Pastor John Piper diz que cristãos devem agir com justiça em relação ao conflito entre judeus e palestinos: “A Bíblia não nos ensina a sermos parciais”; Confira

15

Nos últimos dias, o conflito entre judeus e palestinos tem se intensificado na região de Gaza, e dezenas de mortes foram registradas em ambos os lados. Nesse contexto, o pastor John Piper publicou um artigo dizendo “como os cristãos evangélicos devem se posicionar em relação ao confito entre judeus e palestinos”.

Para Piper, a justiça pauta a fé cristã e a situação deve ser analisada de forma imparcial, mesmo sendo os judeus o povo escolhido por Deus no Velho Testamento.

“Há razões bíblicas para abordarmos ambos os lados com justiça pública compassiva, da mesma maneira como deveriam ser resolvidos os outros conflitos entre nações. Em outras palavras, a Bíblia não nos ensina a sermos parciais em relação a Israel ou aos palestinos porque qualquer deles tem um status divino especial. Não estou negando que Israel foi escolhido por Deus, dentre todos os povos do mundo, para ser o foco de bênção especial na história da redenção, que culminou em Jesus Cristo, o Messias”, escreveu o pastor.

Nesse contexto, John Piper afirmou que a disputa por terras entre os dois povos é uma situação delicada e que não há uma receita simples para se chegar a uma conclusão sobre a celeuma: “Nenhum desses fatos bíblicos nos leva a apoiar Israel atual como o possuidor legítimo de toda a terra disputada. Israel talvez tenha esse direito, mas talvez não o tenha”.


Para explicar sua postura, Piper afirma que “um povo que não cumpriu a aliança não tem um direito divino de possuir a terra santa”. O pastor diz ainda que “tanto o estado de bem-aventurança como o direito privilegiado de possuir a terra estão condicionados a Israel guardar a aliança que Deus fez com esse povo”, e cita a passagem de Êxodo 19.5 para conceituar seu raciocínio: “Deus havia dito a Israel: ‘Se diligentemente ouvirdes a minha voz e guardardes a minha aliança, então, sereis a minha propriedade peculiar dentre todos os povos’. Israel não tem qualquer garantia para experimentar no presente o privilégio divino, porque não está guardando a aliança com Deus”.

John Piper diz ainda no texto republicado pelo Púlpito Cristão que “Israel como um todo rejeita hoje o seu Messias, Jesus Cristo, o Filho de Deus” e “este é o ato crucial do rompimento da aliança com Deus”.

Na conclusão de seu artigo, John Piper sugere o cristianismo como a solução dos problemas na região: “O apelo cristão no Oriente Médio, tanto aos judeus como aos palestinos, é: ‘Crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e tua casa’ (Atos 16.31). E até aquele Grande Dia, quando judeus e palestinos seguidores do Rei Jesus herdarão a Terra (e não apenas a terra), sem levantarem espada ou metralhadoras, os direitos das nações devem ser decididos por princípios de justiça pública e compassiva, e não por reivindicações de status ou direito divino”.


15 COMENTÁRIOS

  1. Mais um doido, a herança de Israel e imutavel.
    Quando Deus chamou Abraão para que deixasse a parentela e fosse para uma determinada terra (Gênesis 12:1), este foi para Canaã. Ali, ele peregrinou e criou sua família. O Senhor prometeu que daria aos descendentes de Abraão “esta terra” (Gênesis 12:7), e repetiu a promessa para Abraão (Gênesis 13:14-15, 17; 17:8), Isaque (Gênesis 26:3-4) e Jacó (Gênesis 28:13). O Senhor explicou que o cumprimento ia demorar uns quatrocentos anos (Gênesis 15:13-16). De fato, 430 anos depois (Êxodo 12:40-41), o Senhor levantou Moisés que libertou o povo do Egito e o conduziu à terra prometida. Por causa da incredulidade do povo, a realização da promessa demorou mais uma geração (Números 13-14). Mas finalmente, Israel entrou e conquistou a terra (veja Josué).

    Israel tomou conta de toda a terra que Deus prometeu. “Assim o Senhor deu aos israelitas toda a terra que tinha prometido sob juramento aos seus antepassados, e eles tomaram posse dela e se estabeleceram ali … De todas as boas promessas do Senhor à nação de Israel, nenhuma delas falhou; todas se cumpriram” (Josué 21:43, 45). O próprio Josué afirmou num discurso aos líderes de Israel: “Vocês sabem, lá no fundo do coração e da alma, que nenhuma das boas promessas que o Senhor, o seu Deus, lhes fez deixou de cumprir-se. Todas se cumpriram; nenhuma delas falhou” (Josué 23:14b; veja também 1 Reis 4:21; Neemias 9:7-8).

    • e verdade o jose é verdade.
      veja só o que esse pr falou:
      Israel talvez tenha esse direito, mas talvez não o tenha”.

      COMO PODE UM PASTOR MENCIONAR DUVIDAS?
      ou eles tem o direito ou não tem, Uma coisa ou outra.
      JESUS disse sim sim não não…

      Independente da situação atual de israel DEUS PROMETEU AQUELA TERRA A ABRAÃO.
      Ele fez um juramento a abraão…
      E isso não pode ser revogado,
      O que se deve fazer é no minimo orar por israel, que é o povo de DEUS, antes mesmo da gente.

      MAS É IMPRESSIONANTE Notarmos O ódio que certos ditos pastores tem dos judeus. e israelenses ESSES PASTORECOS SE ACHAM MELHORES DO QUE ATÉ ABRAÃO.

      Israel e um povo escolhido,
      MAS ESSE PESSOAL NÃO TEM CONSCIÊNCIA DO QUE FALAM.
      Não é isso que a biblia fala pois o apostolo paulo disse que preferia ser anatema, ao ver seu povo destruido.
      Romanos 9:3
      Porque eu mesmo poderia desejar ser anátema de Cristo, por amor de meus irmãos, que são meus parentes segundo a carne;

      ERA ISSO QUE OS SE DIZEM CRISTÃO DEVERIA PENSAR.
      Como pode um pastor que se diz ter o ESPIRITO SANTO NÃO SABER SE O POVO ESCOLHIDO DE DEUS TEM OU NÃO DIREITO HA ALGO PROMETIDO PELO PRÓPRIO DEUS?

    • Optimo. Todo povo tem direito a uma nacao. A questao e simples. Querem que Israel desapareca-todos Judeus mortos. Isso chamais vai a conhecer. Cada pais tem o direito de defender o seu territorio. Se hoje o Brasil receber um missel dos paises que fazem fronteira Como o Brasil vai reagir? Tudo esta sobre o con trole de DEUS – FINAL DOS TEMPOS – Nossa missao e orar pela Paz de Israel o que esta escrito na Biblia. Rev. Jorge Rocha Norge Oslo

  2. As vezes acho que certos “Pastores” estão aqui somente para confundir o povo, pois está escrito que nos últimos dias Deus traria o povo Judeu de volta para Terra, e traria de todas as nações, a 100 anos atrás, ninguém acreditava em uma nação Judia vivendo novamente em Canaã, hoje dizem que os judeus que la vivem não tem nada a ver com os judeus do passado, vai sempre assim, sempre vai tem um apostata falando besteira. Colocar-se entre Israel e Deus, é colocar-se contra Deus, não é uma questão de justiça e sim da vontade soberana de Deus. O apostolo Paulo escreveu em Romanos Cap: 11, que a ruína do Judeu foi benção para os gentios, quanto mais a restauração desse povo, será vida dentre os mortos. O que ocorre é que há uma grande inveja, de muitos cristãos em relação o povo Judeu, pregam até uma tal teologia da substituição, de que a Igreja cristã ocupou o lugar de Israel como povo. Resumindo, o Eterno levou israel de volta para a terra. A terra é dele e ele dá a quem quer, se não acha justo argumente com Deus.

  3. Nossa, vcs sao mto sabios. E verdade, pq as pessoas tem tanta raiva de israel e dos judeus. A Universal honra mto Israel, e Deus prometeu abençoar os que abençoassem Israel, e a Universal tem prosperado mto. Jesus aboliu as maldiçoes da Lei segundo alguns, mas sera que na Cruz ele aboliu todas as bençaos e promessas de Deus tb?

    • Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas: não vim abrogar, mas cumprir.
      Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til jamais passará da lei, sem que tudo seja cumprido.
      Qualquer, pois, que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar aos homens, será chamado o menor no reino dos céus; aquele, porém, que os cumprir e ensinar será chamado grande no reino dos céus.
      Porque vos digo que, se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis no reino dos céus.

      Mateus 5:17-20

    • MULATA QUE SAUDADES!
      É a mais pura verdade, inclusive temos ordem de orar pela paz em Israel, e veja bem o egito tentou intermediar a paz , israel aceitou , mas a palestina não, imagine eles querem é invadir Israel.

  4. Jose vc é um fofo. Mas n responderam minha pergunta. Pq esses cristãos nova era odeiam tanto Israel e os judeus? Clamando eu sei que saberia responder isso.

    • Porque trabalham para o anti-Cristo e não querem que Israel permaneça, satanás já tentou com o egito depois com roma e depois com hitler e depois com os cristãos nova era. querem acabar com tudo que diga deus.

  5. Últimas notícias direto de ISRAEL
    Jerusalém, 09 de julho de 2014
    Gostaria de agradecer a todos pelas orações a nosso favor aqui em Israel. Como tenho postado em minha página no facebook (www.facebook.com/mzandonna), a mídia ocidental insiste em mostrar tendenciosamente os fatos ocorridos por aqui, incitando as pessoas ao impreciso juízo em relação a Israel e também aos palestinos. Portanto, estando aqui e acompanhando de perto os últimos acontecimentos, achei por bem escrever um breve relato para trazer luz e esclarecimento a pessoas que desejam entender e também interceder pela Paz de Israel.

