Paulo Maluf afirma ter certeza de que “quando for prestar contas, Deus vai ficar contente”

27

O polêmico político paulista Paulo Maluf gravou uma entrevista para o programa Amauri Jr Show, da Rede TV!, onde conversou sobre diversos assuntos com o apresentador enquanto jogavam um jogo de baralho.

Entre uma fala e outra, o ex prefeito de São Paulo se disse cristão e confortável com sua situação com Deus, embora esteja na lista de procurados pela Interpol. “Para os críticos, eu faço um desabafo: Tenho orgulho de ter feito o que fiz, sou cristão, católico e tenho certeza que quando for prestar contas, Deus vai ficar contente”, diz ele para Amauri Jr durante a entrevista.

Católico, o deputado federal também entrega nas mãos de Deus sua reeleição em 2014. “Pretendo me candidatar, se Deus quiser, no ano que vem”, afirma ele que recebeu quase 500 mil votos nas eleições de 2010.

Na entrevista Paulo Maluf também falou sobre sua saúde e temas atuais como a invasão do Instituto Royal por ativistas e a última invasão da reitoria da USP.


amauri-jr-paulo-maluf

Por Renato Cavallera, para o Gospel+


27 COMENTÁRIOS

  1. Se ele vai concorrer nas próximas eleições, vai ter vários lideres evangélicos que vão tentar fazer acordo com ele para que a membresia vote no mesmo. Época de eleição no arraial evangélico é assim mesmo… cansei de ver isso… pastor levando candidato pra cima no altar e sugestionando que a igreja vote no mesmo.

    Eu trabalhei com um pastor que me confidenciou que na época de eleição, no segundo turno, os lideres da igreja iriam participar de 2 jantares, um com cada candidato para ouvir a melhor proposta…

    E a membresia nada sabe desses acordos de bastidores, e o pastor diz que votar no fulano é fazer a vontade de Deus… mas é claro que no jantar com o candidato, os lideres já ganharam os favores que queriam…

    Graças a Deus eu saí fora da religião evangélica! só querem sua oferta, dízimo e seu voto nas eleições!

      • pitágoras

        Por essa e outras palhaçadas é que eu deixei a religião evangélica. Lá o membro é só massa de manobra. Não suportava ver o pastor falando uma coisa na igreja, e quando eu chegava em casa e ler a bíblia, ver que era outra. A verdade é que os evangélicos no brasil sustentam uma religião sem saber… e ainda dizem que é a vontade de Deus…

        ora, a bíblia não ensina a maioria das coisas que vemos na religião evangélica… aonde tem na bíblia que dízimo é dinheiro? aonde que tem na bíblia que mulher pode ser pastora? aonde que tem na bíblia ministério de louvor? aonde que tem na bíblia que igreja é um templo físico?

        evangélicos gostam de apontar o dedo para os católicos e chama-los de religiosos e idólatras… ora… os evangélicos também idolatram… a diferença é que os católicos idolatram os mortos e os evangélicos idolatram os vivos!

        que o digam os cantores gospel e os lideres defendidos ferozmente por esses incautos.

        ” ai daquele que tocar no ungido do Senhor” dizem eles, sem saber que se trata apenas de mais um texto solto, totalmente fora do contexto para blindar os lideres que na vdd só querem é viver de tosquiar a lã das ovelhas.

        E esse monte de dinheiro que corre nas denominações evangélicas livre de impostos? pq o governo não fiscaliza e verifica se o mesmo tem sido utilizado na obra de Deus? Pois se assim o governo fizer, e fiscalizar pra onde vai o dinheiro de ofertas, vamos ver muitos “pastores” querendo deixar de fazer a “obra de Deus”

        Jesus pagou o preço por nós e ainda tem gente vivendo como escravo desses lideres gananciosos, sem amor pelo próximo… e os membros ainda acham que estão servindo a Deus! Jesus… como os evangéiicos estão enganados, Senhor!

        “Por preço fostes comprados; não vos torneis escravos de homens.” (I Coríntios 7:23)

  2. Bom Deus estabeleceu regras a serem seguidas, mas sem distinção de raças cor altura baixeza ricos ou pobres, não interessa o Ceu esta aberto para qualquer ser humano, o Senhor Paulo Malufe, também se ele seguir as ordenanças enquanto esta em pe ou seja vivo para ele também o ceu esta aberto, mas mas isto depende única e exclusiva vontade dele, o que e da parte de Deus já foi feito, agora somente depende da única e exclusiva e soberana vontade do ser humano inclusive o Paulo Malufe, assim também para os Ateus Agnósticos Espiritas Budistas catolicistas Islamistas pafuncionistas macunbolistas, seixo- noenistas, rozacrusistas, confucionistas, mormonistas, maçonoristas, adventistas, perfectlebertinistas, meninosdedeusistas, unificaçaonsistas, harikrishnansistas, e mais uma infinidade de istas que existe no mudo, somente depende deles, porque o verdadeiro Evangelho do Senhor Jesus acolhe a todos aqueles que por ele procura A Verdade das Verdades, SO JESUS SO JESUS SO JESUS, e o resto e resto de resto de resto e de resto,

  3. leandro,
    Não cheguei a ler as colunas que indicasse, mas eu sei que tanto no meio protestante quanto católico há autoridades querendo se beneficiar de alguma forma, esse tipo de coisa querendo ou não afasta pessoas.

    Mas de igual modo há pessoas que se revoltam com pastores ou padres por não concordarem com partes da bíblia que são pregadas por eles. Se fores ver, muitas das denominações “inclusivas” surgiram assim.

    Mas não dá pra generalizar, claro que há sim joio no meio do trigo, mas há muitos pastores e padres honestos também. Da mesma forma que é possível haver divergências ou interesses congregando numa denominação pode haver congregando em casa.

    Por isso volto a dizer, não creio que Deus designou pastores e mestres em vão.

    • Jeann

      os cristãos só devem congregar em denominações, em templos físicos? é impossível cristãos se congregarem em casa de um deles? pastores e mestres estão restritos aos templos denominacionais? Não existem pastores e mestres nessas congregações que se reunem de forma simples numa casa? Afinal, o que é igreja?

      Aonde está a casa de Deus afinal?

      • stardust,
        Em nenhum momento eu disse que TEM que ser em templos físicos.
        É claro que pastor pode pregar em qualquer lugar. O que é mais fácil, o pastor ir hoje na tua casa pra pregar pra 5-10 pessoas, amanhã ir em outra casa pregar pra mais 5-10 pessoas ou ir num lugar maior e mais apropriado, pregar pra todas elas ao mesmo tempo ? Não sobra assim mais tempo pra outras coisas, como evangelismo, aconselhamentos, etc ? É questão de lógica apenas…

        Mas é claro que sendo em casa ou não isso não descarta o ministério pastoral e mestres também. Não é pelo fato de se reunir num grupinho em casa que vc se torna pastor ou mestre, isso é um dom de Deus. Deus deu uns para pastores, outros mestres, e assim por diante, cada parte do corpo tem sua função.

        Ovelha sem pastor também é facilmente tosquiada e muito mais suscetível ao lobo (se é que me entende).

        • Jeann

          fiz essas perguntas porque achei suas primeiras opiniões muito dubias, então para ter certeza, fiz essas perguntas para ver se vc estava de forma velada defendendo somente o congregar em templos físicos denominacionais.

          É obvio que as ovelhas precisam de alguém para guiá-las, existe o ministério pastoral ( PARA HOMENS ), exatamente para isso.

          Agora, vc tem de entender que algumas pessoas se sentem melhor congregando em casa de alguém conhecido, mais próximo de sua própria casa e tendo também mais relacionamento cristão. Não se pode desprezar isso. Não é errado congregar num templo físico, para 100, 200 pessoas, mas tem gente que não gosta assim. prefere algo mais familiar.

          É que seu comentário parecia desprezar quem congrega em casas… só isso…

          • Concordo que há a possibilidade de congregar em casa ou em qualquer outro lugar como nesse caso. Mas o que quero dizer é que mesmo em casa acho que DEVE ter um pastor pra guiar as ovelhas.

            Sou contra sim de “congregar” sem pastor, sendo em casa ou qualquer outro lugar, só lendo a bíblia em casa por exemplo.

          • Jeann

            Agora sim vc foi específico. É exatamente isso. não importa se é num templo físico, numa simples casa, ou num estádio, deve-se ter sim, um pastor para realizar o culto.

            Mas é claro que o pastor serve para trazer as orientações de Deus, aconselhar, guiar as ovelhas. Se pastor fosse algo não necessário, não haveria o ministério pastoral, claramente descrito no novo testamento. Eu não vejo base bíblica para a congregação se reunir, para cultuar a Deus, sem um pastor para conduzir o culto.

            O problema é que a maioria dos pastores querem é tosquiar as ovelhas sem dó! mateus 7:22-23 diz o fim deles…

          • Stardust,
            é que sua afirmação lá embaixo pra mim deu a entender que não é necessário pastor:
            “A igreja primitiva também congregava em casa. É só ler a biblia”

            Congregado em casa ou numa denominação sempre há aqueles com interesses, isso é normal, o importante é ler a bíblia e olhar se de fato há respaldo no que é dito.

            Sempre há joio no meio do trigo, isso é fato, mas também há bastante “trigo” nesse meio.
            Cada um será condenado conforme a sua própria iniquidade.

          • Jeann

            eu disse que a igreja primitiva congregava em casa porque isso é biblico. eu não disse que era sem pastor. Vc entendeu mal, eu nunca disse que pastor não era necessário. É que os evangelicos tem essa visão míope de que a igreja só pode se reunir no templo físico denominacional.

            Esse mito está aos poucos caindo por terra, tal qual a teologia da prosperidade, a falsa doutrina de dízimos obrigatórios para cristãos, e bençãos em troca de ofertas em dinheiro.

      • STARDUST, estive lendo uma discussão esses dias, e lendo a questão aqui nos comentários, sobre a necessidade de uma “Casa de Deus”, gostaria de te fazer uma pergunta, se você tiver tempo para responder claro. Embora eu tenha o meu ponto de vista, gostaria muito de saber o seu, visto que você sempre reflete com base na Bíblia.

        Na discussão, um dos lados afirmava que sem uma liderança, os homens não conseguiriam servir a Deus de forma organizada, estariam perdidos, logo, muitas vezes a liderança tem que tomar atitudes “não ortodoxas” por um bem maior. O outro lado dizia que não, que os fins não justificam os meios, e que se não houvesse uma liderança, ou meios de segurar os crentes na congregação, os verdadeiros filhos de Deus ainda não ficariam perdidos, pois esses servem a Deus independente das circunstâncias, como Jó, e que “os outros”, que só servem a Deus devido às circunstâncias (liderança, horários, compromissos, renovações etc.), só estavam dentro da congregação fisicamente, mas que seus corações sempre estiveram longe dali.

        Então, veja o seguinte:

        Tem pessoas que só não bebem se o pastor e as outras ovelhas estiverem vigiando. Quando viaja para outra cidade, longe dos olhos destes, bebe um vinhozinho. Tem pessoas que só não adulteram no quintal de casa, porque o pastor está olhando. Tem jovens que só estão servindo a Cristo porque a igreja promove eventos que os mantém ali, para “segurar” a garotada. Tem crente que só faz uma oração fervorosa se tiver alguém vendo. Tem crente que só tira um dia para congregar, se tiver uma igreja, um local para ir, ser vista como crente, onde ela tenha que cumprir horário, marcar presença, bater o ponto. Tem crente que só vai na igreja porque se não for, o pastor e os irmãos vão cobrar sua presença. Tem crente que só não voltou para o mundo, porque os irmãos estão em cima dele, aconselhando, levando ele para os cultos, vigiando. Tem crentes que não conseguem louvar a Deus se não tiver uma música, algo que toque os seus corações e os faça chorar.

        Minhas perguntas são as seguintes.

        1 – O que seria desses crentes, que dependem de outros, se não houvessem as igrejas (instituições, denominações organizadas, com horários, programação, dízimos, ministérios de louvor etc.)?

        2 – Embora existam crentes que tenham fé, amor e convicção suficientes para servir a Deus independente das circunstâncias, as denominações não seriam necessárias para ajudar os outros, que não tem tanta convicção assim, a se manterem firmes?

        Que Deus te abençoe.

        • bereano radical

          sua pergunta é complexa, mas vou tentar dar a resposta mais simples possivel.

          Veja um exemplo bíblico… a lei de moisés… os israelitas deveriam segui-la ( malaquias 4:4)… mas Jesus veio cumprir a lei ( mateus 5:17), e a aboliu no Seu sacrifício perfeito na cruz ( colossenses 2:14).

          É comum se perguntar do pq da lei de moisés, com suas 613 ordenanças existir por um certo periodo de tempo, mas a bíblia dá a resposta:

          “De maneira que a lei nos serviu de aio (condutor) para nos conduzir a Cristo, a fim de que fôssemos justificados por fé’ (Gálatas 3:24)

          Resumindo: a lei de moisés era condutora a Jesus… nós já temos Jesus, então a lei ( e suas mais de 600 ordenanças ) não são mais necessárias!

          Agora voltando a sua pergunta, se eu preciso estar ligado a um sistema religioso que só tem ordenanças, ( tais quais como dízimos, guarda do sábado, modo de vestir, altura do cabelo ) então de que me serve Jesus?

          eu pessoalmente, vejo as denominações não como vontade de Deus, e sim uma permissão Dele… como é impossível congregarmos num mesmo entendimento das coisas, Deus até permite que existam denominações… mas dizer que é assim que Deus deseja não posso dizer…

          Denominação é como divórcio… Deus não quer que o casal se separe, mas no caso de uma traição, pela dificuldade da situação, Ele permite. Assim tb, é a denominação… Deus entende nossas diferenças doutrinárias, mas denominação originalmente não é a vontade de Deus não!

          “Rogo-vos, irmãos, pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que faleis todos a mesma coisa e que não haja entre vós divisões; antes, sejais inteiramente unidos, na mesma disposição mental e no mesmo parecer.” (I Coríntios 1:10)

          Muita gente, obviamente se apega as denominações, pela sua fraqueza, mas quando leem a bíblia, percebem que isso vai ficar quando Jesus voltar. E muitos deixam o sistema denominacional quando percebem que muito do que se fala lá é contra a palavra de Deus.

          Eu não sou adepto do denominacionalismo, mas compreendo que Deus pode perfeitamente ter os seus escolhidos lá dentro… ora, se a pessoa ama a Deus, crê no sacrifício de Jesus, se batizou, procura levar uma vida honesta, ajuda ao necessitado, não tem como ela não ser salva apenas pq ela está dentro do sistema denominacional de uma organização evangélica.

          Sei que o que vou falar vai contra muitos evangélicos acreditam, mas muitos católicos também serão salvos. tem muito católico dando verdadeira aula de como ser cristão pra muito evangélico por aí.

          quando Jesus vier buscar a Sua igreja, não serão os edificios denominacionais que vão subir… serão os que creem Nele… As pessoas é que são a igreja, e não os templos.

          agora sobre esses evangélicos que fazem coisas qdo não estão sendo observados pelos seus amigos da denominação, é um exemplo classico de pessoa religiosa.

          Eu só não bebo pq eu sou abstêmio. Sei que beber não é pecado, o pecado é se embriagar, tal qual comer não é pecado e sim se empanturrar de alimentos o chamado pecado da glutonaria. Os religiosos não bebem pq a religião não permite, os cristãos sabem o que podem e o que não podem fazer. E se estão fazendo algo errado, o Espírito santo avisa.

          espero ter sido elucidativo.

        • Bereano Radical, vou dar meu pitaco também, rsrsrs

          Paulo nos ensina bastante a esse respeito, que devemos confortar uns aos outros, ensinar e nos fortalecer entre si. Mas note que isso não é apenas para liderança, é pra nós entre irmãos também.

          “A Palavra de Cristo habite em vós abundantemente, em toda a sabedoria, ensinando-vos e admoestando-vos uns aos outros, com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando ao Senhor com graça em vosso coração.” Cl 3:16

          “Exortamos vocês, irmãos, a que advirtam os ociosos, confortem os desanimados, auxiliem os fracos, sejam pacientes para com todos” 1 Tessalonissenses 5:14

          Mas de nada adianta a pessoa querer fazer a obra sem que o coração dela esteja voltado para Deus. Salmos 127:1 nos mostra que se Deus não é o centro em vão trabalham. De fato devemos sim incentivar e intruir com mansidão “E ao servo do Senhor não convém contender, mas sim, ser manso para com todos, apto para ensinar, sofredor;
          Instruindo com mansidão os que resistem, a ver se porventura Deus lhes dará arrependimento para conhecerem a verdade, E tornarem a despertar, desprendendo-se dos laços do diabo, em que à vontade dele estão presos.” 2 Tm 2:24-26. Resumindo, devemos incentivar e instruir pra que a vontade da pessoa mude, que se volte para Deus de coração, e isso de fato muitas denominações contribuem também.

          A respeito da questão que o Stardust levantou sobre os costumes das denominações de guardar o sábado ou usar roupas um pouco mais cumpridas e tal, não vejo isso como fator pra separar o corpo de Cristo, tenho vários amigos que fazem parte dessas denominações e sei que o Cristo é o mesmo e podem ir para o céu igual, pra mim são só costumes que eles preferem manter. Mas o Cristo é o mesmo e portanto o corpo o mesmo. Como Colossenses 2:16 nos diz, que ninguém vos julgue pelo comer, beber ou por causa do sábado.

          A questão de fé, amor e convicção vc adquiri com uma “convivência” com Cristo, seja em oração, jejum, louvor ou adoração, leitura da bíblia. Ele se revela a nós quando buscamos a Ele de todo coração (Jr 29:13), ou seja, não adianta só frequentar uma igreja, cada um tem que buscar individualmente a Deus. Nós só estamos realmente firmes se firmados na Rocha.

        • Agradeço aos dois pelas respostas. Apesar de vocês estarem sempre discutindo essa questão de denominação, suas respostas se complementaram, e lançaram luz para minha dúvida.

          Obrigado, e que Deus abençoe a todos.

DEIXE UMA RESPOSTA