Papa Francisco critica “cultura do descarte” e condena a prática do aborto: “Causa horror pensar que crianças jamais verão a luz do dia”

45

Embora transmita a imagem de flexibilidade em assuntos polêmicos, o papa Francisco demonstrou nesta segunda-feira, 13 de janeiro, não abrir mão dos princípios cristãos e criticou duramente a prática do aborto.

Para o pontífice católico, o aborto faz parte da “cultura do descarte” e lamentou que “infelizmente, objetos de descarte não são apenas os alimentos ou os bens supérfluos, mas muitas vezes os próprios seres humanos”.

A crítica de Francisco ao estilo de vida promovido pelo modelo atual de capitalismo, em que sempre se descarta o usado por um novo, segue a linha adotada por ele para seu pontificado. Anteriormente o papa já havia condenado o sistema econômico que amplia as diferenças sociais e perpetuam a pobreza dos menos favorecidos financeiramente.

“Causa horror o simples pensamento de que existam crianças que jamais poderão ver a luz do dia, vítimas do aborto”, disse Francisco durante a mensagem de início de ano aos diplomatas que são embaixadores de seus países no Vaticano, segundo informações da Folha de S. Paulo.


As declarações do papa foram assimiladas pela imprensa internacional como um compromisso com a doutrina tradicional da Igreja a respeito do sexo, apesar de declarações anteriores do próprio Francisco criticando a ênfase que os católicos dão ao assunto.

Com a dura crítica feita ao aborto, Francisco delineia sua postura a respeito de mais um assunto polêmico e dá mais um passo adiante rumo à pretendida reforma no Vaticano.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+

45 COMENTÁRIOS

  1. CONCORDO PLENAMENTE COM PAPA FRANCISCO O ABORTO OU ASSASSINATO DE INDEFESO CAUSA HORROR PENSO EU QUE SÓ UMA COISA ME CAUSA MAIOR NOJO REPUGNANCIA OJERIZA DO QUE ELE MANTER O PAPA BENTO PROTEGIDO EM MOSTEIRO ENQUANTO DEVERIA ESTAR RESPONDENDO POR PEDOFILIA OU ASSOCIAÇÃO AO CRIME DE PEDOFILIA, SERIA LINDO VER ESTE PAPA USAR DE HONESTIDADE E HOMBRIDADE RESPONDER NA JUSTIÇA FALAR A VERDADE E PAGAR SUA PENA, PENA ESTA QUE PODERIA SER DIMINUIDA SE DELATA-SE SEUS PARES NO CRIME…NOSSA COMO SERIA LINDO, ATE IRIA A UMA MISSA

      • ué seria no caso eu culpado que bento não pode abandonar o mosteiro, porque a comunidade internacional o quer prender por estrupo de vulneravel. seria eu, mal por querer que aquele que escondeu seus pares pedófilos que estruparam crianças indefesas, meus frutos não teriam coisas boas, por culpa de francisco e bento, não diz o senhor, a alma do pai é minha a alma da mãe é minha a alma do filho é minha, mas aquela que pecar morrerá, ou mais porque os pais comeram uvas verdes os dentes de seus filhos embotaram , ou ainda perguntou o discipulo a jesus quem pecou aqui foram os pais ou os filhos, então amiguinho, com certeza os frutos maus são deles e teu , pois assim como eles queres esconder o pecado

        • volta lá para a matéria

          “Pastor da Igreja Universal que supostamente pagou despesas pessoais com dinheiro público é obrigado a devolver verbas”

          E continue a defender as CAGADAS dos pa$$tores kkkkk
          (clamando/edymancebo/vai arrebentar/ex/lev) a mesma pessoa com niks diferentes kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

          • pois entaõ mostra tua cara covarde, e sempre que for postar use ma mesma educação que tem mauro e leandro católicos por opção que conhecem e debatem sem agressões

          • Culpados! Papa Bento XVI, a Rainha Elizabeth II e Stephen Harper, primeiro ministro do Canadá, pegam 25 anos na prisão.
            Posted on February 25, 2013
            Tradução (via Google Translate) do artigo original em inglês disponível em http://itccs.org/2013/02/25/guilty/

            CULPADO!
            Publicado em 25 de fevereiro de 2013 pelo itccs
            VEREDICTO FINAL É PUBLICADO NO PRIMEIRO CASO DO TRIBUNAL INTERNACIONAL DE JUSTIÇA COMUM CONTRA O VATICANO E O CANADÁ POR GENOCÍDIO.
            O PAPA, A RAINHA E O PRIMEIRO-MINISTRO CANADENSE FORAM CONSIDERADOS CULPADOS DE CRIMES CONTRA A HUMANIDADE E CONDENADOS A PENAS DE VINTE E CINCO ANOS DE PRISÃO.
            O TRIBUNAL EXIGE QUE ELES SE RENDAM ATÉ O DIA 4 DE MARÇO OU ENFRENTEM AS DETENÇÕES PELOS CIDADÃOS.

            BRUXELAS:
            Papa Bento XVI vai para a cadeia por 25 anos por seu papel em Crimes contra a Humanidade. A riqueza e as propriedades do Vaticano serão apreendidas, de acordo com o veredicto histórico de hoje do Tribunal de Direito Comum Internacional de Justiça.

            O Tribunal com sede em Bruxelas proferiu um veredicto unânime de culpa, por um júri formado por cidadãos e ordenou a prisão de 30 réus, com início em 04 de março, através de uma ordem judicial emitida hoje.

            O veredicto lido em parte:

            “Nós do Júri de Cidadãos achamos que os arguidos neste processo são culpados das duas acusações, isto é, eles de cometer, ou ter cumplicidade em crimes contra a Humanidade, e de fazer parte de uma conspiração criminal em curso”

            O júri decidiu que cada réu receberá uma pena obrigatória de 25 anos de prisão sem liberdade condicional, e terão todos os seus bens pessoais apreendidos.

            Declarou o Tribunal de Justiça no Despacho nº 022513-001,

            “Os réus são ordenados a entregar-se voluntariamente aos oficiais de paz e agentes autorizados por esta Corte, tendo sido considerados culpados da acusação.”

            “Os réus têm sete dias, a partir da emissão da ordem, até 04 de marco de 2013, para o cumprimento desta ordem. Depois de 4 de março de 2013, um mandado de captura internacional será emitido contra esses réus”.

            Os culpados incluem Elizabeth Windsor, Rainha da Inglaterra, Stephen Harper, primeiro-ministro do Canadá, e os oficiais chefes das Igrejas Católica, Anglicana e Unida do Canadá. (Uma cópia completa do veredicto, a ordem judicial e uma lista dos réus está incluído no link do youtube que o acompanha).

            O veredicto de culpado após quase um mês de deliberações por mais de 30 jurados cidadãos e das testemunhas dos 150 casos produzidos pelo Ministério Público do Tribunal.

            Estas exposições detalhadas são prova irrefutável de uma conspiração criminal de grande porte pelas instituições dos acusados ​​de cometer e ocultar genocídio a gerações de crianças indígenas nas chamadas escolas residencias em todo o Canadá.

            Nenhum dos réus desafiaram ou contestaram as citações públicas emitidas contra eles em setembro passado, nem negaram as acusações feitas contra eles, ou ofereceram provas em contrário ao Tribunal.

            “Seu silêncio me disse muito. Porque pessoas inocentes não defenderiam sua própria reputação ao serem acusadas de coisas tão horríveis?” , comentou um jurado, da Inglaterra.

            “Esses crimes foram dirigidos às crianças, e foram um plano frio e calculado para acabar com os índios não cristãos. E os réus claramente ainda encobrem este crime. Então, nós sentimos que tínhamos que fazer mais do que algemá-los. A reinado de terror perpetrado por religiões apoiadas pelo estado e que estão acima da lei tem que acabar, porque as crianças ainda sofrem com isso”.

            O acórdão declara que a riqueza e a propriedade das igrejas responsáveis ​​pelo genocídio canadense devem ser confiscados e colocados sob propriedade pública, como reparações para as famílias dos mais de 50.000 crianças que morreram nas escolas residenciais.

            Para fazer cumprir sua sentença, o Tribunal tem poderes cidadãos no Canadá, Estados Unidos, Inglaterra, Itália e em uma dúzia de outras nações, para agir como seus agentes legais armados com mandados, de pacificamente ocupar e confiscar as propriedades da Igreja Católica Romana, Anglicana e da Igreja Unida do Canadá, que são os principais agentes na morte dessas crianças.

            “Esta frase dá uma base legal e legitimidade para as ocupações da igreja que já começaram por parte das vítimas de tortura da igreja em todo o mundo”, comentou Kevin Annett, o conselheiro-chefe para o Ministério Público, que apresentou o caso ao mundo. (Ver artigos no http://www.itccs.org, de 06 de novembro e 30 de janeiro passados)

            “O veredicto do Tribunal é claramente de que esses organismos eclesiais criminais serão legalmente e praticamente desmontados, e sua riqueza roubada será recuperada pelo povo. A Justiça finalmente começou a ser feita. Os mortos podem agora descansar em paz.”

            Oficiais de Justiça estão entregando a Ordem a todos os Réus nesta semana, incluindo o primeiro-ministro canadense, a rainha da Inglaterra e Joseph Ratzinger, o Papa Bento XVI, que renunciou repentinamente para evitar a prisão dentro do Vaticano, há duas semanas.

            Prisões desses e de outros réus pelos cidadãos terão início em 4 de março, caso eles não se rendam, e seus bens serão confiscados, de acordo com a ordem judicial.

            Estas ações serão filmadas e publicadas aqui na semana que vem, junto com outras atualizações do Tribunal e dos seus Agentes Cidadãos.

            Por favor, veja o vídeo do youtube abaixo.

            Emitido pelo Escritório Central do Tribunal Internacional para Crimes da Igreja e do Estado

            25 de fevereiro de 2013

            Bruxelas

    • Clamando, Francisco após assumir pouco fez e faria sobre o assunto pois precisamos basicamente do auxílio da justiça/polícia além da coragem das testemunhas nos locais onde ocorreram os crimes. Seria o mesmo que exigirmos a mão pesada da justiça sobre um líder evangélico em detrimento de um crime semelhante cometido por um membro da Igreja ou de qualquer instituição pública e privada. São todos maiores e responsáveis por seus atos.

      Humanamente é impossível conhecer a identidade de quase 300 mil religiosos espalhados pelo mundo.

        • Culpados! Papa Bento XVI, a Rainha Elizabeth II e Stephen Harper, primeiro ministro do Canadá, pegam 25 anos na prisão.
          Posted on February 25, 2013
          Tradução (via Google Translate) do artigo original em inglês disponível em http://itccs.org/2013/02/25/guilty/

          CULPADO!
          Publicado em 25 de fevereiro de 2013 pelo itccs
          VEREDICTO FINAL É PUBLICADO NO PRIMEIRO CASO DO TRIBUNAL INTERNACIONAL DE JUSTIÇA COMUM CONTRA O VATICANO E O CANADÁ POR GENOCÍDIO.
          O PAPA, A RAINHA E O PRIMEIRO-MINISTRO CANADENSE FORAM CONSIDERADOS CULPADOS DE CRIMES CONTRA A HUMANIDADE E CONDENADOS A PENAS DE VINTE E CINCO ANOS DE PRISÃO.
          O TRIBUNAL EXIGE QUE ELES SE RENDAM ATÉ O DIA 4 DE MARÇO OU ENFRENTEM AS DETENÇÕES PELOS CIDADÃOS.

          BRUXELAS:
          Papa Bento XVI vai para a cadeia por 25 anos por seu papel em Crimes contra a Humanidade. A riqueza e as propriedades do Vaticano serão apreendidas, de acordo com o veredicto histórico de hoje do Tribunal de Direito Comum Internacional de Justiça.

          O Tribunal com sede em Bruxelas proferiu um veredicto unânime de culpa, por um júri formado por cidadãos e ordenou a prisão de 30 réus, com início em 04 de março, através de uma ordem judicial emitida hoje.

          O veredicto lido em parte:

          “Nós do Júri de Cidadãos achamos que os arguidos neste processo são culpados das duas acusações, isto é, eles de cometer, ou ter cumplicidade em crimes contra a Humanidade, e de fazer parte de uma conspiração criminal em curso”

          O júri decidiu que cada réu receberá uma pena obrigatória de 25 anos de prisão sem liberdade condicional, e terão todos os seus bens pessoais apreendidos.

          Declarou o Tribunal de Justiça no Despacho nº 022513-001,

          “Os réus são ordenados a entregar-se voluntariamente aos oficiais de paz e agentes autorizados por esta Corte, tendo sido considerados culpados da acusação.”

          “Os réus têm sete dias, a partir da emissão da ordem, até 04 de marco de 2013, para o cumprimento desta ordem. Depois de 4 de março de 2013, um mandado de captura internacional será emitido contra esses réus”.

          Os culpados incluem Elizabeth Windsor, Rainha da Inglaterra, Stephen Harper, primeiro-ministro do Canadá, e os oficiais chefes das Igrejas Católica, Anglicana e Unida do Canadá. (Uma cópia completa do veredicto, a ordem judicial e uma lista dos réus está incluído no link do youtube que o acompanha).

          O veredicto de culpado após quase um mês de deliberações por mais de 30 jurados cidadãos e das testemunhas dos 150 casos produzidos pelo Ministério Público do Tribunal.

          Estas exposições detalhadas são prova irrefutável de uma conspiração criminal de grande porte pelas instituições dos acusados ​​de cometer e ocultar genocídio a gerações de crianças indígenas nas chamadas escolas residencias em todo o Canadá.

          Nenhum dos réus desafiaram ou contestaram as citações públicas emitidas contra eles em setembro passado, nem negaram as acusações feitas contra eles, ou ofereceram provas em contrário ao Tribunal.

          “Seu silêncio me disse muito. Porque pessoas inocentes não defenderiam sua própria reputação ao serem acusadas de coisas tão horríveis?” , comentou um jurado, da Inglaterra.

          “Esses crimes foram dirigidos às crianças, e foram um plano frio e calculado para acabar com os índios não cristãos. E os réus claramente ainda encobrem este crime. Então, nós sentimos que tínhamos que fazer mais do que algemá-los. A reinado de terror perpetrado por religiões apoiadas pelo estado e que estão acima da lei tem que acabar, porque as crianças ainda sofrem com isso”.

          O acórdão declara que a riqueza e a propriedade das igrejas responsáveis ​​pelo genocídio canadense devem ser confiscados e colocados sob propriedade pública, como reparações para as famílias dos mais de 50.000 crianças que morreram nas escolas residenciais.

          Para fazer cumprir sua sentença, o Tribunal tem poderes cidadãos no Canadá, Estados Unidos, Inglaterra, Itália e em uma dúzia de outras nações, para agir como seus agentes legais armados com mandados, de pacificamente ocupar e confiscar as propriedades da Igreja Católica Romana, Anglicana e da Igreja Unida do Canadá, que são os principais agentes na morte dessas crianças.

          “Esta frase dá uma base legal e legitimidade para as ocupações da igreja que já começaram por parte das vítimas de tortura da igreja em todo o mundo”, comentou Kevin Annett, o conselheiro-chefe para o Ministério Público, que apresentou o caso ao mundo. (Ver artigos no http://www.itccs.org, de 06 de novembro e 30 de janeiro passados)

          “O veredicto do Tribunal é claramente de que esses organismos eclesiais criminais serão legalmente e praticamente desmontados, e sua riqueza roubada será recuperada pelo povo. A Justiça finalmente começou a ser feita. Os mortos podem agora descansar em paz.”

          Oficiais de Justiça estão entregando a Ordem a todos os Réus nesta semana, incluindo o primeiro-ministro canadense, a rainha da Inglaterra e Joseph Ratzinger, o Papa Bento XVI, que renunciou repentinamente para evitar a prisão dentro do Vaticano, há duas semanas.

          Prisões desses e de outros réus pelos cidadãos terão início em 4 de março, caso eles não se rendam, e seus bens serão confiscados, de acordo com a ordem judicial.

          Estas ações serão filmadas e publicadas aqui na semana que vem, junto com outras atualizações do Tribunal e dos seus Agentes Cidadãos.

          Por favor, veja o vídeo do youtube abaixo.

          Emitido pelo Escritório Central do Tribunal Internacional para Crimes da Igreja e do Estado

          25 de fevereiro de 2013

          Bruxelas

      • Aqui no Brasil, os líderes evangélicos quando supostamente envolvidos, os fiéis levam à barra da Justiça, que apura.

        Ora, o que motiva essa igreja cristã não agir de igual modo às demais(evangélicas)? Vocês querem um tratamento diferenciado? Vocês querem que o Estado adentre à tua igreja e vá dizer os cuidados que ela deve ter?

        Primeiro, a igreja estabelece padrões de condutas e comportamentos não permitindo a estadia dos seus líderes sozinhos com crianças de modo algum, depois constitui comissões permanentes em todas as cidades que funcionariam como ouvidoria e processante para tentar encontrar provas contra os acusados, ao tempo em que tal comissão verifica se os párocos locais estão cumprindo as novas determinações.

        Mais que isso eu não posso ajudar não, pois aí seria interferência externa de quem não pertence à tua igreja, mas que tem que fazer alguma coisa, isso com certeza tem, portanto, ajam.

        • Levi, louvamos e aplaudimos quando os sacerdotes de Arapiraca foram presos, condenados, e logo após expulsos conforme estabelece o código de direito canônico, além de outros como o último em Niteroi/RJ onde a própria arquidiocese foi até as últimas consequências para esclarecer os fatos terminando com a expulsão do religioso, o mesmo está preso aguardando julgamento.

          Qual líder evangélico foi preso por um crime de um pastor de uma Igreja de bairro ? Levi, menos !

          • Menos eu digo a você.

            Este site publica dois por mês no mínimo, aí você diz que não há líderes evangélicos processados?

            Ora, se acaso nenhum foi condenado, vá averiguar o que foi, não dizer que há uma superproteção a supostos pedófilos evangélicos, quer que isso? Está atribuindo ao judiciário parcialidade?

            Não entendi a tua ilação.

        • Mentira do leviano!

          Quando o marcos pereira foi preso ele e outros ficam batendo na tecla de não toque no ungido do “Sinhô”.

          Critica a policia, fala que a Justiça persegue sem provas , que o MP esta a serviço do diabo e etc…

  2. Mas o papa tem que explicar e depois pedir perdão pelo fato da igreja católica antes ter permitido, aí ele poderá manifestar tanta irresignação, caso contrário, mais parece que o objetivo é se mostrar como igreja boa, igreja de princípios, só que nem sempre foi isso, afinal até 1870 o aborto era legitimado plenamente pela igreja desde que praticado antes de 03 meses, embora com uma ou outra voz discordante.

    • A afirmação de que a Igreja permitia o aborto antes do século XIX é mais uma das falácias históricas, que só existem em publicações do nível gibi pseudo-científico de ensino médio. É óbvio que a Igreja nunca permitiu que se matassem fetos de até 40 dias ou mais. Se até o crime do Onanismo (Gn 38, 9-10) é conhecidamente detestável, conforme a doutrina católica, que se dirá do aborto? Não é caro Levi ?

      • Mauro
        Para mim esta afirmação do leviANO SOBRE O ABORTO É UMA DAS MAIORES PROVAS DE QUE ELE É UM SUJEITO TOMADO PELA MÁ FÉ. Já postei varias vezes um texto de autoria de D Estevão Bittencourt onde ele mostra que desde os primordios a Igreja sempre condenou o aborto. São trechos de bulas de papas, concilios e comentarios de varios santos. Ai ele fala que eram apenas “vozes isoladas” ou até mesmo nega que tais bulas e concilios tenham existido um dia.

        • Vejamos de novo o texto. Até um sujeito que não seja catolico reconhece abertamente que concilios e bulas de papas são vozes oficiais e não meros “palpites isolados” ( COMO GOSTA DE MENTIR O LEVIANO).

          1. Os Pronunciamentos da Igreja

          Desde o século I manifesta-se na Igreja a consciência de que o aborto é pecaminoso. Assim, por exemplo, reza a Didaqué, o primeiro Catecismo cristão, datado de 90-100:

          “Não matarás, não cometerás adultério… Não matarás criança por aborto nem criança já nascida” (2,2).

          “O caminho da morte é… dos assassinos de crianças” (5,2).

          Na segunda metade do século III; o autor da Epístola a Diogneto observava:

          “Os cristãos casam-se como todos os homens; como todos, procriam, mas não rejeitam os filhos” (V,6).

          O autor da Epístola atribuída a S. Barnabé no século II e depois Tertuliano (? 220 aproximadamente), S. Gregório de Nissa (? após 394), São Basílio Magno (? 379) fizeram eco aos escritores precedentes.

          A legislação da Igreja oficializou esse modo de pensar, estipulando sanções para o crime do aborto.
          Assim o Concílio de Ancira (hoje Ancara) na Ásia Menor em 314, cânon 20, menciona uma norma que os conciliares diziam ser antiga e segundo a qual as mulheres culpadas de aborto ficam excluídas das assembléias da Igreja até a morte; o Concílio atenuou o rigor dessa penalidade, reduzindo-a para dez anos:

          “As mulheres que fornicam e depois matam os seus filhos ou que procedem de tal modo que eliminem o fruto de seu útero, segundo uma lei antiga são afastadas da Igreja até o fim da sua vida. Todavia num trato mais humano determinamos que lhes sejam impostos dez anos de penitência segundo as etapas habituais” (Hardouin, Acta Conciliorum; Paris 1715, t. I, col. 279)1

          Outros Concílios repetiram a condenação do aborto: o de Elvira (Espanha) em 313 aproximadamente, cânon 63; o de Lerida, em 524, cânon 2; o de Trullos ou Constantinopla, em 629, cânon 91; o de Worms em 869 cânon 35…
          Em 29/10/1588, o Papa Sixto V publicou a Bula Effraenatam: referindo-se aos Concílios antigos, especialmente aos de Lerida e Constantinopla, condenou peremptoriamente qualquer tipo de aborto e impôs severas penas a quem o cometesse, penas que só poderiam ser absolvidas pela Santa Sé. Além disto, a Bula não distingue entre feto não animado e feto animado por alma intelectiva, distinção esta de que falaremos às p. 454-456 deste artigo e que na época parecia muito importante.

          Tal Bula era rigorosa demais para poder ser observada, principalmente pelo fato de reservar à Santa Sé a absolvição das penas infligidas aos réus de aborto. Por isto foi substituída poucos anos depois pela Bula Sedes Apostolica de Gregório XIV, datada de 31/05/1591; este documento distingue entre feto animado e feto não animado por alma humana: o aborto de feto animado ou verdadeiramente humano seria punido com a excomunhão para os culpados, mas sem reserva da absolvição à Santa Sé; quanto ao aborto de feto não animado ou não humano, ficaria a questão como estava antes da Bula de Sixto V (seria passivo de sanção menos severa do que o aborto de feto animado).

          Como se vê, a questão da animação mediata ou imediata era ardente na época. Diante das posições extremadas que alguns autores professavam, o Papa Inocêncio XI condenou em 02/03/1679, como escandalosas e na prática perniciosas, as seguintes sentenças:

          “34. É lícito efetuar o aborto antes da animação para impedir que uma jovem grávida seja morta ou desonrada.
          35. Parece provável que todo feto carece de alma racional enquanto está no seio materno; só é dotado de tal alma quando é dado à luz. Em conseqüência, deve-se dizer que nenhum aborto implica homicídio” (Denzinger-Schönmetzer, Enquirídio de Símbolos e Definições n. 2134s.).

          Como se vê, o Papa não quis abonar a tese do aborto sob pretexto de que não afeta um ser humano propriamente dito. Embora não se soubesse com certeza no século XVII quando começa a vida humana, Inocêncio XI não se prevaleceu desta incerteza para legitimar a eliminação do feto contido no seio materno.
          No século XIX o Papa Pio IX renovou a condenação do aborto, sem distinguir animação mediata ou imediata:

          “Declaramos estar sujeitos a excomunhão latae sententiae (anexa diretamente ao crime) reservada aos Bispos ou Ordinários, os que praticam aborto com a eliminação do concepto” (Bula Apostolicae Sedis de 12/10/1869).

          Esta sentença categórica persistiu na Igreja até o Código de Direito Canônico atual, que prevê a excomunhão para o delito:

          “Cânon 1398. Quem provoca o aborto, seguindo-se o efeito, incorre em excomunhão latae sententiae”.

          Vê-se, pois, que a Igreja desde os seus primórdios se manifestou contrária ao morticínio de uma criança contida no seio materno. Existia, porém, para os teólogos a grave questão de saber quando começa a vida humana; a falta de conhecimentos genéticos adequados levava alguns a crer que, em determinadas circunstâncias, não havia verdadeira vida humana no seio materno. É o que passamos a examinar mais detidamente.

          2. Animação mediata ou imediata?
          Os seres vivos são compostos de um corpo organizado e um princípio vital (chamado anima, em latim). Animação, portanto, é o ato de se unirem o princípio vital (anima) e o corpo organizado. No homem, animação ocorre quando a alma (anima) é criada por Deus e infundida nos elementos materiais orgânicos, aptos a exercerem as funções da vida humana (que é vegetativa, sensitiva e intelectiva). Pergunta-se, pois, quando se dá a animação: logo por ocasião da fecundação do óvulo pelo espermatozóide? Tem-se então a animação imediata… Ou a certo intervalo após a fecundação? Tem-se assim a animação mediata.

          Vejamos como os pensadores responderam à questão.

          Na antigüidade pré-cristã somente o filósofo grego Aristóteles (? 322 a.C.) tratou do assunto. O seu raciocínio não é claro, mas parece defender a animação mediata: o embrião humano teria primeiramente um princípio vital meramente vegetativo; depois seria animado por um princípio vital vegetativo e sensitivo, e só posteriormente por um princípio (anima) vegetativo, sensitivo e intelectivo ou por uma alma humana propriamente dita.

          Passemos agora aos pensadores cristãos, distinguindo gregos e latinos.

          2.1. Os escritores gregos
          A maioria destes era partidária da animação imediata.

          Foi principalmente S. Gregório de Nissa (? após 394) quem marcou a tradição grega. Rejeitava a teoria da preexistência seja da alma, seja do corpo, e afirmava a origem simultânea de um e de outro elemento; desde o primeiro instante da existência do embrião, a alma encontra-se nele com todas as suas potencialidades, que se vão manifestando à medida que o corpo se desenvolve.

          São Basílio Magno (? 379), irmão de S. Gregório de Nissa, adotou o pensamento deste. Por isto considerava assassinos os que provocam o aborto de um feto.

          São Máximo Confessor (? 662) abraçou a mesma tese, fundamentando-se do seguinte modo: se o corpo existe antes de ter uma alma, é um corpo morto, pois todo vivente possui uma alma. Se preexiste à alma racional, tendo uma alma meramente vegetativa ou sensitiva, segue-se que o ser humano gera uma planta ou um animal irracional ? o que é impossível, pois toda planta provém de outra planta e todo animal irracional nasce de outro animal irracional, e não do homem.

          Entre os defensores da animação mediata, está Teodoreto de Ciro (? 466 aproximadamente). Apela para o livro do Gênesis, onde lhe parece que Moisés propõe a formação do corpo humano primeiramente e só depois a infusão da alma humana (cf. Gn 2,7).

          É certo, porém, que entre os gregos prevaleceu a tese da animação imediata.

          2.2 Os escritores latinos

          Entre estes destaca-se Tertuliano (? 220 aproximadamente). Era favorável à animação imediata, argumentando, porém, a partir de um princípio que lhe valeu a réplica dos pósteros. Com efeito; Tertuliano defendia a animação imediata, julgando que as almas dos genitores desprendiam de si uma semente (tradux) da qual se originaria a alma da prole; por conseguinte, juntamente com os óvulos e os espermatozóides, os genitores transmitiram sementes de alma humana. Esta doutrina, chamada traducianismo, não preservava devidamente a espiritualidade da alma, mas reduzia a psyché humana à materialidade. Por isto os escritores latinos, desejosos de ressaltar a espiritualidade da alma, puseram-se a combater o traducianismo e, com este, a doutrina da animação imediata. Afirmavam: a concepção é obra dos genitores, mas a animação é obra direta de Deus, que cria e infunde a alma humana. Para bem distinguir uma da outra, distanciaram-nas também cronologicamente: a animação se daria tempos após a concepção da criança.

          O autor do livro “De spiritu et anima”, falsamente atribuído a S. Agostinho (? 430), afirmava que o corpo vive a vida vegetativa e cresce no seio materno antes de receber a alma intelectiva ou humana. Outro autor anônimo, que foi confundido com S. Agostinho, comparava a formação de cada ser humano à formação de Adão: Deus só daria a alma intelectiva ao corpo humano depois que este estivesse formado, como aconteceu no caso de Adão (Quaestiones ex Vetere Testamento c. XXIII). Cassiodoro (? 580) raciocinava do mesmo modo e acrescentava o testemunho dos médicos que estabeleciam a animação do corpo humano no quadragésimo dias após a concepção (De anima c. VIII). Cassiodoro, porém, observava que, em assuntos tão obscuros, seria melhor confessar a própria ignorância do que falar com temeridade arriscada.

          Na Alta Idade Média a sentença da animação mediata foi reforçada pela difusão das obras de Aristóteles a partir do século XIII. S. Tomás de Aquino (? 1274) a adotou com outros pensadores da época, estipulando a infusão da alma humana ou racional no 40.º dia para os indivíduos masculinos e no 80.º dia para os indivíduos femininos. Houve também aqueles que, seguindo uma insinuação do médico grego Hipócrates, estabeleciam o 30.º dia para o sexo masculino e o 40.º para o sexo feminino.

          4. Conclusão
          Como se deduz das declarações dos Concílios e dos Papas atrás citados, a Igreja sempre foi contrária à ocisão de uma criança no seio materno. Acontece, porém, que não sabendo quando o feto se torna criança (ser humano) propriamente dita, os doutores antigos distinguiam a eliminação do feto antes do 40.º ou 80.º dia e o aborto propriamente dito. Não chegaram a legitimar ou aprovar aquela, mas julgaram que não podia ser considerada com tanto rigor como o aborto propriamente dito; veja-se a intervenção de Gregório XIV em 1591. Na verdade, a extração de um elemento não humano não pode ser tida como aborto.

          Os antigos estavam, pois, condicionados pelo seu insuficiente conhecimento de Genética, mas por certo não toleravam o morticínio de uma criança, por mais incômoda que parecesse aos pais. Hoje em dia tal condicionamento desapareceu, de modo que se pode com mais nitidez e firmeza repudiar o aborto desde a concepção no seio materno, qualquer que seja a fase de evolução do feto.

          A propósito ver:

          BEUGNET, A., Avortement, em Dictionnaire de Théologie Catholique II/2, cols. 2644-2652. CHOLLET, A., Animation, em Dictionnaire de Théologie Catholique I/2, cols. 1306-1320. CONFERÊNCIAS EPISCOPAIS, A Igreja e o Aborto. Ed. Paulinas, 1972. HÄRING, B., Ética Médica. Roma 1973. __________, Medicina e Manipulação. Ed. Paulinas 1977. VARGA, ANDREW, Problemas de Bioética. Unisinos, São Leopoldo 1982. VIDAL, MARCIANO, Ética de Atitudes, vol. 2º, Ed. Santuário, Aparecida 1979. Fonte: revista “Pergunte e Responderemos” – nº 413 – out/96

          • Leandro,

            Você não aprende mesmo.

            Quem disse foi o ministro do supremo tribunal, Celso de Melo. Ele tem cara, nome, endereço, já você, eis que não.

            A fala do ministro é ratificada na internet por diversos escritos e não bastasse, até agora você não trouxe na íntegra as decisões do concílio de 1870, apenas opiniões isoladas e posição papal na época da descoberta do Brasil em que a igreja abandona a prática, mas logo mudada com o papa seguinte, ou seja, vinte anos apenas em que proibiu;

            Você aprenda, meu caro, tente justificar, que se torna compreensível mas negar é demostração pura da muita falta de óleo de peroba na cara, ou seja, é cara de pau mesmo.

        • Deixe- me tentar de novo,pois logo de cara o site pôs em moderação:

          veritatis.com.br/apologetica/familia-sociedade/1078-a-igreja-foi-durante-seculos-favoravel-ao-aborto

          E feliz e santo ano novo para ti também Mauro.

          • Culpados! Papa Bento XVI, a Rainha Elizabeth II e Stephen Harper, primeiro ministro do Canadá, pegam 25 anos na prisão.
            Posted on February 25, 2013
            Tradução (via Google Translate) do artigo original em inglês disponível em http://itccs.org/2013/02/25/guilty/

            CULPADO!
            Publicado em 25 de fevereiro de 2013 pelo itccs
            VEREDICTO FINAL É PUBLICADO NO PRIMEIRO CASO DO TRIBUNAL INTERNACIONAL DE JUSTIÇA COMUM CONTRA O VATICANO E O CANADÁ POR GENOCÍDIO.
            O PAPA, A RAINHA E O PRIMEIRO-MINISTRO CANADENSE FORAM CONSIDERADOS CULPADOS DE CRIMES CONTRA A HUMANIDADE E CONDENADOS A PENAS DE VINTE E CINCO ANOS DE PRISÃO.
            O TRIBUNAL EXIGE QUE ELES SE RENDAM ATÉ O DIA 4 DE MARÇO OU ENFRENTEM AS DETENÇÕES PELOS CIDADÃOS.

            BRUXELAS:
            Papa Bento XVI vai para a cadeia por 25 anos por seu papel em Crimes contra a Humanidade. A riqueza e as propriedades do Vaticano serão apreendidas, de acordo com o veredicto histórico de hoje do Tribunal de Direito Comum Internacional de Justiça.

            O Tribunal com sede em Bruxelas proferiu um veredicto unânime de culpa, por um júri formado por cidadãos e ordenou a prisão de 30 réus, com início em 04 de março, através de uma ordem judicial emitida hoje.

            O veredicto lido em parte:

            “Nós do Júri de Cidadãos achamos que os arguidos neste processo são culpados das duas acusações, isto é, eles de cometer, ou ter cumplicidade em crimes contra a Humanidade, e de fazer parte de uma conspiração criminal em curso”

            O júri decidiu que cada réu receberá uma pena obrigatória de 25 anos de prisão sem liberdade condicional, e terão todos os seus bens pessoais apreendidos.

            Declarou o Tribunal de Justiça no Despacho nº 022513-001,

            “Os réus são ordenados a entregar-se voluntariamente aos oficiais de paz e agentes autorizados por esta Corte, tendo sido considerados culpados da acusação.”

            “Os réus têm sete dias, a partir da emissão da ordem, até 04 de marco de 2013, para o cumprimento desta ordem. Depois de 4 de março de 2013, um mandado de captura internacional será emitido contra esses réus”.

            Os culpados incluem Elizabeth Windsor, Rainha da Inglaterra, Stephen Harper, primeiro-ministro do Canadá, e os oficiais chefes das Igrejas Católica, Anglicana e Unida do Canadá. (Uma cópia completa do veredicto, a ordem judicial e uma lista dos réus está incluído no link do youtube que o acompanha).

            O veredicto de culpado após quase um mês de deliberações por mais de 30 jurados cidadãos e das testemunhas dos 150 casos produzidos pelo Ministério Público do Tribunal.

            Estas exposições detalhadas são prova irrefutável de uma conspiração criminal de grande porte pelas instituições dos acusados ​​de cometer e ocultar genocídio a gerações de crianças indígenas nas chamadas escolas residencias em todo o Canadá.

            Nenhum dos réus desafiaram ou contestaram as citações públicas emitidas contra eles em setembro passado, nem negaram as acusações feitas contra eles, ou ofereceram provas em contrário ao Tribunal.

            “Seu silêncio me disse muito. Porque pessoas inocentes não defenderiam sua própria reputação ao serem acusadas de coisas tão horríveis?” , comentou um jurado, da Inglaterra.

            “Esses crimes foram dirigidos às crianças, e foram um plano frio e calculado para acabar com os índios não cristãos. E os réus claramente ainda encobrem este crime. Então, nós sentimos que tínhamos que fazer mais do que algemá-los. A reinado de terror perpetrado por religiões apoiadas pelo estado e que estão acima da lei tem que acabar, porque as crianças ainda sofrem com isso”.

            O acórdão declara que a riqueza e a propriedade das igrejas responsáveis ​​pelo genocídio canadense devem ser confiscados e colocados sob propriedade pública, como reparações para as famílias dos mais de 50.000 crianças que morreram nas escolas residenciais.

            Para fazer cumprir sua sentença, o Tribunal tem poderes cidadãos no Canadá, Estados Unidos, Inglaterra, Itália e em uma dúzia de outras nações, para agir como seus agentes legais armados com mandados, de pacificamente ocupar e confiscar as propriedades da Igreja Católica Romana, Anglicana e da Igreja Unida do Canadá, que são os principais agentes na morte dessas crianças.

            “Esta frase dá uma base legal e legitimidade para as ocupações da igreja que já começaram por parte das vítimas de tortura da igreja em todo o mundo”, comentou Kevin Annett, o conselheiro-chefe para o Ministério Público, que apresentou o caso ao mundo. (Ver artigos no http://www.itccs.org, de 06 de novembro e 30 de janeiro passados)

            “O veredicto do Tribunal é claramente de que esses organismos eclesiais criminais serão legalmente e praticamente desmontados, e sua riqueza roubada será recuperada pelo povo. A Justiça finalmente começou a ser feita. Os mortos podem agora descansar em paz.”

            Oficiais de Justiça estão entregando a Ordem a todos os Réus nesta semana, incluindo o primeiro-ministro canadense, a rainha da Inglaterra e Joseph Ratzinger, o Papa Bento XVI, que renunciou repentinamente para evitar a prisão dentro do Vaticano, há duas semanas.

            Prisões desses e de outros réus pelos cidadãos terão início em 4 de março, caso eles não se rendam, e seus bens serão confiscados, de acordo com a ordem judicial.

            Estas ações serão filmadas e publicadas aqui na semana que vem, junto com outras atualizações do Tribunal e dos seus Agentes Cidadãos.

            Por favor, veja o vídeo do youtube abaixo.

            Emitido pelo Escritório Central do Tribunal Internacional para Crimes da Igreja e do Estado

            25 de fevereiro de 2013

        • O leviano agora criou a infalibilidade dos ministros do STF ou, no minimo, do Celso de Melo. Imagino que se o mesmo ministro falar que casamento homo é biblico o Avariado Varela vai dizer AMÉM.

          E depois diz que sabe se desculpar. Depois eu é que sou o cara de pau.

          • Leandro,

            Primeiro, quem sabe mesmo se desculpar é tua igreja, pois vive a pedir desculpas e perdão, ora a judeus, ora aos muçulmanos, embora logo depois fazem o inverso do pedido de perdão.

            O papa diz uma coisa, logo depois vem um auxiliar dele e diz o inverso, ou seja, desautoriza o que a figura maior falou, tudo desrespeito a quem ocupa o cargo mor.

            Doutras feitas, fala besteira, depois pede desculpas em face das reações como foi visto naquela história contra os muçulmanos que o o papa bento teve que ir a uma mesquita.

            É um vai e vem danado até parecendo que não sabem o que querem, aliás joga pra galera uma coisa, aparece como bonzinhos, logo depois radicalizam.

            Quanto a palavra final de Celso Melo, ora se a igreja católica cria e descria em desacerto com os ensinamentos de Cristo e mesmo assim há um bilhão de católicos, então o que motiva o não existir de seguidores do ministro Celso Melo? Ele não está falando nada de inverdade, então leviano não é apenas eu, o bilhão e você também, em especial por acatar missa pra botar morto ruim no céu e dar duas ascendências de Cristo. A sorte é que Lutero botou tudo no lugar devido, o evangelho puro, extraindo livros que os judeus não contam no velho velho testamento.

            Qualquer um que fale a verdade sou seguidor, mas os que a maquilam, a distorcem, a diminuem ou a ampliam, eu fujo, eu rebato, e enquanto vocês não voltarem ao evangelho, vão ter esse João Batista nos pés de vocês. Peçam perdão a Deus, mudem pra que haja salvação, mensagem cantada e proferida por JB, depois carimbada por Cristo: arrependimento e mudança. Veja hoje o que a imprensa noticia, até o cardeal de São Paulo foi excluído da comissão, será por medo ou também envolvido?

            Este site não publica isso, mas noticia fortemente sobre um ajudante de Valdomiro que foi enviado pra Argentina sob suspeições pesando contra ele. Duma vez só, o santo Francisco exclui da comissão logo três, mas este site não vê notícia nisto, é brincadeira, sequer sabem fingir?

          • Sim vc leviano mente o textro postado por mostra sua mentira deslavada e somente vc nã oquer enxergar o obvio.

            O que Lutero fez foi dar oportunidades a pessoas como vc que alegam que Cristo teve filhos, que Jesus pecou, que a samaritana do poço era amante dele e etc…

            E fazer de Celso de melo senhor da verdade é bem tipico para tipos como vc que hipocritamente falam ser “SOLA BIBLIA”

          • Quem me deu oportunidade de falar foram Cristo, Paulo, Lutero, Ghandi, Martin Luter King, Mandela, e a raiva tua é dos do império romano sucedido pelos da cúpula católica de modo algum aceitam essa liberdade, sim o chicote, sim a mordaça.

            O óbvio quem não quer vê é você, pois o coitado do papa tentando voltar ao verdadeiro cristianismo e gente como você com o dedo em riste na cara dos outros.

            Já que você acusa os protestantes de sola bíblia, é que vocês da cúpula católica, na verdade, são os “FORA BÍBLIA”

          • NÃO TENTE DESVIAR O FOCO LEVIANO.

            Vc diz ser sola Biblia e agora se escora numa fala equivocada de Celso de Melo para justificart sua “Verdade de Fé” abortista. Gandhi nem sequer era cristão, Lutero nunca foi a favor do aborto, e Paulo mandou que Timoteo ordenasse e ensinasse que somente episcopos ordenados por eles(que por seu turno foram ordenados pelo apostolo) tivessem permissão para ensinar a Verdadeira Fé.

          • Leandro.

            Tenho certeza que você é da família de avestruz, como seja, costuma colocar a cabeça no buraco pra evitar vê o mundo;

            Eu citei pessoas que ensinaram o dom da liberdade, não que ensinaram teorias abortistas, estas somente a católica o fez até 1870 e pararam, mas hoje se fazem que não foi com ela. Tenho por certo que vai ser a mesma coisa no futuro quando abolirem missa para defunto ruim entrar no céu: “não, nós nunca fizemos missa pra empurrar ninguém no céu, não” ,

            Outra coisa, vem com historinha que fulano autorizou a sicrano a pregar a verdadeira doutrina. Ora, desde quando se precisa de uma autorização especial para se falar a verdade? Você anda comendo o que?

            Cristo mandou que pregássemos, e acabou. Teceu sérias críticas aos discipulos que importunaram os que falavam em nome Dele, aí você vem ser hipócrita nos termos dos errantes discípulos?

            Não é atoa que tem um clérigo católico dizendo que o diabo encontra-se dentro do vaticano.

          • Se Deus desse liberdade para qualquer um falar a doutrina ortodoxa cristã então não teria estabelecido o colegio dos apostolos. Aos homens falava em parabolas e aos seus explicava. Em Atos vemos que a comunidade só aceitava a liderança daqueles a quem os apostolos tivessem ensinado e imposto as mãos.

            Fuja da realidade Varela leviano. O texto de Estevão Bittencourt te desmascara na frente de todos.

            Sempre que alguem quiser saber do Diabo é só lembrar de vc que esta escravizado por ele. Sobre o diabo na Igreja ainda que ele comandasse a Ig Catolica, este controle seria menor que em igrejas que toleram casorios homo, que abençõam o abrto, que tem emissoras para exibir programas pornográficos, que tem “fiéis” que acham que Cristo pecou ou errou e etc…

            O diabo tentava os apostolos mas nunca prevaleceu sobre os mesmos porque Jesus nunca deixou e nem deixará.

            Falar esta leviandade de que Cristo mandou pregar o que quissesse do mod o que achasse melhor. So mesmo um ensadecido como tu para balsfemar assim.

          • Sobre a fala de Bento XVI que teria escandalizado os mulçumanos. O ESTARDALHAÇO VEIO DE MULÇUMANOS QUE SÃO LEVIANOS E FALACIOSOS COMO VC SECTARIO VARELA.

            Ele citou uma escrita de um imperador bizantino que criticava o Islã. Nada que fosse opinião pessoal dele Bento. Na aula ele explicava que não se deve usar a confissão religiosa de alguem para taxa-la de fanatico.

            Ele foi numa mesquita mas não se desculpou por um erro que não cometeu. Cara vc podia antes de falar se aprofundar e ler integralmente as falas dos outros antes de ficar condenando.

            Reafirmo que suas atitudes mostram que o senhor não considera pecado dar falso testemunho.

          • Se o papa bento foi tão inocente em citar uma agressão aos muçulmanos em vias de visitá-lo, eu também sou inocente em citar o padre que disse que o vaticano impera o diabo.

        • E outra coisa o papa Gregorio XIV, qu sucedeu Sisto V não abençoou ou autorizou o aborto. COMO QUER AFIRMAR O MENTIROSO VARELA, ELE APENAS ABRANDOU A PENITÊNCIA. E como o texto explica, somente porque ainda se discutia a partir de que momento o feto recebe alma humana.
          E de todo modo, apesar de toda incerteza, ainda em 1679(MUITO ANTES DE 1870 SEU FARSANTE IURDIANO), o papa Inocencio XI tornou a condenar os que defendiam o aborto mesmo que fosse em caso de estupro e de risco de vida para mãe.

          • Claro, os discípulos quando Cristo estava vivo já ensinava o povo erradamente, ou seja, igual a igreja católica, pois se sentiam os únicos com poderes exclusivos pra representar Cristo. Se vivo foi desse jeito, imagine depois da morte, tanto ´que Cristo foi o levantou Paulo, só pra dar na nuca dos exclusivistas discípulos dele.

            Outra coisa, meu caro mas não inteligente internauta, Cristo não ensinava as demais coisas em vistas de que o povo não vinha acompanhando o que Ele falava. Os discípulos estavam ali como testemunhas apenas, e falar o que assistiram, o intérprete mesmo das palavras de Cristo foi, pois um homem mais letrado e que não tinha sido mordido pela soberba, foi Paulo. Ou seja, nada de colegiado na essência da palavra, com notório saber.

            Como você é maldoso, vai dizer que eu disse que os discípulos eram inconsequentes, mas não tem problema não.

          • Se o preço da inteligencia é ser igual a vc Levi. Neste caso fico como burro mesmo. Paulo se destacou por ser um estudioso e não ensinou nada de diferente dos 12 originais. Alem disto, fez questão de ir a Jerusalem falar com alguns deles antes de iniciar sua vida como apostolo.

            E como vc mesmo disse que ele foi machista ao negar o sacerdocio as mulheres. DE NOVO ENXERGO TUAS HIPOCRITAS CONTRADIÇÕES DE FARSANTE E ABORTEIRO.

          • Pronto, eu estou falando com você, agora eu estou autorizado a pregar, a ser um líder cristão. Falta agora eu ir…,ops, ir a Jerusalém ou a Roma? Questão grande essa, mas logo o Pedro Leandro vai dizer aonde eu vou;

            Eu esperava você dizer que Paulo foi ungido pelos discípulos, aliás, se foi por Pedro(papa como vocês falam), Paulo sentou a pua no papa dele, fez uma papinha da pedra pedro. Insubordinação total mas não foi excomungado.

            Sim, ia esquecendo, eu sou tão ou mais inteligente que Paulo, afinal nunca matei cristão, nem muçulmano, nem católico, nem budista, nem espírita, e nunca fui radical, nem fundamentalista.

            Quanto a eu ser aborteiro, se sou, em verdade, não mais que a tua igreja no interregno que vai do início, 300dc, até 1870.

            Eu defendo como meio de salvar a alma da mulher, vocês não aceitam para empurrar almas pra o inferno, aí a grande distância dos dois pensamentos, primeiro inteligente e com base no amor, o segundo com base na estupidez e pra jogar pra galera tentando impressionar a todos e lucrar dividendos.

            Cristo acolheu prostituta, ladrão, mulher com cinco maridos, aí vem tua igreja e excomunga tudo, critica e manda pro inferno quem usa camisinha, quem pensa em abortar, nada de se pôr no lugar do pobre pecador como Cristo fez e disse que tinha vindo somente pra ovelhas perdidas.

            Ou seja, enquanto Cristo salva, vocês empacotam e mandam para inferno, pois são santos demais, sendo necessário agora que o papa francisco venha falar em prol de quem vive segundo casamento.

            Aliás, malefício seguido por parte das evangélicas tal mal, o de colocar como cidadão de terceira qualidade o casado.

            Filho de estupro? Gesta, sem querer saber da psiquê da mulher que tem que criar filho vindo de um pecado grande, filho forçado, diferente de Cristo que Deus indagou a Maria se poderia gestar Jesus.

            Filho sem cérebro? Tem que gestar. Ou seja, os que colocam jugo pesado nos outros mas sequer chegam perto, bastando vê que não se casam e nem tem filhos, e quando tem, não dão nome, deixam os filhos sem o nome do pai, tudo em prol de uma igreja santa.

            Nota mil, a tua igreja,

DEIXE UMA RESPOSTA