Papa Francisco prega valorização do casamento e acolhimento aos divorciados para que “não se sintam excluídos da graça de Deus”

4

O papa Francisco condenou a tradição católica de afastar os fiéis que se divorciam e pregou que a Igreja passe a olhar a questão de outra maneira, trazendo de volta os que se sentiram “excluídos da misericórdia de Deus”.

Falando sobre a importância da família para a sociedade e a igreja, o pontífice católico afirmou, durante um encontro no Vaticano, que os sacerdotes estão sendo orientados a acolher os divorciados.

“Os pastores da Igreja são convidados a dar assistência aos divorciados ou separados de maneira que eles não se sintam excluídos da misericórdia de Deus, do amor fraterno dos outros cristãos e do interesse da Igreja na salvação deles”, disse, de acordo com o Jornal do Brasil.

Francisco fez questão de ressaltar que a “família é a célula fundamental da sociedade”, e lembrou que é necessário valorizar o casamento: “A família é o lugar onde se aprende a conviver com as diferenças e a pertencer aos outros, e onde os pais transmitem a fé aos filhos”, comentou.


“Hoje, porém, o matrimônio é muito considerado como uma forma de gratificação afetiva que pode tomar qualquer forma e mudar segundo a sensibilidade de cada um. Porém, essa visão influencia a mentalidade dos cristãos, causando uma facilidade para recorrer ao divórcio ou à separação”, lamentou o papa. “Os pastores devem prestar assistência aos que vivem nessa situação, ajudá-los a não abandonarem a fé e a colocarem no coração dos filhos a plenitude da experiência cristã”, acrescentou.

Há, segundo o papa, a necessidade de “melhorar a preparação dos jovens ao matrimônio, de modo que possam descobrir cada vez mais a beleza desta união que, bem fundada no amor e na responsabilidade, é capaz de superar as provas, as dificuldades, e o egoísmo com o perdão recíproco”.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+


4 COMENTÁRIOS

  1. Nunca ve um catulico preocupado com isso, ate porque 80 por cento deles se dizem catulico somente da boca pra fora, e quando vão a igreja ficam do lado de fora e pouco ligam pelas falas do padreco, e de la vão direto pru forro pras baladas pra o quebra ou ate para um centro espirita, NÃO VEJO NUNCA VI UM CATULICO PREOCUPADO POR SER DIVORCIADO em relação a igreja deles o qui tem de catulico amigado emancebado e que se dizem catulico não esta escrito, e muitos e muitos deles vão em suas igrejas naturalmente ate porque nunca vi um padreco pedir certidão de casamento para ninguem para saber se são ou não catulico, muito mas muito distantes da verdadeira doutrina do verdadeiro Evangelho do Senhor Jesus,

    • Isso é o que vc diz meu amigo,eu sou casado há quatro anos na Igreja Católica e nela existem milhares e milhares de casamentos comunitários todos os anos e na maioria das nossas igrejas,quando nós vamos para missa,no final a maioria vai para suas casas ou vão passear com a sua familia,infelizmente existem aqueles que vão por caminhos mais tortuosos,mas quem sou eu para julgar?O católico que não é preocupado com o divorcio infelizmente nunca soube o real sentido da sagrada comunhão,pois não pode mais se casar e tão pouco se aproximar da eucaristia.

  2. “A pompa e o cerimonial do culto católico têm um poder sedutor e fascinante, pelo qual muitos são enganados. Tais pessoas chegam a considerar a Igreja Católica Romana como a porta do céu. Ninguém, a não ser os que têm os pés firmados nos fundamentos da verdade(A Bíblia), e cujo coração é renovado pelo Espírito de Deus, se acham ao abrigo de sua influência. As formas de piedade, sem a sua eficácia, são precisamente o que as multidões desejam.”

DEIXE UMA RESPOSTA