PSB escolhe vice de Marina: polêmico, católico Beto Albuquerque é favorável ao casamento gay e aborto

35

Com a oficialização da candidatura de Marina Silva à presidência da República, parte dos holofotes agora recai sobre o escolhido para vice na chapa, o deputado federal Beto Albuquerque (PSB).

O parlamentar do Rio Grande do Sul é conhecido por sua estreita relação com os empresários do agronegócio, uma das áreas que Marina Silva mais criticou na eleição de 2010. O desafio de ambos agora é conciliar a agenda de sustentabilidade defendida pela ex-senadora, com a proposta desenvolvimentista que Beto Albuquerque defende.

Outra peculiaridade sobre Beto Albuquerque é que o deputado é favorável ao direito dos casais homossexuais oficializarem sua união, e apesar de ser católico, também é favorável ao aborto nos termos legais, prática que Marina já se manifestou contrária publicamente.

Antes da confirmação de Beto Albuquerque, a viúva de Eduardo Campos, Renata, foi convidada para o cargo, mas negou alegando precisar cuidar dos cinco filhos. A escolha de Albuquerque foi feita pela direção do PSB e aprovada por Renata Campos.


O partido divulgou uma nota dizendo que Renata “entende que a melhor opção partidária na triste circunstância imposta pela tragédia, é para o PSB e para a coligação ‘Unidos pelo Brasil’ convidar os companheiros Marina Silva e Beto Albuquerque para liderar a nossa chapa presidencial”.

O texto continua, afirmando que a viúva, “ainda comovida pelos apelos recebidos do partido e da população, comunica que declina do convite para integrar a chapa ocupando a vice”.

“Ele tem história dentro do partido e tem o respeito de Marina, por isso, foi escolhido. Agora, somos Marina e Beto”, disse Maurício Rands, ex-coordenador da campanha de Eduardo Campos, de acordo com informações do jornal O Dia.

Agora, com a definição do vice, Marina deverá voltar à campanha nas ruas, numa tentativa de confirmar o crescimento nas pesquisas e de encontrar um ponto de equilíbrio entre suas ideias e as propostas defendidas pelo candidato a vice, Beto Albuquerque.

35 COMENTÁRIOS

  1. A matéria é oportuna serve de alerta aos cristão evangélicos e católicos verdadeiramente sérios e cientes das bases que regem o cristianismo.

    Não podia ser diferente, pra começar um cristão católico jamais iria se filiar a um partido socialista.

    “Socialismo religioso, socialismo católico são termos contraditórios:

    ninguém pode ser ao mesmo tempo bom católico e verdadeiro socialista.”

    (Papa Pio XI, Encíclica Quadragesimo Anno)

    Detalhe, Encíclica continua de pé e é regra pata o católico.

    Acontece que ser de esquerda não é meramente preocupar-se com os pobres e com os problemas sociais, e é absolutamente fundamental que essa distinção fique bem clara, pois é com esse discurso, de que ser de esquerda é ficar do lado dos pobres, que os arautos do esquerdismo têm levado muitas pessoas, principalmente os jovens (naturalmente idealistas), para as fileiras socialistas e onde é multiplicado aos mesmos as políticas lgbt´s, o aborto, a legalização das drogas e da prostituição.

    • Que bom que voce e com certeza muitos sabem disso, portanto de católico ele nao tem nada.
      Realmente a cada eleiçao fica mais difícil escolher um menos pior. Deus nos oriente e os converta.

      • kkkkkkkkk Isso era no tempo em que o mar Morto ainda estava doente e a unção dos reis acontecia diretamente por deus (pelo menos era o que os patriarcas judeus diziam). Afinal, vocês são cristãos ou judeus?

        .

          • kkkkkkkk Sandro, mais perdidos do que cachorro em mudança. Eu me divirto com a imbecilidade desse povo que posa de detentor de uma verdade absoluta sem nenhum fundamento. Ainda bem que de vez em quando pessoas inteligentes como você visitam sites cristãos. Se não fosse isso, seria um circo de horrores promovido por esses fanáticos doentes e esquizofrênicos.
            .

            .

  2. Pelo jeito muitos aqui não entendem pipocas de política. Primeiro o vice não faz nada e pouco opina. Segundo, para aprovar uma lei não depende do governo e muito menos do vice. Depende da Câmara dos Deputados e do Senado. A maioria vence e qualquer um pode criar o projeto. Tantas coisas importantes para primeiro plano em nosso país para resolvermos, e os inocentes preocupados com coisas para terceiro plano ou quinto, ainda são coisas que já ocorre no país. Por essas e outras que o nosso Brasil não consegue decolar. Vamos viver por muito tempo no submundo. Precisamos resolvermos os problemas terráqueos e deixamos os espirituais para Deus, que é muito mais capacitado que nós.

  3. Se for analisar como muitos aqui, teremos que deixar o Brasil sem governo, pois nenhum vai servir. Vamos usar e botar o cérebro para funcionar gente. Tudo tem limite, inclusive a pouca inteligência.

  4. O fato dele se dizer católico não significa que ele realmente é. Eu posso dizer que sou católica e continuar tendo minhas atitudes de protestante, isso me faz católica? Pois é, não! Ele agindo de forma contraria o que a igreja católica prega, o torna não católico, apenas alguém que usa do título, mas na prática não é. Afinal ou vc obedece as leis de Deus ou vc não pratica o que Deus ordena, não tem isso de fazer só “algumas coisas”, “obedecer o que me convém”, quem fica em cima do muro na luz não anda, pois a luz não é meia luz, é luz por completo.

  5. A maioria dos países onde os homoafetivos obtiveram – e estão obtendo – avanços no reconhecimento de seus direitos civis, foram justamente países protestantes.

    Se a igreja protestante brasileira houvesse entendido a diferença entre direitos civis e dogmatismo religioso – sim, porque os direitos civis que os gays pedem para si não obstaculizam em nada a liberdade de culto e expressão dogmática – hoje não teríamos essa verdadeira luta carnal que os evangélicos vergonhosamente travam contra os homoafetivos, expondo essas pessoas, através de teorias da conspiração, como inimigos de Deus, da família e da nação. Com tal atitude, os modernos fariseus elegem um inimigo comum (Hitler fez isso com os judeus) e fazem, de um segmento de almas preciosas pelas quais Cristo morreu, um alvo em potencial da sanha covarde e violenta de homofóbicos assassinos.

    Enquanto vocês, evangélicos que negam direitos civis à minoria homossexual, continuarem com sua guerra carnal contra pessoas gays, vocês não serão um cheiro de vida para vida, mas de morte para morte e ainda colherão, mais cedo ou mais tarde, o resultado das sementes do mal testemunho que vocês lançam sobre o cristianismo.

        • Bem lembrando, José Cláudio.

          Interessante que, em relação à posição da mulher na igreja, os evangélicos avançaram dando nova interpretação aos textos de Paulo.

          Falta deixarem o preconceito de lado e entenderam que o mesmo princípio de interpretação (que emancipou a mulher na igreja) serve também para os cristãos homoafetivos.

          Os anglicanos e os presbiterianos dos EUA já deram esse passo.

      • Como você sabe, Ana, a Bíblia é um livro passível de interpretação.

        Em relação à homoafetividade, você a interpreta contra os homoafetivos.

        Entretanto….

        A interpretação de que a a Bíblia condena a homoafetividade esta superada.

        Pesquise o tema “teologia inclusiva” e vai entender o que estou dizendo.

    • Ana, cuidado com as más dicas !

      O homossexualismo pertence à primeira classe dos pecados de luxúria. Ele não se contenta em usar da natureza contra a reta razão: viola a própria natureza. Entre os vícios contra a natureza, ele ocupa o segundo lugar, perdendo apenas para a bestialidade. Talvez seja por sua especial gravidade que esse pecado tenha sido escolhido como motivo de “orgulho”, com marchas, campanhas e ameaça de perseguição aos discordantes (“homofóbicos”). Quem exalta o homossexualismo deve fazê-lo com a intenção de afrontar a Deus ao máximo.

      Tomás de Aquino: não de sua autoridade, mas de sua argumentação, que é puramente racional e não cita um versículo sequer de Bíblia quando trata desse assunto.

      Tínhamos um sábio professor, Tomás de Aquino, que dizia:

      “Se o vício contra a natureza é o pecado maior nas espécies de luxúria” (II-II, q. 154, a. 12).

      Começando por enumerar as possíveis objeções à sua tese – como costuma fazer – o Aquinate depois vai ao “corpo” do artigo e explica que “a pior corrupção é a do princípio”. Um pecado que corrompe a natureza do ato conjugal – como o a bestialidade (conjunção carnal com animais), o homossexualismo (conjunção carnal entre pessoas do mesmo sexo), as práticas aberrantes no acasalamento (entre pessoas de sexo diverso) e a masturbação (excitação sexual solitária) – é mais grave do que um pecado que “apenas contraria o que está determinado pela reta razão, resguardando-se os princípios naturais” – como o adultério (ato sexual entre uma pessoa casada e outra que não o próprio cônjuge) e a fornicação (ato sexual entre um homem e uma mulher solteiros).

      Se perguntarmos: “o que é o ato sexual?”, a resposta deverá incluir três notas: a dualidade, acomplementaridade e a fecundidade. Não pode haver um ato sexual solitário (masturbação), pois isso fere a dualidade. Não basta que haja duas pessoas, é preciso que elas sejam complementares (fisiológica e psicologicamente): um homem e uma mulher. É preciso ainda que tal ato seja realizado de modo a abrir-se à procriação: ele é naturalmente fecundo. Nada disso existe nos atos de homossexualismo.

      +++

      Os que não entendem que o homossexualismo seja antinatural, talvez usem “natural” no sentido de “habitual”. O hábito, porém, não se confunde com a natureza. Um hábito acrescentado à natureza produz uma inclinação que a natureza, por si só, não tem. Um hábito contrário à natureza é capaz de inclinar a faculdade a agir contra a natureza. Tal inclinação habitual, não é, porém, natural.

      Paz e Bem

      • Mauro, seu pensamento é pequeno até na hora em você escrever o próprio nome, pois o faz com inicial minúscula. Saia fora da caixinha e pense mais amplo. Acredite: há vida intelectual além dos estreitos limites do gueto fundamentalista.

      • É vero! Concordo com V.Sa..
        E o pior de tudo é que desse jeito, não ganha Marina nem Everaldo, quem vai ganhar de novo é a Dilma! Lamentável a atitude do nosso amigo acima.
        Mas nem tudo está perdido, já que o Malafaia não viu outro caminho a não ser apoiar a Marinha no segundo turno. Mas 4 anos de PT e correndo o risco do Brasil se tornar uma Venezuela ou Cuba, ninguém merece.

  6. Independentemente de fé, religião, ou quaisquer que sejam os fundamentos, desde antigamente, como se diz hoje, desde o tempo de tia Teteca, passado de pais para filhos, até mesmo pelo estado físico corporal, uns nascem com passarinho outras com baratinhas, constamos assim que uns nascem machos outras nascem fêmea, denotando-se com isso que não existe terceiro gênero. Passou disso, passa a ser uma questão de comportamento ou médica. Assim como nasce uma criança atrofiada por falta de membro, pode ocorrer quaisquer anomalias por razões diversas. Já pensou criar terceiro gênero, quarto, quinto e por aí afora, seria uma berração não da natureza mas do discernimento humano, ou seja, do homem. Poxa, nem mesmo os animais reclamam problemas como o homem. Não plantam e nem colhem, estão sempre se multiplicando e não morrem de fome.

  7. Mesmo sendo Católico ou evangélica, quem for a favor de votar em candidatos que apoiam assassinatos de fetos e casamento civil entre homossexuais, não reclamem depois se daqui a décadas, o Brasil se tornar uma segunda França, onde 84% dos atos de vandalismo ocorrem contra instituições cristãs, e claro, porque um povo sem conhecimento de liberdade de expressão religiosa ou por ignorância acham os cristãos e judeus simbolo de escória e que deveriam ser expulsos, afinal, o Estado é laico, sendo que no sentido deles, é laicista, ateu, onde ouvir sobre a palavra religião é sinônimo de palavrão, riso, e necessariamente de imposição religiosa, independentemente se é um mero convite.

DEIXE UMA RESPOSTA