Adesão de David Luiz ao Eu Escolhi Esperar impulsiona movimento; Jornal lista celebridades que desistiram da espera

6

A disposição de muitos jovens em abdicar do sexo até o casamento por conta de princípios religiosos tem atraído constantemente a atenção da mídia. O movimento Eu Escolhi Esperar prega a “preservação sexual”, conforme as palavras de seu fundador, pastor Nelson Junior.

Na esteira da adesão do zagueiro David Luiz ao movimento, o jornal O Globo publicou uma matéria descritiva sobre o movimento e as motivações dos jovens que aderem a ele.

Tratando-o como “movimento dos sem sexo”, o jornal afirma que, desde 2012, o Eu Escolhi Esperar teve quadruplicado o número de internautas que curtem sua página no Facebook e agora alcança 2 milhões de pessoas. “O zagueiro [David Luiz], que já conquistara a fama de muso fora de campo, acabou virando garoto-propaganda informal do movimento”, escreveu a jornalista Daniela Dacorso.

“Graças a ele [David Luiz], o movimento saiu das quatro paredes das igrejas católica, batista e evangélica, gerou interesse num número ainda maior de pessoas e, para a nossa surpresa, foi parar até em outros países”, comenta Carla Duarte, 27 anos, secretária executiva de uma multinacional de Engenharia e adepta do movimento desde 2011.


Para o pastor Nelson Junior, “é importante ressaltar que o ‘Eu escolhi esperar’ não é uma campanha de virgindade, mas sim de preservação sexual”. Dentro desse contexto, até os que não são mais virgens podem aderir ao movimento. E esse é o caso de Carla: “Algumas amigas me chamaram de louca, mas posso dizer que sou muito mais feliz assim. É claro que tenho desejos. Eu não sou poste, né? O negócio é controlar a mente e não beijar ninguém na boca. Pra mim, se acender em cima, acaba esquentando embaixo”, afirmou a jovem secretária executiva, que há três anos está sem namorado.

O movimento se expandiu de forma tão intensa que há jovens que se tornaram uma espécie de consultores para outros interessados. Ana Carolina Terto, 20 anos, é virgem e blogueira. Passou a escrever sobre o tema e tem recebido e-mails de gente de todo o país interessada no assunto. “Da noite para o dia virei uma referência para outros jovens, e o que eu explico é que não é exatamente a castidade que buscamos. Queremos relacionamentos saudáveis e duradouros”, pontuou.

Ao contrário de Carla Duarte, que prefere evitar ate o beijo, o casal Cássio Pedroso e Sara Costa, juntos há um ano, não resistem aos beijos, carícias e conversas ao pé do ouvido. “Não me finjo de santa. Cássio sabe de tudo que já vivi e não tenho por que esconder nada. Mas agora tudo é diferente: resolvi esperar por ele”, conta Sara, 22 anos, estudante de História.

Desistências

A maioria dos integrantes – 80% – é de mulheres na faixa dos 18 aos 30 anos de idade. Porém, outros famosos, além de David Luiz, já se declararam adeptos da proposta de esperar o casamento para transar. O meia-atacante Kaká é um exemplo.

Há também mudança de opinião a respeito do assunto. Em 2008, a cantora MIley Cyrus usava um anel de castidade e prometia se guardar para o casamento. Hoje, seus clipes e performances no palco são cheias de conotação sexual: “Sexo é uma coisa linda e mágica”, afirmou recentemente.

O mesmo aconteceu com Selena Gomez, que abandonou o anel de pureza assim que começou namorar o cantor Justin Bieber, e Demi Lovato, que jurava permanecer virgem até que fotos suas, nua ao lado do ex-namorado, vazaram na internet.

Mesmo assim, o movimento cresce e atrai a atenção de jovens e da mídia, que busca compreender a proposta da espera pelo sexo somente no casamento.


6 COMENTÁRIOS

  1. Parece que a paranóia do sexo nunca para de crescer: Se no mundo tudo pode, na igreja vamos nos resguardar ao máximo, não pode nem saborear a lasquinha do camarão. Eu nunca vi nada mais anti natural e desrespeitoso com o corpo e as emoções de cada pessoa, do que esse movimento para-eclesiástico que busca trancafiar o corpo pra que ele sofra os pesares de uma sexualidade reprimida crendo ser a única forma de se chegar à santidade. Lembrem-se: cada vez que se acumula energia, mais instável fica o controle sobre ela. Paranóia e mediocridade

  2. Virgindade é algo muito pessoal, cada um escolhe o tempo de se relacionar sexualmente. Isso depende de vários fatores. Tipo, sou virgem, mas se eu não quiser transar, se eu quiser fazer sexo antes, ou me guardar até o casamento, isso é problema meu, ninguém tem nada a ver com isso. O ridículo é que as pessoas tem mania de ficar dando opinião na intimidade das pessoas. E outra coisa, religião é igual cardápio, entre muitas opções, voce é quem escolhe qual prato quer comer

DEIXE UMA RESPOSTA