Professora aterroriza crianças com o “jogo dos espíritos” e é afastada da escola

Para contar histórias de terror a crianças com menos de 5 anos, professora usa o tabuleiro de Quija, ou "jogo dos espíritos" durante aula e é afastada da escola. Ela disse que tudo não passou de uma brincadeira

0

O caso aconteceu na escola de ensino fundamental Zablocki, em Milwaukee, em uma aula para crianças com menos de 5 anos de idade, quando uma professora não identificada resolveu usar o jogo Quija, também conhecido como “jogo dos espíritos”, para falar sobre histórias de terror aos seus alunos.

O jogo Quija ficou popular em 2014, com o lançamento do filme de mesmo nome. Na época, alguns pais e escolas, inclusive no Brasil, relataram casos de pânico e histeria coletiva de crianças e adolescentes após utilizarem o jogo dos espíritos, que consiste basicamente de um tabuleiro, onde se consulta entidades espirituais através de perguntas, que são supostamente respondidas movendo as peças do jogo.

A professora alegou que tudo não passou de uma brincadeira e que o jogo Quija estava guardado na sala de aula desde o Halloween. Segundo ela, as crianças pediram que contasse histórias de personagens assustadores:

“As crianças vieram me pedir uma história assustadora e eu tinha o jogo e movi as peças para responder algumas das suas perguntas. Eles perguntaram sobre personagens assustadores em filmes”, disse a professora por e-mail tentando se explicar para o pai de um dos alunos, alegando que “foi tudo uma brincadeira.”, segundo matéria publicada no Christian News


Uma mãe relatou que seu filho passou a ter pesadelos e a chorar após a exposição ao jogo dos espíritos, dizendo estar satisfeita com a decisão da escola de investigar o caso “Agora ele está com medo de ir para a cama à noite, para ficar no escuro, sozinho. “Estou feliz que ela está sendo investigada. Talvez ela pense duas vezes antes de fazer algo no futuro”, disse ela aos repórteres da emissora WISN-TV.

A professora disse que compreende a preocupação dos pais, mas que já tratou de levar o jogo para sua casa e que esse tipo de “brincadeira” nunca mais irá se repetir; “Vou levar o tabuleiro de casa e isso não vai acontecer novamente”, escreveu ela.

Darren Gallagher, porta-voz a organização evangelística internacional Ellel Ministries, afirmou durante uma entrevista em 2014 que o “jogo dos espíritos”, ou Quija, revela muito mais do que a simples intenção de brincar. Para ele, se trata do desejo humano de entrar em contato com o mundo espiritual maligno, o que é muito perigoso:

“O fato é que a intenção das pessoas de entrar em contato com o reino espiritual fora dos parâmetros que Deus estabeleceu pode levá-las a se conectarem com o reino espiritual maligno. Portanto, coisas como tabuleiros de Ouija não são apenas diversão inofensiva, mas podem ser espiritualmente perigosos para aqueles que os usam”, disse ele.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA