Ciência & Saúde

Médicos e pastores se posicionam contra o aborto de fetos anencéfalos e criticam descriminalização da prática. Confira

Comments (13)
  1. Edson Souza disse:

    Feto anencéfalo comprovada sou a favor do aborto e outros como estrupor que a vitima engravida e tb complicações que podem levar a morte da mulher.
    Fora isso, acho que é crime contra a vida.

  2. mauro disse:

    Diz o juramento tão eloquente de Hipócrates proferido pelos médicos formandos !

    “Aplicarei os regimes para o bem do doente segundo o meu poder e entendimento, nunca para causar dano ou mal a alguém. A ninguém darei por comprazer, nem remédio mortal nem um conselho que induza a perda. Do mesmo modo não darei a nenhuma mulher uma substância abortiva.” (Parte do juramento)

    Vamos parar quando sociedade hipócrita?

  3. mauro disse:

    A minha decisão é pela vida. “Mesmo que seja algumas horas, dias ou meses de vida. Isso, para mim, é questão que não se coloca. Uma sociedade que, com base num consenso de um determinado momento, estabelece que se pode matar um feto que vai viver “x horas” pode decidir, se esse consenso mudar, que serão eliminados os que estariam destinados a viver apenas “x anos”. A China, hoje, elimina, de modo sistemático, os fetos com Síndrome de Down — além de promover um morticínio de meninas.
    O aborto, que é o que pode haver de mais reacionário no que respeita ao ser humano, virou, no entanto, uma “causa progressista”. O governo Lula, se bem se lembram, chegou até a considerá-lo um dos “direitos humanos” conforme prevê o PNDH3..
    Sim, a vida vai perder hoje. E isso só nos diz como é longa a nossa luta! Nós, os que defendemos que viver é verbo intransitivo.

    Por Reinaldo Azevedo

  4. Caroline disse:

    concordo plenamente com você. Por mais que alguns digam que o feto não tem vida, eu acredito que Deus o criou com um propósito e com vida! a partir do momento que ele começa a ser formado é uma vida que tá sendo gerada, Então, se você aborta uma criança você está tirando o direito de vida dela. e se Deus tivesse planejado uma vida maravilhosa pra ela com um milagre? Portanto, por mais que digam, votem e discutam, eu continuo dizendo: “não ao aborto!” Anencefalia não é morte encefálica!

  5. JCLopes disse:

    Para aqueles que aprovam o aborto, leiam a matéria abaixo.

    É o testemunho de vida de um médico americano chamado o “Rei do aborto” que foi alcançado por Cristo e passou a lutar contra o aborto.
    ________________________________________________________________

    Bernard Nathanson – Quando a “Mão de Deus” alcançou o “Rei do aborto”

    O quê pode levar um poderoso e reconhecido médico abortista a converter-se em um forte defensor da vida e abraçar os ensinamentos de Jesus Cristo?
    Pode que tenha sido o peso de sua consciência pela morte de 60 mil nascituros ou talvez as muitas orações de todos aqueles que rogaram incessantemente por sua conversão?
    Segundo Bernard Nathanson, o famoso “rei do aborto”, sua conversão ao catolicismo resultaria inconcebível sem as orações que muitas pessoas elevaram a Deus pedindo por ele. “Estou totalmente convencido de que as suas preces foram escutadas por Ele”, indicou emocionado Nathanson no dia em que o Arcebispo de Nova York, o falecido Cardeal O’Connor, o batizou.
    Filho de um prestigioso médico especializado em ginecologia, o Dr. Joey Nathanson, a quem o ambiente cético e liberal da universidade o fe abdicar da sua fé, Nathanson cresceu em um lar sem fé e sem amor, onde imperava muita malícia, conflitos e ódio.
    Profissional e pessoalmente Bernard Nathanson seguiu durante uma boa parte de sua vida os passos do seu pai. Estudou medicina na Universidade de McGill (Montreal), e em 1945 começou a namorar Ruth, uma jovem e bela judia com quem realizou planos de matrimônio. Porém a jovem ficou grávida e quando Bernard escreveu para o seu pai consultando-lhe sobre a possibilidade de contrair matrimônio, este lhe enviou cinco notas de 100 dólares junto com a recomendação de que escolhesse entre abortar ou ir aos Estados Unidos para casar-se, pondo em risco sua brilhante carreira como médico que o aguardava.
    Bernard priorizou sua carreira e convenceu a Ruth que abortasse. Ele não a acompanhou à intervenção abortiva e Ruth voltou à sua casa sozinha, em um táxi, com uma forte hemorragia, a ponto de perder a vida. Ao recuperar-se -quase milagrosamente- ambos terminaram sua relação. “Este foi o primeiro dos meus 75.000 encontros com o aborto, me serviu de excursão inicial ao satânico mundo do aborto”, confessou o Dr. Nathanson.
    Após graduar-se, Bernard iniciou sua residência em um hospital judeu.
    Depois passou ao Hospital de Mulheres de Nova York onde sofreu pessoalmente a violência do anti-semitismo, e entrou em contato com o mundo do aborto clandestino. Nesta época já havia se casado com uma jovem judia, tão superficial quanto ele, como confessaria, com a qual permaneceu unido cerca de quatro anos e meio. Nestas circunstâncias Nathanson conheceu Larry Lader, um médico a quem só lhe obsessionava a idéia de conseguir que a lei permitisse o aborto livre e barato. Para isso fundou, em 1969, a “Liga de Ação Nacional pelo Direito ao Aborto”, uma associação que tentava culpar a Igreja por cada morte ocorrida nos abortos clandestinos.
    Mas foi em 1971 quando Nathanson se envolveu diretamente com a prática de abortos. As primeiras clínicas abortistas de Nova York começavam a explorar o negócio da morte programada, e em muitos casos seu pessoal carecia da licença do Estado ou de garantias mínimas de segurança. Como foi o caso da que dirigia o Dr. Harvey. As autoridades estavam a ponto de fechar esta clínica quando alguém sugeriu que Nathanson poderia encarregar-se da sua direção e funcionamento. Ocorria o paradoxo incrível de que, enquanto esteve diante daquela clínica, naquele lugar havia um setor de obstetrícia: isto é, se atendiam partos normais ao mesmo tempo que se praticava abortos.
    Por outro lado, Nathanson realizava uma intensa atividade, dando conferências, celebrando encontros com políticos e governantes, pressionando-lhes para que fosse ampliada a lei do aborto.
    “Estava muito ocupado. Quase não via a minha família. Tinha um filho de poucos anos e uma mulher, mas quase nunca estava em casa. Lamento amargamente estes anos, por mais que seja só por ter fracassado em ver meu filho crescer. Também era um segregado na profissão médica. Era conhecido como o rei do aborto”, afirmou.
    Durante este período, Nathandon realizou mais de 60.000 abortos, mas no fim do ano de 1972, esgotado, demitiu-se do seu cargo na clínica.
    “Abortei os filhos não nascidos dos meus amigos, colegas, conhecidos e inclusive professores. Cheguei ainda a abortar meu próprio filho”, chorou amargamente o médico, que explicou que por volta da metade da década de 60 engravidou a uma mulher que gostava muito dele (…) Ela queria seguir adiante com a gravidez mas ele se negou. Já que eu era um dos especialistas no tema, eu mesmo realizaria o aborto, expliquei. E assim procedi.”, precisou.
    Entretanto a partir deste acontecimento as coisas começaram a mudar. Deixou a clínica abortista e passou a ser chefe de obstetrícia do Hospital St. Luke’s. A nova tecnologia, o ultra-som, começava a aparecer no ambiente médico. No dia em que Nathanson pôde observar o coração do feto nos monitores eletrônicos, começou a perguntar-se “quê estamos fazendo verdadeiramente na clínica”.
    Decidiu reconhecer o seu erro. Na revista médica The New England Journal of Medicine, escreveu um artigo sobre sua experiência com os ultra-sonografias, reconhecendo que no feto existia vida humana. Incluía declarações como a seguinte: “o aborto deve ser visto como a interrupção de um processo que de outro modo teria produzido um cidadão no mundo. Negar esta realidade é o tipo mais grosseiro de evasão moral”.
    Aquele artigo provocou uma forte reação. Nathanson e sua família receberam inclusive ameaças de morte, porém a evidência de que não podia continuar praticando abortos se impôs. Tinha chegado à conclusão que não havia nenhuma razão para abortar: o aborto é um crime.
    Pouco tempo depois, uma nova experiência com as ultra-sonografias serviu de material para um documentário que encheu de admiração e horror ao mundo. Era titulado “O grito silencioso”, e sucedeu em 1984 quando Nathanson pediu a um amigo seu – que praticava entre 15 a 20 abortos por dia- que colocasse um aparelho de ultra-som sobre a mãe, gravando a intervenção.
    “Assim o fez -explica Nathanson- e, quando viu a gravação comigo, ficou tão afetado que nunca mais voltou a realizar um aborto. As gravações eram assombrosas, por mais que não eram de boa qualidade. Selecionei a melhor e comecei a projetá-la nos meus encontros pró-vida por todo o país”.
    Retorno do filho pródigo
    Nathanson tinha abandonado sua antiga profissão de “carniceiro humano” mas ainda estava pendente o seu caminho de volta a Deus. Uma primeira ajuda veio de seu admirado professor universitário, o psiquiatra Karl Stern.
    “Transmitia uma serenidade e uma segurança indefiníveis. Nessa época não sabia que em 1943, após longos anos de meditação, leitura e estudo, tinha se convertido ao catolicismo. Stern possuia um segredo que eu tinha buscado toda a minha vida: o segredo da paz de Cristo”.
    O movimento pró-vida lhe havia proporcionado o primeiro testemunho vivo da fé e do amor de Deus. Em 1989 esteve em uma ação de Operação Resgate nos arredores de uma clínica. O ambiente dos que lá se manifestavam pacificamente a favor da vida dos nascituros lhe havia comovido: estavam serenos, contentes, cantavam, rezavam… Os mesmos meios de comunicação que cobriam o evento e os policiais que vigiavam, estavam assombrados pela atitude destas pessoas. Nathanson ficou cativado “e, pela primeira vez em toda minha vida de adulto comecei a considerar seriamente a noção de Deus, um Deus que tinha permitido que eu andasse por todos os proverbiais circuitos do inferno, para ensinar-me o caminho da redenção e da misericórdia através da sua graça”.
    “Durante dez anos passei por um período de transição. Senti que o peso dos meus abortos se fazia mais grave e persistente pois me despertava cada dia às 4 ou 5 da manhã, olhando a escuridão e esperando (mas sem rezar ainda) que se iluminasse um letreiro declarando-me inocente ante um júri invisível”, indica Nathanson.
    Logo, o médico acaba lendo “As Confissões”, de Santo Agostinho, livro que qualificou como “alimento de primeira necessidade”, convertendo-se em seu livro mais lido já que Santo Agostinho “falava do modo mais completo de meu tormento existencial; porém eu não tinha uma Santa Mônica que me ensinasse o caminho e estava acusado por uma negra desesperança que não diminuía”.
    Nesta situação não faltou a tentação do suicídio, mas, afortunadamente, decidiu buscar uma solução diferente. Os remédios tentados falhavam: álcool, tranquilizantes, livros de auto-estima, conselheiros, até chegar a psicanálise, onde permaneceu por 4 anos.
    O espírito que animava aquela manifestação pró-vida endereçou a sua busca. Começou a conversar periódicamente com Padre John McCloskey; não lhe resultava fácil crer, mas pelo contrário, permanecer no agnosticismo, levava ao abismo. Progressivamente se descobria a si mesmo acompanhado de alguém que se importava por cada um dos segundos da sua existência. “Já não estou sozinho. Meu destino foi dar voltas pelo mundo à busca deste Alguém sem o qual estou condenado, porém a que agora me agarro desesperadamente, tentando não soltar-me da orla do seu manto”.
    Finalmente, no dia 9 de dezembro de 1996, às 7:30 de uma segunda feira, solenidade da Imaculada Conceição, na cripta da Catedral de São Patrício de Nova York, o Dr. Nathanson se convertia em filho de Deus. Entrava a formar parte do Corpo Místico de Cristo, sua Igreja. O Cardeal O ‘Connor lhe administrou os sacramentos do Batismo, Confirmação e Eucaristia.
    Um testemunho expressa assim este momento: “Esta semana experimentei com uma evidência poderosa e fresca que o Salvador que nasceu há 2.000 anos em um estábulo continua transformando o mundo. Na segunda-feira passado fui convidado a um Batismo. (…) Observei como Nathanson caminhava até o altar. Que momento! Tal qual no primeiro século… um judeu convertido caminhando nas catacumbas para encontrar a Cristo. E sua madrinha era Joan Andrews. As ironias abundam. Joan é uma das mais destacadas e conhecidas defensoras do movimento pró-vida… A cena me queimava por dentro, porque justo em cima do Cardeal O ‘Connor havia uma Cruz… Olhei para a Cruz e me percatei de que o que o Evangelho ensina é a verdade: a vitória está em Cristo”.
    As palavras de Bernard Nathanson no fim da cerimônia, foram curtas e diretas. “Não posso dizer como estou agradecido nem a dívida tão impagável que tenho com todos aqueles que rezaram por mim durante todos os anos nos quais me proclamava publicamente ateu. Rezaram teimosa e amorosamente por mim. Estou totalmente convencido de que suas orações foram escutadas. Conseguiram lágrimas para meus olhos”.

  6. davi martins disse:

    Sou a favor da interrupção.

  7. Sou totalmente contra o aborto, mesmo em caso de estrupo, pois é uma vida, mesmo que não planejada… Mas carregar um bebe que em poucas horas vai morrer, em 99%morrem depois do parto, ou se viver vai viver de forma vegetativa, eu sou a favor sim… Pois mulheres que tem gravidez de anencéfalos além de sofrerem um transtorno psicológico imensurável, tbm dá riscosa saude da mãe… Eu sou cristã e sou mulher, pra quem é homem é muito fácil ser a favor numa situação dessa, mas pra uma mulher que aguarda por um bebe que vai morrer…. Se fala no direito a vida do bebe, mas os evangélicos tem se que discultir a saude da mulher, física e psicológica…

    1. Kell Candido , respeito sua opinião, estamos num país livre…. Eu imagino como é difícil pra uma mulher carregar um bebe fruto de um estrupo, entretanto tanto faz o bebe que é fruto de um estupro, quanto um que não é, tem VIDA, tem as mesmas estruturas genéticas, os mesmos sentimentos e necessidades; então um aborto é um assassinato da duas formas…. E quanto a mulher ser pobre e não poder criar seus filhos, e te digo que ninguém é obrigado a ficar com os filhos, entregar pra adoção é um ato legal, pena que muita gente não sabe disso e joga seus filhos em lixeiras…E pior ainda é quando a mulher que engravida por que não se cuidam, simplesmente engravida e depois quer abortar? preservativo e anticoncepcional ta aí pra isso, não tem desculpa…. No caso de anencefalia eu sou a favor por que é um sofrimento desnecessário pra mulher que vai ver sua barriga crescer, seu corpo mudar pra quando o bebe vier simplesmente morrer… Nesse caso eu sou a favor do aborto, além disso a mulher sofre riscos a saúde psicológica e física, pois essa gravidez provoca pressão alta, deslocamento de placenta…. e outros transtornos a mulher….

    2. Kell Candido , então vc é da idéia que é melhor matar do que abandonar? eu vou sempre vou preferir a vida, por mais miserável que seja… E tanto faz o feto de 1 dia quanto o de 9 meses é uma vida, é uma pessoa como eu e vc… Vc tem idéia do que é isso? Matar um feto de 1 semana é a mesma coisa que matar uma pessoa de 20 anos… Vc dizer que é melhor abortar um feto pra não sofrer é a mesma coisa de vc dizer que é melhor matar um mendigo pra não passar fome, sofrer miséria…O controle de natalidade deve ser feito sim,mas antes de engravidar, nos postos de saude vc encoontra anticoncepcional de graça ou quase de graça, camisinha é barata… Então pra mim aborto nessas condições não tem justificativa….. Minha opinião

    3. Kell Candido será mesmo???? ninguém tem tanta certeza assim,,, isso eu te garanto

    4. Kell Candido, olha a complexidade que acontece na primeira semana de gestação, vc acha que essa complexidade e de certa forma um milagre da natureza pode ser encontrado nas suas fezes só por que vc leu isso em qualquer lugar?´Vc está falando de células, mas vc tem que concordar que a complexidade das celulas encontrada nos fetos são muito maiores que as celulas encontradas no espirro, nem a ciência consegue definir com exatidão como isso é dado, senão não existiria mais centros de pesquisa com essa finalidade… Olha oq acontece só na primeira semana:
      Seu ovo fertilizado (atingido por um espermatozóide), divide-se pela primeira vez apenas 1 dia após serem fertilizados. A divisão continuou nos seguintes dias e forma uma bola, chamada blastocito, que nos primeiros 4 dias podem ter mais de 100 células. Após 5 dias, eles começam a dividir em 2 grupos. O grupo de células no anel externo irá formar a placenta que vai acolher o seu bebé. As células do anel interno passará a ser o embrião em si. Essas células são os chamados as células estaminais, que têm a extraordinária capacidade de transformar em mais de 200 tipos de células de qualquer parte do corpo. fonte http://www.agravidez.com/semana-1-primeiros-passos-do-ovo-fertilizado.html/
      Continuo respeitando sua opinião, mas eu discordo, como eu não vou mudar de idéia e nem vc encerro por aqui…. Tudo de bom pra vc… até

  8. Salomão Carvalho disse:

    Esta vergonha nacional serve para considerarmos algumas questões importantes a serem tratadas doravante . Primeiro, o PT sempre foi super organizado, não obstante ser uma colcha de retalhos ideológicos, o que significa que não estão à-toa no poder (haja vista que o PSDB não consegue ser sequer oposição organizada contra o PT). Segundo, o que Marco Feliciano disse tem procedência quanto à desorganização dos evangélicos, tomando consideração aos católicos, por exemplo, que são mais organizados, segundo ele. Terceiro, sabemos que o PT está hasteando organizadamente bandeiras antibíblicas, via PNDH3, PLC122, etc. alegando Direitos Humanos das minorias (vejam só: as raposas querendo cuidar do galinheiro!), e que para sermos bem aventurados na investida de remover estes petralhas do poder precisamos nos unir. Sermos organizados. Não se pode fazer política apenas na frente do computador, sem ação nos meios de convivência, escolas, igrejas, clubes, etc. Outra, é imprescindível nunca mais votar no PT em quaisquer esferas, seja para vereador, prefeito, deputado, etc. Os evangélicos não votam em petista tem de ser a palavra de ordem. Depois fortalecer o único partido que poderá vencê-los, o PSDB. Lembre-se que atá o deputado Marco Feliciano arrependeu-se de ter apoiado esta raça. E, por último, é necessário muita oração, vigílias, passeatas nas ruas, dizendo: Fora PT!, para retirarmos esta base governista que apoia as mazelas do PT. Caso contrário, vamos perder mais em todas as esferas, Câmara, Congresso Nacional, Senado, STF, etc.

    1. João Hernane disse:

      Pode ter certeza de uma coisa que ate fim do ano e os proximos anos vai aparecer mais escandalos quanto politico e de Lideres de Igreja infelizmente, mas biblia ja diziam 2mil anos sobre falsos profetas e lideres….Precisamos ter sabedoria na palavra de deus para nao cair cilada desses falsos lideres…mas é possivel reverter, melhor remedio para isso é ter sabedoria

  9. João Hernane disse:

    eu sou contra aborto, mas concordo q atual legislação brasileira sou favor em caso estupro e de risco de vida para mulher eu me lembro se nao me engano 2008 ve tv de um bebe nasceu só com tronco, braço, perna, sem cabeça e sem celebro viveu por 3 semnas, normalmente morrem horas ou dias depois porq saiu cordao belicau e o bebe só bate coração mais nada nao é a mesma coisa anecefalia com cabeça e celebro, eu concordo nesse caso aborto bebe que nasce sem celebro e cabeça ate 5 meses gestação ate proque creio em milagres, fico me perguntano depois 9 meses gestação quem mais sofre e os pais com frustaçao, sem contar que varios casos psicologico e de saude mulher.. nao éa mesma coisa quando 1 bebe nasce c/ alguma deficiencia, doença devemos assumir, lutar pela essa vida porq eu creio em milagres, mesma coisa quando dizemos casal namorados adolescentes ou uma menina engravidou desconhecido que conheceu depois balada foi tudo consensual ja mais aborto ate porque podem ser quem for, existe tantos metodos para nao engravidar que nao tem desculpas para abortar, concordo caso de estupro e risco de vida mae e bebe deve se fazer aborto quem vc prefere viver ou morrer os dois que atual legislação permite só e nao deve se ampliar, imagina quem foi estuprada por exemplo é cega ou deficencia mental totalmente indefesa e o estuprador seja tipo bernandinho beira-mar…mas outros tipos abroto nao se deve ampliar jeito nenhum

  10. julio almeida disse:

    VCS PSEUDO EVANGÉLICOS QUEREM SE METER EM TUDO NEM TODOS NO BRASIL SÃO CRISTÃOS NÃO POXA, ESSA LEI NÃO OBRIGA A PESSOAL A ABORTAR NÃO ELA APENAS DEIXA A DECISÃO NAS MÃOS DAS MÃES. SE A PESSOA É CRISTÃ ELA NÃO VI ABORTAR É SIMPLES A QUESTÃO EITA POVO BURRO.

    1. Gustavo disse:

      Uh muié tola !!! nam nunca si vi

    2. Gustavo disse:

      Uh homi tolo !!! nam nunca si vi

  11. Keli Martins disse:

    Meu filho ficou internado na UTI do Hospital Nossa Senhora de Lourdes durante uma semana, e durante esse período pude conhecer uma bebê recém nascida, que tinha apenas parte do cérebro, uma pequena parte mesmo, acompanhei as médicas dando a notícia para mãe. Que só soube que teria um bebê naquela condição quase no final da gestação. O mais impressionante era que aquela menininha ali tão desprotegida expressava-se de alguma forma: quando estava com frio ou fome ela chorava até uma das enfermeira ir atendê-la. E os seus pais acreditavam no milagre. A família ia visitá-la, e posso dizer que aquela mãe não se arrependia te der dado a luz a sua filha, mesmo naquelas condições. Não sei o que aconteceu, pois graças à Deus meu filho teve alta. Mas creio que de alguma forma o milagre de Deus chegou aquela família. Sou contra o aborto de qualquer forma ou motivo.

  12. É lamentável a que pontos nós seres humanos chegamos, aborto no meu ponto de vista tem suas conseqüências a parti do momento em que nós tiramos a vida de um ser humano, no caso de aborto de fetos anencéfalos concordo plenamente, pois a mãe é que dever escolher se vai querer um filho que tem poucas chances de vida sobreviva, afinal sabemos que é uma vida mais que possamos perceber que essa vida poder trazer sofrimentos para a criança, mãe, pai, ou seja, a toda a família toda. Agora é importante observamos que uma coisa é diferente da outra, pois o aborto de uma criança de dois, três , quatro daí por diante é um ato bárbaro, é um assassinato é um a prática criminante contra o ser humano afinal somos todos a favor da vida humana creio eu, mais a pontos nos temos que verificarmos as situações.

  13. SANTOS disse:

    HA CASOS E CASOS,

  14. Sarah Andrade disse:

    Que menina lindaaaaaa !!!!!!!!!!!!!!

    1. Sarah Andrade disse:

      Obg *-*

  15. Maria Rosiane disse:

    sou totalmente contra ao aborto em qualquer situaçao mas, cabe somente a mae decidir ser quer ou nao seguir com a gravidez acredito no milagre da vida e deus sabe todas as coisas se ele permitiu que essa criança so viva apenas alguns minutos é pq sabe o que esta fazendo. cada minuto que vc tiver com seu filho vale apena nao sabemos o que pode acontecer no futuro muitas crianças morrem ao nascer nao tendo nenhum problema como este comentado!

  16. Fernando disse:

    MENSAGEM SOBRE O ABORTO DE ANENCÉFALOS
    Joanna de Ângelis

    Nada no Universo ocorre como fenômeno caótico, resultado de alguma desordem que nele predomine. O que parece casual, destrutivo, é sempre efeito de uma programação transcendente, que objetiva a ordem, a harmonia.

    De igual maneira, nos destinos humanos sempre vige a Lei de Causa e Efeito, como responsável legítima por todas as ocorrências, por mais diversificadas apresentem-se.

    O Espírito progride através das experiências que lhe facultam desenvolver o conhecimento intelectual enquanto lapida as impurezas morais primitivas, transformando-as em emoções relevantes e libertadoras.

    Agindo sob o impacto das tendências que nele jazem, fruto que são de vivências anteriores, elabora, inconscientemente, o programa a que se deve submeter na sucessão do tempo futuro.

    Harmonia emocional, equilíbrio mental, saúde orgânica ou o seu inverso, em forma de transtornos de vária denominação, fazem-se ocorrência natural dessa elaborada e transata proposta evolutiva.

    Todos experimentam, inevitavelmente, as consequências dos seus pensamentos, que são responsáveis pelas suas manifestações verbais e realizações exteriores.

    Sentindo, intimamente, a presença de Deus, a convivência social e as imposições educacionais, criam condicionamentos que, infelizmente, em incontáveis indivíduos dão lugar às dúvidas atrozes em torno da sua origem espiritual, da sua imortalidade.

