Barack Obama lamenta que muitos cristãos vivam o conceito de “nós contra eles”

12

Os cristãos, estariam, na visão do presidente Barack Obama, cultivando uma cultura de inimizade e rivalidade com setores da sociedade que têm pensamentos ou prioridades diferentes de sua religião.

O ponto de vista – de lamento – foi expresso por Obama durante uma entrevista à escritora norte-americana Marilynne Robinson, publicada pela revista New York Review of Books.

Segundo Obama, muitos cristãos fiéis e fervorosos, por vezes, adotam uma postura de “nós contra eles”, o que causa muitas tensões. “Aqui nos Estados Unidos, às vezes, a interpretação cristã parece postular um ‘nós contra eles’, e essas são, por vezes, as vozes mais altas”, lamentou.

Segundo o Christian Post, o presidente destacou que esses líderes cristãos “também se frustrar com o tipo insosso, que defendem versões mais liberais onde valem tudo”.


Na conversa com sua entrevistadora, Obama questionou como ela faz para conciliar os dois pontos de vista, e Robinson respondeu: “Bem, eu não sei o quão seriamente eles levam o seu cristianismo, porque se você levar algo sério, você está pronto para encontrar dificuldades e correr o risco, seja qual for”.

A escritora acrescentou ainda que “o cristianismo é profundamente contraditório” com os ensinos bíblicos: “’Amarás o teu próximo como a ti mesmo’ — eu acho que essa frase, bem compreendida, significa que seu vizinho é tão digno de amor quanto você, não que você é realmente capaz desse feito sobre-humano […] É supostamente difícil. É supostamente um desafio”, disse Robinson.

O presidente Barack Obama já se revelou um fã de Robinson, e disse acompanhar seu trabalho há muitos anos. Em 2008, durante a campanha presidencial, ele contou ter lido o livro “Gilead”, um romance escrito por Robinson e muito elogiado pela crítica literária.

12 COMENTÁRIOS

  1. visao maniqueista do mundo. o que eh ridiculo por varios motivos, dentre eles o desrespeito a diversidade de pensamento.
    quem nao eh por mim, eh contra mim.
    isso que dah, visao de mundo totalmente belicista.
    cristaos agora sentem o baque, jah que nao comandam mais o mundo culturalmente.
    perderam poder e estao revoltados com isso.
    aceitem, o ocidente eh pos-cristao.

  2. São palavras de Jesus: “Quem não é por nós é contra nós”. Mas Obama não está preocupado com isso e sim, como todo bom esquerdista radical, destruir a cultura judaico-cristã.

    • É meu caro Alex, destruir nossa igreja será impossível e voce sabe disso sendo cristão, mas ficaremos mais isolados, está na cara. No fim isso até será bom, pois separará o joio do trigo dentro das igrejas. Sem mais luzes, shows, espetáculos, sobrarão somente os verdadeiros crentes.

  3. Grande presidente Barack Obama, sua gloriosa e auspiciosa passagem pelo comando da maior democracia do mundo certamente deixará saudades em seus compatriotas e no mundo todo!

  4. Estou hoje lendo o “Tratado Sobre Tolerância”, de meu filófsofo e pensador preferido, o grande Voltaire, livro que adquiri novo na banca de revista por apenas R$ 19,90 (tenho outros livros de Voltaire, e recomendo a todos o Tratado Sobre Tolerância e o Dicionário Filosófico), sendo que destaco estes textos, havendo outros tão impactantes quanto estes no iluminado volume:

    “Digo-o com horror, mas com verdade: nós, cristãos, é que fomos perseguidores, carrascos, assassinos! E de quem? De nossos irmãos. Nós é que destruímos cidades, com o crucifixo ou a Bíblia na mão, e não cessamos de derramar sangue e de acender fogueiras, desde os tempos de Constantino…”

    “os primeiros cristãos tinham como inimigos apenas os judeus, dos quais começavam a separar-se. Sabemos o ódio implacável que todos os sectários sentem pelos que abandonam sua seita.”

    Voltaire lembra que Jesus em tempo algum haja “estabelecido leis sanguinárias, ordenado a intolerância, mandado construir os cárceres da Inquisição, instituído os carrascos dos autos-de-fé”

    “os católicos liquidaram um certo número de huguenotes, e os huguenotes, por sua vez, assassinaram um certo número de católicos, logo, não existe Deus”

    “Eu concluiria afirmando que existe um Deus que, após esta vida passageira, na qual o desconhecemos tanto, e cometemos tantos crimes em seu nome, dignar-se-á a consolar-nos de tão horríveis infortúnios: pois, considerando as guerras de religião, os quarenta cismas dos papas, quase todos sangrentos; as imposturas, quase todas funestas; os ódios irreconciliáveis acesos pelas diferentes opiniões; considerando todos os males que o falso zelo produziu, os homens há muito têm tido o seu inferno nesta vida”

    “Na guerra contra os madianitas, Moisés ordenou que fossem mortas todas as crianças do sexo masculino e todas as mães, e que os despojos fossem partilhados. Os vencedores encontraram 675 mil ovelhas, 72 mil bois, 61 mil burros e 32 mil meninas; fizeram a partilha e mataram o resto.”; (…) “Uma seita na Dinamarca sabia que todos os recém-nascidos que morrem sem batismo são condenados e que os que têm a felicidade de morrer imediatamente após receberem o batismo gozam da glória eterna. Saíam, pois, a estrangular os meninos e meninas recém-batizados que encontrassem. Certamente, era fazer-lhes o maior bem possível: a uma só vez eram preservados do pecado, das misérias desta vida e do inferno, e enviados infalivelmente ao céu…”

    “festa cruel, festa que deveria ser abolida para sempre, na qual um povo inteiro agradece a Deus em procissão e felicita-se por ter massacrado, há duzentos anos, quatro mil de seus concidadãos” (aqui Voltaire fala da festa de Toulouse)

    Fala, ainda, do “furor das seitas que fez perecer milhares”

    “Crê, ou te abomino! Crê, ou te farei todo o mal que puder! Monstro, não tens minha religião, logo não tens religião alguma! Cumpre que sejas odiado por teus vizinhos, tua cidade, tua província.” (aqui Voltaire expressa a fala dos cristãos intolerantes)

    “Seria o cúmulo da loucura pretender fazer todos os homens pensarem de uma maneira uniforme sobre a metafísica. Seria bem mais fácil subjugar o universo inteiro pelas armas do que subjugar todos os espíritos de uma única cidade.”

    A natureza diz a todos os homens: “fiz todos vós nascerem fracos e ignorantes, para vegetarem alguns minutos na terra e adubarem-na com vossos cadáveres. Já que sois fracos, auxiliai-vos; já que sois ignorantes, instruí-vos e tolerai-vos. Ainda que fôsseis todos da mesma opinião, o que certamente jamais acontecerá, ainda que só houvesse um único homem com opinião contrária, deveríeis perdoá-lo, pois sou eu que o faço pensar como ele pensa. Eu vos dei braços para cultivar a terra e um pequeno lume de razão para vos guiar; pus em vossos corações um germe de compaixão para que uns ajudem os outros a suportar a vida. (…) Sou eu apenas que vos une, sem que o saibais, por vossas necessidades mútuas, mesmo em meio a vossas guerras cruéis tão levianamente empreendidas, palco eterno das faltas, dos riscos e das infelicidades. (…) Com minhas mãos plantei os alicerces de um prédio imenso; ele era sólido e simples, todos os homens nele podiam entrar com segurança; quiseram acrescentar os ornamentos mais bizarros, mais grosseiros e mais inúteis; e o prédio começa a desmoronar por todos os lados; os homens pegam as pedras e as atiram uns contra os outros; grito-lhes: Parai, afastai esses escombros funestos que são vossa obra e habitai comigo em paz no prédio inabalável que é o meu.”

    “faz muito tempo que praticamos os verdadeiros princípios da agricultura, quando começaremos a praticar os verdadeiros princípios da humanidade?”

    “A filosofia desarmou mãos que a superstição por muito tempo havia ensanguentado; e o espírito humano, ao despertar de sua embriaguez, espantou-se com os excessos a que o fanatismo o havia levado…”

    “Já não é aos homens que me dirijo, é a Ti, Deus de todos os seres, de todos os mundos e de todos os tempos” (…) ó Deus que não conhecemos, ó deus que tudo anuncia… Possam todos os homens lembrar-se de que são irmãos!”

  5. O cristianismo não é contradizente, é sim parcial, exclusivista, mais ou menos como Israel o é. Temos uma visão do mundo muito simples: “o mundo jaz no maligno”, e nossa esperança final é na volta de Jesus e na nova Jerusalém. Mas temos que continuar vivendo nesse mundo, como luzes no braseiro, como ovelhas em meio a lobos. Esse é ao meu ver o maior problema nosso: querer influenciar uma sociedade que JÁ rejeitou o evangelho (se diz pós-cristã). Acredito que está na hora de pacificamente ficarmos em nossas igrejas adorando ao Senhor e pregando o evangelho para quem quiser ouvir, não entrar mais em debates, não tentar mais nada nesse sentido…se a sociedade quiser entrar no buraco do pecado que entre, somos livres afinal para escolher entre a santidade e o pecado.
    Acho sinceramente que o tempo do fim desse sistema de coisas está muito próximo, oro para que o Senhor Jesus retorne, limpe sua igreja primeiramente e depois julgue esse mundo. Maranata!

  6. é por estas e outras que a russia vem crescendo no mundo, e já não assusta mais a ninguém com o comunismo , hoje são referencia no que se trata a questões gays e diversidades, bem como são referencia contra o islã terrorista, o E.U.A. a cada dia por se afastar dos caminhos do sr. pela entrada de irlandeses escoceses chineses italiano chicanos e por fim brasileiros

DEIXE UMA RESPOSTA