Alcorão pode levar ao Jesus da Bíblia Sagrada, diz ex-muçulmano convertido ao Evangelho

3

O sudanês Saeful, músico conhecido em seu país, tornou-se cristão após a conversão de seu pai, que o apresentou a Bíblia Sagrada mesmo após tê-lo criado no islamismo.

Já adulto, Saeful era fiel à doutrina islâmica, mas em dado momento, enfrentou problemas com a criminalidade e um caçador de recompensas o perseguia: “Alguns dos meus amigos foram mortos. Eu estava com tanto medo, porque eu sabia que seria o próximo, que eu fugi da nossa aldeia”.

No desespero, procurou abrigo na casa de seu pai, mas foi surpreendido com a conversão dele ao Evangelho: “Como sudaneses seguimos rigorosamente o Islã. Eu tentei convencer meu pai a voltar para o Islã, mas meu pai disse: ‘Não, eu não posso. Se você quer saber sobre o cristianismo apenas leia a Bíblia, porque eu não posso te responder’”, sugeriu.

No islamismo, os fiéis são desencorajados a buscarem conhecimento sobre a Bíblia Sagrada, livro que orienta a fé daqueles que são rotulados como “infiéis” por parte dos líderes muçulmanos. No entanto, quando muçulmanos comuns tomam contato com a mensagem do Evangelho, o resultado é sempre de muitos questionamentos sobre os ensinos nos quais foram criados.


Quando voltou para sua casa, Saeful leu a Bíblia que havia recebido de seu pai, e encontrou regozijo em Mateus 11:28: “Venham a mim, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu lhes darei descanso”. “Naquela época, eu estava com tanto medo e tão perturbado que eu disse a Deus: ‘Eu acreditarei em você, se você me der paz’. Eu também abri em João 14:6: ‘Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, a não ser por mim’”, afirmou o músico em entrevista à Christian Broadcasting Network.

A essa altura, ele tinha certeza que seu pai havia tomado o rumo certo, e decidiu que faria o mesmo: “A partir desse momento tudo mudou, e eu não estava mais com medo”, disse.

Convertido ao Evangelho, ele voltou à sua aldeia mudado. Tocando, atraiu pessoas a quem falou sobre Jesus Cristo, e usando seu dom para a música, passou a desempenhar o que classifica como um “ministério contextual”, pregando a mensagem da Bíblia sob a perspectiva da cultura de seu povo.

Mesmo os muçulmanos que não se convertem continuam comparecendo às reuniões que Saeful promove por causa de sua música. Um exemplo é Dede: “Eu realmente gosto de música e por isso, quando eu ouvi a música de Saeful, entrei para o grupo. As músicas dele me dão paz. A esposa de Saeful compartilhou comigo o significado mais profundo das músicas e foi aí que eu aprendi sobre o cristianismo”, disse.

O depoimento de Dede é prova que o “ministério contextual” de Saeful cumpriu o “Ide”, pois levou a mensagem do Evangelho a pessoas que, não fosse por ele, não ouviriam sobre o Redentor: “Jesus é Deus. Depois que eu cri em Jesus, eu compartilhei minha fé com a minha família. Eles também estavam lendo o Alcorão regularmente, eu mostrei Jesus a eles no alcorão e disse que Jesus era o caminho para Deus. Este Alcorão pode levar ao Jesus da Bíblia”, destacou, acrescentando que não tem medo de perseguição: “Para mim a vida é Cristo e a morte é lucro. Quando as pessoas vêm protestar contra mim, há uma oportunidade para eu dizer a eles: ‘Qual é o meu erro? Eu quero te dizer que o Islã me ensinou e me mostrou o caminho, o caminho real para a felicidade eterna, que é somente através de Issa Almasih, Jesus’”, concluiu.


3 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA