Senador Magno Malta é suspeito de ter recebido R$ 100 mil não declarados de empresa

14

O senador Magno Malta (PR-ES) pode ser implicado em um caso de repasse de dinheiro não declarado em setembro de 2014, ano de eleições em que ele não concorreu a nenhum cargo.

O caso foi revelado graças a uma troca de e-mail entre executivos de uma das principais empresas fabricantes de móveis de cozinha do Brasil, a Itatiaia.

De acordo com informações da Folha de S. Paulo, Malta é citado pelos executivos, que também mencionam viagens feitas pelo senador no avião particular da empresa em 2012 e 2013.

O integrante da bancada evangélica no Senado negou que tenha recebido valores não declarados da empresa e disse ter viajado na aeronave da empresa para fazer palestras.


A conversa que menciona o senador aconteceu entre o presidente da empresa, Victor Penna Costa, seu filho, Daniel Costa – que à época era gerente financeiro – e um consultor da Itatiaia, Hugo Gabrich.

Em uma das mensagens, Penna Costa diz que precisa pagar R$ 400 mil para “consultoria” de Gabrich, e ele responde: “Estou entregando a NF [nota fiscal] que cobre o montante de R$ 500 mil conforme orientação do dr. Victor. Impostos serão incluídos na NF, totalizando R$ 575 mil”.

A Nota Fiscal emitida pela empresa Vix Consulting, de Gabrich, a contratante é a Itatiaia, que pagou os R$ 75 mil de impostos para a Vix, o que de acordo com a Folha sugere que a nota foi encomendada.

Após essa mensagem, Penna Costa manda Daniel depositar somente R$ 475 mil. “Os outros 100.000 são para compensar a retirada em dinheiro de R$ 100.000 do Malta. Não sei como foi contabilizado [a saída desse valor da empresa]”. Daniel, então, questiona: O filho dele, então, pergunta: “Quem realizou o pagamento do Malta? Existe NF, foi declarado a doação?”.

A essa altura, Penna Costa determina o fim das conversas sobre o assunto: “Não existe NF, não declaramos. Está em aberto, talvez como adiantamento para mim. Veja com Lailton [tesoureiro da empresa]. Favor apagar todos os e-mails sobre este assunto”.

Gabrich afirmou ao jornal que a Vix Consulting fez nota fria para justificar pagamentos não declarados da Itatiaia, mas não explicou o destino dos outros R$ 400 mil.

Em outro diálogo, Gabrich comenta o cenário político do Espírito Santo com Penna Costa, e fala que Malta “fechou aliança com o governador Casagrande” e que sua esposa, a cantora Lauriete, “não disputará a reeleição para deputada federal”.

“Não tenho dinheiro para todos. Não posso dar mais para deputado estadual que para senador”, responde o presidente da empresa. Gabrich comenta: “O Magno não é candidato agora a nada”.

Malta nega

O político evangélico comentou a reportagem em nota e negou ter recebido dinheiro da Cozinhas Itatiaia: “O senador, que vive grande exposição em virtude do processo de afastamento da presidente Dilma Rousseff, responde com transparência e com a consciência de não ter cometido nenhum crime”.

A versão foi corroborada pelo presidente da empresa, Penna Costa: “O senador não recebeu esse dinheiro. Esse dinheiro está parado comigo, declarado”, afirmou, acrescentando que cedeu a aeronave para Malta na “época em que eu me tornei crente”, para o político “poder fazer alguns trabalhos para a igreja”.

14 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA