Aluna cristã derrota professora ateia que queria obrigá-la a negar a existência de Deus; Entenda

15

Uma aluna da sétima série foi intimidada por sua professora a negar sua fé em Deus e a existência d’Ele em um trabalho escolar, mas o desfecho do caso foi surpreendente, com a jovem cristã levando a situação às últimas consequências cabíveis.

A aluna Jordan Wooley, que frequenta aulas na West Memorial School, na cidade de Katy, no Texas (EUA), recebeu uma atividade escolar de sua professora em que teria que negar a existência de Deus em uma redação. O trabalho valeria metade da nota na matéria naquele período de avaliação.

Segundo Jordan, a professora disse que quem se recusasse a reconhecer que Deus é “um mito”, perderia nota. “Ela começou a dizer que todos estavam completamente errados. Também ridicularizou nossos pastores”, contou a jovem.

A professora ainda teria agido de maneira autoritária, impedindo os alunos de argumentar com ela sobre seus pontos de vista.


Quando chegou em casa, Jordan contou o ocorrido aos pais e disse que gostaria de enfrentar a situação. Como haveria uma reunião do Conselho Escolar naquela noite, os pais decidiram leva-la ao local para participar e relatar o ocorrido.

Diante dos professores que formam o conselho, Jordan relatou seu caso, contando que sua professora queria obrigá-la a negar sua fé e impedir que argumentasse sobre o caso, mesmo não tendo provas de que Deus não é real.

Uma das professoras do conselho leciona a mesma matéria que a professora ateia e chamou atenção para o fato de que no currículo planejado não havia nenhuma atividade que parecesse com aquela.

Segundo informações do Gospel Herald, o superintendente educacional Alton Frailey desculpou-se com a aluna: “Eu realmente sinto muito que sua fé tenha sido questionada assim”, disse, assumindo o compromisso de investigar o caso pessoalmente. “Nós certamente vamos olhar isso de perto. Muito obrigado. Foi muito corajoso da sua parte. Obrigado, Jordan”, concluiu.

A postura da aluna surtiu efeito, e no dia seguinte, o diretor da escola anunciou que o trabalho dado pela professora não teria impacto na nota da matéria. O diretor e o Conselho Escolar optaram por não divulgar o nome da professora para evitar represálias, mas anunciaram que ela está afastada das atividades até que o inquérito do conselho seja concluído.

Assista ao vídeo do depoimento de Jordan Wooley ao Conselho Escolar denunciando o abuso de autoridade da professora ateia:

Assine o Canal

15 COMENTÁRIOS

  1. Nostafora e seu novo amiguinho, Marcelo, com a palavra, argumentando que os ateus não são petulantes, que não são iguais aos da igreja católica do passado e os do islamismo de hoje.

    Uma criança fazer isso, é que tem coragem pra muitas coisas;

    Vamos, defendam-se.

      • LEVI VARELA

        “Isso sim que é apedrejar criança, não como a historinha mal contada do Rio de Janeiro contra um grupo de pessoas que vinha de um culto afro.”

        Você pensa então igual a mim.

        Sou totalmente contra a violência e mais ainda contra agredir alguém por sua religião ou orientação sexual.
        Não estou do lado do candomblé nem de evangélicos.

        Mas essa notícia da menina atacada me causou estranheza, a história pareceu-me muito mal contada.

        A vítima foi identificada, mas e os autores, onde estão?

        Estar de Bíblia na mão e gritar “sai, diabo” não são provas, visto que isso pode ser facilmente encenado.

        Também não são provas achismos como “só podem ser evangélicos”.

        E ainda, os agressores fugiram de ônibus!

        Esse caso se enquadra perfeitamente como um atentado terrorista e gente que comete esse tipo de coisa são inteligentes (para o mal, mas são…).

        Sempre têm um plano de fuga montado, tipo um carro esperando nas imediações com motorista, até mesmo um carro roubado ou com placas ocultas.

        Atacar e depois acenar para os ônibus que passam, é pedir pra ser pego…

        Assim como atitudes ou vestes que os denunciem, como o terno que todo crente usa para ir ao culto ou palavras tipo “diabo”, “demônio”, “inferno”…

        Podem falar o que for, para condenar alguém é necessário certeza da autoria, o agressor deve ter rosto, nome e documentos, sem isso o juiz aplica o princípio conhecido como IN DUBIO PRO REU, “na dúvida a favor do réu”, pois é melhor absolver um culpado que condenar um inocente.

        Traduzindo em linguagem simples: esse caso não vai dar em nada…

        A primeira vez que li, o “desconfiômetro” já entrou em ação!

        Pensei, podem ser gente querendo difamar os evangélicos, o que seria fácil, pois evangélicos e seguidores de cultos africanos já brigam há séculos.

        Ou os próprios candomblezistas poderiam ser os responsáveis, com o mesmo objetivo, sujar a imagem das igrejas evangélicas, além de angariar a simpatia da mídia e da opinião pública, esta influenciada por aquela.

        Olha uns exemplos.

        O governo norte-americano ordenou os ataques às torres gêmeas do WTC, fazendo parecer que foram árabes muçulmanos.

        O governo alemão ordenou a destruição do parlamento, colocando a culpa nos comunistas.

        Os militares deram o golpe de 1964, usando como pretexto um plano comunista para uma violenta tomada do poder.

        Gentulho Vargas instaurou sua ditadura pelo mesmo motivo: criou e divulgou um falso plano comunista que estaria querendo instituir uma ditadura como em Cuba.

        E ainda, muito diferente seria tratado esse caso pela mídia, se fosse o contrário, uma menina evangélica agredida por candomblezistas, tenho certeza de que o barulho e indignação seriam BEM menores.

  2. Você é um novo pai! Como é maravilhoso olhar nos olhos de uma criança inocente e saber que aquela criaturinha que você esta pegando é seu próprio filho. Você espera observá-lo enquanto cresce. Antes que você o saiba, ele estará formando suas primeiras palavras, chamando Mamãe e Papai. Então ele ensaiará seus primeiros passos vacilantes. Num piscar de olhos, ele estará correndo, fazendo amizades, jogando bola, indo para a escola, namorando e até mesmo se casando. Começou uma aventura especial, e Deus lhe deu o privilégio de estar nela desde o comecinho.

    “Herança do Senhor são os filhos; o fruto do ventre, seu galardão” (Salmo 127:3). Deus abençoou-o com seu filho. Ele nos criou, nos ama e sabe o que é melhor para nós. Não há hora melhor do que agora para parar e pensar sobre o privilégio — e a responsabilidade — de ser pai ou mãe. Se Deus lhe deu esta bênção, não deveria você voltar-se para ele para saber o que fazer enquanto você educa seu filho? 

    Seu filho tem um espírito eterno. Você já contou os dedinhos dos pés e das mãos. Já tem na memória a cor dos olhos de seu filho e a forma do nariz dele. Mas a parte mais importante de seu filhinho não é visível para você. Deus deu a seu filho um espírito eterno que um dia voltará a ele (Eclesiastes 12:7). Deus quer que seu filho viva para sempre na glória de sua presença (João 5:28-29; Romanos 6:23). Cada pessoa que vive nesta terra estará, ou com Deus no céu, ou separada dele no sofrimento eterno (Mateus 25:46). Cada pai amoroso quer que seu filho vá para o céu. Você pode ajudar seu filho a encontrar o caminho certo para chegar ao destino eterno do céu.

    Deus espera que você guie seu filho para o céu. Provérbios 22:6 diz: “Ensina a criança no caminho em que deve andar, e, ainda quando for velho, não se desviará dele.” Este versículo nos mostra algumas coisas importantes: ì Ensina a criança: Deus espera que ensinemos nossos filhos. As crianças não conhecem instintivamente a diferença entre certo e errado; elas têm que ser ensinadas. í No caminho em que deve andar: Há um caminho certo. Nosso mundo confuso oferece muitas incertezas. Pessoas que não confiam em Deus nos dizem que não há nenhum caminho certo para viver. A Bíblia nos ensina que o único caminho certo, e o caminho em que devemos guiar nossos filhos, é encontrado em Jesus Cristo (João 14:6). î E, ainda quando for velho, não se desviará dele: O que você ensinar ao seu filho nos primeiros 20 anos de vida provavelmente determinará a direção que ele seguirá durante o resto de sua vida aqui. Mais importante ainda, seu ensinamento provavelmente o guiará a fazer a escolha de onde ele estará na eternidade. Ajude-o a fazer a escolha certa!

    Deus sempre tem confiado esta grande responsabilidade aos pais. Abraão foi abundantemente abençoado porque Deus sabia que ele guiaria sua família no caminho do Senhor (Gênesis 18:19). Moisés instruiu os pais do seu tempo a que aprendessem a palavra de Deus e a inculcassem em seus filhos: “Estas palavras que, hoje, te ordeno estarão no teu coração; tu as inculcarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-te, e ao levantar-te” (Deuteronômio 6:6-7). Para ser bons pais, é necessário saber a palavra de Deus e fazer dela uma parte importante da vida do dia-a-dia. No Novo Testamento, a revelação que governa hoje todos os homens, Deus nos diz como guiar nossos filhos: “E vós, pais, não provoqueis vossos filhos à ira, mas criai-os na disciplina e na admoestação do Senhor” (Efésios 6:4).

    Deus lhe confiou um espírito eterno para que você o guiasse ao céu! Para cumprir a incumbência que Deus lhe deu, é preciso que você também esteja indo nessa direção. Não haverá jamais um momento melhor para aprender o que Deus quer de você e de sua família.

