Adolescente acorda de coma após acidente e diz ter ouvido de Jesus que ainda não era sua hora

0

A adolescente Kyla Roberts foi lançada para fora do carro em um acidente de trânsito e entrou em coma. Nesse período de inconsciência, ela disse ter visto Jesus e o descreveu como alguém com cabelos crespos e olhos verdes.

Kyla tem 14 anos e passou um mês em coma após o acidente, no dia 06 de março. Internada em um hospital de Oklahoma (EUA), ela disse que Jesus apareceu a ela e afirmou que ainda não era sua hora.

“Eu estava sentada em seu colo, Ele é muito grande. Ele disse que me ama e que está pronto para me receber casa, mas não ainda. E então eu acordei aqui”, disse ela à emissora WTVR, ainda em seu quarto no hospital.

Para salvar a vida da adolescente, os médicos precisaram fazer duas cirurgias de emergência em seu cérebro. A recuperação de Kyla, no entanto, é considerada pelos especialistas como algo inexplicável, um milagre: “Seu cérebro foi exposto de forma tão cruel em sua cabeça, ela teve fraturas no lobo temporal. Eles [médicos] nos disseram que ela provavelmente iria morrer, de qualquer jeito”, disse a mãe de Kyla, Stephanie Roberts, segundo informações do Christian Today.


Além da conversa com Jesus, ela disse que se lembra de ter visto o céu, e recorda apenas que era um lugar “muito brilhante”.

Experiências

São vários os casos de pessoas que estiveram em situação de quase morte e relataram experiências espirituais. Um dos casos mais emblemáticos é o de Colton Burpo, que em 2003, quando tinha quatro anos de idade, precisou fazer uma cirurgia de emergência para reparar uma perfuração no apêndice.

Deitado na maca, o menino viu seu corpo de cima, e seu pai e mãe em salas diferentes e relatou ter feito uma viagem ao céu, onde sentou no colo de Jesus e conversou com seu bisavô e uma irmã que morreu antes de nascer.

A narrativa do menino aos pais os deixou em choque, mas passado o susto inicial, virou livro em 2010 e se tornou um dos mais vendidos do país, com críticas positivas de jornais como The New York Times. Em 2014, o caso virou filme.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA