tão dolorosa tenha sido encaminhada de forma sensacionalista. São casos que devem ser tratados com serenidade e seriedade, sem fazer proselitismo com o sofrimento alheio”, pontuou.

O pastor Renato Vargens cobrou com veemência uma retratação pública das acusações feitas de forma descabida contra evangélicos: “É preciso saber se a ministra e o deputado  oferecerão ao povo brasileiro pedidos de desculpas pelo julgamento descabido. Tanto Rosário como Wyllys foram inconsequentes em suas afirmações demonstrando não possuírem condições de exercerem cargos de tamanha relevância no cenário nacional. Para piorar a situação, o deputado Fluminense ofendeu os cristãos, chamando seus pastores de charlatões inflamando a opinião pública contra os evangélicos […] Lamentavelmente o deputado do PSOL (que tanto prega sobre tolerância) tem demonstrado em seus discursos, falas e entrevistas, o quanto é intolerante, revelando assim a sua incapacidade de lidar com opiniões divergentes a sua”.

O sociólogo, jornalista e colunista do Gospel+ Thiago Cortês criticou a “histeria” de Jean Wyllys e afirmou que o deputado “antes de escrever um artigo para se autopromover, deveria procurar os investigadores responsáveis e compartilhar com eles tudo o que sabe”.

“Em sua verborragia de ódio, Jean Wyllys quer criar fatos noticiosos, polarizar com os cristãos e gerar tensões entre gays e héteros. Tudo isso para tentar apagar o seu erro de principiante que foi ter fugido da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM). A sua saída tinha o objetivo de destruir a credibilidade da Comissão, mas acabou interpretada pelo como uma covardia. A decisão foi tão ruim que até mesmo alguns militantes LGBT também avaliaram que a saída em bloco da CDHM foi um ‘erro estratégico’. Jean Wyllys e seus colegas fugiram do debate. Ao invés de confrontar o ‘fundamentalista’ Marco Feliciano, o socialista Wyllys preferiu fundar uma ‘comissão alternativa’ na Praça da República, em São Paulo, com travestis e prostitutas”, criticou Cortês.

As discussões entre formadores de opinião, lideranças evangélicas e militantes LGBT por conta do episódio foram criticadas pelo bispo Hermes C. Fernandes, que chamou a atenção para o exemplo deixado por Jesus durante seu ministério.

“Considerando a hipótese de suicídio, isso não diminuiria em nada a nossa responsabilidade em sermos mais cuidadosos na apresentação e defesa de nossos valores. Por que digo ‘mais cuidadosos’? Porque percebo certa displicência na maneira como abordamos a questão da homossexualidade […] As únicas vezes em que nos deparamos com Jesus vociferando contra o pecado, o público alvo eram os fariseus e religiosos de Sua época. Com as prostitutas e marginalizados, Jesus procurava ser gentil e cordial. Ele jamais entrou num prostíbulo quebrando tudo e colocando meretrizes e clientes para correr. Mas fez isso no templo, denunciando os mercadores da fé. Os líderes atuais parecem tomar o caminho inverso. Somos extremamente cordiais uns com os outros (mesmo que alguns estejam vivendo hipocritamente), mas provocantemente insultuosos com os que vivem aquém do padrão moral que abraçamos, principalmente os homossexuais”, observou Fernandes.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+


14 COMENTÁRIOS

  1. Nunca vi um evangélico matar um homossexual… se esse caso fosse confirmado, seria o primeiro… na vdd jean willys sabe que tem deixado a desejar perante seus eleitores, e os que defendem a sua causa e quis polemizar, parecer defensor da causa… deveria ter deixado a investigação aprofundar e aí sim, diante das evidencias concretas poder dizer o motivo da morte desse jovem.

    Eu não defendo a causa evangélica, pois ela tem sido mais prejudicial do que benefica para o evangelho aqui no Brasil, mas não posso compactuar com a acusação descabida por parte de Jean willys.

    • Nao defender causa evangelica e uma coisa, agora se tu es Cristão verdadeiro ou seja um seguidor de Cristo e seu Santo Evangelho então queira ou não voce e um crente um protestante como nos chamam os catulicos, e sendo assim ele te ofendeu sim assim como ofendeu a todos os crentes brasileiros, ele tem me ofendido sem me conhecer assim como tem ofendido a milhoes de crentes no brasil e merece sim ser reprendido, ha e tenho dito

          • Mas nunca é tarde para ele aprender que há diferença. Dizer que evangélicos e cristãos é a mesma coisa, é a mesma coisa que dizer que católicos e evangélicos são a mesma coisa… pode até haver pontos em comum, mas são diferentes.

          • Pra quem não sabe o que é ser evangélico…

            Ser evangélico não é o mesmo que ser dessa ou daquela denominação, ou seja, se declarar luterano/batista/adventista/assembleiano/etc…

            Se eu disser que sou adventista por exemplo então estou dizendo que concordo em guardar o sábado, mas se digo que sou evangélico não necessariamente tenho que concordar com o guardar o sábado ou obrigatoriedade de dízimo, mas sim concordo com os princípios do “evangelicalismo” que citei.

            Evangélicos na verdade são os que creêm e seguem os ensinamentos do movimento denominado Evangelicalismo, onde não se dá ênfase a ritualidade mas sim coisas como necessidade de conversão pessoal, respeito pela autoridade bíblica, ênfase em Jesus e em ensinamentos da redenção e ressurreição de Jesus e a necessidade de expressar e compartilhar ativamente o evangelho.

  2. ESSE deputado viado e essa ministra deram um grande exemplo ao povo brasileiro especialmente aos Evangelicos que realmente eles são inimigos do povo evangelicos são mais que intolerantes são aborrecidos infringentes e tem sim que ter uma providencia contra os mesmos pois o erro foi mais que leviano foi banal ou bestial, esta ministra deu um grande motivo para nos nas eleições proximas isso vai ser explorado comtra o pt e eu acho otimo, quanto ao deputado viado seus dias de gloria como deputado estão no fim, pois e um sem moral que envergonha o comgrsso nacional brasileiro e tenho dito

  3. Imaginar que chamavam o pastor feliciano de fundamentalista.

    Hoje sabemos quem são os fundamentalistas, os que lançam bombas a torto e a direito, os que não tem pena de quem fica espedaçado nos caminhos.

    Sabemos quem usa a mentira como meio para os seus fins.

    Sabemos que destroi a família.

    Sabemos quem não tem piedade.

    Sabemos quem usa os humildes como bandeira.

    Sabemos quem quer passar por cima de qualquer um para conseguir seus intentos, digo, votos.

    Sabemos quem usa a filosofia hitleriana.

  4. Por aí vemos o nível de certos homossexuais, além de só causarem contratempos ainda usam uma tragédia para se promoverem a tetar prejudicar os evangélicos, cavam a própria sepultura, daqui uns tempos esse pessoal será apenas uma vaga lembrança.

  5. Com a palavra o deputado e a ministra. É melhor não escreverem nada, simplesmente admitirem a falta de preparo e renunciarem aos seus cargos.

    mais …… o que fala mais alto nessa hora, a ideologia de uma sociedade melhor ou interesses mesquinhos de auto promoção?

  6. O EVANGELISMO E O EVANGELICO, para realizar a Salvação planejada pelo Deus Pai Jesus Cristo ocupo-se em intenso treinamento de seus discipulos, A eles caberia o trabalho de levar adiante o Evangelho e para alcançar o seu objetivo evangelistico, Jesus Cristo selecionou os elementos para o trabalho, escolheu doze dentre eles, associou-se com eles e designou para estarem com ele, exigiu deles consagração transmitiu a eles o seu poder como condição e credencial, demonstrou como deveriam proceder, delegou autoridade e distribuiu o trabalho entre eles supervisionou pessoalmente o trabalho deles, Em nosso tempo precisamente hoje o Espirito Santo motiva os discipulos a trabalharem da mesma forma da mesma maneira da epoca inicial no primeiro seculo, por meio do Espirito Santo, o Senhor Jesus continua liderando o movimento dos verdadeiros pregadores do verdadeiro Evangelho, e todos os passos acima mencionados continua sendo, em seu conjunto o PLANO MESTRE DO EVANGELISMO, portanto, o trabalho de evangelismo compõe-se, de seleção assoaciação consagração transmissão demonstração delegação supervisão e reprodução, o verdadeiro evangelho e a definição popular A HISTORIA DE JESUS CRISTO, definição historica, ESCRITOS APOSTOLICOS DOS ENSINOS DE JESUS CRISTO, definição biblica, BOAS NOVAS DE SALVAÇÃO, nos dias de hoje existe os crentes do evangelho social conforme vemos muitos deles aqui neste site poderia ate escrever seus seus nomes virtual, o evangelho social e seus asseclas aconcelha-se a ação social definida e resoluta na solução dos problemas politicos economicos e sociais deixando sempre em segundo plano os interesses esperituais de cada individuo, o seu apelo e por um mundo socialmente melhor e não por um mundo redimido pelo Sacrificio do Senhor Jesus na Cruz,, os tais afirmam que agora cabe fazer trabalho social e mais oportuna que a mensagem propriamente evangelistica, o evangelho social tem o homem como produto do meio e tem o objetivo utopico de estabelecer o reino de Deus entre os homens pela transformação do ambiente, por meio da ação social do evangelho, sendo que este evangelho social e uma degradação do verdadeiro Evangelho pois o mesmo abole o Precioso Sangue de Jesus Cristo Derramado na Cruz, porque contradiz o verdadeiro arrependimento e tambem porque e apenas terrenal, eu como um crente assembleiano estou plenamente conciente de cada crente verdadeiro tem sim responsabilidade social, porem numca devemos esquecer nem tampouco trocar o nosso principal alvo, TENHÃO A SANTA PACIENCIA tem pessoas que acham os outros como que não sabem das coisas de Deus ora ora ora por ventura eu sou algum tolo para não saber de Deus sendo eu um filho de Deus e não criatura, crente social querendo ensinar um crente verdadeiro eu em sai fora jacare

  7. gostaria de saber se agora o ministério publico entrara com uma representação contra o deputado e esta ministra pois eles ofenderam uma grande parte do povo brasileiro com suas palavras levianas mostrando o ódio e rancor contra o povo evangélico.

  8. Não sei porque tanto alarde, pelo pronunciamento de duas pessoas comum. quem são eles, pessoas, que por não quererem ser honestos e não trabalharem se infiltraram na politica(politica muito séria do brasil). Qualquer um pode ser (politico)sic, basta o povo eleitor(muito conhecedor de politica) votarem e elegerem estas criaturas. isto não significa que são donos da verdade, (mania do povo brasileiro achar que todos que estão atras de uma câmera são donos da verdade), achar porque é politico ou cantor, ou ator, são donos de toda sabedoria. Tem um ditado que diz( fale mais um estrume, que serve para adubar a terra, do que certas criaturas). Mas tenho que dizer, são, verdadeiros irresponsáveis, fazer pronuncia de um fato, sem antes saberem da real historia. Deu no que deu, um jovem rapaz com problemas se suicidou. e estes energúmenos, vomitaram inverdades. Não queria ofender a (ameba) mas dizer o que destes dois desequilibrados que infelizmente representa nossa politica brasileira.

  9. Palavras lamentáveis esta deste bispo Hermes C Fernandes, pois revela desconhecer um fundamento chamado APOLOGÉTICA!! Quando a REDE ESGOTO DE DESTRUIÇÃO elegeu este filho de satanás chamado Jean Willis para defender um monte de procedimentos aberradoramente imorais, que ele chamava de direito das minorias, ele é quem foi o pivô de toda a fomentação de ódio contra os evangélicos em especial. Com absoluta certeza que, os evangélicos,conhecedores da palavra de Deus, procedem de forma humana e amorosa conforme ensinou Jesus a se relacionar com qualquer tipo de pessoas, inclusive de homossexuais, porém jamais aceitar seus ditames como se coisa normal fosse. Até pouco antes deste filho de satanás ter assumido incompetentemente a cadeira de um deputado, as coisas corriam normalmente dentro deste parâmetro de procedimento com os evangélicos de um modo gera,l acontecendo apenas o que as pessoas incautas ( e infelizmente é o que este pastor está nos dando a entender pelo texto que publicou) algumas rusgas entre as autoridades que estavam diretamente na linha dos tratamentos polêmicos deste assunto, pois lhe eram inerentes nas suas resoluções. E é aí onde entra, pastor, a questão daqueles que tem sua prerrogativa como autoridade terrena e principalmente como servo de Deus, a defesa ferrenha de princípios que estavam veementemente ameaçados de serem soterrados e invertidos assim como vaticinava há tempos outrora, o intelectual Rui Barbosa, quanto a questão da inversão de valores. Não houve nada mais nada menos do que o barramento ordenado por Deus quanto a esta imundicie defendida por satanás o que culminou em sua derrota quando foi sepultada a maldita PL 122!!! GRAÇAS A DEUS!!!

DEIXE UMA RESPOSTA