Brasil

Lei e graça: Pastor defende que crente que tem fé em Jesus Cristo não precisa de lei

Comentários (16)
  1. e o estado laico vai por água abaixo né? diga não a ditadura religiosa.

    1. Gustavo de Moraes Me desculpe mas o informativo aqui é para cristãos ,não tem nada a ver com o estado do Estado não. É só pra " quem Tal Graça se consente é dado Te-la". Aproveito aqui um gancho no poema de Pericles Cavalcante para me fazer entender , se é que é possível.

    2. O Gustavo,os feriados religiosos tu quer né.

    3. Wagner Santos que diferença faz feriado religioso ou não? eu não comemoro nada. pra mim só é mais um dia como os outros.

  2. Marco Antonio disse:

    E este "Projeto" Despertar aconselha o crente que vive pela fé em Cristo que, ele não deve nada para a Lei e portanto, não precisa pagar dízimos para os pastores picaretas do evangelho? Que deve sim procurar sustentar a obra do Senhor na medida do seu possível e não do impossível? Que deve ofertar ofertar segundo propôs no seu coração e jamais aceitar que lhe seja imposto por falsos obreiros, falsos apóstolos, os mentirosos dez por cento de tudo que ganham? Se fizer assim então muito bem, se não, que sejam anátema!

    1. Prezado irmão Marco Antônio, a graça e a paz de Cristo seja contigo.
      irmão, concordo plenamente com vc, no tocante a viver pela fé em Cristo, sabendo que Ele é o fim da lei pra justiça de todo aquele que crê. Romanos 10. 4 / e a palavra do Senhor diz que aquele que pratica a lei deve viver por ela e pratica-la na integra, pois quem pratica só uma parte é devedor de todo o restante. E na questão do dízimo, é muito engraçado os pastores, como um todo, se preocuparem a admoestar seu rebanho a não serem infiéis a Deus no tocante ao dízimo, trazendo da antiga aliança, uma observância cerimonial da lei Mozaica,… ai eu pergunto… porque não trazem também da velha aliança a obrigatoriedade de quardar o sábado?, de fazerem a circuncisão na carne?, de apedrejarem os adúlteros?, "e olha que tem muitos irmãos adúlteros dentro de nossas igrejas", de fazer sacrifícios de animais em holocaustos? e tantas outras mais observâncias cerimoniais que nem os próprios judeus conseguiram cumprir, e olha que a lei foi dada por Deus a seu povo, povo escolhido pelo próprio Deus, os Hebreus, e não às outras nações assim como o Brasil; nós somos povo impio, alcançados pela graça de Cristo e por fé em Cristo devemos viver, Cristo cumpriu a lei por nós e instituiu um novo mandamento, "Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis". João 13. 34 . amado, vou ficando por aqui, a paz de Cristo seja com vc e sua família, lembre-se do seu irmão nas suas orações. um grande abraço.

    2. Bruno Rafael disse:

      Amados, que a paz do Senhor Jesus esteja convosco. Bem sabemos que Jesus Cristo veio para cumprir a lei, e ponto. Em Tiago 2:10 diz: "Porque qualquer que guardar toda a lei, e tropeçar em um só ponto, tornou-se culpado de todos". Então logo vemos que não faz sentido algum seguir a mesma e sim viver uma vida de santidade no tempo da dispensação da graça (que é o que estamos).
      Falando a respeito dos dízimos e ofertas, pressuponho que os queridos não observaram o que o apostolo Paulo falou em sua 1ª epístola aos Coríntios cap. 9:9-18. O apóstolo deixa bem claro no 13 e 14 que tinha o direito de comer do que era do templo, direito este concedido pelo próprio Deus, e o que era do templo? Era exatamente os dízimos dos judeus, entretanto ele (Paulo) disse, voltando um pouco ao vers. 12: " Mas nós não usamos deste direito; antes suportamos tudo, para não pormos impedimento algum ao evangelho de Cristo", e hoje na igreja do Senhor ninguém é obrigado a dar dízimos e ofertas, (pelo menos na Assembléia de Deus) falo desta pois congrego na mesma. E quero deixar bem claro que Paulo, após sua conversão, não vivia mais sob a lei de Moisés! Confira os versículos 20 e 21: ele fala que está debaixo (sob) a lei de Cristo, logo sendo a dispensação da graça. Não deixando margem para que pensem: "mas Paulo e os apóstolos estavam submetidos à lei, por isso falou aquilo". Bem amados fiquem na paz de Cristo, eu acho que fui claro no tocante às explicações que tentei dar, estou aberto à dúvidas e discordâncias vindas da parte de qualquer um dos queridos desde que sejam embasadas na bíblia. Amém.

    3. Hugo Aquino disse:

      Irmão Eduardo, a paz…Você está certíssimo…No Novo Testamento cada um pode contribuir segundo Deus colocou em nossos corações…Não há mais a obrigatoriedade do dízimo… Para os que duvidam disso, leiam o texto a seguir:

      Segundo a Bíblia, Jesus não poderia ser (sumo) sacerdote sob o sacerdócio levítico, pelo fato dele pertencer à tribo de Judá: “Porque aquele de quem estas coisas se dizem pertence à outra tribo, da qual ninguém serviu ao altar. Visto ser manifesto que nosso Senhor procedeu de Judá e concernente a essa tribo nunca Moisés falou de sacerdócio.” (Hebreus 7:13-14). Então, para resolver este problema:

      Ele cumpriu toda a lei: “Não penseis que vim destruir a lei ou os profetas; não vim destruir, mas cumprir” (Mateus 5:17).

      Ele mudou o sacerdócio: “De sorte que, se a perfeição fosse pelo sacerdócio levítico (porque sob ele o povo recebeu a lei), que necessidade havia logo de que outro sacerdote se levantasse, segundo a ordem de Melquisedeque e não fosse chamado segundo a ordem de Arão?” (Hebreus 7:11).

      Com a mudança do sacerdócio, houve também a mudança da lei: “Porque, mudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz também mudança da lei” (Hebreus 7:12). No Antigo Pacto, o dízimo era compulsório, obrigatório; no Novo Pacto, estabelecido pelo sangue de Jesus, no que se refere às contribuições financeiras, o que vale é o seguinte: “Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama ao que dá com alegria” (2 Coríntios 9:7). Na Bíblia de Estudo NTLH, da Sociedade Bíblica do Brasil, está escrito: “Porque, se alguém quer dar, Deus aceita a oferta conforme o que a pessoa tem. Deus não pede o que a pessoa não tem.” (2 Coríntios 8:12 – usei a versão na linguagem de hoje para facilitar o entendimento). Em outras palavras, no Novo Testamento, com a mudança do sacerdócio levítico segundo a ordem de Arão, para o (sumo) sacerdócio de Jesus segundo a ordem de Melquisedeque, houve mudança também na lei que rege as contribuições financeiras: hoje cada um pode contribuir segundo o que sente no coração, sem o constrangimento dos 10% fixos. Além disso, na Antiga Aliança, foi instituído o dízimo para o sustento dos sacerdotes levitas, que cuidavam da Casa de Deus e não tinham parte na herança. Na Nova Aliança, não há mais necessidade do sacerdócio levítico, pois, podemos ter acesso direto a Deus por meio do nome de Jesus. Deste modo, não há mais a obrigatoriedade do dízimo e o sustento da obra de Deus deve ser feita de forma espontânea, sem uma porcentagem fixada. Cada um pode contribuir conforme resolveu no seu coração, sem a obrigação dos dez por cento.

      Alguns falsos pastores, na tentativa de justificarem a obrigatoriedade do dízimo, fazem uso de Mateus 23:23, que diz o seguinte: “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Pois que dizimais a hortelã, o endro e o cominho, e desprezais o mais importante da lei, o juízo, a misericórdia e a fé; deveis, porém, fazer estas coisas, e não omitir aquelas”. No entanto, o que estes falsos pastores não explicam é que:

      Jesus nasceu na época em que ainda vigorava a lei: “Mas, vindo a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido debaixo de lei” (Gálatas 4:4). Pelo fato da lei ainda estar vigorando na época, havia a obrigatoriedade do dízimo.

      A maior prova de que a lei ainda era praticada na época, é o fato de Jesus ter ordenado ao homem que era leproso, para apresentar-se ao sacerdote e fazer oferta pela purificação, conforme a lei mosaica: “Ordenou-lhe, então, que a ninguém contasse isto. Mas vai, disse ele, mostra-te ao sacerdote e faze a oferta pela tua purificação, conforme Moisés determinou, para lhes servir de testemunho” (Lucas 5:14).

      O Novo Testamento passou a vigorar a partir da morte de Jesus na cruz: “Porque onde há testamento, necessário é que intervenha a morte do testador. Porque um testamento tem força onde houve morte; ou terá ele algum valor enquanto o testador vive?” (Hebreus 9:16-17). Observe que a passagem de Mateus 23:23 foi falado por Jesus antes dele morrer na cruz, quando ainda era praticada a lei e o dízimo. Após a morte de Jesus na cruz, passou a valer a Nova Aliança, o dízimo deixou de ser obrigatório e hoje podemos contribuir com aquilo que propormos em nossos corações.

      Em resumo, a Bíblia nos ensina que devemos contribuir na obra de Deus de uma forma livre e espontânea, sem a obrigatoriedade do dízimo. Os falsos pastores ensinam o seguinte: os cristãos que não entregam seus dízimos estão roubando a Deus e são amaldiçoados, como se o amor de Deus estivesse vinculado à entrega dos dízimos.

      Eu gostaria de terminar este estudo citando 1 Timóteo 6:5, que diz: “Homens corruptos de entendimento e privados da verdade, cuidando que a piedade é fonte de lucro”.

    4. "Não penseis que vim revogar(tornar nulo; tornar sem efeito; cancelar)a lei ou os profetas; não vim para revogar, vim para cumprir(Realizar,executar,etc…).

    5. Hugo Aquino "Porque esta é a aliança que firmarei com a casa de Israel, depois daqueles dias,diz o Senhor: na sua mente imprimirei as minhas leis(Os Dez MaNDAMENTOS eXODO 20:1-17), também sobre o seu coração as inscreverei; e eu serei o seu Deus, e eles serão o meu povo."Hebreus 8:10

    6. Hugo Aquino disse:

      Irmão Robson, a paz…Aqueles que querem viver sob a Lei de Moisés, hoje em dia, desligam-se do sacerdote de Jesus porque Ele não pode ser (sumo) sacerdote sob essa Lei, como nos mostra Gálatas 3:11, que nos diz: “É evidente que pela lei ninguém é justificado diante de Deus, porque: O justo viverá da fé”. Então, irmão amado, se você acha que o sacrifício de Cristo foi insuficiente e que nós ainda precisamos praticar os ritualismos da Lei, então tudo bem…É um direito teu…Eu prefiro crer que o sacrifício de Cristo foi plenamente suficiente para me salvar…Hoje eu vivo a Palavra pela misericórdia de Deus, e eu sei que a minha salvação já foi conquistada na cruz do Calvário, pelo meu Senhor e Salvador, Jesus Cristo…Que Deus te abençoe…

    7. Marco Antonio disse:

      Creio que não cabe aquí se dizer que, é direito ou não de cada um, fazer o que deseja ou não, dentro da igreja de Cristo. O fato é que na igreja de Cristo se fica ao lado da verdade ou ao lado da mentgira. Não há outra alternativa. Ou é certo ou errado. Ou é verdade ou mentira. O dízimo nos dias de hoje é "uma mentira"; estão transformando em mentira, uma verdade de Deus. Simples.

    8. Hugo Aquino disse:

      Eu concordo com você, Marco Antônio….O dízimo não é para o Novo Testamento…Na Nova Aliança cada um pode contribuir com aquilo que sentir no coração…Você está certo…O comentário que eu fiz acima é para dizer o seguinte: cada um é responsável por aquilo que crê…Se alguém prefere crer na mentira, é problema da pessoa…A escolha é da pessoa…No tocante a nós, escolhemos o que diz a Bíblia, não é mesmo?

    9. Bruno Rafael Ao amado irmão. Somos uma Igreja com dúvidas e com apologéticas múltiplas, defendemos interesses e não conseguimos desmamar dos tais. O autor da epístola aos Hebreus no
      cap. 5 enfatiza tal realidade.
      A questão tão interessante e tão entristecedora para o Senhor está na condição defraudada do "doulos" que somos, mas queremos ser coautores canônicos e definidores das especificações divinas.
      Amigo, não estamos debaixo do aio da lei, mas a leis se faz viva e presente em nós, o que foi abolido do culto cristão se refere a lei ritualística-litúrgica. Quanto aos dízimos e ofertas, de onde o irmão entende que venham os recursos para garantir aos líderes que são assalariados na Igreja? Ou os recursos que cumprem os compromissos com os impostos, taxas e faturas mensais? Dispor de recursos financeiros nunca foi pecado, mas a usura, a avareza, a ganância e toda sorte de amor ao dinheiro, isto é pecado e rebelião, já que tudo que nos é confiado não é nosso em princípio mas de Deus! Este amor ao status, ao ter coisas, este amor ao dinheiro é o sistema de domínio malígno que impedem as obras sociais, as assistências às necessidades especiais dentro ou fora da Igreja, a manutenção de missões com respeito e dignidade para com os missionários enviados, aliás, em várias Assembléias de Deus que conheço, e eu mesmo já pastoreei em missões, e muitas delas deixam em estado de fome seus enviados, a pergunta é que sentimento e identidade de corpo é esta que produz danos e dor? Ainda que o nosso Deus seja dono do ouro e da prata, somos nós, os servos (doulos = escravos) os que o Senhor permitiu a honrosa condição de demonstrar este espírito de amor e compromisso, para que a obra de Deus não seja manchada pelo calote e pela vergonha de testemunhos nojentos de ultrage e de desamor. No demais da Lei, quais princípios devem ser deixados de lado? Não cobiçar a mulher do próximo? Não matar? Não mentir? Não invocar o Nome do Senhor em vão? Ou não ter outros deuses? Quaisl cristãos não vivem tal Lei naturalmente? Bruno, somos "A Igreja" das Igrejas na história da Igreja, digo isto pelos extremos que vivemos, o seja, temos o maior conjunto de condições de conhecer a Deus na Sua grandeza. A ciência, a interação com as informações em tempo real, acesso a documentos e comprovações históricas, enfim, fomos abençoados com o maior acesso desde a Igreja primitiva, mas ao mesmo tempo, a preguiça, a incompetência, o comodismo, a inércia e o espírito de interesses de muitas das nossas lideranças e nem me atenho meramente aos pastores locais, mas as reservas de comando em praticamente todas as convençoes e lideranças denominacionais, que amam o poder e a manutenção dos dogmas e usofrutos das suas delícias do status de governadores do poder e dos patrimônios, que em nada difere dos propósitos dos fariseus do tempo de Jesus. Tais convenções tem gessado o mover e a dinâmica do Espírito Santo no nosso tempo, e pior, tem propagado inverdades com sua apologias sem noção alguma do impacto da verdade numa comunidade moderna, consumista e voltada para seus próprios interesses e devassidão. Preferem permanecer implantando na Igreja as suas compreensões institucionais sem avaliar as consequências de uma nova realidade tão clara e de tão grande clamor nas nações. Um exemplo claro, até bem pouco tempo no seguimento pentecostal, as mulheres usarem calsas cumpridas significava pecado de luxúria e de devassidão e sensualidade, as igrejas começaram a perder membros e aí deixou de ser pecado, ???. Quem define pecado? O homem ou Deus? Irmão invista tempo na presença do Senhor, se santifique e ore mais e seja específico com Deus sobre santidade, sobre entrega pessoal e sobre o que Deus espera de você como servo (doulos), em Sua obra salvívica.
      Paz do Senhor, com amor em Cristo, Cleber.

    10. Kelly Bastos disse:

      Eduardo Santana a paz do senhor jesus alei mata eu estou em atos 2 eu naci da agua do espirito irmao jorge nunes Rs

  3. Fernando Martins disse:

    Hebreus 7.12 : Porque mudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz também mudança na lei .
    Meditando no texto acima, especificamente nestes versículos, onde a palavra do Senhor assegura que os sacerdotes Levíticos recebiam os dízimos segundo a lei (Hebreus 7.5), Porque através deles (sacerdotes Levíticos) o povo recebeu a lei (Hebreus 7.11) e mudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz também, mudança na lei (Hebreus 7.12), porque se a perfeição fosse pelo sacerdócio Levíticos (pelo qual o povo recebeu a lei), qual a necessidade do Senhor enviar outro Sacerdote? A palavra não deixa sombra de dúvida que não só o dízimo, mas toda a lei deMoisés foi por Cristo abolida. Mudou o Sacerdócio, necessariamente , mudou tambéma Lei.
    Se hoje, usarmos essa lei que fora direcionada especificamente aos filhos de Levi, aos que receberam o sacerdócio do Senhor Deus e aplicada ao povo, ela torna-se ilegítima, porque os pastores de hoje não sãosacerdotes levitas, e Jesus afirmou que a lei e os profetas duraram até João (Lucas 16.16), emudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz mudança na lei (Hebreus 7.12). Portanto, apenas esses três versículos (5,11,12) do capítulo 7 da carta aosHebreus, é o suficiente para entendermos a abolição de toda lei, e não falarmos mais emobras mortas como dízimo na era da Graça do Senhor Jesus.
    AQUI TOMAM DÍZIMOS HOMENS QUE MORREM
    A nossa maior preocupação em relação aos pregadores que tomam o dízimo dos fieis, vem incidir sobre o versículo 8 do Capítulo 7 da Carta aos Hebreus, observem o porquê:
    Hebreus 7.8 : Aqui certamente tomam dízimoshomens que morrem; ali, porém, aquele de quem se testifica que vive .
    Toda cautela no que diz a palavra: Aqui tomam dízimos homens que morrem, aliaquele que se testifica que vive (alusão ao ReiMelquisedequ e).
    No Evangelho de Mateus 22.32, disse Jesus que Deus não é Deus dos mortos, mas dos vivos. O Senhor Jesus Cristo disse que Deus, é Deus dos vivos e não é Deus dos mortos, e a palavra diz que aqui tomam dízimo homens que morrem, no que está legitimado no Evangelho de João 11.26, onde disse Jesus: Todo aquele que vive, e crêem mim, nunca morrerá . Essa afirmativa do Senhor é mais uma evidência que nos faz entender que, os que tomam o dízimo não creem em Jesus, porque a palavra está dizendo que morrem os que assim procedem, tomando o dízimo do povo, voltam a viver as ordenanças da lei de Moisés que fora por Cristo abolida.
    Diante da Palavra de Deus, até onderecebemos entendimento, dar e receber dízimo é obra morta, ou seja, obra da justiça da Lei do Velho Testamento.
    Crer e viver por essa prática é estar sem a graça de Deus, pois assim explica a Bíblia. Estar sem a graça de Deus, é estar morto.
    Certamente que, sem Cristo e, cumprindo e se justificando pela lei, qualquerhomem ainda não tem a vida eterna, tanto o que dá e, também, o que recebe o dízimo. Pois a Palavraafirma que nenhuma alma será justificada diante d’Ele pelas obras da lei (Romanos 3.20,28 – Gálatas 2.16).
    19 de Maio às 19:42 ·

  4. Sabemos que estamos vivendo no tempo da Graça. Depende do que voce quer da Graça, se é salvação é pela graça, ma se for o Reino dos ceus, vamos ler Mateus 5:20 Pois Eu afirmo a vocês que só entrarão no Reino do Céu se forem mais fiéis em fazer a vontade de Deus do que os mestres da Lei e os fariseus. Então fica essa pergunta, O que os Fariseus e os mestre da lei faziam de melhor: eles eram fieis na Lei. Então eu digo, para a Salvação basta a graça, isso é muito valioso sem duvida, mais quem quiser Reinar com Cristo tem que ser fiel na Lei tambem, fique na PAZ. Salvação é diferente de Reinar com Cristo.

    1. Andre Luiz Ana Carla disse:

      A salvação sempre foi pela graça, no antigo e novo testamento. A lei são os mandamentos de Deus para vivermos uma vida santa, de acordo com a vontade Dele, portanto a lei é para nós sim.

    2. Hugo Aquino disse:

      Irmão Wellington, você fez uma mistura que não tem nada a ver… Leia e entenda: Os sacerdotes vinham da tribo de Levi e Jesus era da tribo de Judá. Pelo fato de Jesus ser da tribo de Judá, Ele não poderia se tornar sacerdote, muito menos sumo – sacerdote. Isto é demonstrado claramente em Hebreus 7:13-14, que diz: “Porque aquele, de quem estas coisas se dizem, pertence a outra tribo, da qual ninguém ainda serviu ao altar, visto ser manifesto que nosso Senhor procedeu de Judá, tribo da qual Moisés nada falou acerca de sacerdotes”.
      Em outras palavras, não era permitido a Jesus ser (sumo) sacerdote segundo a ordem de Levi. Então, para resolver esta situação, Jesus cumpriu toda a Lei e mudou o sacerdócio. Hoje não estamos mais sob o sacerdócio levítico, segundo a ordem de Arão. Estamos sob o (sumo) sacerdócio de Jesus, segundo a ordem de Melquisedeque. Podemos comprovar isto, biblicamente, através de Hebreus 7:11, que diz: “De sorte que, se a perfeição fosse pelo sacerdócio levítico (pois sob este o povo recebeu a lei), que necessidade havia ainda de que outro sacerdote se levantasse, segundo a ordem de Melquisedeque, e que não fosse contado segundo a ordem de Arão?”.

      Com a mudança do sacerdócio, houve também mudança da lei, como nos mostra Hebreus 7:12, que nos diz: “Pois, mudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz também mudança da lei”.

      Pelo fato de não estarmos mais debaixo da lei (sacerdócio levítico), estamos desobrigados de guardar os ritualismos da lei, como a guarda do sábado, por exemplo. A maior prova disto, é o que está escrito em Colossenses 2:16, que diz: “Ninguém, pois, vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa de dias de festa, ou de lua nova, ou de sábados”. Inclusive, no Concílio de Jerusalém em Atos 15, não foi estabelecido que os gentios (os que não são judeus) devessem guardar o sábado, como podemos ver em Atos 15:19-20: “Por isso, julgo que não se deve perturbar aqueles, dentre os gentios, que se convertem a Deus, mas escrever-lhes que se abstenham das contaminações dos ídolos, da prostituição, do que é sufocado e do sangue.”

      Aqueles que querem viver sob a Lei de Moisés, hoje em dia, desligam-se do sacerdote de Jesus porque Ele não pode ser (sumo) sacerdote sob essa Lei, como nos mostra Gálatas 3:11, que nos diz: “É evidente que pela lei ninguém é justificado diante de Deus, porque: O justo viverá da fé”.

    3. Eu sei sim disso que o Senhor colocou ai, mais esse versiculo de Mateus responde tudo isso que o pastor diz que nao podemos olhar para a lei, teemos que olhar a lei sim, vou te dar uma pequeno exemplo. A lei = espelho, pecado = barro e a graça = agua. Quando aceitamos a Jesus a Graça vem e nos limpa, e pecamos novamente, ou seja comecamos a sujar o nosso rosto com o pecado ou seja barro, e com isso se nao olharmos para o espelho ou seja para lei nao saberemos que estamos pecado. Por isso Lei nos ajuda a saber o que é certo ou errado. é necessario a lei para termos santidade.

    4. Hugo Aquino disse:

      Irmão Wellington…A paz…Viu, o texto trata sobre a prática da Lei em si…A Lei em si, como guardar o sábado, não comer carne de porco e outras práticas, não são necessárias para a salvação…A salvação em si é por meio de Jesus e somente através Dele…A Lei não salva, mas Jesus é quem salva…Podemos conhecer a Lei, assim como a Bíblia como um todo, mas salvação só em Jesus…É isso…

    5. Wellington Gaione É facil conjecturar sem respaldo Bíblico, prefiro ficar com a Bíblia veja o que ela diz: Porque o fim da lei é Cristo para justiça de todo aquele que crê.
      Romanos 10:4

    6. Andre Silva É facil conjecturar sem respaldo Bíblico, prefiro ficar com a Bíblia veja o que ela diz: Porque o fim da lei é Cristo para justiça de todo aquele que crê.
      Romanos 10:4

    7. "O meu povo sofre por não conhecer" As pessoas pegam alguns textos isolados da Bíblia e querem enganar o povo de Deus.
      Analise o contexto antes de expor "suas" idéias. Leia a Bíblia!
      Jesus disse: E AQUELE QUE TRANSGREDIR UMA PALAVRA DESTES MANDAMENTOS, E ENSINAR ASSIM AOS HOMENS, SERÁ CHAMADO FILHO DA MENTIRA NO REINO DE DEUS; E AQUELE QUE CUMPRIR E ENSINAR, SERÁ CHAMADO GRANDE NO REINO DE DEUS.MT 5.19

  5. Junior Almeida disse:

    “Anulamos, pois, a lei pela fé? Não, de maneira nenhuma! Antes, confirmamos a lei”. Romanos 3:31
    “Por conseguinte, a lei é santa; e o mandamento, santo, e justo, e bom.” Romanos 7:12
    Leiam a biblia e não se deixem ser enganados.

  6. Precisamos entender uma grande verdade: EU NÃO GUARDO A LEI PARA SER SALVO, EU GUARDO PORQUE SOU SALVO.
    Medite de fato em Êxodo 20.

    Na realidade precisamos saber qual LEI o amado se refere.

    Pr. Ezaú Casales
    Ministério Semeando em Terra Fértil
    Zürich – Suíça

    1. É facil conjecturar sem respaldo Bíblico, prefiro ficar com a Bíblia veja o que ela diz: Porque o fim da lei é Cristo para justiça de todo aquele que crê.
      Romanos 10:4

    2. MT 5.17 NÃO PENSEIS QUE EU VIM ABOLIR A LEI OU OS PROFETAS. NÃO VIM ABOLIR, MAS CUMPRIR.

      MT 5.18 EM VERDADE EU VOS DIGO QUE ATÉ QUE PASSEM OS CÉUS E A TERRA, NEM UM JOTA NEM UM TRACINHO SERÁ ABOLIDO DA LEI OU DOS PROFETAS, PORQUE TUDO SE CUMPRIRÁ.

      MT 5.19 E AQUELE QUE TRANSGREDIR UMA PALAVRA DESTES MANDAMENTOS, E ENSINAR ASSIM AOS HOMENS, SERÁ CHAMADO FILHO DA MENTIRA NO REINO DE DEUS; E AQUELE QUE CUMPRIR E ENSINAR, SERÁ CHAMADO GRANDE NO REINO DE DEUS.

    3. Todos aqueles, pois, que são das obras da lei estão debaixo da maldição; porque está escrito: Maldito todo aquele que não permanecer em todas as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las.
      E é evidente que pela lei ninguém será justificado diante de Deus, porque o justo viverá da fé.
      Gálatas 3:10-11… Porque o fim da lei é Cristo para justiça de todo aquele que crê.
      Romanos 10:4

    4. Letícia Moura Levítico 21:5
      E não se chegará a cadáver algum, nem por causa de seu pai nem por sua mãe se contaminará;
      Levítico 21:11
      Pois nenhum homem em quem houver alguma deformidade se chegará; como homem cego, ou coxo, ou de nariz chato, ou de membros demasiadamente compridos,
      Ou homem que tiver quebrado o pé, ou a mão quebrada,
      Ou corcunda, ou anão, ou que tiver defeito no olho, ou sarna, ou impigem, ou que tiver testículo mutilado
      Levítico 21:18-20 essa é a lei q vc defende oque vc acha?

    5. Valdecir Paula Amado irmão preciso saber de qual LEI vc se refere. Lei cerimonial, ou a lei Moral.

    6. Não, meu irmão. Preste atenção: Existem várias leis na Bíblia, sabia?
      leis acerca dos altares – Êxodo 20:22 a 26;
      leis acerca dos servos – Êxodo 21:1 a 11;
      leis acerca da violência – Êxodo 21:12 a 36;
      leis acerca da propriedade – Êxodo 22:1 a 15;
      leis civis e religiosas – Êxodo 22:16 a 31;
      lei dietética – Levítico 11;
      repetição de diversas leis – Levítico 19…
      Todas os estatutos e leis cerimoniais que eram realizados pelos judeus apontavam para Jesus. Todas as coisas realizadas representava o sacrifício, o perdão e a salvação realizado por Ele na cruz. (Colossenses 2:8 a 19).
      Em Levíticos 21 consta a lei para os sacerdotes. Fazia parte da lei cerimonial(Lei de Moisés) e essa sim, foi abolida qd Jesus morreu na cruz.
      A lei dos 10 mandamentos é a lei moral(Lei de Deus), e ela é ETERNA (Isaías 56:1 a 8; Eclesiastes 12:13 e 14).
      O próprio Deus a entregou para Moisés.
      Precisamos estudar a Bíblia ecom cuidado pra saber discernir tudo, pedindo sempre a ajuda do Espírito Santo para nos ensinar.

    7. Hugo Aquino disse:

      Letícia Moura NÃO MISTURE AS COISAS…Jesus nasceu na época em que ainda vigorava a lei: “Mas, vindo a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido debaixo de lei” (Gálatas 4:4).

      A maior prova de que a lei ainda era praticada na época, é o fato de Jesus ter ordenado ao homem que era leproso, para apresentar-se ao sacerdote e fazer oferta pela purificação, conforme a lei mosaica: “Ordenou-lhe, então, que a ninguém contasse isto. Mas vai, disse ele, mostra-te ao sacerdote e faze a oferta pela tua purificação, conforme Moisés determinou, para lhes servir de testemunho” (Lucas 5:14).

      O Novo Testamento passou a vigorar a partir da morte de Jesus na cruz: “Porque onde há testamento, necessário é que intervenha a morte do testador. Porque um testamento tem força onde houve morte; ou terá ele algum valor enquanto o testador vive?” (Hebreus 9:16-17). JESUS JÁ DERRAMOU O SANGUE DA NOVA ALIANÇA, NA CRUZ DO CALVÁRIO, E POR ISSO, NÃO TEMOS DE GUARDAR A LEI EM SEUS RITUALISMOS, COMO A GUARDA DO SÁBADO, POR EXEMPLO. ESTAMOS NA GRAÇA E NÃO MAIS NA LEI…É ISSO…

    8. PrEzau Casales me responda vc de q lei vc esta falando?

    9. Olá,Leticia Moura voçê está correta,até que tudo se cumpra e se cumpriu la na cruz do calvario,Cristo nos deu a alegria e a paz ,da novidade de vida.Obrigado Senhor pela tua salvação e graça.

    10. Concordo plenamente com os irmãos Valdecir Paula, Hugo Aquino e Letícia Moura, o que eles citaram está plenamente em conformidade com a palavra, "A lei e os profetas duraram até João; desde então é anunciado o reino de Deus, e todo o homem emprega força para entrar nele". Lucas 16. 16,. veja mais em Galatas 3.
      10 Todos aqueles, pois, que são das obras da lei estão debaixo da maldição; porque está escrito:
      Maldito todo aquele que não permanecer em todas as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las".
      11 E é evidente que pela lei ninguém será justificado diante de Deus, porque o justo viverá da fé".
      12 Ora, a lei não é da fé; mas o homem, que fizer estas coisas, por elas viverá.
      13 Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição por nós; porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro;
      14 Para que a bênção de Abraão chegasse aos gentios por Jesus Cristo, e para que pela fé nós recebamos a promessa do Espírito.
      Sendo assim, se o amado irmão Pr. EZAU CASALES está guardando também a lei, seja ela cerimonial ou moral etc, o amado terá que guarda-la na integra senão estará em falta com o restante da lei, e olha que o fardo da lei é muito pesado, pois nem mesmo os Hebreus "Judeus", não conseguiram cumpri-la, foi necessário Cristo vim e cumpri-la por eles e por nós, "Porque o fim da lei é Cristo para justiça de todo aquele que crê " Romanos 10. 4, …. CRÊS TU NISSO ?? então viva por fé e não pela lei, veja o que diz em Hebreus 7.
      18 Porque o precedente mandamento é ab-rogado por causa da sua fraqueza e inutilidade
      19 (Pois a lei nenhuma coisa aperfeiçoou) e desta sorte é introduzida uma melhor esperança, pela qual chegamos a Deus.

      aos amados irmãos a graça e a paz de Cristo seja convosco.
      ps: lembrem-se de seu irmão aqui nas suas orações ok ? um abraço.

    11. Valdecir Paula Em Romanos 10:4 não quer dizer que Cristo aboliu a lei, e sim que Ele é a finalidade da mesma. Ou seja, Ele as cumpriu por toda a vida e devemos imita-lo da forma mais sincera possível. Se vc acha que se pode pecar pq não precisamos mais da lei, fique a vontade. O Pai te cobrará depois.

    12. Há pros desenformados. Paulo nunca foi contra lei. Ele era contra os legalistas, aqueles que pregavam que a lei que salvava, ou seja, salvação pelas obras. Paulo nunca seria contra algo que ele guardava (obvio).

    13. Irmão se vc ñ sabe o q esta falando, preste atenção pensa que eu sou algum menino na fé ñ nasci ontem, em alguns assuntos da Bíblia eu nem, entro em debate pois eu ñ os conheço, mas tem uns q eu sou esclarecido, então meu irmão ñ fique ai postando ladainha, leia os outros posts para vc aprender alguma coisa fique na paz.

    14. Se vc traduziu Romanos 10:4 como Jesus se Cristo desse ponto final da lei moral, então realmente, vc não entendeu essa parte. E eu não aprenderia nada com isso. Só uma dica sobre português: a palavra fim aí no texto tem como significado objetivo, finalidade. Como no dito popular: "os fins justificam os meios".

    15. vc consegue me surpreender a cada post seu, agora vai começar a conjecturar textos Bíblicos só me faltava esta.

    16. Hehehehe certo grande apolegeta. Diz aí… onde tu acha que Cristo vai abolir algo que Ele mesmo defendeu, cumpriu, ensinou, e deu novo caráter (o do amor)? Antes de fica tentando tira (sem sucesso rsrs) tira onda do que eu digo, me mostre nas Escrituras bases para acreditar em tal coisa. Aí sim teremos um bom debate.

    17. Valdecir Paula Pois qualquer que guarda toda a lei, mas tropeça em um só ponto, se torna culpado de todos( dez mandamento Exodo 20:1-17)Porquanto, aquele que disse: Não adulterarás também ordenou: Não matarás.Ora, se não adulteras, porém matas, vens a ser transgressor da lei.Falai de tal maneira e de tal maneira procedei9 como que aqueles que hão de ser julgados pela lei da liberdade."Tiago 2:10-12

    18. כליר באכוס disse:

      então estamos todos condenados e o céu ficará vazio, toda a humanidade será jogada no inferno: Pois todos nós somos justificados pela lei:

      pois quando vc não mata, não rouba, não adultera, vc está cumprindo a lei e está sendo justificado diante de D'us…
      "Porque os que ouvem a LEI não são justos diante de Deus, mas os que praticam a " LEI" hão de ser justificados." (Romanos 2 : 13)

    19. "Esta lei ai citada é a lei cerimonial, não a Lei Moral(Dez Mandamentos Exodo 20:1-17). Alei Moral, foi escrita em tábuas de pedra, escrita pelo Dedo de Deus(Exodo 31:18)

    20. Junior Ribeiro o espertão é vc q esta dizendo q Jesus vai abolir a lei rsrrsrs desculpa mas vc é irônico como ele vai abolir algo q fala dele espertão, ele ñ veio abolir e sim cumprir, é só vc ler o texto: Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas: não vim ab-rogar, mas CUMPRIR. Mateus 5:17, O q é cumprir p/ vc? se vc recebe uma ordem de cumprir algo, depois de realizado a tarefa vc volta a fazer de novo? Então se cumpriu o que foi dito pelo profeta Jeremias, que diz: Então começou a dizer-lhes: Hoje se cumpriu esta Escritura em vossos ouvidos. E cumprindo-se a escritura que diz: E com os malfeitores foi contado Para que se cumprisse o que fora dito pelo profeta Isaías, que diz: Ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e levou as nossas doenças. Mateus 8:17
      E chegou, e habitou numa cidade chamada Nazaré, para que se cumprisse o que fora dito pelos profetas: Ele será chamado Nazareno. Mateus 2:23
      E, havendo-o crucificado, repartiram as suas vestes, lançando sortes, para que se cumprisse o que foi dito pelo profeta: Repartiram entre si as minhas vestes, e sobre a minha túnica lançaram sortes. Mateus 27:35
      E esteve lá, até à morte de Herodes, para que se cumprisse o que foi dito da parte do Senhor pelo profeta, que diz: Do Egito chamei o meu Filho.

      Para fechar o espertão lei; Mas os seus sentidos foram endurecidos; porque até hoje o mesmo véu está por levantar na lição do velho testamento, o qual foi por Cristo ABOLIDO;
      E até hoje, quando é lido Moisés, o véu está posto sobre o coração deles.
      Mas, quando se converterem ao Senhor, então o véu se tirará.
      2 Coríntios 3:14-16

    21. כליר באכוס QUE COMENTÁRIO MAIS SEM NOÇÃO EU EM.

    22. Primeiro: obrigado pelo espertão… é sinal que eu estou no caminho certo, mesmo isso sendo uma ironia. hehehehe Qualquer um aí que estuda Mateus 5:17 já vai vê que Cristo não aboliu nada, só deu um novo significado. Ele mesmo diz que não veio para aboli e sim para cumpri, ou seja, ele cumpriu pq é santo e é isso que santo faz: se santificar. Como vou me santificar pecando? Entenda: a lei serve para apontar o pecado. Se vc esta na graça e se santificar, automaticamente vc cumpri a lei. Senão acaba pecando. E vc menciona Moises. Foi ele que escreveu os 10 mandamentos ou foi Deus? Se vc fala de festas, circuncisão, apedrejamentos, sacrifício de animais, ou seja, atos cerimoniais e culturais, realmente, não precisamos fazer tais coisas. Agora a lei de Deus, escrita por Seu dedo, aí não. Ela é eterna e vamos cumpri-la até após a vinda de Cristo!

    23. JUNIOR RIBEIRO__ Irmão me entenda, eu nunca falei contra a lei de DEUS só se eu fosse louco, eu estou falando justamente de festas, circuncisão, apedrejamentos, sacrifício de animais, ou seja, atos cerimoniais e culturais destas lei, se eu falar da lei de DEUS, eu ñ amaria a DEUS pois o 1º é amaras a DEUS sobre todas as coisas, e JESUS disse: o 2º é parecido com este, que é amaras a teu próximo como a ti mesmo, é isso, agora porque eu falei q ñ vivo mais debaixo da lei vc entende q eu vou sair por ai matando as pessoas q mente é essa? olha que Paulo diz: A ninguém devais coisa alguma, a não ser o amor com que vos ameis uns aos outros; porque quem ama aos outros (CUMPRIU A LEI).Romanos 13;08, a minha revolta aqui é contra o DIZIMO, q pessoas bem intencionadas insiste em defender.

    24. "Assim como não precisamos guardar o sábado não é mesmo valdecir paula, podemos também adulterar, roubar, matar, levantar falso testemunho contra o próximo, desonrar pai e mãe, ter outros deuses diante de Deus, fsalar o nome de em vão, fazer imagem de escultura, cxobiçar, etcc..não é mesmo valdecir? Porque a Bíblia em Tiago nos fala: que aquele que guardar todo o mandamento os Dez e transgredir um só mandamento tornou-se culpado de todos…Tiago 2:10 ou guardamos os Dez Mandamentos ou nada Deus não aceita a obediência pela metade, pois não poupou seu próprio filho, antes o entregou na cruz do calvário para morrer pelas nossas transgressões, pois pecado é violação dos mandamentos de Deus inclusive o sábado. IJoão 3:4

    25. Eduardo Santana Agora podemos viver pecando não é mesmo? pois pecado é transgressão da Lei de Deus.IJoão 3:4…Os que aceitam a Jesus Cristo como Salvador pessoal, obedecem aos mandamentos de Deus. "Aqui está a pasciência dos santos, os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus."Apocalipse 14:12….." O diabo está irado com que obedece e respeita os 10 Mandamentos de Deus."Apocalipse 12:17"Irou-se o dragão contra a mulher(Igreja Verdadeira)e foi pelejar com os restantes da sua descendência, os que guardam os mandamentos de
      Deus(Dez Mandamentos) e têm o testemunho de Jesu; e se pôs em pé sobre a areia do mar.

    26. Robson Pimentel Pimentel Cara de q vc esta falando eu em parece maluco, q comentario mais tosco sem noção.

  7. José Carlos disse:

    A paz do Senhor Jesus.

    Sim, a minha graça ti basta.

    Sim, quem segue Jesus pela fé, cumpre os mandamentos, naturalmente. A lei moral, podemos dizer, os dez mandamentos.
    Há os mandamentos subjetivos, àqueles que Deus vai descortinando, vai nos revelando no tocante nossos direitos de redenção. Deus repara as arestas. Deus mostra detalhes, aprofunda o conhecimento.
    Sim, servimos a Deus, esforçamo-nos para cumprir a lei por meio da graça de Deus, e da fé em Jesus. Em Cristo, Deus nos condedeu esse privilégio, essa graça de obedecer a lei moral que está escrito nas tábuas, dentro da arca. Onde está a arca? Lá no céu, tipificando Jesus.
    Os fariseus, Israel não conseguiram cumprir a lei. Alguns esforçavam-se. Na verdade, quem mantinha o pecado do povo perdoado eram os sacrifícios que Deus ordenava que se fizesse para cobrir o pecado.
    Hoje, temos o sangue de Jesus, o sumo sacerdote, e o Espírito Santo nos guia no tocante áquilo que devemos renunciar para agradar a Deus, para amar o nosso próximo. Pois o Espirito Santo nos guia em toda verdade.
    Jesus resumiu os dez mandamentos em dois mandamentos: Amar a Deus em primeiro lugar e ao próximo. E disse: IDE. Fazei discípulos. Esse também é um mandamento muito importante.
    A vida do filho de Deus é de renuncias dia após dia. Quem nos fortalece por meio da palavra de Deus? Claro que é o Consolador.
    Ele nos edifica, santifica o corpo de Cristo. Aumenta nossa fé, nosso entendimento sobre o reino de Deus. Ele nos dá sabedoria, luz. Ela traz cura, santidade, prosperidade bíblica.
    Estamos no Ministério do Espirito Santo. Na lei do amor de Deus em Cristo Jesus. Precisamos cooperar com Deus para que sejamos despertados a oferecer ofertas de sacrifícios, ofertas suaves, de louvor, aromáticas, primícias de Deus.
    Deus mesmo nos move por meio de nossas decisões, livre arbítrio em concordância com sua palavra. A luz vem, a oração da fé é colocada em nosso espírito, nossos lábios. A benção chega, alcança os que andam em santidade, na palavra.
    Tudo podemos em Cristo porque Deus nos concedeu essa graça, essa oportundade. A fé vem por ouvir a voz majestosa, de amor do Espírito Santo.
    Quem tem ouvidos para ouvir, ouça a voz soberana de Deus.

    Deus abençoe a todos em nome de Jesus.

  8. Erick Porto disse:

    Não precisa pois as leis precisam estar atadas no nosso coração .A tua palavra escondi guardada em meu coração para eu não pecar contra ti Senhor.

  9. "E, voltando elas, prepararam especiarias e ungüentos; e no sábado repousaram, conforme o mandamento."
    Lucas 23:56.

    1. Conheço o texto citado é o mesmo citado por todos os ASD para apoia a guarda do sábado texto fora do contexto. O texto citado por você e a maioria do sabatista, diz respeito que as mulheres guardaram segundo o madamento, não está pedido a todos guardarem; e mais elas guardaram até a morte de Jesus após a ressurreição não tem nenhum falando a respeito da guarda do sábado.

  10. Infelizmente tem muitos pastores picareta enfiando a LEI do AT, goela abaixo de muitos cretes só para receberem o ''MALDITO DIZIMO'' e ainda vem com historinha infantis dizendo cuidado com o devorador, DEVORADOR SÃO VOCÊS mercenários.

    1. O dízimo é de Deus e o que é de Deus não pode ser maldito.
      Toda autoridade é constituída por Deus, por isso devemos respeito. O que eles fazem ou deixam de fazer com o dinheiro de Deus é Ele quem vai pedir conta.

    2. de q dizimo vc esta falando o que a LEI mando ou o que os pastores picaretas pregam? são duas coisas distintas vc sabia? o q a LEI ensina é frutos da terra animais coentro cominho ate sementes, agora o q os mercenários pregam é dinheiro sem base Bíblica, preste atenção leia mais a Bíblia antes de entrar em debate com alguem procure saber mais sobre o assunto, te desafio a me mostrar que eu deva dar DIZIMO EM DINHEIRO com base Bíblica, se vc conseguir eu me retrato agora se ñ conseguir vc precisa rever seus conceitos.

    3. Não adianta ficar falando pra quem não quer ouvir…
      "Nada façais por contenda" (Filipenses 2:3)
      A Bíblia é para edificação e conhecimento de Deus, não para glória do homem, para o homem dizer se está certo ou errado.
      Eu creio assim, e o Espírito Santo a cada dia me convence de que é o certo, de que é o que Deus quer. Se vc não crer, o que eu posso fazer, senão orar pra que o Espírito Santo faça a vontade de Deus na sua vida: convencer ou não.
      Eu não sou nada, não sei nada de Bíblia mesmo porque a palavra de Deus se renova cada dia.Cada dia aprendemos uma coisa nova, mesmo que leiamos o mesmo versículo.
      Debata com a Bíblia, não comigo.
      Deus o abençoe

    4. Letícia Moura se ajudamos a igreja com dinheiro, lembramos que isto é apenas para ser gasto com gastos normais e não para enriquecimento de pastores, porque o única oferta que Deus espera de todos é apresentar vossos corpos santos e irrepreensíveis diante dele ou de seu altar que hoje é representado pelos púlpitos das igrejas !!e se o dinheiro for para enriquecimento de pastores como podemos estar apresentando nossos corpos santos e irrepreensíveis em um altar que esta cheio de ganancia e usura???não faria menor sentido…ok

    5. Letícia Moura Amém minha querida eu ñ estou aqui para escrachar ninguém, só gosto de esclarecer os fatos com base na bíblia, lembre-se nossa fé ñ é algo suspenso, ele tem uma base, e esta base é bem solida pois é a Palavra de DEUS, então tudo eu disse tudo q for ensinado sem respaldo bíblico seja anátema ou maldito, ah só uma correção a Palavra de DEUS ñ se renova cada dia, '' Ela é nova a cada dia'' fique na paz.

    6. Bruno Rafael disse:

      Valdecir Paula Amado, que a paz do Senhor Jesus esteja contigo. Bem sabemos que Jesus Cristo veio para cumprir a lei, e ponto. Em Tiago 2:10 diz: "Porque qualquer que guardar toda a lei, e tropeçar em um só ponto, tornou-se culpado de todos". Então logo vemos que não faz sentido algum seguir a mesma e sim viver uma vida de santidade no tempo da dispensação da graça (que é o que estamos).
      Falando a respeito dos dízimos e ofertas, pressuponho que o querido não observou ainda o que o apostolo Paulo falou em sua 1ª epístola aos Coríntios cap. 9:9-18. O apóstolo deixa bem claro no 13 e 14 que tinha o direito de comer do que era do templo, direito este concedido pelo próprio Deus, e o que era do templo? Era exatamente os dízimos dos judeus, entretanto ele (Paulo) disse, voltando um pouco ao vers. 12: "Mas nós não usamos deste direito; antes suportamos tudo, para não pormos impedimento algum ao evangelho de Cristo", e hoje na igreja do Senhor ninguém é obrigado a dar dízimos e ofertas, (pelo menos na Assembléia de Deus) falo desta pois congrego na mesma. E quero deixar bem claro que Paulo, após sua conversão, não vivia mais sob a lei de Moisés! Confira os versículos 20 e 21: ele fala que está debaixo (sob) a lei de Cristo, logo sendo a dispensação da graça. Não deixando margem para que pensem: "mas Paulo e os apóstolos estavam submetidos à lei, por isso falou aquilo". Bem amado fique na paz de Cristo, eu acho que fui claro no tocante às explicações que tentei dar, estou aberto à dúvidas e discordâncias desde que sejam embasadas na bíblia. Amém.

    7. Bruno Rafael A paz de Cristo meu irmão, vamos dialogar sim, p/ mim é sempre um grande prazer em usar as redes sociais para tirar duvidas, e responder algumas questões também se tiver ao meu alcance é claro, lembrando que importa aqui ñ é minha verdade e nem a sua e sim a da Palavra de DEUS certo se ñ tiver respaldo ñ sera aceito os argumentos; 1º) tenho q descordar de vc em questão a Assembleia de Deus, tambem congrego em uma ñ sou membro ja fui agora só congrego… p/ ser obreiro na AD tem que dar o DIZIMO se vc quiser ser pregador na AD tem q dar o DIZIMO, ao final dos cultos é convocados a frete os DIZIMISTAS da noite p/ receberem oração, p/ constranger quem ñ DIZIMA; de tudo isto q eu falei tem respaldo Bíblico? se ñ tem é farsa mentira enganação, 2º) ñ fala q devemos dar DIZIMO, Não sabeis vós que os que administram o que é sagrado comem do que é do templo? E que os que de contínuo estão junto ao altar, participam do altar? 1 Coríntios 9:13 aqui esta falando do sacerdote levita e suas tarefas do templo esta era a finalidade do DIZIMO, o DIZIMO ñ era dinheiro e sim alimentos, leia direitinho o texto, em lugar nenhum da Bíblia vc encontra um texto que nos convença a dar o DIZIMO e muito menos em dinheiro, fique na paz e tambem estou a disposição.

    8. Marco Antonio disse:

      Valdecir Paula – Esta é a verdade; mas os pastorecos dizimistas – não querem ver a verdade

    9. Bruno Rafael disse:

      A paz do Senhor mais uma vez Amado. Observei a sua posição e pude ver que o irmão falou de algumas coisas que nunca tive o conhecimento, como por exemplo: "p/ ser obreiro na AD tem que dar o DIZIMO se vc quiser ser pregador na AD tem q dar o DIZIMO". Pois bem, não estou aqui para defender denominação nenhuma, entretanto meu querido, esses fatos que vc relatou não procedem e nunca procederam (repito: na AD Belém-PA em PE) nem aqui em Pernambuco e tbm confesso ao irmão que nunca ouvi outra pessoa falar a respeito.
      Voltando ao assunto da lei, mais propriamente dos dízimos: gostaria de lhe mostrar o que o próprio Jesus falou: "Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que dizimais a hortelã, o endro e o cominho, e desprezais o mais importante da lei, o juízo, a misericórdia e a fé; deveis, porém, fazer estas coisas, e não omitir aquelas". Mateus 23:23 e conjecturando com o mesmo, eu mostrarlhe-ei o que o apóstolo Paulo disse: "Portanto, tive por coisa necessária exortar estes irmãos, para que primeiro fossem ter convosco, e preparassem de antemão a vossa bênção, já antes anunciada, para que esteja pronta como bênção, e não como avareza.
      E digo isto: Que o que semeia pouco, pouco também ceifará; e o que semeia em abundância, em abundância ceifará.
      Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, ou por necessidade; porque Deus ama ao que dá com alegria.
      E Deus é poderoso para fazer abundar em vós toda a graça, a fim de que tendo sempre, em tudo, toda a suficiência, abundeis em toda a boa obra"; 2 Coríntios 9:5-8
      1º O texto nos denota de uma forma bem explícita que não é uma obrigação imposta vc doar o dízimo=(que significa a décima parte "de qualquer coisa").
      2º Se analisarmos direitinho os tempos de hoje, e compararmos com aquela época (em termos de divulgação do evangelho) hoje em dia nós temos uma liberdade imensa, que eles não tinham, de levar as boas novas de salvação. Não acha? Quero dizer com isso que se há mais 'mão de obra', também haverão mais custos, isto é óbvio; enviar missionários, construir novos templos, fazer ações sociais, etc… (detalhe: não é história da carochinha, eu vejo essas coisas) E eu como cristão sinto-me na obrigação de contribuir para a expansão do evangelho de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo!
      Caro irmão Valdecir Paula em meu entender, com relação ao que a bíblia nos diz a respeito do assunto e também com a minha concepção de cristão, não posso deixar de contribuir para a obra de Deus sabendo que Ele mesmo nos há de recompensar como disse Paulo: " E Deus é poderoso para fazer abundar em vós toda a graça, a fim de que tendo sempre, em tudo, toda a suficiência, abundeis em toda a boa obra"; 2 Coríntios 9:5-8
      Quero aqui externar minha satisfação de falar do que tenho aprendido da poderosa palavra do SENHOR, e meu prazer de ouvir também e aprender junto com os irmãos sobre assuntos maravilhosos. A paz do Senhor Jesus.

    10. Bruno Rafael vou tentar te explicar a minha posição a respeito do dizimo com base Bíblica.
      1º vc nunca ira encontrar um texto na Bíblia q nos manda dar dizimo em dinheiro, (OBS; se a Bíblia ñ me manda dar dizimo em dinheiro, porque e pregado de uma forma veemente nas igrejas?)
      vc mesmo citou MT23;23, onde o próprio Jesus que tambem estava debaixo da LEI disse aos Fariseus
      q eles tinham q dar o dizimo da LEI q era hortelã, o endro e o cominho, frutos da terra animais, Jesus ñ manda eles darem dinheiro.
      Leia estude com carrinho sobre este assunto, vc ñ deve fazer algo porque o pastor falou em nome de DEUS tem que vê se DEUS assina em baixo, quando eles citam ML 3;10 é só p/ nos intimidar ali fala de dizimo mas o dizimo da lei, e o devorador q eles insistem em dizer q é o diabo ñ passa de um gafanhoto, olha o q a Bíblia diz: Deles comereis estes: a locusta segundo a sua espécie, o gafanhoto devorador segundo a sua espécie, o grilo segundo a sua espécie, e o gafanhoto segundo a sua espécie. Levítico 11:22.
      2º) vc citou Corintios 9, um excelente texto, Paulo um homem de DEUS vendo a necessidade dos irmão fez esta campanha p/ ajudar os necessitados; Quanto à administração que se faz a favor dos santos, não necessito escrever-vos; 2 Coríntios 9:1…Porque a administração deste serviço, não só supre as necessidades dos santos, mas também é abundante em muitas graças, que se dão a Deus
      2 Coríntios 9:12; ñ era p/ a igreja como muitos pregam, esta contribuição era voluntaria, dava quem queria ñ 10%, vc lembra dos Bereianos temos que fazer como eles consultar a Palavra para ver se os ensinamentos tem base, se ñ tiver é mentira; Ora, estes foram mais nobres do que os que estavam em Tessalônica, porque de bom grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim. Atos 17:11, a sua tradução de dizimo é perfeita (OBS: DIZIMO= A decima parte de qualquer coisa) perfeito, mas menos das finanças, a decima parte das finanças é (DIZIMA E NÃO DIZIMO) pode consultar um dicionario, faça como os Bereianos.
      Agora outro assunto polemico, ñ pra mim mas p/ quem nunca parou p/ pensar no assunto, vc disse que é necessário verba p/ construção de templos, e por isso q temos q dar o dizimo, vamos fazer como os Bereianos analisar, e analisando nós não vamos encontrar Jesus nem os apostolos pedindo p/ construir igrejas,

      Lembre-se DIZIMO nunca teve a finalidade de:
      pagar conta de luz, agua
      pagar salario de pastor
      pagar aluguel
      enviar missionarios
      pagar programa de TV.
      o dizimo nunca foi dinheiro.

      A finalidade do DIZIMO era:
      alimentar os levitas e suas familias
      as viuvas
      os órfãos
      os estrangeiros
      o dizimo sempre foi frutos da terra animais hortelã, entro sementes.

      Não dou o DIZIMO porque é invenção do homem e DEUS não compactua com esta mentira.

      fique na paz e continuo a disposição.

  11. Bom foi isso que Paulo escreveu sobre a lei.
    Eu entendo que Jesus Cristo cumpriu a lei pq ele viveu na época da lei.
    Mas Paulo disse que Jesus pregou-A na cruz.
    Creio também que quem vive pela fé, não precisa da lei.

    1. Mas, por acaso somos cristãos por causa de Paulo?
      Paulo falou para as mulheres não abrirem a boca dentro da igreja. Paulo falou que prefere que o homem viva sozinho, sendo que Deus têm a família como o princípio de tudo e um projeto eterno.
      Ele mesmo disse que imitássemos á Ele porque ele imitava Cristo. Ao invés de olhar para Paulo, eu olho direto pra Cristo.
      A lei que Jesus cumpriu na cruz foi a lei cerimonial, a lei onde os judeus cumpriam rituais representando Ele. (Colossenses 2:8 a 19). Essa lei que foi abolida na cruz, a lei moral que o próprio Deus deu ao povo continua valendo, se não, como Jesus vai julgar as pessoas se não tem um espelho(lei)? Tudo na vida precisa de normas pra ser bem-sucedido.
      (Salmos 119:33-40)

    2. Letícia Moura não somos justificados pela obras da lei porque ninguem a cumpriu !!!
      É facil conjecturar sem respaldo Bíblico, prefiro ficar com a Bíblia veja o que ela diz: Porque o fim da lei é Cristo para justiça de todo aquele que crê.
      Romanos 10:4
      ele jugara todos pela lei !!!mais os que estão em Cristo não estão de baixo da lei, o que as pessoas não entenderam é que Cristo foi o sacrificio que muitos não aceitaram, e este não estão sendo justificados por Cristo como os que aceitaram,por isto a lei os condenara enquanto os que aceitaram a Cristo não podem ser condenados na lei, devido a Cristo ter praticado…asleis morais estas praticamos automaticamente em Cristo….

    3. fantástica colocação minha amada irmã Letícia Moura, vc agora disse tudo. a paz seja contigo.

    4. Bruno Rafael disse:

      Porque qualquer que guardar toda a lei, e tropeçar em um só ponto, tornou-se culpado de todos.
      Tiago 2:10

    5. Leticia Moura é sempre assim. A Biblia diz uma coisa, o pastor outra, e ainda tem gente que vai na deles. É tão difícil raciocinar que foi O SENHOR que fez as leis morais? E falando sobre o sabado. Sejamos mais atentos. Tem dois tipos de sabado retratados na Biblia: o 4o mandamento e as festas (Oseias 2 e Colossesses 2:16). Se vc não guarda um dos 10 mandamentos… beleza. Peça entendimento para o Senhor se vc esta fazendo o certo que ele vai te dar.

    6. Carlos Alberto de Oliveira, no meu entender vc concordou com o que a Leticia Moura falou, pois a lei cerimonial essa foi por Cristo cumprida e não é mais para os Judeus nem para nós, agora, a lei moral que são os 10 mandamentos e esses resumidos em 2 (dois).. amarás a Deus sobre todas a coisa e ao teu próximo como a ti mesmo, esses são para sempre e isso está incluso no novo mandamento que Cristo nos deu "Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis." João 13. 34 então, novo mandamento, nova aliança, a antiga foi cumprida por Cristo. um grande abraço e a paz de Cristo seja contigo.

    7. Querida irmã Letícia Moura. Desculpe-me o comentário sobre o seu parecer. Embora seja livre para seguir o caminho que bem lhe convenha. Um TESTAMENTO, segundo a lei, não poderia ser cumprido por bases, cerimonial e/ou moral. Deveria ser observado em TODO. No cerimonial, a lei exigia a liturgia e cumprimentos em seus mínimos detalhes. Exemplo: Liturgia para diversas festas, formas de manuseio para com as bacias de bronze, candelabros, etc. Quanto à moral, a lei exigia a observância do cumprimento dos deveres. Exemplo: Santificação, justiça, retidão, etc. Nesse caso, a lei moral exigia a extirpação por completo do adultério – morte por apedrejamento, e isso era moral e não cerimonialismo. Embora pertença à lei MORAL e não cerimonial, não se pode fazer isso hoje. é CADEIA na certa.

      Se os hebreus tivessem conseguido cumprir a lei, Cristo não precisaria ter pago o preço tão alto para estabelecer uma NOVA ALIANÇA.

      Na NOVA ALIANÇA, não existe cerimonialismo e nem moralismo, mas, FÉ. Pois, a Graça que nos é dada por Cristo nos salva, mediante a FÉ. E é certo que isso não vem de nós. Não vem pela santificação a coisas materiais ou dias, e sim, espirituais. É um DOM de Deus para nós. Repito: É UM DOM DE DEUS PARA NÓS.

      Que o Senhor te abençoe.

    8. Uma das coisas que nos santifica espiritualmente é a observância da lei de Deus. Pois praticando-a sabemos que estamos longe do pecado. Pois o pecado é a transgressão da Lei.

    9. Quer dizer: A Lei de Cristo, né?

    10. E qual é a lei de Cristo? A mesma do Pai: Ama a Deus sobre todas as coisas e ama ao próximo como a ti mesmo. Ele deu o caráter de amor aos 10 mandamentos.

  12. A LEI DE MOÍSES: “Eram apenas prescrições que tratavam de comida e bebida e de várias cerimônias de purificação com água; essas ORDENANÇAS PARA A CARNE foram impostas ATÉ O TEMPO DA NOVA ORDEM. Quando CRISTO VEIO COMO SUMO SACERDOTE dos benefícios agora presentes, ele adentrou o maior e mais perfeito tabernáculo, não feito pelo homem, isto é, não pertencente a esta criação.” (Hebreus 9:10-11)
    (Hebreus 7:12) “Porque, mudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz também MUDANÇA DA LEI.”
    PARA CRISTÃO, TEM LEI SIM: “Ajudem uns aos outros e assim vocês estarão obedecendo a LEI DE CRISTO.” (Gálatas 6:2)

    1. “Onde está, portanto, o motivo de se gloriar? Foi eliminado. Por qual lei? Pela das obras? Não, mas pela LEI DA FÉ.” (Romanos 3:27)

  13. A lei é santa, nos revela o caráter de Deus, mas é importante dar ênfase ao fato que ninguém precisa cumprir a lei para ser salvo, caso contrário o sacrifício de Jesus seria inútil, mas por outro lado a observância da lei revela o quanto a nossa vida está entregue a graça de Deus.Ou seja a graça de Deus nos conduz, através do Espírito Santo, a viver em conformidade com Lei.

    1. SIM, Luciano Viega Borges, concordo com vc também, só que não podemos esquecer que o tema abordado no Projeto Despertai, é viver pela fé sem precisar observar e cumprir a lei cerimonial, principalmente a parte da lei que fala do dízimo, ou viver também pela Lei observando a parte do dízimo também; o que eu acho engraçado é que, aqueles que defendem a observância da Lei, tanto cerimonial como moral e defendem veementemente a questão do dízimo, porque não praticam a lei na sua totalidade?, observando também o guardar do sábado, a circuncisão na carne, o apedrejamento dos adúlteros, o sacrifício de animais em holocausto pelo seus pecados e assim por diante?, não é mesmo?, mas não, só se preocupam em cumprir uma parte da lei, pensando que assim estão cumprindo a lei na sua totalidade e sendo fieis a Deus e merecedores de bençãos sem medidas, affff, mesmo como evangélico que sou, eu digo, nós temos que ler mais bíblia, e deixarmos de sermos apenas ouvintes, . digo isso, porque em Malaquias 3. 8,9 e10, é passado para nós como se o Senhor estivesse falando tudo aquilo para nós (impios de outras nações), na verdade o Senhor está chamando a repreenção o seu povo, o povo Hebreu, chamado também de Judeu, é preciso ler o livro de Malaquias desde o início para podermos entender o porque de Malaquias 3. 8,9,10, senão continuaremos a achar que o que está escrito é para nós também, quando na verdade não é, e o tal devorador citado, não tem nada a ver com satanás, o devorador é uma espécie de gafanhoto que como praga devorava as plantações e a vide no campo, leiam Levitico 11.22 "Deles comereis estes: a locusta segundo a sua espécie, o gafanhoto devorador segundo a sua espécie, o grilo segundo a sua espécie, e o gafanhoto segundo a sua espécie". observe que ha duas espécie de gafanhotos, sendo que um é chamado de gafanhoto devorador, este é o citado em Malaquias. um grande abraço fique na paz de Cristo. lembre-se de mim em suas orações ok ?

    2. Eduardo Santana, Concordo contigo meu irmão, sei que no tocante a dízimos cada um de nós tem um posicionamento segundo crê, ou segundo seus interesses, eu dizimo e entendo isso como um reconhecimento da minha parte ao fato do Senhor estar me sustentando, não é um pedido mas um reconhecimento, levando em conta Romanos 11:36 "porque Dele por Ele e para Ele são todas as coisas…" Fica na Paz meu irmão.

  14. Basilio disse:

    Hoje não precisamos guarda alei cerimonial mais a lei moral sim

  15. Lúcia disse:

    O crente em Jesus, que nasceu de novo, ele vai “produzir” o fruto do Espirito, que é amor, alegria, paz, longanimidade, benignadade, bondade, mansidao, dominio proprio, conforme bem explica o capitulo 5 da carta aos Galatas.

  16. Infelismente o que se vê é está tudo banalizado uns podem pois é autoridade espirituas supostamente e outros não podem porque as autoridades os colocam sobre opressa atraves de argumentos proprios pois a propria palavra de Deus nos ensina o caminho é lei certa pois a lei é conciência tranquila atente-se para o que Deus cofirma no seu coração e quem teme a Deus pouco importa o diz ou deixa de dizer os homens sobre leis…disse Jesus dai a Cesar o que é de Cesar e a Deus o que é de Deus devemos respeitar as leis dos homens escolhidos por votos… mais as leis evangéilcas hoje infelismente tem se banalizado em muitos lugares devidos aos maus exemplo do mundo Cristão de hoje o quem ontem era Pecado hoje é Liberado tudo pode mudar o homem a vida mais Deus e sua Palavra não Muda…

  17. Benny Dio disse:

    A LEI E OS PROFETAS valeram até João; desde então é anunciado o Reino de Deus, e todo homem emprega esforço para entrar nele" – Lucas 16: 16. A Lei mostra o pecado. Jesus perdoa o que arrepende. A Lei serviu de paliativo até Jesus; O CORDEIRO é que TIRA o pecado. Paulo, Apostolo, ensinou insistentemente o vencimento de validade da LEI. Entre tantas, disse: " Separados estais de Cristo, vos que justificai pelas pelas Obras da Lei: da Graça tendes caido" – Galatas 5: 5. OS GUARDADORES da lei insistem: "A fé sem obras é morta". Sim, mas de obras fala Efesios 2:10? Obras aqui refe-se 'a pratica da fé'. Nunca da guarda da lei. O TEXTO de efesios 2:7,8 é contundente: " PELA GRAÇA sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus. Não vem DAS OBRAS para que ninguem se glorie". EM SUMA: Jesus é o fim da lei; PORQUE ele cumpriu a lei.
    IMPORTANTE: Aos que falam sem saber: DIZIMO NÃO É LEI. O dizimo foi instituido no Edem, simbolizado na arvore do conhecimento, passou por Abraão pelas mãos de MELQUEZEDEQUE, o sacerdote que prefigurou a CRISTO. Observe que o dizimo não consta do Decalogo.

    1. Benny Dio, Perfeita a sua colocação, agora vc disse tudo o que eu gostaria de ter dito, parabéns , vê-se que vc adquiriu o conhecimento que vem do alto, a paz de Cristo seja contigo, lembre-se de seu irmão aqui em suas orações ok ?. um grande abraço.

  18. Todo crente sincero é salvo pela graça e a guarda da lei acaba sendo automatica, Amamos a Deus e o próximo, veja que simplicidade e linda é a lei que Cristo deixou e nós complicamos.

  19. A Graça não anula a Lei. Os Dez mandamentos não são Leis de Moises, pois foram escritos com os dedos de Deus. A Lei não tem caráter salvador, mas de acusador do pecador, ou seja, graça salva a lei mantem o cristão na salvação. A Lei tem que ser movida pelo amor. Não se deve confundi a Lei eterna com as ordenanças cerimoniais e culturais de Moises.E nem acha que Cristo anulo-a na cruz, pois assim teríamos dois problemas doutrinários: Cristo em desacordo com o Pai e que abriria o precedente de que possamos pecar por não precisamos mais da lei.

  20. Murilo disse:

    Fico imaginando como pastores perdem o tempo discutindo um assunto tão claro na biblia, perca de tempo, pastores utilizaem seu tempo para ensinar ao povo a palavra de Deus.

  21. Eu gostaria de perguntar esse pastor se ELE MESMO CUMPRE AS LEIS DE DEUS QUE FORAM PASSADAS PARA MOISÉS. São Dez! Talves ele nem conheça todas. Em Gálatas 5:14 diz: "Toda Lei está cumprida em uma só expressão:'TENS, OU DEVES, AMAR O PRÓXIMO COMO A TI MESMO'". Quem ama o próximo? Vc, leitor, sabe o que é AMAR O PRÓXIMO? Em uma das suas citações Jesus foi claro: "Devemos perdoar o nosso irmão (o próximo) até 77 vezes" (Mateus 18:21,22) Quem faz isso? Com certeza o pastor da matéria que estamos comentando não faz. Nem ele nem ninguém na face do mundo faz! E, quem é o seu próximo? Jesus fez uma demonstração do que é 'AMAR O PRÓXIMO' ilustrando a história do BOM SAMARITANO, que vc pode ler em Lucas 10:25-37 – E, ao contrário do que o pastor prega de que 'não preecisamos de leis' a Bíblia diz o contrário: • "Todos nós estamos sujeitos as Leis e autoridades superiores na TERRA" ( Rom. 13:01) e Jesus fez mais uma advertência: "Aquele que diz que me conhece, tem fé em mim e me ama e não ama o próximo, é um MENTIROSO!" (1João 2:4). Portanto, pastor, vá ler a Bíblia e deixe de falar besteira!

  22. Num acredito que o povo ainda tá nessa!!! Afff… vão ler a Bíblia do início ao fim!! Discussão mais tola!

  23. "Anulamos, pois, a lei pela fé? não, de maneira nenhuma! Antes, confirmamos a lei. Romanos 3:31……….."Assim, pois todos os pecaram sem lei também sem perecerão; e todos os que com lei pecaram mediante lei serão julgados. Porque os simples ouvidores da lei não justos diante de Deus, mas os que praticam a lei hão de ser justificados.Quando, pois, os gentios, que não têm lei, procedem, por natureza, de conformidade com a lei( os Dez Mandamentos que foram escritos com próprio Dedo de Deus.Exodo 31:18),, não tendo lei, servem eles de lei para si mesmos.Estes mostram a norma da lei gravada no seu coração, testemunhando-lhes tembém a consciência e os seus pensamentos, mutuamente acusando-se ou defendendo-se."Romanos 3:31..2:12-15

  24. "Que diremos, pois? É a lei pecado? De modo nenhum! Mas eu não teria conhecido o pecado, senão por intermédio da lei; pois não teria eu conhecido a cobiça, se a lei dissera: não cobiçarás…Por conseguinte, a lei é santa; e o mandamento santo, justo, e bom."Romanos 7:7 e 12

  25. "Porque o pendor da carne dá para a morte, mas o do Espírito, para a vida e paz.Por isso, o pendor da carne é inimizade contra Deus, pois não está sujeito à lei(Os dez mandamentos Exodo 20:1-17) de Deus, nem mesmo popde estar. Romanos 8:6-7

  26. כליר באכוס disse:

    TRECHO DO DEBATE : “As leis de Moisés fazem o homem fazer as obras por opressão, enquanto quer as de Jesus Cristo, por amor”.

    ENTÃO TERIA D'US DADO UMA LEI PARA OPRIMIR SEU POVO ???

    ESSES PASTORES SÃO ENROLADOS, POIS CONDENAM A LEI, MAS QUANDO VÃO A DEBATES USAM A LEI PARA SE DEFENDEREM !!

    "CASAR COM UMA IRMÃ DE SANGUE POR PARTE DE PAI !" SOMENTE NA LEI ENCONTRAMOS ESSA PROIBIÇÃO, NO NOVO TESTAMENTO VC NÃO ENCONTRA !!

    E AGORA JOSÉ, PODE OU NÃO PODE, BASEADO EM QUE LEI ??

  27. כליר באכוס disse:

    NÃO É A TOA QUE ALGUMAS DENOMINAÇÕES CRISTÃS SÃO CHAMADAS DE BABILÔNIA !!

    "E ouvi outra voz do céu, que dizia: Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados, e para que não incorras nas suas pragas." (Apocalipse 18 : 4)

    "Porque os que ouvem a LEI não são justos diante de Deus, mas os que praticam a " LEI" hão de ser justificados." (Romanos 2 : 13)

    "Irmãos, não faleis mal uns dos outros. Quem fala mal de um irmão, e julga a seu irmão, fala mal da LEI, E JULGA A LEI i; e, se tu julgas a lei, já não és observador da lei, mas juiz." (Tiago 4 : 11)

    O QUE EXISTE NO MEIO CRISTÃO SÃO PASTORES MAL PREPARADOS !!

    MAS PARA PEDIR DINHEIRO A LEI É BOA. DÍZIMO É LEI : $$$$$$$

  28. "Todo aquele que pratica o pecado também transgride a lei, porque o pecado é a transgressão da lei(Dez Mandamentos Exodo 20:1-17, Eclesiastes 12:-13-14)IJoão 3:4"

  29. "Se guardardes os meus mandamentos(Os Dez Mandamentos), permanecereis no meu amor;assim como também eu tenho guardado os mandamentos de meu Pai(Exodo 20:1-17) e no seu amor permaneço.João 15:10

    1. você usa textos fora do contexto? E usar texto, fora do contexto, vira pré-texto para heresias como é no teu caso. O único dos madamentos que Jesus nunca ensinou foi a Guarda do sábado.

    2. "Jesus guardou a lei inclusive o sábado, pois em Jesus não havia pecado ou seja transgressão da lei de Deus, e assim sendo Jesus não transgrediu o sábado"Lucas 4:16 heresias é pregar contra a lei de Deus é se aliar a Lucifer pois ele disse lá no céu aos anjos que não precisava obedecer a lei de Deus, transgrediu o primeiro mandamento do Decálogo, não terá outros deuses diante de Min, ….no céu não haverá transgressores da lei do Deus Todo-Poderoso,….o único dia que a Bíblia fala para nos guardar-mos é o sábado, não existe na Bíblia outro dia, neste Jesus descançou na tumba, e no primeiro dia, um dia de atividade e trabalho Jesus Ressuscitou."Lucas 23:54-56

  30. rsrs Que parte será de Mateus 5:17 esses homens ñ entendem? Jesus disse que ñ veio para abolir a Lei mas para dar o verdadeiro sentido a ela…É como diz lá em Romanos 10:4 – Porque a FINALIDADE(e ñ fim) da Lei é o Messias para justiça de todo aquele que crê. Romanos 10:4 – A LEI ESTA MAIS VIVA DO QUE NUNCA POIS ELA É ETERNA ASSIM COMO DIZ SALMOS 111!

  31. "Disse Jesus: Se me amais, guardareis os meus mandamentos"João 14:15

  32. כליר באכוס disse:

    PROFECIA SE CUMPRINDO :

    "E proferirá palavras contra o Altíssimo, e destruirá os santos do Altíssimo, " E CUIDARÁ EM MUDAR OS TEMPOS E A LEI "i; e eles serão entregues na sua mão, por um tempo, e tempos, e a metade de um tempo." (Daniel 7 : 25)
    O MUNDO SEGUE O CALENDÁRIO PAGÃO GREGORIANO, MÊS DE MARÇO EXISTE EM DEDICAÇÃO AO dEUS DA MORTE E ETC… SUNDAY = DIA DO SOL= DOMINGO
    E É PREGADO O FIM DE TODA A LEI…

    O CRISTIANISMO SEM LEI É ISSO :

    TD ME É LÍCITO, MAS NEM TUDO ME CONVÉM, OPA !! NÃO CONVÉM PARA VC CRISTÃO JOSÉ, MAS CONVÉM PARA MIM !!

    O CRISTÃO ESCOLHE O QUE CONVÉM PARA ELE OU NÃO !!( ELE DECIDE O QUE É PECADO OU NÃOSEM SUA VIDA ) !!

    USAM O V.T : QUE MÁGICA FIZERAM PARA BANIR A LEI DE DENTRO DE SALMOS, PROVERBIOS, PROFECIAS ?? COMO FIZERAM ??

    NA VERDADE COM ESSES ENSINOS VCS TORNARAM A BIBLIA UMA BÍBLIA DE ESCOLHAS !!

  33. QUANDO SE LÊ A BÍBLIA DE CABEÇA PRÁ BAIXO, OU QDO LIDA POR SEMI-ANALFABETOS.cHEGARÃO A CONCLUSÃO ACIMA POR ESTE PASTORES QUE FALOU BESTEIRAS.ALIÁS É O QUE MAIS TEM NAS IGREJAS, BESTEIRAS, ASNEIRAS.iNFELIZMENTE.lEIAM mAT.5:17-20:LUCAS 4:16.aTOS 17.2,3.lUCAS 23.55 ETC. SÓ PRÁ ACOMEÇAR.

  34. o que foi abolido foi as leis cerimonias de moisés, EF.2:14,15 E COL.2;16,17- Em IJo.2:3,-6.Diz :aquele que diz que conhece a Cristo e nãso guarda seus MANDAMENTOS é mentiroso…e nem um mentiroso herdará o reino dos céus, Apoc.21:08. e Jo, 8:44.mentorosos são filhos do diabo.

  35. Em Mateus 19:16,17 qdo o jovem rico pergunta o que farei para herdar a vida eterna.Jesus lhe responde: "se queres, porém, entrar na ar na VIDA, guarda os mandamentos.e no verso, ele pede para o jovem seguí-lo para assim completar as exig~encias para ser salvo.e em apoc.14:12 fala dos perseverantes.que são os ! que guardam os mandamentos de Deus(1o mandamentos)únicos escritos com o dedo de Deus.e a fé em Jesus Por tanto que tem Jesus precisa sim guardar os seus mandamentos."aquele que me ama, guarda meus mandamentos, ele disse em João 14:15 15:10. simples assim.

  36. Bruna Aparecida disse:

    não guardamos e sim obedecemos, porque quem está em jesus nova criatura é, e não sai por ai matando, adulterando, roubando e etc.

  37. Meu amigo Junior Ribeiro! Você aprendeu assim, cresceu assim, e vai continuar assim. Siga em frente. Mas, tenha cuidado para cumprir todos os dez mandamentos, porque ninguém jamais conseguiu, exceto Jesus. Se Você diz que é cumpridor, desculpe-me, és mentiroso. Abraços.

  38. Estou de acordo com vc PrEzau casales. Nós apenas amamos os mandamentos do nosso senhor. Honramos os nossos pais, ñ temos outros deuses,……. e guardamos o sabado. Que o dia q tem q ser observado pelos santos dos Senhor. uMA COISA TODOS TEM QUE SABER ÑÑÑÑÑÑ GUARDAMOS A LEI CERIMONIAL, ESSA SIM É UM FARDO.

  39. sOU LU ESSA DA FOTO É MINHA CUNHADA. RSSSSSSSSS

  40. Pela graça sois salvo mediante a fé.

  41. כליר באכוס disse:

    Com esse pensamento nasceu a Igreja Gay, pois se a Lei acabou, então a proibição em levítico da união homem com homem," SERIA PERMITIDO…"

    E ADVINHA QUEM É O CRIADOR DESSA SEITA GAY, ALÉM DE SATANÁS ??

    R= OS QUE TEM SIDO AMIGOS DE SATANÁS, OS CRISTÃOS QUE ESPALHAM ESSES BOATOS " TODA A LEI ACABOU ".

    Quando encontramos NO LIVRO DE ROMANOS a proibição para o casamento Gay, é simplesmente a confirmação de que a Lei não acabou !!
    "E, semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, homens com homens, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro." (Romanos 1 : 27)

    O QUE EXISTE SÃO HOMENS E MULHERES QUE SE DIZEM CONHECEDORES DAS ESCRITURAS MAL PREPARADOS.

  42. "O dever de adorar a Deus está baseado no fato de que Ele é o Criador."Venham! Adoremos prostados e ajoelhemos diante do Senhor, o nosso Criador"(Salmo 95:6)."Reconheçam que o Senhor é o nosso Deus. Ele nos fez dele"(Salmo 100:3).Em Apocalipse 14, a humanidade é chamada a adorar o Criador e a guardar os Seus mandamentos. Um desses mandamentos apresenta Deus como Criador:" O sétimo dia é o sábado do Senhor, teu Deus…porque, em seis dias fez o Senhor os céus e a terra, o mar e tudo o que neles há e, ao sétimo dia, descansou: por isso, o Senhor abençoou o dia de sábado e o santificou"(Exodo20:10-11, Genesiis2:3).O sábado, diz o Senhor, é um sinalentre nós.. Então vocês saberão que Eu sou o Senhor, o seu Deus."(Ezequiel 20:20). Se o sábado tivesse sido guardado por todos, o ser humano sempre teria sido dirigido a adorar o Criador. Jamaisteria existido idólatra, ateu ou cético. A guarda do sábado é um sinal de Lealdade para com Aquele que fez os céus e a terra, op mar e tudo o que neles há"

  43. marcio disse:

    http://www.youtube.com/watch?v=LauAZw-XzmI
    meus irmãos quem quizer saber verdadeiramente sobre a LEI E A GRAÇA escutem esta pregação.

    1. quer dizer que hoje eu não preciso dar o dizimo?

  44. Marcio Souza disse:

    http://www.youtube.com/watch?v=LauAZw-XzmI
    meus irmãos escutem essa pregação assim todos saberemos a diferença entre a LEI E A GRAÇA.

  45. Henry disse:

    O proprio Jesus disse: Se me amas guarda os Meus Mandamentos.

  46. Henry disse:

    Qual mandamento Jesus estava se referindo? Com certeza aos Dez Mandamentos dados por Deus a Moisés.

    Quando Jesus diz; Ama a Deus sob todas as coisas e ao teu proximo como a ti mesmo, Ele estava se referindo aos Dez Mandamentos pentateuco; o que Jesus fez foi apenas resumir, pois os quatros primeiros mandamentos é o amor a Deus e os seis restante o amor ao próximo. Simples assim.

  47. Henry disse:

    Depois Paulo disse: Anulamos pois a Lei pela Graça, de maneira nenhuma, antes confirmamos a Lei.

  48. Eu também posso devolver meu dízimo com os frutos de uma colheita se eu a tivesse. Quem obtem seus ganhos em forma de dinheiro que devolva em forma de dinheiro, e quem desejar dizimar os 10% de suas colheitas o faça também.
    A lei não salva isso é fato! agora precisamos entender que o X da questão não é se ela salva ou não salva.
    A nossa obediência deve ser fruto da nossa comunhão e nosso amor por Jesus. Obedecer à Deus é reverenciar a sua autoridade acima de tudo.

  49. mara dulce disse:

    O que os lideres das igreja deveria ensinar sobre dízimo, mas faz questão de esconder?
    que O dizimar não é uma doutrina cristã
    Um ensaio por Russell Earl Kelly, Ph.D. Doutorado em teologia.
    Pastor da igreja batista. Estados unidos das Américas.

    INTRODUÇÃO:

    O seguinte estudo é apenas um resumo do livro tese, do Doutor Russel Kely “Tem a Igreja (entidades religiosas) o direito de cobrar o Dizimo?” As conclusões de um teólogo no tocante a uma doutrina tabu. O livro em si é uma versão maior de uma tese de doutorado e cátedra Ph.D. desafio aos educadores bíblicos a serem honestos, que abram seus níveis de investigação em seus seminários e promovam estudos sobre este tema nos níveis de magistério, doutorado e catedrático. Esta doutrina falsa e exploradora, é demasiado importante para passá-la por verdadeira. Sendo uma mentira conveniente,

    Em todas as igrejas de hoje a falsa doutrina do dízimo se converteu em todo um escândalo. Por um lado, a maioria dos livros de texto a nível de seminário referentes à teologia sistêmica e a hermenêutica escritos por eruditos de muita preparação omitem o tema do dízimo, e por outro lado, a prática rapidamente está a se converter num requisito para ser membro nas mesmas denominações que dizem fazer questão de doutrinas fundamentadas na Bíblia, neste caso, existe uma demagogia clara, Também há mais e mais provas de que leigos que questionam a legitimidade de dizimar sob o Novo testamento, são criticados e desprezados como polemistas ou cristãos fracos. Líderes cristãos sinceros sempre devem estar dispostos a um diálogo aberto em torno da Palavra de Deus. A recusa em tratar o assunto so mostram que enganam o povo do senhor, intencionalmente de ma fé…

    O Dízimo Moderno Fundamenta-se Sobre Muitas Falsas Premissas

    O que ensinam todas as denominações que cobram dízimo se resume na declaração de certa denominação quanto à mordomia. Diz que “o dízimo é a mínima norma bíblica e que o ponto de partida estabelecido por Deus não deve ser substituído ou comprometido por nenhuma outra norma.” Acrescenta que o dízimo é do ganho líquido pago à igreja antes que se calcule o imposto público sobre o ganho.

    Os seguintes itens neste estudo delineiam um contraste entre os falsos ensinos que se utilizam para apoiar o dízimo com o que a Palavra de Deus diz verdadeiramente.

    Item #1: Os Princípios da doação voluntaria em 2ª coríntios 8 e 9 não Têm nada a Ver Com o Dízimo. No novo testamento não se cobrava nenhuma espécie de taxa fixa,(Dizimo) mas so voluntario. Com respeito à igreja, claro…

    O falso ensino é que o dízimo é uma expectativa divina obrigatória a qual sempre precede a oferta de livre vontade.

    A oferta de livre vontade existia dantes do dízimo. Os seguintes princípios do Novo Pacto no tocante à doação de livre vontade encontram-se em 2 Coríntios, capítulos 8 e 9:

    (1) A oferta é uma “graça.” Estes capítulos usam a palavra grega para “graça” oito vezes em torno da ajuda para os santos pobres.
    (2) Primeiro há que fazer a dádiva de um mesmo a Deus (8:5).
    (3) Há que se dar a conhecer a vontade de Deus (8:5).
    (4) Há que dar em resposta ao dom de Deus (8:9).
    (5) Há que dar por razão de um desejo sincero (8:8, 10, 12; 9:7).
    (6) Não há que dar porque o manda algum mandamento (8:8, 10; 9:7).
    (7) Há que dar mais do que se possa para ajudar aos pobres (8:3, 11, 12).
    (8) Há que dar para produzir igualdade. Isto quer dizer que os que têm mais devem dar mais a fim de suprir a incapacidade dos que não podem dar tanto (8:12-14).
    (9) Dar com gozo (8:2).
    (10) Há que dar pelo desejo de crescer mais espiritualmente (9:8, 10, 11).
    (11) Há que se dar porque se está a escutar a pregação do evangelho (9:13).

    Item # 2: Na Palavra de Deus o Dízimo Sempre foi em Alimento! No período que ele foi exigido, hoje nem isso é.

    O falso ensino é que os dízimos bíblicos incluia TODO tipo de ganho.

    Utilize a Palavra de Deus para definir o que é “o dízimo.” Não utilize um dicionário secular! Abra uma concordância bíblica completa e descobrirá que a definição que usam os promotores do dízimo está equivocada. Na Palavra de Deus o “dízimo” não aparece por si só de forma alguma. mesmo que já o dinheiro existisse antes do dízimo, a forma original do dízimo de Deus nunca foi em dinheiro. Era o “dízimo de alimento.” Isto é muito importante: O verdadeiro dízimo bíblico sempre foi somente em forma de alimento da terra e das manadas somente dos israelitas, quem viviam somente dentro da Terra Santa de Deus, dentro da fronteira nacional de Israel. O aumento recolhia-se do que Deus tinha produzido e não pela habilidade ou perícia humana.

    Há 15 versículos tomados de 11 capítulos e 8 livros, desde Levítico 27 até Lucas 11, que descrevem o conteúdo do dízimo. E o conteúdo jamais (reafirmo), jamais incluiu dinheiro, prata, ouro ou qualquer outra coisa que não fosse alimentos tomados dentro de Israel! No entanto, a definição equivocada do “dízimo” é a que se segue pregando como o maior erro tocante ao dízimo hoje! (Veja-se Lev. 27:30, 32; Núm. 18:27, 28; Deut. 12:17; 14:22, 23; 26:12; 2ª Crô. 31:5, 6; Nee. 10:37; 13:5; Mal. 3:10; Mat. 23:23; Luc. 11: 42).

    Item #3: O Dinheiro Era um valor muito utilizado, porem Não Dizimado, nem aceito por Deus, como dizimo.

    A falsa premissa é que o escambo de alimentos geralmente substituía o dinheiro.

    Um argumento a favor de dizimar com bens não alimentícios é que o dinheiro não era universalmente disponível e para a maioria dos intercâmbios se usava a escambo de alimentos. Este argumento não é bíblico. Gênesis, por si só, utiliza a palavra “dinheiro” em 32 textos e a palavra ocorre 44 vezes antes que se mencione o dízimo pela primeira vez em Levítico 27. A palavra shekel também aparece com freqüência desde o Gênesis até Deuteronômio.

    De fato, séculos antes que Israel entrasse em Canaã e começasse a dizimar os alimentos da terra santa de Deus, o dinheiro era um bem indispensável diariamente. Por exemplo, havia dinheiro em forma de shekels para o pagamento por escravos (Gên. 17:12+); terra (Gên 23:9+); liberdade (Êxo. 23:11); multas judiciais (Êxo. 21; 22); resgates do santuário (Êxo. 30:12+); votos (Lev. 27:3-7); impostos do censo (Núm. 3:47+), bebidas alcoólicas (Deut. 14:26) e dote matrimonial (Deut. 22:29).

    De acordo com Gênesis 47:15-17 o alimento se usava em escambo somente depois que se tinha esgotado o dinheiro. A palavra de Deus em Levítico define leis bancárias e de usura ainda antes do dízimo. Portanto, o argumento de que o dinheiro não prevalecia o suficiente para o uso diário é falso. No entanto, o dízimo, em si, nunca incluía dinheiro em efetivo de bens não alimentícios, como outros produtos e negócios.

    Item #4: O Dízimo de Abraão a Melquisedeque Manifestava Uma Tradição Pagã. Prova histórica para comprovar segue a baixo.
    A historia dos dízimos
    Havia muitos costumes praticados pelos povos da antiguidade, povos este que habitavam a regiao da mesopotâmia, como por exemplo: o levirato, acircuncisao, a libaçao, e a pratica do dizimo.
    Abraão não deu algo desconhecido a Melquisedeque. Muitos povos antigos, como gregos e chineses, viviam conviventes com a prática do dízimo. Na grécia por exemplo, vemos os dízimos incluídos nos escritos de Heródoto. Esse homem, conhecido como o pai da história, foi um historiador grego que viveu de 484 aC até 420 aC. Em seus escritos, Heródoto narrou acontecimentos envolvendo povos como gregos, egípcios, fenícios entre muitos outros. Os dízimos citados por Heródoto, era muito semelhante ao de Abraão, visto que se tratava de despojos de guerra. Logo abaixo estão 2 trechos dos escritos desse historiador:
    Heródoto 1.89- “…exijam de tuas tropas os despojos, sob o pretexto de que é preciso consagrar a décima parte a Júpiter.”
    Heródoto 9-80 Calíope- “A décima parte desses despojos foi destinada aos deuses…Separada a décima parte dos despojos, foi o resto distribuído aos guerreiros, a cada um segundo o seu merecimento… A Pausânias coube também uma décima parte dos despojos, incluindo mulheres, cavalos, dinheiro (talentos), camelos e várias outras preciosidades.”
    Fenícios e cartagineses também tinham a prática de dizimar. Na antiga Grécia, mercadores, davam os dízimos de seus lucros a Hércules (imagem ao lado). Hércules era um deus da mitologia grega, suposto filho de Zeus e da humana Alcmena. Persas e babilónios também davam dízimos. Fenícios do século 14 a.C, também dizimavam, pois em Ungarit na Felícia foi achado relatos dessa prática. Na Mesopotâmia no período sumério, dizimistas davam dízimos nos templos. Egípcios e romanos também davam dízimos. Os dízimos dos egípcios, não tem a ver com a quinta parte exigida em Gênesis 47.24: “Das colheitas dareis o quinto a Faraó, e as quatro partes serão vossas, para semente do campo, e para o vosso mantimento e dos que estão em vossas casas, e para que comam as vossas crianças.”.
    A estela famine (estela da fome), é um monumento egípcio em pedra, datada de 380 a.C. (foto ao lado). Composta de 32 colunas gravadas, nela está registrado o dízimo sendo cobrado na cidade portuária de Naukratis. Dois dos textos escritos revelam o seguinte:
    “Todos os pescadores, os caçadores, que capturam pássaros, peixes e armadilhas e todos os tipos de jogo, e todos os que Iions armadilha no deserto, eu lhes exata de um décimo do exame de todos estes, e todos os animais jovens nascidos do fêmeas nestas milhas [em sua totalidade].
    “Um dará os animais marcados para todos os holocaustos e sacrifícios diários, e um deles deve dar um décimo de ouro, marfim, ébano, madeira alfarrobeira, ocre… todos os tipos de madeira…”
    Evidências dos dízimos entre povos antigos são inquestionáveis. Quase em toda sua totalidade de relatos, sempre se tratando de alimentos e produções agrícolas, como é também em toda a bíblia sagrada.
    A bíblia nos mostra que Abraão deu o dízimo dos despojos: “Considerai, pois, como era grande esse a quem Abraão, o patriarca, pagou o dízimo tirado dos melhores despojos.” (Hebreus 7.4). Era uma prática usada por outros povos, que Abraão tomou para honrar o Deus verdadeiro. Geralmente, seria entregue a algum sacerdote em um templo, assim como as outras nações. Tudo que a bíblia explica, é que Melquisedeque, era sacerdote do Deus verdadeiro, como vemos em Gênesis 14.18: “Melquisedeque, rei de Salém, trouxe pão e vinho; era sacerdote do Deus Altíssimo;”.
    Muitos pastores e lideres de igrejas, sem saberem nada a respeito do verdadeiro dízimo, usam da artimanha, de que Abraão teria sido tocado por Deus para dar o dízimo. A verdade, é que mesmo antes da lei, nossos patriarcas seguiam uma lei vigente na sua época. Posteriormente, muitas dessas leis tornara-se leis mosaicas. Uma coisa que temos mais certeza ainda, é que o dízimo imposto em Israel, nada tem a ver, com o que vemos nas igrejas cristãs, que a grande maioria das pessoas chamam de dízimo. A verdade do dízimo dado por Abraão, é que foi dado apenas uma vez na vida, e não dos bens que ele possuia, mas sim dos despojos da guerra. Interessante é que se você continuar lendo a passagem de Gênesis, em que narra esse fato, logo após Abraão dar o dízimo a Melquisedeque, o rei de Sodoma pede as pessoas capturadas por Abraão na guerra, e sabe o que Abraão faz? Abraão tira apenas a alimentação dos homens que foram com ele, e dá tudo para o rei se Sodoma, ou seja, 90% dos despojos foi para o rei de sodoma.(Gn 14.21-23…)

    O falso ensino é que Abraão dava livremente de seus dízimos porque era a vontade de Deus.

    Pelas seguintes razões não se pode usar a Gênesis 14:20 como um exemplo para que os cristãos dizimem:

    (1) A Bíblia não diz que Abraão deu “livremente” este dízimo.
    (2) A dádiva de Abraão NÃO foi um dízimo santo da terra santa de Deus recolhido pelo povo santo de Deus de acordo ao santo pactuo antigo de Deus.
    (3) O dízimo de Abraão foi somente do despojos da guerra e era de rigor em muitas nações, ele não foi o inventor do dizimo, mas era uma tradição idolatra.
    (4) Em Números 31, Deus somente exigiu 1% do despojos da guerra.
    (5) O dízimo de Abraão a Melquisedeque foi um evento que se registrou somente uma vez.
    (6) O dízimo de Abraão não foi de seus bens pessoais.
    (7) Abraão não guardou nada para si mesmo; ele devolveu tudo.
    (8) O dízimo de Abraão não se usa como exemplo em nenhum lugar da Bíblia em apoio do dízimo.
    (9) Gênesis 14, versículo 21 é o texto chave. Já que a maioria dos comentários bíblicos explica o versículo 21 como um exemplo de uma tradição árabe pagã, é uma contradição explicar 90% do versículo 21 como pagão, e ao mesmo tempo insistir que os 10% do versículo 20 era a vontade de Deus.
    (10) Se Abraão é um exemplo para que os cristãos lhe dêem 10% a Deus, então também deve ser exemplo aos cristãos para que lhe dêem os outros 90% a Satanás, ou ao rei de Sodoma!
    (11) Já que eles mesmos eram sacerdotes, nem Abraão nem Jacó tinham que manter um sacerdócio levítico; portanto provavelmente deixavam alimentos para os pobres em seus altares.

    Item #5: O Primeiro Dízimo Chegava às Mãos dos Servos dos Sacerdotes.

    O falso ensino é que os sacerdotes do Antigo Testamento recebiam tudo do primeiro dízimo. Mentira, quem recebia era os levitas.
    O povo não levavam nenhum dizimo para o templo, pra casa do tesouro, mas em suas cidades onde plantavam e colhiam é que eram entregue aos levitas que ali moravam. Pois os levitas receberam 48 cidades espalhadas em todas as tribos. Nm 35 v 1-8, Js 21 v 33-41. E era la nas cidades onde os levitas residiam que recolhiam os dízimos anualmente, um representante dos sacerdotes compareceria para pegar a parte que a eles era destinadas e levar à casa do tesouro. Nem 10 v 37-38b.
    O dízimo “inteiro”, o primeiro dízimo, de jeito nenhum chegava aos sacerdotes. De acordo com Números 18:21-24 e Neemias 10:37b, ia aos servos dos sacerdotes, os levitas. E de acordo com Números 18:25-28 e Neemias 10:38, os levitas davam o melhor “dízimo deste dízimo” (10%) do que recebiam aos sacerdotes que ministravam o holocausto pelo pecado e serviam nos lugares santos. Os sacerdotes não dizimavam.

    Também é importante se dar conta que, por causa do recebimento destes dízimos, tanto os levitas como os sacerdotes renunciavam a todo direito de receber terras por herança dentro de Israel (Núm. 18:20-26; Deut. 12:12; 14:27, 29; 18:1, 2; Jos. 13:14, 33; 14:3; 18:7; Eze. 44:28). Ainda, se no novo testamento existissem os dízimos semelhante ao velho testamento primeiramente iriam aos diáconos que representam melhor (levitas) entao eles entregariam 10% o dizimo dos dizimos aos pastores e para a manutenção dos edifícios. Mas não existe este mandamento hoje.

    Item #6: “Será Santo ao Senhor” Não Designa ao Dízimo Como Uma Norma Moral Eterna.

    O falso ensino é que Levítico 27:30-33 comprova que o dízimo é uma “norma moral eterna” porque “é santo ao Senhor.”

    As frases “será santo ao Senhor” e “será santíssimo ao Senhor” são de uso comum em Levítico. No entanto, o uso destas mesmas duas frases em Levítico foi descartado pelos cristãos desde há muito tempo. Estas frases se usavam para descrever todos os dias de festas, as oferendas dos holocaustos, os alimentos limpos, os sacerdotes do pacto antigo e o santuário do pacto antigo. Se a frase “santo ao senhor” torna o Dizimo valido para hoje, as demais coisas precedidas da mesma frase, também o será. Leiam-se particularmente os versículos 28 e 29 do mesmo capítulo. Pegar a questão dos dízimos e recusar os outros é uma hipocrisia grosseira.

    Ainda que o “dízimo do dízimo” (10%) que era entregue aos sacerdotes era o “melhor” do que recebiam os levitas, o dízimo que recebiam os levitas era somente “uma décima parte” e não era do “melhor” (Lev. 27:32,33).

    Item #7: As Primícias Não São o Mesmo Que os Dízimos

    A falsa premissa é que os dízimos são o mesmo que as primícias.

    As primícias eram uma quantidade muito pequena da primeira colheita e o primogênito era o primeiro nascido dos animais. As primícias eram tão pequenas que cabiam dentro de um canastro de mão (Deut. 26:1-4, 10; Lev. 23:17; Núm. 18:13-17; 2º Crô. 31:5a).

    As primícias e a oferta do primogênito iam diretamente ao templo para o consumo único dos sacerdotes que tinham a obrigação de consumi-las em sua totalidade dentro do templo (Nee. 10:35-37a; Ex. 23:19; 34:26; Deut. 18:4).

    Todo o dízimo levítico ia primeiro às cidades dos levitas, não iam para o templo ou tenda, e certas porções iam ao templo para alimentar tanto aos levitas como aos sacerdotes que ministravam ali por turno (Nee. 10:37b-39; 12:27-29, 44-47; Núm. 18:21-28; 2º Crô. 31:5b). Ainda que os levitas alimentavam-se com o dízimo, os sacerdotes podiam comer também das primícias, das oferendas do primogênito e outras oferendas. Os levitas tinham as funções de: porteiros, guardas, cantores, servidores do templo, tesoureiros, escrivão, entre outras. Ne 10 v39. Ed 2v70 1° Cr v20 e 29. E se eram eles que recebiam os dízimos, quem melhor os representariam hoje? Não seriam os diáconos por direito? Mas não há este mandamento para a igreja de cristo.

    Item #8: A Bíblia Descreve Quatro Diferentes Tipos de Dízimos. Mas as instituições por conveniência so adotaram parte de um, o religioso e que vai para o bolso dos seus lideres.

    A falsa doutrina ignora todos os outros dízimos e enfoca-se numa interpretação errônea do primeiro dízimo religioso. hipocrisia conveniente não é?

    O primeiro dízimo religioso, chamado o “dízimo levítico” tinha duas partes. Novamente, o primeiro dízimo, por inteiro, entregava-se aos levitas que eram somente os servos dos sacerdotes (Núm. 18:21-24; Nee. 10:37). Os levitas, por sua vez, davam uma décima parte de todo o dízimo aos sacerdotes (Núm. 18:25-28; Nee. 10:38). De acordo com Deuteronômio 12 e 14, o segundo dízimo religioso, chamado o “dízimo da festa,” era consumido pelos adoradores nas ruas de Jerusalém durante os três festivais anuais (Deut. 12:1-19; 14:22-26). E de acordo com Deuteronômio 14 e 26, um terceiro dízimo, chamado o “dízimo para os pobres”, guardava-se nos lares em cada terceiro ano para alimentar aos pobres (Deut. 14:28,29; 26:12,13). Mas os cobradores de dízimos nem de longe fazem referencia a este não é? Um Quarto. Ademais, de acordo com 1º Samuel 8:14-17, o governante recolhia o primeiro e o melhor dez por cento para o uso político. Durante o tempo de Jesus Roma recolhia o primeiro dez por cento (10%) de quase todo o alimento e o vinte por cento (20%) do fruto das colheitas como seus despojos de vencedor. Alguém pode perguntar-se que vem a ser o que as igrejas estão a tratar de esconder quando escolhem o dízimo religioso que mais lhes convém para seus fins e descartam os outros dois dízimos religiosos importantes.

    Item #9: Jesus, Pedro, Paulo e os Pobres Não Dizimavam! E nenhum outro cristão também não.
    O falso ensino é que todo mundo no Antigo Testamento tinha a obrigação de dar a Deus os dízimos, mentira!!!…

    Os pobres não tinham obrigação alguma de dizimar!hoje Nem pobres nem ricos tem este mandamento. Nenhum dos apóstolos o ensinaram.
    nem ninguém é obrigado por mandamento bíblico a dizimar hoje. e também não se dizimava dos resultados da mão de obra do trabalhador, artesão ou por habilidade alguma. Somente os agricultores e pecuaristas recolhiam o dízimo do que Deus produzia em aumento. Jesus era um carpinteiro; Paulo era um fabricante de tendas e Pedro era um pescador. Nenhum destes labores os qualificava para dizimar porque não cultivavam a terra nem cuidavam do gado para subsistir. Portanto, é incorreto ensinar que todos pagavam rigorosamente ao menos o dízimo e, todavia, que no Novo Pacto os cristãos têm a obrigação de, ao menos, começar com o mínimo do que davam os israelitas no Pacto Antigo. Esta falsa doutrina se repete muito com freqüência e desconhece por completo a definição tão clara do dízimo como alimento recolhido dos produtos do aumento da semeadura ou do aumento do gado.

    Também é um erro ensinar que os pobres de Israel tinham a obrigação de pagar o dízimo. De fato, eles mesmos recebiam o dízimo! Uma grande parte do dízimo da segunda festa e todo o dízimo especial do terceiro ano era para os pobres!e hoje? Cadê os dízimos para os pobres?
    Tinha muitas leis que protegiam aos pobres de abuso e de sacrifícios custosos que não podiam custear (veja-se também Lev. 14:21; 25:6, 25-28, 35, 36; 27:8; Deu. 12:1-19; 14:23, 28, 29; 15:7, 8, 11; 24:12, 14, 15, 19, 20; 26:11-13; Mal. 3:5; Mat. 12:1, 2; Marcos 2:23, 24; Lucas 2:22-24; 6:1, 2; 2ª Cor. 8:12-14; 1 Tim. 5:8; Tiago 1:27).hoje são os pobres que são mais explorados. Os trabalhadores que ganham um salário mínimo, e tem que sustentar a família e pagar água luz as vezes aluguel e ainda tem que pagar para ser crente, e ser considerado fiel, e não ser chamado de ladrão, também as viúvas e aposentados. E nenhuma ajuda recebem destas instituições “filantropicas” entidades capitalistas que tiram dos pobres em nome de Deus, para enriquecer mais os seus ricos, milionários “pastores” lideres. Seriam estes os gananciosos que Pedro se referiu? 2°Pd 2v3, que fariam dos crentes do senhor um comércio. Serão estes também mercenários Jo 10 v 12. O que é um mercenário?…falando em mercenários, me lembrei também dos astros pregadores e cantores, que de congresso em congresso, de igreja em igreja estão enchendo suas contas bancarias com o dinheiro dos pobres fiéis. Ai eu me lembro de Miq 3 v 11. ( os teus chefes dão as sentenças por suborno, os seus sacerdotes ensinam por interesse, e os seus “profetas” (pregadores e cantores) profetizam por dinheiro.e ainda se apóiam no senhor! Dizendo: o senhor esta conosco.

    Item #10: Com Freqüência o Dízimo Usava-se Como Um Imposto Político.

    O falso ensino é que os dízimos nunca se podem comparar aos impostos ou à taxação.

    Na economia hebraica, o dízimo se usava de uma maneira totalmente diferente do que se prega hoje. Outra vez, os levitas que recebiam todo o dízimo nem sequer eram ministros ou sacerdotes – eram somente os servos dos sacerdotes! Números, capítulo 3 descreve os levitas como carpinteiros, operários em metalúrgica, curtidores e artesãos que cuidavam da manutenção do pequeno santuário. E de acordo com 1º das Crônicas, capítulos 23-26, durante o tempo do rei Davi e do rei Salomão os levitas ainda eram exímios artesãos encarregados da inspeção para dar o visto bom a toda a obra do templo: 24.000 trabalhavam no templo como operários e capatazes; 6.000 eram oficiais e juízes; 4.000 eram guardas e 4.000 eram músicos. Como representantes oficiais do rei, os levitas usavam seus rendimentos do dízimo para cumprir como oficiais, juízes, cobradores de impostos, tesoureiros, guardas do templo, músicos, padeiros, cantores e soldados profissionais (1º Crô. 12:23, 26; 23:2-5; 26:29-32; 27:5). A razão pela qual estas formas do uso dos rendimentos do dízimo não se usam como exemplos hoje para a igreja é óbvia.

    Também é importante saber que os dízimos do Pacto Antigo jamais foram usados para a evangelização dos que não eram israelitas. Pois não tinham este objetivo! Veja-se Hebreus 7:12-19. Os dízimos jamais foram recursos para que os levitas ou sacerdotes do Pacto Antigo estabelecessem missão alguma ou movessem a um gentil que fosse a se converter em israelense (Êxo. 23:32; 34:12, 15; Deut. 7:2). O dízimo do Antigo Pacto foi motivado e dado por mandato da lei, e não pelo amor. De fato, durante a maior parte da história de Israel os oráculos de Deus foram os profetas – e não os levitas e sacerdotes que viviam do dízimo.

    Item #11: Os Dízimos Levíticos em Geral Eram Levados às Cidades dos Levitas.

    Falsos mestres querem que pensemos que, tal qual no Antigo Testamento, os dízimos que se levavam ao templo agora devem ser levados para os edifícios da igreja”. E encaminhados aos bolsos dos pastores de pequenas congregações e matrizes das mesmas, como altos salários e outras regalias caras.

    O dízimo “inteiro” NUNCA se levava ao templo! Em realidade, a grande parte dos dízimos levíticos jamais chegava ao templo! Os que ensinam outra coisa ignoram as 48 cidades levíticas e as 24 classes dos levitas e sacerdotes. De acordo com Números 35, Josué 20, 21 e 1º das Crônicas 6, os levitas e sacerdotes viviam em terra emprestada como Jericó e Hebrom que rodeavam as cidades levíticas onde eles lavravam as terras e criavam gado (dizimado). Também é claro, a partir de 2º das Crônicas 31:15-19 e Neemias 10:37, que as pessoas do povo tinham que levar seus dízimos às cidades levíticas. Por quê? Porque ali é onde vivia os 98% dos levitas e sacerdotes com suas famílias a maior parte do tempo. Veja-se também a Josué 20, 21; Núm. 35; 1º das Crônicas 6:48-80; 2º Crônicas 11:13-14; Nee. 12:27-29; 13:10 e Mal. 1:14 para as cidades levíticas.

    Item #12: O Texto do Dízimo Que É Mais Abusado propositalmente é Malaquias 3v10.

    O falso ensino dos dízimos a partir de Malaquias 3 ignora cinco fatos bíblicos importantes: Malaquias cap. 1 v 1, deixa claro que sua mensagem se dirigia ao povo Judeu. E nem sequer a igreja de cristo existia ainda.

    (1) Malaquias está no contexto do Pacto Antigo e jamais se cita no Novo Pacto para abonar o dízimo (Lev. 27:34; Nee. 10:28, 29; Mal. 3:7; 4:4).
    (2) Em 1:6; 2:1 e 3:1-5 Malaquias claramente dirige-se aos sacerdotes que não têm honradez senão estão sob maldição devido a que tinham roubado as melhores ofertas de Deus.
    (3) Deve-se considerar que os levitas não residiam em Jerusalém onde estava o templo, no entanto o dizimo não ia para o templo, mas para as suas cidades. os
    Levitas viviam em suas cidades e Jerusalém não era uma cidade levítica (Josué 20, 21). O ensino de que os 100% do dízimo eram trazidos ao templo não faz sentido porque a maioria dos levitas e sacerdotes não vivia em Jerusalém. E os dízimos eram para os levitas.
    (4) Em Mal. 3:10-11 os dízimos ainda têm a forma de alimentos (Lev. 27:30-35).
    (5) As 24 classes de levitas e sacerdotes também devem ser levadas em conta. Começando com o rei Davi e Salomão, dividiam-se em 24 famílias. Estas divisões seguiam vigentes durante o tempo de Malaquias segundo o requerido por Esdras e Neemias. Já que só uma família servia no templo por só numa semana ao mesmo tempo, não tinha razão alguma para enviar TODO o dízimo ao templo quando o 98% tinha como finalidade a alimentação dos que ficavam nas cidades levíticas (para as classes se veja 1º das Crôn. capítulos 23-26; 28:13, 21; 2 Crô. 8:14; 23:8; 31:2, 15-19; 35:4, 5, 10; Esdras 6:18; Nee. 11:19, 30; 12:24; 13:9, 10; Lucas 1:5).

    Portanto, ao analisar o contexto das cidades levíticas, as 24 famílias de sacerdotes, os meninos menores de idade, as esposas, Números 18:20-28, 2º das Crônicas 31:15-19, Neemias 10-13, e todo Malaquias, somente como 2% do dízimo normalmente se requeria no templo de Jerusalém. À casa do tesouro, que serviam par alimentar tanto os sacerdotes que ministravam por seu turno, como também aos levitas porteiros guardas cantores, e de demais função. Daí a famosa frase: para que haja mantimento na minha casa..\

    Tanto a bênção como a maldição de Malaquias 3:9-11 esteve em vigência até que o Pacto Antigo caducou na cruz.e não diz respeito à igreja. Os que escutaram a Malaquias por vontade própria reafirmaram o Pacto Antigo (Nee. 10:28,29). “Maldito o que não confirme as palavras desta lei, pondo-as por obra.” E todo o povo dirá: “Amém.” (Deu. 27:26 citado em Gál. 3:10). Mas Jesus pôs fim à maldição. “Cristo isentou-nos da maldição da lei, feito por nós maldição; (porque está escrito: Maldito qualquer que é pendurado em madeiro)” (Gál. 3:13).

    Hoje as pessoas com rendimentos mais baixos são os que pagam o dizimo em maior quantidade às instituições captalistas( Ministérios) agências rentáveis, as quais tem levados seus lideres adquirirem muita riqueza pessoal. No entanto a maioria dos dizimistas segue na pobreza. pagar o dízimo não é a resposta mágica que substitui a educação, determinação e o árduo trabalho. Se Malaquias 3:10 deveras funcionasse para os cristãos do Novo Pacto, então os milhões de cristãos pobres que pagam o dízimo talvez já tivessem escapado da pobreza e já seria o grupo mais endinheirado do mundo, em vez de seguir entre o grupo mais pobre. Fora claro os que recebem o dizimo, e com este vivem uma vida regalada recebendo altos salários, que chegam a ser maior que o salário do presidente da republica brasileira,e adquirem muito patrimônio pessoal, Não há prova alguma que a maioria das pessoas pobres que “pagam o dízimo” recebe bênção financeira resultado de pagar o dízimo. As bênçãos do Pacto Antigo não são as bênçãos do Novo Pacto (Heb. 7:18, 19; 8:6-8, 13).

    Item #13: O Novo Testamento Não Ensina o Dízimo. Por isso os defensores da falsa doutrina não usa nenhuma das cartas dos apóstolos, já observaram?…

    A falsa doutrina é que Jesus ensinou o dízimo em Mateus 23:23, o qual segundo dizem eles, é evidente no Novo Testamento.

    O Novo Pacto não começou quando Jesus nasceu, senão quando Ele morreu (Gál. 3:19, 24, 25; 4:4, 5). O dízimo não é ensino para a igreja após a cruz! Quando Jesus falou do dízimo em Mateus 23:23, o “vocês” se referia à obediência judaica à lei do Pacto Antigo o qual o apoiou e endossou até a cruz (veja-se “da lei” em 23:23). Em Mateus 23:v2 (o contexto de 23:23) Jesus disse a seus seguidores judeus que obedecessem aos escribas e fariseus “porque se sentam na cadeira de Moisés”. No entanto, ele não mandou que os gentios que ele curou se apresentassem aos sacerdotes e que obedecessem à lei de Moisés (compare-se com M\at. 5:23, 24 e 8.4). E as igrejas de hoje não arrecadam dízimos das ervas das hortaliças tal como Jesus ordenasse.

    Após a cruz não há nem um texto bíblico que seja, no Novo Testamento, que ensina o dízimo – Ponto! Atos 2:42-47 e 4:32-35 não dão o exemplo do dízimo para o sustento dos líderes da igreja. De acordo com Atos 2:46 os cristãos judeus seguiam adorando no templo. E de acordo a 2:44 e 4:33,34 os dirigentes da igreja compartilhavam por igual com os fiéis do que recebiam (o que não se faz hoje). Finalmente Atos 21:20-25 comprova que os cristãos judeus seguiam observando zelosamente a lei mosaica 30 anos depois – e isso deve ter incluído o dízimo. De outra maneira não os teriam permitido entrar ao templo para adorar. Portanto, qualquer dízimo recolhido pelos primeiros cristãos judeus chegava ao templo e não ia para o apoio da igreja.

    Item #14: O Sacerdócio Limitado do Antigo Pacto Foi Substituído Pelo Sacerdócio de Todos os Crentes.

    O falso ensino é que os bispos e pastores do Novo Testamento seguem a mesma linha do sacerdócio do Velho Testamento, merecendo o dízimo. Mentira! No novo testamento, todos os cristãos são sacerdotes.

    Compare-se Êxodo 19:5,6 com 1ª Pedro 2:9,10. Antes do incidente do bezerro de ouro, a intenção de Deus tinha sido que cada israelita fosse um sacerdote de tal modo que o dízimo jamais se tivesse estabelecido. Os sacerdotes não dizimavam, mas recebiam uma décima parte do primeiro dízimo (Núm. 18:26-28; Nee. 10:37,38).

    A função e o propósito do sacerdócio do Pacto Antigo foram substituídos, não pelos bispos e pastores, senão pelo sacerdócio de todos os crentes. Igualmente a todos os regulamentos da lei, o dízimo era tão só uma sombra provisória até que chegasse Cristo (Efé. 2:14-16; Col. 2:13-17; Heb. 10:1). No Novo Pacto cada crente é feito um sacerdote para com Deus (1 Ped. 2:9, 10; Apo. 1:6; 5:10). E como sacerdote, cada crente oferece sacrifícios a Deus (Heb. 4:16; 10:19-22; 13:15, 16). Portanto, cada ordem que previamente sustentava relação com o antigo sacerdócio foi apagada na cruz. Já que Jesus também não era da tribo de Levi, até ele mesmo não qualificou. Assim, o propósito original do dízimo já não existe (Heb. 7:12-19; Gal. 3:19, 24, 25; 2ª Cor. 3:10-18).

    Item #15: A Igreja do Novo Pacto Nem é Um Edifício Nem é Um Armazém.

    O falso ensino é que no cristianismo os edifícios chamados “igrejas”, “tabernáculos” ou “templos” substituem o templo do Antigo Testamento como a morada de Deus. Mentira!!…

    A palavra de Deus jamais designa às igrejas do Novo Pacto como “tabernáculos”, “templos” ou “edifícios” nos quais mora Deus! A igreja de Deus, a morada de Deus, está dentro dos crentes. Os crentes “não vão à igreja” – senão que os crentes se “congregam para adorar”. Ademais, já que os sacerdotes do Antigo Testamento não pagavam o dízimo, então não é lógico seguir com essa prática. Portanto, é um erro chamar a um edifício “o armazém de Deus” para os dízimos. (1ª Cor. 3:16, 17; 6:19, 20; Efé. 1:22, 23; 2:21; 4:12-16; Apo. 3:12). Para “o armazém” ou “minha casa” compare-se 1ª Coríntios 16:2 com 2ª Coríntios 12:14 e Atos 20:17, 32-35. Durante vários séculos, após o calvário, os cristãos nem tinham seus próprios edifícios (para chamá-los armazém) já que o cristianismo era uma religião proibida.

    Item #16: A Igreja Cresce à Medida Que Exerce os Princípios do Novo Pacto.

    O falso ensino implica que os princípios da graça não são tão bons como os princípios da lei no antigo testamento.

    No Novo Pacto:

    (1) De acordo com Gálatas 5:16-23, não há nenhuma lei física que controle o fruto do Espírito.
    (2) 2ª Coríntios 3:10 diz que o Pacto Antigo “não tem glória” quando se compara com a “superabundante” glória e liberdade do Espírito.
    (3) Hebreus 7 é a única menção do dízimo após o calvário e explica a razão pela qual o sacerdócio levítico deve ser substituído pelo sacerdócio de Cristo, porque o primeiro era débil e infrutuoso. Ao estudar Hebreus 7 nota-se uma progressão desde o versículo 5 ao versículo 12 e até ao 19.
    (4) A maneira como se ensina o dízimo hoje manifesta a falência da igreja em crer e atuar sobre os melhores princípios do amor, da graça e da fé. As normas de dar por obrigação não podem, não resultaram e não prosperarão à igreja mais que os princípios guiados pelo amor a Cristo e às almas perdidas (2 Cor. 8:7,8).

    Item #17: A Preferência do Apóstolo Paulo Foi Que os Líderes da Igreja Tivessem Sustento Próprio. Não é honroso trabalhar.
    Não é vergonhoso fazer da obra de Deus uma profiçao?

    O falso ensino é que Paulo ensinou e praticou o dízimo. Mentira descarada.

    Como rabino judeu,e mestre dos gentios, Paulo se contava entre os que persistiam em trabalhar para seu próprio sustento (Atos 18:3; 1ª Tes. 2:9, 10; 2ª Tes. 3:8-14). Ainda que Paulo não condene aos que podem receber todo o apoio, também não ensina que o apoio financeiro total é a vontade de Deus obrigatória para o avanço do evangelho (1ª Cor. 9:12). De fato, duas vezes, em Atos 20:29-35 como também em 2ª Coríntios 12:14, Paulo urge aos bispos da igreja que trabalhem para prestar apoio aos crentes necessitados da igreja.

    Para Paulo, “viver o evangelho” significava “viver pelos princípios do evangelho de fé, amor e graça” (1ª Cor. 9:14). Ainda que Paulo entendesse que ele tinha certo “direito” a algum apoio, ele concluiu que sua “liberdade” ou o sentir-se livre de pregar sem impedimentos era-lhe mais importante no cumprimento de seu apelo para com Deus (1ª Cor. 9:12, 15; 2ª Cor. 11:7-13; 12:13, 14; 1ª Tes. 2:5, 6). Enquanto trabalhava fabricando tendas, Paulo aceitou um apoio limitado, mas se jactava que seu pagamento ou salário era que ele podia pregar o evangelho voluntariamente, sem ser ônus para outros (1ª Cor. 9:16-19).

    Item #18: O Dízimo Não se tornou mandamento Para a Igreja Até 777 a.D. sendo a igreja católica romana mãe das heresias que o aplicou como mandamento, cristo não o aprova.

    1.2 – Do século VI à Revolução Francesa (1789)
    A praxe de contribuir para cobrir as necessidades da Igreja ia se difundindo no Ocidente. Havia, porém, exceções da parte dos contribuintes.
    Em vista disto, os Concílios foram intervindo nesse setor. O Sínodo Regional de Tours (Gália), em 567, promulgou, por exemplo, a seguinte determinação: “ Instantemente exortamos os fiéis a que, seguindo o exemplo de Abraão, não hesitem em dar a Deus a décima parte de tudo aquilo que possuam, a fim de que não venha a cair na miséria aquele que, por ganância, se recuse a dar pequenas oferendas… Por conseguinte, se alguém quer chegar ao seio de Abraão, não contradiga o exemplo do Patriarca, e ofereça a sua esmola, preparando-se para reinar com Cristo”.
    Esta é a primeira recomendação de dízimo feita pelos bispos, já não como pregadores ou doutores, mas como legisladores. Contudo, note-se que não impuseram sanção aos transgressores. A justificativa apresentada pelo referido Concílio de Tours em favor dos dízimos, era a necessidade de expiar os pecados da população, sobre a qual pesavam guerras e calamidades.
    Mais um passo foi dado no Concílio de Macon (Gália), em 585, quando os padres conciliares houveram por bem impor a excomunhão a quem se furtasse a pagar sua contribuição à comunidade eclesial. O dever moral torna-se também obrigação jurídica. A evolução se explica através das difíceis condições em que se achava o povo cristão (clero e fiéis) na Europa do séc. VI: as invasões bárbaras, a queda do Império Romano havia acarretado o caos e a insegurança entre as populações. Daí a necessidade de que os bispos despertassem mais vivamente os fiéis para participarem dos interesses de subsistência das suas comunidades. Em Macon, notam os historiadores que não houve apenas a recomendação de um costume antigo, mas uma autêntica inovação.
    A legislação das diversas províncias eclesiásticas nos séculos subseqüentes repetiu várias vezes a determinação do Concílio de Macon.
    O poder civil havia de apoiar cerca de dois séculos mais tarde, sob Carlos Magno, a legislação eclesiástica, confirmando-a com uma sanção civil. Com efeito, a lei capitular dita “de Heristal”, em 779, manda aos cidadãos franceses pagar o dízimo à Igreja, ficando o bispo encarregado de o administrar; os contraventores sofreriam a sanção imposta aos infratores das leis civis, ou seja, provavelmente a multa de 60 soldos. Em 780 e 801 a ordem foi reiterada.
    Nos séculso seguintes, encontram-se numerosos documentos eclesiásticos e civis das diversas regiões da Europa que visam regulamentar a praxe dos dízimos e estipulam qual deva ser:

    – a matéria sujeita a dízimos (frutos da terra, produtos de animais…);
    – quais as pessoas sujeitas a dízimos (mosteiros foram isentos);
    – quais as pessoas a quem caberia o direito de cobrar o dízimo (os párocos, os bispos…);
    – quais as aplicações do dízimos (sustento do culto, manutenção do clero ou “côngrua”, atendimento aos pobres);
    – quais os modos de perceber ou cobrar dízimos.

    1.3 – A partir da Revolução Francesa (1789).
    No século XVIII, o dízimo havia caído no franco desagrado dos fiéis cristãos. Já quase não preenchia as suas finalidades. Com efeito, destinado a atender as paróquias e ao seu clero, os dízimos, em sua maior parte, iam beneficiar o alto clero e instituições estranhas ao serviço paroquial. Os grandes arrecadadores de dízimos eram prósperos (havia bispos e prelados diversos comandatários, ou seja, leigos que traziam títulos eclesiásticos quase exclusivamente para se beneficiar dos rendimentos materiais respectivos), ao passo que vultoso número de presbíteros recebiam uma “côngrua” insuficiente. Em suma, as quantias arrecadadas não eram devidamente aplicadas aos fins estipulados pela legislação eclesiástica e civil.
    Por sua parte, os economistas do século XVIII eram hostis ao dízimo, porque não era calculado sobre a produção líquida; Adam Smith o condenou por não corresponder ao seu conceito de imposto; este deveria ser determinado e não arbitrário; a quantia a ser paga e a época do pagamento deveria ser pré-estabelecidas.
    Voltaire e os filósofos pretendiam demonstrar que o dízimo não era de direito divino. Os magistrados, o baixo clero e os agricultores eram infensos a este tipo de imposto. Em conseqüência, numerosos libelos foram enviados ao parlamento francês, pedindo ou a reforma ou a supressão dos dízimos.
    A Assembléia Constituinte de França resolveu finalmente extinguir esse uso. Na noite de 4 de agosto de 1789, os deputados do clero renunciaram aos seus privilégios e, em particular, aos dízimos. Aos 21 de setembro de 1789, o rei Luis XVI promulgou o decreto que declarava extinta a praxe dos dízimos.
    A nova legislação francesa estendeu-se às demais nações européias, de sorte que até 1848 foi abolida em todo o continente europeu, a cobrança dos dízimos; ficou apenas uma pequena porção da Itália sujeita a esse regime, até 1887.
    A moção abolidora foi, em parte, inspirada pelo espírito anticlerical, mesmo anti-eclesial, que se implantou em numerosos países nos séculos XVIII e XIX, nos setores sociais e industriais.
    Levem-se em conta, igualmente, os abusos e as distorções por que passou a prática do dízimo, tornando-a muitas vezes antipática ao povo de Deus. Por último, é de notar a contribuição que o espírito capitalista deve ter dado ao
    descrédito e ao declínio do sistema de dízimos.

    O falso ensino é que a Igreja sempre ensinou o dízimo.(mentira!)

    As primeiras congregações cristãs se formaram seguindo o padrão das sinagogas judaicas dirigidas pelos rabinos que, semelhantes a Paulo, negavam-se a receber rendimentos da pregação e do ensino da Palavra de Deus. Há muitos livros em torno da vida social dos judeus que explicam este detalhe.

    Desde a morte de Cristo até que o cristianismo chegou a ser uma religião com reconhecimento legal, 300 anos depois, a maioria dos grandes líderes da igreja se impôs votos de pobreza. Este é um fato histórico com apoio em documentos históricos! Tomaram literalmente as palavras de Jesus ao jovem rico em Lucas 18:22 “vende tudo o que tens, e dá á os pobres, e terás tesouro no céu; e vem, segue-me”. A maioria dos historiadores da igreja está de acordo que estes primeiros líderes da igreja ao menos pelos primeiros 200 anos trabalhavam em sustento próprio. Um líder cristão não podia dizer a um oficial do censo romano que seu trabalho era de tempo integral na pregação de uma religião “proibida”.

    Clemente de Roma (c95), Justino, o Mártir (c150), Irineu (c150-200) e Tertuliano (c150-200), todos se opunham ao dízimo por ser estritamente uma lei do velho testamento, sendo assim exclusivamente judaica. O Didaquê (c150-200) sancionava aos apóstolos itinerantes que ficavam mais de três dias e depois pediam dinheiro. Os viajantes que decidiam se combinar com eles viam-se obrigados de aprender um ofício. Os que ensinam o dízimo não citam as declarações destes pais da igreja que se opunham ao dízimo.

    Cipriano (200-258) fracassou quando tentou impor o dízimo em Cartago, África do norte, ao redor do 250 a.D. No entanto, quando se converteu, Cipriano entregou sua grande riqueza pessoal aos pobres e tomou um voto de pobreza. E – devemos recordar – suas idéias do dízimo não foram adotadas.

    Quando os mestres do dízimo citam a Ambrósio, Crisóstomo e Agostinho, como os assim chamados “pais da igreja”, por pura conveniência não incluem os primeiros 200 anos da história da igreja. Ainda, depois que o cristianismo foi legalizado, no século quarto, muitos dos grandes líderes espirituais tomaram votos de suma pobreza preferindo viver vida de solteiros em monastérios. Se é que vão citar a estes mestres do dízimo, então a igreja também deve observar o tipo de vida que eles viviam.

    Ainda que estejam em desacordo com seus próprios teólogos, a maioria dos historiadores da igreja escreve que o dízimo não chegou a ser uma doutrina aceita na igreja por mais de 700 anos após a cruz. De acordo com os melhores historiadores e enciclopédias, não foi senão até após 500 anos que o concílio local da igreja de Macón, na França, no ano 585, tentou, sem sucesso, impor dízimo sobre seus membros. Não foi senão a partir do ano 777 que Carlos Magno permitiu que a igreja católica romana, por aval de lei, pudesse recolher os dízimos———————————————————– O mesmo nos informa, amigos, que esta é a história do dízimo segundo a Enciclopédia Britânica, a Enciclopédia Americana e a Enciclopédia Católica Romana para que todos a leiam. Estes fatos históricos devem servir como prova para qualquer pessoa.

    CONCLUSÃO:

    Na palavra de Deus, o “dízimo” não aparece por si sozinho. É o dízimo dos “ALIMENTOS”. O dízimo bíblico foi limitado dentro de um marco estreito pelo mesmo Deus. O verdadeiro dízimo bíblico sempre teve estas características:

    (1) Somente o que era alimento ou comida;
    (2) Somente da atividade agrícola e pecuária;
    (3) Dado somente por israelitas;
    (4) Por quem somente vivia dentro da terra santa, dentro da fronteira de Israel;
    (5) Somente de acordo com as condições do Pacto Antigo; e
    (6) O aumento somente se podia recolher daquilo que Deus tinha produzido;

    Portanto,

    (1) Objetos que não eram alimento não podiam ser dizimados;
    (2) Animais de caça silvestre e de pesca não podiam ser dizimados;
    (3) Os que não eram israelitas não podiam dizimar;
    (4) Alimento que não fosse da terra santa de Deus não podia ser dizimado;
    (5) Quando já não havia sacerdócio levítico não havia lei, em rigor, que obrigasse o dízimo; e
    (6) O dízimo não provinha do que tinha produzido a mão do homem ou capturado por suas próprias mãos na pesca ou na caçada.

    Sendo assim, esta provado que a lei do dizimo não é um mandamento para a Igreja do senhor, que os que insistem em afirmar que é, esta mentindo, ou equivocado, porem não inocente, afirmo categoricamente que os que aproveitam da ignorância dos servos do senhor, estão pecando contra cristo, ao aproveitar-se dos fiéis leigos, e que incorrerão em juízo. 2 Pd 2 v 3, e Ap 22 v 15. Deus não terá por inocente o culpado. Olhem por suas riquezas e patrimônios, eles testemuinharao contra vocês no dia do julgamento.

  50. leonardo disse:

    Item #8: A Bíblia Descreve Quatro Diferentes Tipos de Dízimos. Mas as instituições por conveniência so adotaram parte de um, o religioso e que vai para o bolso dos seus lideres.

    A falsa doutrina ignora todos os outros dízimos e enfoca-se numa interpretação errônea do primeiro dízimo religioso. hipocrisia conveniente não é?

    O primeiro dízimo religioso, chamado o “dízimo levítico” tinha duas partes. Novamente, o primeiro dízimo, por inteiro, entregava-se aos levitas que eram somente os servos dos sacerdotes (Núm. 18:21-24; Nee. 10:37). Os levitas, por sua vez, davam uma décima parte de todo o dízimo aos sacerdotes (Núm. 18:25-28; Nee. 10:38). De acordo com Deuteronômio 12 e 14, o segundo dízimo religioso, chamado o “dízimo da festa,” era consumido pelos adoradores nas ruas de Jerusalém durante os três festivais anuais (Deut. 12:1-19; 14:22-26). E de acordo com Deuteronômio 14 e 26, um terceiro dízimo, chamado o “dízimo para os pobres”, guardava-se nos lares em cada terceiro ano para alimentar aos pobres (Deut. 14:28,29; 26:12,13). Mas os cobradores de dízimos nem de longe fazem referencia a este não é? Um Quarto. Ademais, de acordo com 1º Samuel 8:14-17, o governante recolhia o primeiro e o melhor dez por cento para o uso político. Durante o tempo de Jesus Roma recolhia o primeiro dez por cento (10%) de quase todo o alimento e o vinte por cento (20%) do fruto das colheitas como seus despojos de vencedor. Alguém pode perguntar-se que vem a ser o que as igrejas estão a tratar de esconder quando escolhem o dízimo religioso que mais lhes convém para seus fins e descartam os outros dois dízimos religiosos importantes.

    Item #9: Jesus, Pedro, Paulo e os Pobres Não Dizimavam! E nenhum outro cristão também não.
    O falso ensino é que todo mundo no Antigo Testamento tinha a obrigação de dar a Deus os dízimos, mentira!!!…

    Os pobres não tinham obrigação alguma de dizimar!hoje Nem pobres nem ricos tem este mandamento. Nenhum dos apóstolos o ensinaram.
    nem ninguém é obrigado por mandamento bíblico a dizimar hoje. e também não se dizimava dos resultados da mão de obra do trabalhador, artesão ou por habilidade alguma. Somente os agricultores e pecuaristas recolhiam o dízimo do que Deus produzia em aumento. Jesus era um carpinteiro; Paulo era um fabricante de tendas e Pedro era um pescador. Nenhum destes labores os qualificava para dizimar porque não cultivavam a terra nem cuidavam do gado para subsistir. Portanto, é incorreto ensinar que todos pagavam rigorosamente ao menos o dízimo e, todavia, que no Novo Pacto os cristãos têm a obrigação de, ao menos, começar com o mínimo do que davam os israelitas no Pacto Antigo. Esta falsa doutrina se repete muito com freqüência e desconhece por completo a definição tão clara do dízimo como alimento recolhido dos produtos do aumento da semeadura ou do aumento do gado.

    Também é um erro ensinar que os pobres de Israel tinham a obrigação de pagar o dízimo. De fato, eles mesmos recebiam o dízimo! Uma grande parte do dízimo da segunda festa e todo o dízimo especial do terceiro ano era para os pobres!e hoje? Cadê os dízimos para os pobres?
    Tinha muitas leis que protegiam aos pobres de abuso e de sacrifícios custosos que não podiam custear (veja-se também Lev. 14:21; 25:6, 25-28, 35, 36; 27:8; Deu. 12:1-19; 14:23, 28, 29; 15:7, 8, 11; 24:12, 14, 15, 19, 20; 26:11-13; Mal. 3:5; Mat. 12:1, 2; Marcos 2:23, 24; Lucas 2:22-24; 6:1, 2; 2ª Cor. 8:12-14; 1 Tim. 5:8; Tiago 1:27).hoje são os pobres que são mais explorados. Os trabalhadores que ganham um salário mínimo, e tem que sustentar a família e pagar água luz as vezes aluguel e ainda tem que pagar para ser crente, e ser considerado fiel, e não ser chamado de ladrão, também as viúvas e aposentados. E nenhuma ajuda recebem destas instituições “filantropicas” entidades capitalistas que tiram dos pobres em nome de Deus, para enriquecer mais os seus ricos, milionários “pastores” lideres. Seriam estes os gananciosos que Pedro se referiu? 2°Pd 2v3, que fariam dos crentes do senhor um comércio. Serão estes também mercenários Jo 10 v 12. O que é um mercenário?…falando em mercenários, me lembrei também dos astros pregadores e cantores, que de congresso em congresso, de igreja em igreja estão enchendo suas contas bancarias com o dinheiro dos pobres fiéis. Ai eu me lembro de Miq 3 v 11. ( os teus chefes dão as sentenças por suborno, os seus sacerdotes ensinam por interesse, e os seus “profetas” (pregadores e cantores) profetizam por dinheiro.e ainda se apóiam no senhor! Dizendo: o senhor esta conosco.

  51. Luiz Alberto Araujo Bezerra disse:

    O apóstolo Paulo, mostrou que, por causa do estado imperfeito e pecaminoso de toda a humanidade, ninguém pode ser declarado justo pela tentativa de estabelecer a sua própria justiça por meio de obras da Lei mosaica. (Ro 3:19-24; Gál 3:10-12) Em vez disso, enfatizou a fé em Cristo Jesus como a verdadeira base para se ser declarado justo. (Ro 10:3, 4) A carta inspirada de Tiago complementa a declaração de Paulo por mostrar que essa fé tem de ser feita viver, não por obras da Lei, mas por obras de fé, como nos casos de Abraão e de Raabe. — Tg 2:24, 26. Nós não somos salvos por obras da Lei mosaica, mas por obras da fé. Nisto Paulo e Tiago estão totalmente de acordo.
    Sem aceitar Jesus como salvador, e sem praticar as obras de arrependimento, ninguém será salvo. Assim, a observância formal da Lei, por parte dos líderes religiosos judaicos e de outros, constituía “obras mortas”, porque lhe faltava o ingrediente vital da fé. (Ro 9:30-33; 10:2-4) Isto os fez tropeçar em Cristo Jesus, que era da parte de Deus o “Agente Principal . . . para dar a Israel arrependimento e perdão de pecados”, ao invés de se arrependerem. (At 5:31-33; 10:43; 20:21) Também a observância da Lei, como se esta ainda vigorasse, tornar-se-ia “obras mortas”, depois de Cristo Jesus a ter cumprido. (Gál 2:16) Similarmente, todas as obras que, de outro modo, seriam de valor, tornam-se “obras mortas”, se a motivação não for o amor, o amor a Deus e o amor ao próximo. (1Co 13:1-3) O amor, por sua vez, tem de se expressar “em ação e em verdade”, harmonizando-se com a vontade e os modos de Deus, comunicados a nós mediante sua Palavra. (1Jo 3:18; 5:2, 3; Mt 7:21-23; 15:6-9; He 4:12) Aquele que se volta para Deus com fé, mediante Cristo Jesus, arrepende-se de todas as obras corretamente classificadas como “obras mortas”, e depois as evita, purificando-se assim a sua consciência. — He 9:14. (Estudo Perspicaz das Escrituras)

  52. emerson da silva gloria disse:

    O SENHOR JESUS perdoe os nossos pecados, e nos de sabedoria para que possamos verdadeiramente nos apegar a ele e aprender sobre ele. primeiramente me perdoem nao estou aqui para debater mais que possamos aprender, pois quero apreender sobre cristo sobre minha existencia e o proposito de tudo isto.
    a palavra de Deus nos afirma:Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema.
    Gálatas 1:8
    Assim, como já vo-lo dissemos, agora de novo também vo-lo digo. Se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema.
    Gálatas 1:9
    Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas: não vim ab-rogar, mas cumprir.
    Mateus 5:17

    Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam;
    João 5:39
    Porque a Escritura diz: Todo aquele que nele crer não será confundido.
    Romanos 10:11
    Aquele que diz: Eu conheço-o, e não guarda os seus mandamentos, é mentiroso, e nele não está a verdade.
    1 João 2:4
    E Jesus, respondendo, disse-lhes: Porventura não errais vós em razão de não saberdes as Escrituras nem o poder de Deus?
    Marcos 12:24
    Porque muitos virão em meu nome, dizendo: Eu sou o Cristo; e enganarão a muitos.
    Marcos 13:6

    Ora, estes foram mais nobres do que os que estavam em Tessalônica, porque de bom grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim.
    Atos 17:11
    Eis que vós confiais em palavras falsas, que para nada vos aproveitam.
    Jeremias 7:8

    Todos os servos que estão debaixo do jugo estimem a seus senhores por dignos de toda a honra, para que o nome de Deus e a doutrina não sejam blasfemados.
    E os que têm senhores crentes não os desprezem, por serem irmãos; antes os sirvam melhor, porque eles, que participam do benefício, são crentes e amados. Isto ensina e exorta.
    Se alguém ensina alguma outra doutrina, e se não conforma com as sãs palavras de nosso Senhor Jesus Cristo, e com a doutrina que é segundo a piedade,
    É soberbo, e nada sabe, mas delira acerca de questões e contendas de palavras, das quais nascem invejas, porfias, blasfêmias, ruins suspeitas,
    Contendas de homens corruptos de entendimento, e privados da verdade, cuidando que a piedade seja causa de ganho; aparta-te dos tais.
    Mas é grande ganho a piedade com contentamento.
    Porque nada trouxemos para este mundo, e manifesto é que nada podemos levar dele.
    1 Timóteo 6:1-7
    DEUS NOS ABENÇOE AMEM.

  53. Andre disse:

    Olha as fontes de farisaísmo, não precisa obedecer a LEI !!!
    É por esta linha de pensamento que o ISLÃ MATA em nome de seu ala.

    A igreja brasileira está a passos largos, para o fundamentalismo onde a Lei e a vida do próximo não valem nada, e sim só a religião.

    Hoje em países africamos cristãos e funfamentalistas, homossexuais são presos, e até mortos sem nenhuma consideração.
    A palavra por si só , mata mas o Espírito vivífica, estes crentes precisam se convertem e o conhecer o amor de DEUS, tão ausente em suas igrejas suntuosa onde só se busca bençãos de enriquecimento.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

As principais notícias gospel do Brasil e do mundo no portal pioneiro; Saiba tudo aqui sobre música gospel, evangélicos na política, ações missionárias e evangelísticas, projetos sociais, programas de TV, divulgação de eventos e muito mais.

No ar desde 2006, o canal de notícias gospel do portal Gospel+ é pioneiro no Brasil, sempre prezando pela qualidade da informação, com responsabilidade e respeito pelo leitor.

ANÚNCIO
ANÚNCIO
ANÚNCIO