    Mesmo quando se vincula a alguma doutrina religiosa, com as exceções compreensíveis, o comportamento moral permanece materialista, utilitarista, atado às paixões defluentes do egotismo.

    Não fosse assim, e decerto, muitos benefícios adviriam da convicção espiritual, que sempre define as condutas saudáveis, por constituírem motivos de elevação, defluentes do dever e da razão.

    Na falta desse equilíbrio, adota-se atitude de rebeldia, quando não se encontra satisfeito com a sucessão dos acontecimentos tidos como frustrantes, perturbadores, infelizes…

    Desequipado de conteúdos superiores que proporcionam a autoconfiança, o otimismo, a esperança, essa revolta, estimulada pelo primarismo que ainda jaz no ser, trabalhando em favor do egoísmo, sempre transfere a responsabilidade dos sofrimentos, dos insucessos momentâneos aos outros, às circunstâncias ditas aziagas, que consideram injustas e, dominados pelo desespero fogem através de mecanismos derrotistas e infelizes que mais o degrada, entre os quais o nefando suicídio.

    Na imensa gama de instrumentos utilizados para o autocídio, o que é praticado por armas de fogo ou mediante quedas espetaculares de edifícios, de abismos, desarticula o cérebro físico e praticamente o aniquila…
    Não ficariam aí, porém, os danos perpetrados, alcançando os delicados tecidos do corpo perispiritual, que se encarregará de compor os futuros aparelhos materiais para o prosseguimento da jornada de evolução.

    *

    É inevitável o renascimento daquele que assim buscou a extinção da vida, portando degenerescências físicas e mentais, particularmente a anencefalia.
    Muitos desses assim considerados, no entanto, não são totalmente destituídos do órgão cerebral.

    Há, desse modo, anencéfalos e anencéfalos.

    Expressivo número de anencéfalos preserva o cérebro primitivo ou reptiliano, o diencéfalo e as raízes do núcleo neural que se vincula ao sistema nervoso central…

    Necessitam viver no corpo, mesmo que a fatalidade da morte após o renascimento, reconduza-os ao mundo espiritual.

    Interromper-lhes o desenvolvimento no útero materno é crime hediondo em relação à vida. Têm vida sim, embora em padrões diferentes dos considerados normais pelo conhecimento genético atual…

    Não se tratam de coisas conduzidas interiormente pela mulher, mas de filhos, que não puderam concluir a formação orgânica total, pois que são resultado da concepção, da união do espermatozoide com o óvulo.

    Faltou na gestante o ácido fólico, que se tornou responsável pela ocorrência terrível.

    Sucede, porém, que a genitora igualmente não é vítima de injustiça divina ou da espúria Lei do Acaso, pois que foi corresponsável pelo suicídio daquele Espírito que agora a busca para juntos conseguirem o inadiável processo de reparação do crime, de recuperação da paz e do equilíbrio antes destruído.

    Quando as legislações desvairam e descriminam o aborto do anencéfalo, facilitando a sua aplicação, a sociedade caminha, a passos largos, para a legitimação de todas as formas cruéis de abortamento.

    …E quando a humanidade mata o feto, prepara-se para outros hediondos crimes que a cultura, a ética e a civilização já deveriam haver eliminado no vasto processo de crescimento intelecto-moral.

    Todos os recentes governos ditatoriais e arbitrários iniciaram as suas dominações extravagantes e terríveis, tornando o aborto legal e culminando, na sucessão do tempo, com os campos de extermínio de vidas sob o açodar dos mórbidos preconceitos de raça, de etnia, de religião, de política, de sociedade…

    A morbidez atinge, desse modo, o clímax, quando a vida é desvalorizada e o ser humano torna-se descartável.

    As loucuras eugênicas, em busca de seres humanos perfeitos, respondem por crueldades inimagináveis, desde as crianças que eram assassinadas quando nasciam com qualquer tipo de imperfeição, não servindo para as guerras, na cultura espartana, como as que ainda são atiradas aos rios, por portarem deficiências, para morrer por afogamento, em algumas tribos primitivas.

    Qual, porém, a diferença entre a atitude da civilização grega e o primarismo selvagem desses clãs e a moderna conduta em relação ao anencéfalo?

    O processo de evolução, no entanto, é inevitável, e os criminosos legais de hoje, recomeçarão, no futuro, em novas experiências reencarnacionistas, sofrendo a frieza do comportamento, aprendendo através do sofrimento a respeitar a vida…

    *

    Compadece-te e ama o filhinho que se encontra no teu ventre, suplicando-te sem palavras a oportunidade de redimir-se.

    Considera que se ele houvesse nascido bem formado e normal, apresentando depois algum problema de idiotia, de hebefrenia, de degenerescência, perdendo as funções intelectivas, motoras ou de outra natureza, como acontece amiúde, se também o matarias?

    Se exercitares o aborto do anencéfalo hoje, amanhã pedirás também a eliminação legal do filhinho limitado, poupando-te o sofrimento como se alega no caso da anencefalia.

    Aprende a viver dignamente agora, para que o teu seja um amanhã de bênçãos e de felicidade.

    Joanna de Ângelis
    (Página psicografada pelo médium Divaldo Pereira Franco, na reunião mediúnica da noite de 11 de abril de 2012, quando o Supremo Tribunal de Justiça, estudava a questão do aborto do anencéfalo, no Centro Espírita Caminho da Redenção, em Salvador, Bahia.)

    Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/aborto/mensagem-de-joanna-de-angelis-sobre-o-aborto-de-anencefalos/#ixzz1sg7zOjw2

  17. Kelinha Kelly disse:

    Sou contra o aborto.SIM. gente…Deus deu avida e só ele pode tirar.diga vc também não ao ABORTO ………

  18. Drika de Jesus² disse:

    Só quem está com o BEBE no útero, sabe a angústia que é saber que ele vai nascer e morrer em seguida. E ter que registrar o nascimento e o óbito no mesmo dia. E ainda ter que fazer tratamento psicológico.

    Os homens que são contra este tipo de aborto, eles não tem noção da gravidade psicológica que isto é. E as mulheres, ah… elas nunca passaram por isso.

    Pergunte à uma mulher que já passou por isso, se ele aguentaria uma 2ª gravidez assim?

    Quem for contra, não aborte. Terá todo o apoio dos médicos. Simples!

  19. Sou contra qualquer tipo de aborto…. vida é vida!!!! eu sou a favor da vida… Deus deu uma vida a cada um de nós e cabe somente a ele a decisão de deixar qualquer ser viver ou não… me admira muito uma mulher dizer que é mãe e decide tirar a vida do proprio filho só pra não sofrer consequencias? sinceramente isso não pode ser chamado de mãe!!!!

  20. Sonia Aparecida disse:

    Eu assisti mais de 10 anos atrás um programa que passou na Band ( e criou um desconforto nas relações Brasil-China) um programa gravado com câmeras escondidas, por médicos que se arriscaram demais, onde eles visitaram um orfanato.Nesse local as crianças eram aprisionadas, presas com ferros em cadeiras, não podendo se locomover, e os deficientes rastejavam pelo chão,sujos e doentes … claro que essas crianças não viveriam muito. Vi também na Marie Claire fotos, nos anos 90, em que crianças mortas aparecem jogadas nas ruas e depois lançadas dentro de lixeiras … esse país é o mesmo que mata cães e gatos para come, por mero capricho e acorrenta pobres ursos em pequenas gaiolas, para produzir uma fragrância, a partir da bile que eles produzem devido ao stress.

  21. Sonia Aparecida disse:

    Vejamos:
    1 – a mulher vai decidir, ou seja, ela é Deus … naturalmente que ninguém vai tentar induzi – la a praticar o aborto …
    2 – devido a uma boa aceitação da tal lei, logo seriam criadas emendas, ou outro recursos legais, que determinariam o assassinato também de bebês portadores de outras doenças, excepcionais, etc …
    3 – a sociedade está tão conformada que aí, sem que se dê atenção, conseguem modificar a lei, determinando que, sendo vontade da mulher, o aborto será feito com segurança em vasta rede de saúde pública ( para esse fim certamente os hospitais serão bem aparelhados … ) ; claro, muitas mulheres vão achar natural abortar ao invés de se prevenir contra a gravidez e logo serão liberados todos os tipos de produtos ou terapias médicas que usem fetos … logicamente muitas mulheres passarão a engravidar no propósito de vender seus filhos …
    então será legitimada em nossa sociedade o grande sacrifício a moloch … Deus tenha misericórdia de nós !

  22. CARLOS MORETTI disse:

    concordo plenamente com vc Sonia Aparecida……

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *