Destaque

Pastor Ed René Kivitz afirma que “a Páscoa é a festa da ressurreição” para os cristãos. Leia na íntegra

Comentários (1)
  1. Mentira… a páscoa é mais uma data para o consumo insano e a pratica do especismo…

    1. Ah, então quer dizer que datas comemorativas são meramente comerciais?
      Foi introduzido sim em muitas datas esse desejo comercial mas numa forma de presentear uma pessoa próxima, dar uma lembrancinha e blz. Só que infelizmente, tem pessoas que ficam tão histéricas que trazem sobre si condenação se não consumirem, não presentearem alguém como se isso fosse regra. Aí, é uma coisa ridículo.
      Acredito que deveríamos reunir o útil ao agradável. Aproveitar a ocasião (que é única) para ser celebrado o que é proposto e como forma cultural presentear uma pessoa próxima, ou outra pessoa como uma forma singela de coração.
      Por que não comemorar a morte/ressurreição de Cristo e comer um bom chocolate que faz bem à alma?? =P
      É muito bom. =D

    2. Paulo André Varella Ribeiro ____ E o comércio fica aquecidinho e grato. Agora onde entra Jesus nessa chocolataria toda?

    3. Jaqueline Perla Rondon, ué! É o que eu falei. Aproveitar pra comemorar sobre morte/ressurreição de Cristo tbm. É que tem gente que olha só o lado do chocolate. Há quem aproveita a ocasião de além de comemorar sobre Jesus, consome chocolate. Isso deve ser digamos, um complemento mas sem perder o foco da essência da páscoa. Agora se as pessoas tiram os olhos da essência da páscoa e colocam apenas no comércio histérico, aí a culpa é delas! =P
      RSrs

    4. Paulo André Varella Ribeiro ___ Você pode me achar até crítica demais, mas essa lavagem cerebral religiosa + apelo consumista me irrita demais. Vista, Mastercard, Amém!
      Jesus nasce e morrem milhares de animais para sádica e comercial ceia de natal, um verdadeiro holocausto animal.
      Jesus tem sua morte comemorada com animais mortos no centro da mesa e muito, mas muuuuito chocolate e coelhinhos vivos dados de presente para serem descartados no dia seguinte pelo hedonismo-especista-antropocentrista humano.
      Se isso não é embuste, eu não sei o nome.

    5. Jaqueline Perla Rondon vc acha então que deixando de comemorar o Natal os animais deixarão de serem mortos porque as pessoas só os consomem por uma tradição cultural? Se não fosse por isso, não seriam mortos e/ou comidos?
      Antes de Jesus, pessoas consumiam os animais. Agora a culpa é dEle por continuarem fazendo isso só que por outras razões? o.O

    6. Sergio Lira disse:

      Paulo André Varella Ribeiro Legal esse entendimento. Ninguém tem culpa da idiotice humana de querer se aproveitar de tudo que existe, inclusive da religiosidade, pra ganhar dinheiro. Para quem é cristão, páscoa é o sentido da vida ressurgindo ressurgindo no coração dos que o buscam. Quem se aproveita de situações pra vender ovo, chocolate ou ganhar dinheiro deve ser rotulado do que deve. Os outros não. Da mesma forma que tem gente que passa por intelectual e acha que sua forma de pensar é a única que existe e ainda quer promover seu nome com isso. Aí é a insanidade da loucura mesmo e a ignorância de uma pseuda razão. Prefiro Cristo ressurreto na interioridade.

    7. Paulo André Varella Ribeiro ___ A culpa não é de Jesus… é a nossa brutalidade… estupidez… e toda a sordidez que envolve os ritos artificialóides humanos… é tudo simplesmente decadente…
      No Brasil se consome cadáver de peru assado recheado com farofa agridoce o ano todo? Não. Cadáver de leitão assado no centro da mesa com maçã na boca o ano inteiro? Não. Panetone de frutas ou com gotas de chocolate o ano todo. Não. Então é claro que graças a estupidez religiosa consumista e descaracterizada é a causa do aumento de abates para atender a demanda das ceias estúpidas pagãs com direito a árvore da fertilidade (transformada em natalina) e tudo o mais que imbecilidade possa permitir.
      Paulo de Tarso, o maior psicopata estelionatário bíblico transformou o consumo de animais mortos em algo tolerável para atrair bárbaros pagãos e os judeus mais ortodoxos e tornar o cristianismo mais atraente e palatável.
      Aliás existe algo mais adulterado que o cristianismo? Duvido que haja.

    8. Jaqueline Perla Rondon Vc já tá confundindo a essência das coisas com introdução comercial pensando apenas no lucro. Qual é o objetivo do Natal? Comemorar o nascimento de Cristo. Se alegrar por causa disso. Só que… geralmente, em comemoração, as pessoas fazem algo pra não ficar batido, ou seja, comida. Agora, a igreja não estimula a compra de presentes, peru, árvores natalinas e etc. Por quê? Porque isso não é essência, objetivo da comemoração. Houve uma introdução paganista que juntou com a comercial e causa a histeria nas pessoas. E só são dominadas por isso pessoas que não conhecem o real significado. Quem não conhece, se entrega à tradição comercial. Quem conhece, um simples reconhecimento pela comemoração já basta.
      Não critique coisas que não foi a religião que estabeleceu em essência (por algo positivo). Se depois colocaram como forma comercial e se venderam, problema é de quem faz. Quem conhece e sabe as verdadeiras razões não faz nada por histeria. Mas simplesmente equilibra. Junta o útil ao agradável.
      E que bom que nessas épocas do ano são únicas para comermos algo bom que não temos condições para comprar várias vezes durante o ano. Peru é muito bom, panetone é mto e ganhar uma lembrancinha de alguém, tbm. =]

    9. Paulo André Varella Ribeiro ___ Comemorar o nascimento de Jesus em Dezembro? Quantos deuses tem seu aniversário comemorado nessa data? Hehehehehe… com árvore, panetone e cadáveres de animais? Faz-me rir… A partir do memento em que a Igreja permita que haja essa comemoração e não esclareça os fiéis é conivente com a coisificação da vida dos animais e de Jesus. Por isso digo, o cristianismo é o maior embuste desde Paulo de Tarso e as denominações cristãs as maiores propagadores de mentiras e distorções… em resumo, fomentam a ignorância e a alienação da massa aguirlandada.

    10. Paulo André Varella Ribeiro ___ Jesus não poderia ter nascido nesta data, pois em Israel é inverno e dificilmente pessoas peregrinam nesta época. Os pais de Jesus estavam a caminho de Belém, próximo a Jerusalém, o que só ocorria em duas ocasiões … no aniversário da segunda cidade e na Festa dos Tabernáculos, ou Sucot, a festa das colheitas do povo judaico. Os indícios apontam que o nascimento teria acontecido na segunda ocasião… o nascimento se deu em outubro, durante a festividade, considerando os turnos de sacerdócio de Zacarias, pai de João Batista, primo de Jesus… então Jesus nasceu na época da Festa dos Tabernáculos, em outubro. Seu nascimento pode ser calculado assim: Zacarias exercia seu turno em julho (Lc. 1:5,8) por ser do turno de Abias, o oitavo turno do ano eclesiástico que começava em março (I Cr. 24:10). Foi o mês da concepção de João Batista, (Lc. 1:23-24), que nasceu, pois em abril do ano seguinte. Jesus nasceu seis meses mais tarde, (Lc. 1:26), portanto em plena Festa dos Tabernáculos.

    11. Jaqueline Perla Rondon Pois é. Infelizmente ninguém estabeleceu um dia em Outubro para ser comemorado o aniversário de Jesus. Que Ele não nasceu dia 25 de Dezembro e só é uma data para representar o nascimento, todo mundo sabe. =]

    12. Paulo André Varella Ribeiro ___ Representar? Não! Isso é estelionato. Fraude.

    13. Jaqueline Perla Rondon Tadinho(a) então de quem nasce dia 29 de Fevereiro… seguindo então essa linha.

    14. Paulo André Varella Ribeiro ___ O nascimento de Jesus só passou a ser atado a essa data por questões da política, o imperador romano Constantino procurou o controle do seu povo por meio da unidade religiosa do povo que governava. Constantino pegou a onda oba oba do cristianismo "mix" para controlar seu império. Foi o próprio que estabeleceu os costumes e rituais da Igreja Católica Romana, criada no Concílio de Nicéia em 325 d.C., passando o dia de celebração do sábadão sagrado(o.O) para o domingão e “criando” o Natal cristão. Além disso, a Igreja Romana assimilou muitos costumes de outros povos que o império dominava, como eu te disse antes, homogenia… palatável para todos os outros povos e conveniência para quem quer dominar a massa… tem meio mais eficiente que a religião? Tem um livro que fala sobre esse assunto, eu não sei tem disponível para baixar, mas é muito esclarecedor sobre o assunto e se chama Documentos da Igreja Cristã de Henry Bettenson.

      E assim o dia de 25 de dezembro é a data preferida para o nascimento dos deuses… na Barsa mostra que está assim determinado desde o ano de 440 … e o Sol é o responsável por essa natividade divina toda… e os pagão sendo agregados em uma só denominação… prático, não?

      Já ouviu falar o culto pagão Natalis Invistis Solis (nascimento do deus sol invencível), ao deus Mithra, da Pérsia, do qual Constantino era sumo sacerdote, é celebrado nesta data, porque do dia 24 para o 25 acontece a passagem do Solstício de Inverno para o Equinócio de Primavera nos países do Hemisfério Norte? Durante o período do Solstício de Inverno, os dias são curtos e frios porque, o Sol se move durante seis meses para o sul e fica mais fraco. Ao nascer do dia 25, ele se move um grau, mas, desta vez, para o norte, trazendo dias mais longos e quentes e, claro, a primavera com suas flores, a colheita, o acasalamento dos animais e todo o culto em torno da fertilidade.

      Os solstícios são as posições da Terra em relação ao Sol. Entre eles há os Equinócios de Primavera e Outono, que ocorrem quando os dois hemisférios ficam dispostos simetricamente em relação ao Sol, que sempre foi motivo de culto e adoração em inúmeros povos. Nunca se ligou nisso?

      No Egito, 3000 anos a.C., o Sol aparece na figura do deus Hórus, que nasceu da virgem Isis, (qualquer semelhança com Maria, deve ser ignorada?) na mesma data de Mithra. Seu arqui-inimigo era Set, que representava o mal, as trevas ou a noite (versão egípcia de Lúcifer?). Todos os dias eles travavam batalhas. Ao entardecer, Set ganhava e mandava Hórus para as trevas, ao amanhecer, acontecia o contrário e Hórus reaparecia vitorioso no céu. Durante a primavera e o verão, quando os dias são mais longos, Hórus prevalecia. De igual forma, a mesma estrutura mitologica é encontrada numa das versões da história de Krishna, da Índia, cujo nascimento teria sido em 25 de dezembro a 900 anos a.C., também de uma virgem, Devaki.

      E agooooooora?

    15. Paulo André Varella Ribeiro ___ Nossa, Paulo… igualzinha a sua comparação… no mesmo naipe… uuuiiii

      ¬¬

    16. Paulo André Varella Ribeiro ___ Se desejar conhecer mais outras curiosidades desse sistema de "clonagem" divina…
      http://mundoestranho.abril.com.br/materia/quais-outras-figuras-religiosas-tambem-foram-crucificadas

  2. Paulo Viuvo disse:

    Eta evangelho teórico esse aí. Com toda essa embromação teológica até Platão vira evangélico. Prefiro mesmo é ficar com a simplicidade de Atos dos Apóstolos onde a igreja vive o Cristo Ressuscitado e com a revelação do Espirito Santo o povo simples entende melhor.

  3. Jessica Wilhelm disse:

    Realmente, pascoa nada tem haver com ovos de chocolate e coelhinho, isso foi invenção de algum idiota que queria ganhar dinheiro a custa da popularidade das festas cristãs, assim como o Natal, bando de retardados, e mais retardados são os que financiam esse engano, vergonha de quem se diz cristão e compra ovos de pascoa, e ensina os filhos que o coelhinho vai trazer chocolatinho ¬¬ dá licença né, dá licença… papai noel trás presentinho, me poupe, o camarada trabalha que nem um condenado para comprar presente pros filhos e dá os créditos a um velhinho de vermelho que carrega um saco nas costas? é serio isso Braseeeel?

    1. Angelo Marim disse:

      a pascoa é a festa do pães asmos…

    2. Angelo Marim disse:

      na bíblia fala q JESUS chegou em Jerusalém para a Páscoa, logo, esse festa já existia antes dEle, não podendo ser a Sua ressurreição…

    3. Jessica Wilhelm disse:

      Existe a pascoa judaica e a pascoa cristã.

    4. Angelo Marim disse:

      Jessica Wilhelm não é mera coincidência serem no mesmo dia…

    5. Angelo Marim A pascoa dos judeus é a festa dos pães asmos, a pascoa dos cristãos é a ressurreição, que nós evangélicos celebramos com a Santa Ceia, nada a ver com chocolate ou coelhos.

  4. Israel disse:

    A cada dia fica mais claro que a Palavra de Deus não é interpretada e sim revelada.
    A grande prova é o imenso numero de pessoas que leem e interpretam a sua maneira e apenas alguns recebem a revelação do que é correto.
    A bíblia não deve ser lida como um livro comum, ela é a verdadeira palavra de Deus e para obter a revelação devemos buscar como amor e expectativa de uma resposta.
    Você acredita mesmo que esta comemorando a Páscoa como Deus se agrada? Comer peixe em uma um almoço onde todos falam do sabor do alimento, mas ninguém NINGUEM MESMO, sita o êxodo ou Jesus.
    Você acredita mesmo que Deus quer uma celebração pagã para sua Páscoa? Comer ovos de chocolate e falar que o simbolo é um coelho e não comer carne porque é pecado,mas espera uma pouco ,peixe não é carne? Desculpe estou sendo chato,não é mesmo? Pode continuar ….hummmm o bacalhau esta uma delicia e vamos passar a semana toda comendo chocolate huummmmm.
    Voltando ao assunto todos disseram que Jesus comeu a Páscoa , então a Páscoa não seria a ressurreição. Sera que o êxodo não estava anunciando o que haveria de acontecer como de costume no velho testamento ? Vamos fazer algumas comparações de acordo com as explicações do Pr. José Barbosa de Sena Neto

    “A festa da Páscoa começava no dia 15 de Nisã, sendo o cordeiro sacrificado na tarde do dia 14. Contudo o dia da semana variava com a lua nova. Se Jesus comeu a ceia regular da Páscoa, foi crucificado no dia 15 de Nisã. Se comeu uma ceia no dia anterior, e se foi crucificado na hora do sacrifício do cordeiro, então o dia foi, então, o dia 14 de Nisã. Neste caso ele não comeu, de fato, a Páscoa” (S.L.Watson e W.E.Ellen, Harmonia dos Evangelhos , CPB, 1964, 4ª edição, pp. 243-244).

    Na histórica controvérsia havida nos primeiros séculos da era cristã entre gregos e latinos, estes defendiam a tese de que Jesus teria comido do cordeiro pascal, após o pôr do Sol do dia 14 de Nisã, de modo que Sua crucificação teria sido no dia 15, primeiro dia da festa da Páscoa. Os gregos, ao contrário, afirmaram que Jesus, que é a nossa Páscoa, não teria comido do cordeiro pascal, mas, na qualidade de verdadeiro Cordeiro Pascal, teria sido crucificado na hora costumeira do sacrifício do cordeiro. Vamos verificar com quem está com a razão.

    A data da instituição da Ceia do Senhor depende diretamente da data de Sua crucificação. Se Ele tiver sido crucificado no dia 15 de Nisã, a Sua Ceia Pascal terá sido instituída nesse mesmo dia 15, após o pôr do Sol do dia 14 de Nisã, fora do contesto da Páscoa judaica.

    Em João 18.28 lemos que, quando, de manhã, o julgamento de Jesus estava terminando (e Ele havia ceado na noite anterior!), os judeus ainda não tinham comido a páscoa: “Depois levaram Jesus da casa de Caifás para a audiência. E era pela manhã cedo. E não entraram na audiência, para não se contaminarem, mas poderem comer a páscoa”. Em João 19.14-16 lemos que Jesus foi julgado no dia da “preparação da páscoa” (à hora sexta) – ao meio dia), isto é, no dia 14 de Nisã, antes do primeiro dia dos ázimos: “E era a parasceve pascal (a preparação da páscoa) e quase à hora sexta…”.

    Tanto as grandes festas de Israel como o Dia da Expiação erma figuras proféticas de fatos referentes ao Messias e que, a exemplo das próprias festas, ocorriam “ao seu tempo determinado” (Lv. 23.4). Jesus havia predito que Sua morte se daria na Páscoa: “Bem sabeis que daqui a dois dias é a páscoa; e o Filho do homem será entregue para ser crucificado” (Mt 26.2). Na Páscoa, sim, mas antes da festa! “Depois os príncipes dos sacerdotes, e os escribas, e os anciãos do povo reuniram-se na sala do sumo sacerdote, o qual se chamava Caifás. E consultaram-se mutuamente parta prenderem Jesus com dolo e o matarem. Mas diziam: Não durante a festa, para que não haja alvoroço entre o povo” (Mt. 26.3-5). E assim O prenderam antes da festa, que começava com a ceia pascal. E essa decisão foi tomada a partir de uma profecia do sumo sacerdote Caifás (João 11.47-53).

    A Páscoa como sacrifício do cordeiro, era o dia 14 de Nisã (“No mês primeiro, aos catorze do mês, pela tarde, é a páscoa do Senhor”. Lv. 23.5), mas a festa a que se chamava Festa da Páscoa começava no dia 15 de Nisã, com a ceia pascal. Jesus foi preso, julgado e executado na cruz antes da festa! Morreu na cruz no dia 14 de Nisã, na sexta-feira, ao crepúsculo da tarde, no momento profeticamente estabelecido na Lei para a morte do cordeiro pascal. Não há sombra de qualquer dúvida!

    “No Gr secular, paraskeuè se acha no sentido geral de “preparação”, mas o NT emprega o substantivo paraskeuè sempre como expressão de tempo, para indicar o “dia da preparação” antes de Um Sábado ou Festa da Páscoa: Mt 27.62; Mc 15.42; João 1914, 31,42” (Colin Brown, Dicionário Internacional de Teologia do NT, Ed. Vida Nova, Vol. III, p. 784). Observe-se bem que a palavra paraskeuè significa preparação em sentido geral e em todos os textos do NT em que ela aparece refere-se sempre ao dia 14 de Nisã dia da “preparação da Páscoa”, dia em que era imolado o cordeiro, preparada a refeição, removido o fermento das casas, etc.

    Nos anos em que o dia 14 de Nisã caia numa sexta-feira, com a ceia pascal caindo no Sábado – o qual quando uma dessas “santas convocações” coincidia com um sábado semanal, regular, dava-se-lhe o nome de “Sábado Grande”, dia de descanso legal, como é o caso do sábado posterior à crucificação de Jesus – aquela sexta-feira era tanto o dia da preparação da Páscoa (João 19.31) como véspera e preparação do sábado regular (Mc 15.42).

    Que Jesus morreu numa sexta-feira ninguém questiona, pois o dia seguinte à Sua morte era sábado, conforme se lê em João: “…para que no sábado não ficassem os corpos na cruz, visto como era a preparação, pois era grande o dia de sábado…” (João 19.31). Mas aquele não era um sábado comum, era um Sábado Grande. E sábado grande era aquele sábado semanal que coincidia com um dia de “santa convocação”. Ora, como no mês de Nisã as “santas convocações” aconteciam nos dias 15 e 21 (primeiro e oitavo dia da Páscoa), aquele sábado não podia ser o dia 16 de Nisã, que não era dia de “santa convocação”. Tinha de ser o dia 15 de Nisã, primeiro dia dos ázimos, primeiro dia da Festa da Páscoa, dia de “santa convocação”, dia da ceia pascal, da qual Jesus NÃO PÔDE PARTICIPAR, por haver, na qualidade de Cordeiro de Deus, sido imolado na véspera, 14 de Nisã, dia da preparação da Páscoa!

    Não há como contestar: Jesus não participou da Páscoa legal dos judeus, porque Ele mesmo, o verdadeiro Cordeiro pascal (I Cor. 5.7), morreu no dia e hora profeticamente revelados nas prescrições da Páscoa: 14 de Nisã, ao crepúsculo da tarde! Sim, Jesus expirou na cruz no mesmo dia e hora em que no Templo se imolavam os cordeiros pascais, foi crucificado no dia que o cordeiro pascal era oferecido, e ressuscitou no dia em que as primícias da primeira colheita eram apresentadas, as primícias dos que dormem!

    Na ocasião marcada para a ceia pascal, Jesus “o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo” (João 1.29) já estava no túmulo! A celebração da Páscoa judaica perdera a sua razão de ser! Os cordeiros pascais, figuras do Cordeiro de deus, já não deveriam ser imolados cada ano! A realidade que eles figuravam havia chegado! E, em chegando a realidade, os ritos legais, que têm somente “a sombra dos bens futuros, e não a imagem exata das coisas” (Hb 10.1), haviam-se tornado antiquados, perdendo completamente o valor! “Porque Cristo, nossa páscoa, foi crucificado por nós”! (I Coríntios 5.7b) Que maravilha!

  5. Pastor Ed René, onde está escrito na Bíblia "que Deus se fez carne". A Bíblia declara com todas as letras que Jesus é filho de Deus; Sua primeira criação.(Hebreus 1:13; 2:9,10 – Lucas 1:25) Portanto, Jesus não é Deus. Deus é espírito, Ele nunca se fez carne, como vc afirma: "O Pai é maior que eu" (João 14:28) A Bíblia diz também que Jesus "não faz nada da sua própria iniciativa, só o que o Pai manda" (João 5:19). Leia mais a Bíblia pastor ED RENÉ!

  6. lila gil disse:

    Faço apenas uma pergunta…E quanto aos que tiveram mortes trágicas e tiveram seus corpos destruídos, a exemplo dos que morrem em incêndios e tem o corpo totalmente carbonizado?

  7. plinio disse:

    Muito boa a explanação do teólogo Israel, eu não sou teólogo nem pastor, mas pesquiso bastante sobre esse assunto do qual, alem do meu trabalho, é oque eu mais gosto de fazer, e agradeço ao Israel por esse comentário, pois aprendi muito com ele, dificilmente eu concordo com tudo oque alguém escreve, mas a sua explicação é ótima, parabéns. Gostaria de dizer umas palavras a lila gil, quando acontecer a ressurreição, assim também como no juízo, os corpos dos que morreram serão resgatados de onde estiverem, seja no mar ou no espaço ou na cinza, Ap. 20; 13. espero ter ajudado.

  8. gregorio disse:

    joão capítulo 1 verísiculos 1 e 14 . leia mais a bíblia amigo

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

As principais notícias gospel do Brasil e do mundo no portal pioneiro; Saiba tudo aqui sobre música gospel, evangélicos na política, ações missionárias e evangelísticas, projetos sociais, programas de TV, divulgação de eventos e muito mais.

No ar desde 2006, o canal de notícias gospel do portal Gospel+ é pioneiro no Brasil, sempre prezando pela qualidade da informação, com responsabilidade e respeito pelo leitor.

PROPAGANDA
PROPAGANDA
PROPAGANDA