Ateu cria aplicativo da Bíblia Sagrada e fatura mais de R$ 270 mil em um ano: “Me sinto mal”

5

Um ateu faturou mais de R$ 270 mil durante o ano passado vendendo aplicativos da Bíblia Sagrada em espanhol na loja da Apple. A ideia de ganhar dinheiro com as Escrituras surgiu após descobrir que um parente estava lucrando alto com a venda de aplicativos.

Trevor McKendrick ouviu do familiar que, mesmo sem formação na área de desenvolvedor, estava lucrando entre US$ 8 mil e US$ 10 mil por mês. Assim, o norte-americano resolveu pesquisar quais eram os aplicativos que estavam sendo menos oferecidos na AppStore e percebeu que haviam poucas Bíblias em espanhol.

O rapaz contratou um desenvolvedor para criar o aplicativo da Bíblia em espanhol, e tinha como meta arrecadar apenas US$ 600 por mês, o que cobriria os custos de hospedagem de seu produto na plataforma da Apple.

McKendrick disse que passou a acompanhar diariamente os resultados das vendas, e ficou surpreso quando fechou o primeiro mês lucrando US$ 1.500. “Mesmo não sendo uma grande quantia, pelo pouco tempo e baixo investimento inicial já podia tê-lo considerado um projeto de sucesso”, disse ao produtor de rádio Alex Blumberg, que publicou a história em seu site pessoal.


Ao ver que havia espaço para crescer, o ateu resolveu contratar um estúdio para criar um audiobook da Bíblia em espanhol, e posteriormente, um aplicativo à parte para quem quisesse ouvir as Escrituras no idioma. No primeiro mês, o faturamento superou a casa dos US$ 5 mil.

Durante o ano de 2013, os aplicativos do empresário ateu arrecadaram mais de US$ 70 mil, e no ano passado, outros US$ 100 mil (equivalente a US$ 270 mil de acordo com a revista Época).

Quando notou a grande quantidade de dinheiro que estava ganhando, comemorou com a esposa: “Meu deus, querida, olhe todo esse dinheiro. Eu gastei no máximo uma hora por mês nesse empreendimento”, diz ter falado à esposa.

Mesmo com o alto lucro, o ateu diz que se sente mal ao saber que está ganhando dinheiro justamente com o que não acredita: “Eu não acredito no Cristianismo. Não acredito na Bíblia. Eu me sinto terrível sobre o fato de vender a Bíblia, mas encaro como um outro livro e acredito que o que realmente vendo é ficção”, resume.

No entanto, no passado McKendrick foi frequentador de uma Igreja Mórmon e se casou em um colégio da denominação, mas devido a frustrações, abandonou a fé. A saída de seu irmão da igreja o fez descobrir que tinha muitas dúvidas, e por isso, resolveu deixar de acreditar.

5 COMENTÁRIOS

  1. Sem problemas, quantos religiosos existem por aí que não acreditam naquilo pregam!

    Esse ganha dinheiro com o evangelho, mas pelo mesmos de maneira honesta. Honesto talvez não com ele próprio, mas com os que “consomem” o produto!

  2. QUALQUER PESSOA QUE SE DEDIQUE A ALGO QUE SEJA PRODUTIVO OBTÉM SUCESSO QUANDO O PRODUTO É BOM SE VENDE SOZINHO, ELE SÓ PRECISA LEMBRAR QUE O ALTOR QUE ESCREVEU FEZ UM BEST SELLER
    É SÓ LER A TRADUÇÃO E BABAR ATEIADA
    Best-seller, best seller ou, ainda, bestseller (em inglês, “mais vendido”) é um livro que é considerado como extremamente popular entre os que é incluído na lista dos mais vendidos, sendo considerado como “literatura de massa”. Trata-se de uma expressão da língua inglesa para indicar os livros mais vendidos no mercado editorial.

    Inicialmente utilizada para rotular as obras de literatura mais vendidas nos Estados Unidos, atualmente a expressão é utilizada em todo o mercado editorial global, desde romances e histórias de suspense a livros técnicos, manuais etc.. O best-seller é, portanto, definido unicamente pelo seu volume de vendas e por sua fama adquirida. Outros fatores decorrentes de um best-seller são suas adaptações e traduções para outros idiomas, o número de edições e revisões e sua ampla exposição nos meios de comunicação de massa. Ironicamente, quando um livro recebe este rótulo, desencadeia um processo de vendas ainda maior. Independente da qualidade literária, técnica ou didática da obra, o mercado consumidor percebe este tipo de obra como sendo de boa qualidade deduzindo que, se o livro vende muito, provavelmente deve ser bom.

    Não existe nenhuma fórmula mágica para escrever um best-seller, porém alguns autores pegam carona no sucesso de outros tipos de produção, como é o caso dos títulos inspirados em filmes, documentários e até mesmo outros livros com o status de best-seller. Além disso, pode aparecer uma tendência na abordagem de assuntos que já renderam outros best-sellers.

DEIXE UMA RESPOSTA