    Deus espera que você sustente e cuide de seu filho. A Bíblia ensina muito claramente os nossos papéis básicos na família. Uma das responsabilidades de cada pai (homem) é trabalhar para prover as necessidades materiais da família. “Ora, se alguém não tem cuidado dos seus e especialmente dos da própria casa, tem negado a fé e é pior do que o descrente” (1 Timóteo 5:8). Bons pais não são preguiçosos. “Se alguém não quer trabalhar, também não coma” (2 Tessalonicences 3:10). As mães têm que prover os cuidados de criação que toda criança precisa e merece. Mães jovens precisam aprender como amar seus esposos e filhos e ser boas donas de casa (Tito 2:4-5). No plano de Deus, pais e mães trabalham juntos para cuidar de seus filhos.

    Os filhos precisam aprender a respeitar a autoridade. Os problemas de nossa sociedade são resultados de falta de respeito pela autoridade. O próprio Deus é a autoridade suprema e amorosa que deverá ser obedecida por todas as pessoas. Mas uma criança muito nova não pode entender como submeter-se a alguém que ela nunca viu. Seu respeito às autoridades começa com seus próprios pais: “Filhos, em tudo obedecei a vossos pais; pois fazê-lo é grato diante do Senhor” (Colossenses 3:20). Você pode ajudar seu filho a aprender a respeitar sua autoridade: ì ensinando-lhe o que ele deve fazer, í vivendo de modo que ele possa facilmente respeitá-lo, e î corrigindo-o quando não obedece. Esta correção não é agradável, mas serve para moldar o caráter da criança em crescimento (Hebreus 12:4-11). O sábio rei Salomão escreveu: “Castiga a teu filho enquanto há esperança, mas não te excedas a ponto de matá-lo” (Provérbios 19:18). Uma vez que seu filho aprenda a respeitar sua autoridade, será mais fácil para ele respeitar a autoridade que Deus deu aos homens em outras áreas (1 Pedro 2:13-14). Mais importante ainda: você o estará preparando para respeitar e obedecer a Deus.

    Enfrentando o Desafio!

    Educar uma criança é um desafio, mas vale o esforço. Um grande engenheiro pode planejar a construção de um edifício monumental que durará séculos, talvez até milênios. Mas, com o passar do tempo, seu nome será esquecido e o edifício será destruído. A obra dos pais é diferente. Você está moldando o caráter de um ser eterno que pode glorificar a Deus para sempre. Seu trabalho requer sacrifício e freqüentemente o deixará exausto. Ocasionalmente, você ficará frustrado. Mas jamais esqueça por que o está fazendo: você ama seu filho e quer o que é melhor para ele. Nada poderia agradar mais a você do que ver seu filho ir para o céu para ficar com Deus para sempre. A alma dele, como a sua própria, vale mais que todo o mundo: “Pois que aproveitará o homem se ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma? Ou que dará o homem em troca da sua alma? Porque o Filho do homem há de vir na glória de seu Pai, com os seus anjos, e, então retribuirá a cada um conforme as suas obras” (Mateus 16:26-27).

  3. Isso vem acontecendo recorrentemente aqui no Brasil também (principalmente nas universidades), certamente são professores esquerdistas infiltrados nas escolas para provocar e rebaixamento moral das crianças, mas como pegam pessoas despreparadas conseguem bagunçar a mente dos pequeninos, mas basta uma pequena menina mais firme para derrubá-los, como são medíocres.

    Somente em Deus nos manteremos em bom caminho. Vlw garota, parabéns.

  4. Se a professora agiu desse modo, nao pode mais ser professora.
    mas duvido que ela tenha agido com tanto autoritarismo.
    se a redacao foi hipotetica, nao ha problemas.
    mesmo um crente pode imaginar a situacao em que sua crenca seja questionada.
    na verdade, eh essencial que as crencas sejam questionadas e validadas, mesmo diante da feh.

        • Debate de crianças com adultos, quem ganha?

          Só uma vez na história a criança ganhou, mas veja quem, Cristo.

          Se trocar com crianças, meu caro?

          Vc é doido? É do tipo que olha pra elas e diz que papai noel não existe pra vê-las sofrendo e chorando de dor? É você do tipo que diz que o pai dela não é um superheroi? Vc trata criança como se adulto fosse?

          Volte pra sua estrutura hospitalar, pedindo dose cavalar de tarjas pretas. Tá feia a coisa.

  5. Como era de se esperar, lendo jornais americanos, fica claro que houve exagero na denuncia da aluna.
    a professora propos um debate, e nao tentou dissuadir nenhuma crianca de suas crencas.
    mas cristaos acham que nao se pode debater nada, muito menos questoes de feh.
    eh a conhecida valorizacao da ignorancia, tao cometida pelos ignorantes.
    os cristaos ignorantes, nao sao todos, nao aceitam sequer uma analise sobre suas crencas.
    infelizmente vao perder essa, mais uma vez.
    podem acompanhar o caso.

DEIXE UMA RESPOSTA