    Ao soar da sirene de alerta, moradores de Tel-Aviv procuram abrigo – terça, dia 08/07.
    O Hamás (organização terrorista que controla a faixa de gaza) tem lançado diariamente dezenas de foguetes contra civis ao sul de Israel. Tal situação persiste há ANOS, mesmo após Israel ter abandonado completamente a região em 2005. Porém, nos últimos dias, tais lançamentos foram intensificados, o que fez com que Israel desse um ultimato para o cessar fogo (60 foguetes lançados entre 05 e 06 de julho/2014). Em resposta, o Hamás efetuou nesta segunda feira, dia 07/07, mais de 60 lançamentos contra várias cidades de Israel, incluindo Tel-Aviv e até mesmo Jerusalém. Graças ao Eterno, o sistema anti-foguetes de Israel (chamado de Kipat Barzel – Kipá de Ferro) interceptou quase todos esses foguetes contra Tel-Aviv, Jerusalém e outras cidades antes de atingirem o solo. Porém, tal sistema não é suficientemente eficaz para deter todos os ataques que o Hamás tem feito nas comunidades de judeus próximas às fronteiras.

    Sistema “Kipát Barzel” intercepta um foguete lançado pelo Hamás nos céus de Tel-Aviv – noite do dia 08/07/14
    Como resultado, o exército de Israel iniciou uma grande ofensiva contra os terroristas em Gaza, o que inclui o bombardeio de túneis, armazéns de armas, casas usadas como centro de planejamento de ataques e outros. Nunca civis são alvos, mas é claro que pessoas inocentes sofrem de ambos os lados. A operação tem o nome de “Tsuk Eitan” (lit. “penhasco sólido) ou como tem sido traduzido na mídia internacional “Protective Edge” (Borda de Proteção). Quarenta mil reservistas foram convocados, enquanto CENTENAS de foguetes continuam a ser lançados arbitrariamente sobre várias cidades israelenses. Lembrando que todo ataque que a força aérea israelense tem feito é direcionado às instalações relacionadas com ações terroristas, e que ANTES de cada ataque panfletos e alertas sonoros são feitos para que a população civil evacue o local. É claro que isso reduz em muito a eficácia de tais ataques, uma vez que os terroristas também são alertados e evacuam a área, mas essa tem sido a política para preservar ao máximo a vida de palestinos inocentes que sofrem nas mãos de uma ideologia que não dá o menor valor à vida. Tenho certeza que NENHUM noticiário no ocidente tem interesse em reportar esse tipo de informação, pois a guerra que vende, a guerra “politicamente correta”, é aquela onde o “poderoso” Israel massacra os pobres e pacíficos integrantes do Hamás.
    No último dia 08/07, também foram interceptados 05 soldados palestinos fortemente armados que tentavam entrar em território Israelense pelo mar ao sul de Israel para promoverem mais ataques a civis inocentes. Nos noticiários, vemos sempre as mesmas palavras: “Mediná Táchat Êsh” (um país sob fogo). Nenhuma nação do planeta toleraria esses atos de terrorismo, e Israel tem o direito de defender seus cidadãos e combater o terrorismo. Apesar da ofensiva israelense e dos pedidos de cessar fogo por parte de Israel, o Hamás não tem dado sinais que pretende parar com o lançamento de foguetes.

    Casa em Gaza usada por terroristas do Hamás e destruída pela força aérea de Israel.
    O mais surpreendente é que com todas as centenas de mísseis lançados pelo Hamás desde o último domingo dia 06/07, apenas alguns israelenses foram feridos, mas sem nenhuma fatalidade. O Rei David declara: “Eis que não dormita nem dorme o guarda de Israel” (Sl 121:4). Um estado de guerra é catastrófico para ambos os lados, mas enquanto organizações terroristas como o Hamás (palavra que significa “violência”, em hebraico) controlarem a região de Gaza e seus habitantes, a paz se torna algo bem distante. Lembrando que o Hamás defende abertamente a ANIQUILAÇÃO do estado judaico de Israel, se opondo a QUALQUER proposta de paz. Ainda assim, a população em Israel se recusa a ser feita refém do terror, e a vida continua normalmente. As pessoas estão nas ruas, vão ao trabalho, fazem compras, sempre alertas às sirenes de aviso para que procurem abrigo. O terror é acima de tudo uma ideologia, a qual Israel combate com fé e determinação. Não vamos nos render ao medo, pois é exatamente isso que nossos inimigos desejam que façamos.

    Míssil do sistema Kipát Barzel (Domo de Ferro) é lançado para interceptar foguete lançado pelo Hamás contra a cidade de Ashdod.
    Portanto, precisamos mais do que nunca das orações e da intercessão dos justos a favor não apenas de Israel e seus habitantes, mas também a favor dos palestinos inocentes que sofrem nas mãos de organizações terroristas alimentadas pela intolerância do fundamentalismo religioso. Orem para que o Eterno de Israel dê sabedoria a nossos líderes, vitória sobre os inimigos e a salvação de Israel para todas as nações. Que o poderoso de Israel, através do Seu Ungido e Príncipe da Paz Yeshua, continue derramando Sua graça sobre todos nós.
    No Shalom do Eterno,
    Matheus Zandona
    Jerusalém – ISRAEL

DEIXE UMA RESPOSTA