Bispo Edir Macedo afirma que morar junto sem estar casado não é pecado

278

O casamento é uma das determinações do cristianismo para que um casal viva junto, em uma união completa física e sentimentalmente.

Em uma sessão de perguntas e respostas do site Arca Universal, o bispo Edir Macedo afirmou a uma leitora que o “verdadeiro casamento” não necessita da assinatura de papéis: “Não se preocupe com o casamento, pois o verdadeiro casamento é o que você está vivendo agora”, afirmou.

A pergunta da fiel se deu no âmbito de que sua conversão ocorreu após anos vivendo junto a seu cônjuge, com quem tem filhos, mas nunca formalizou a união: “Já estou na igreja há dois anos. Não sou casada, porém, vivo com uma pessoa há 10 anos, com quem tenho dois filhos. Eu quero me casar, mas ele não. Ele ainda não é da igreja, mas é um bom marido e um bom pai. Fico pensando se viver junto sem ser casada é pecado. Por causa dessa dúvida, ainda não me batizei, pois o pastor diz que a pessoa tem que abandonar o pecado para se batizar. O que faço? Oriente-me, por favor”, pediu a leitora.

O líder da Igreja Universal do Reino de Deus respondeu à leitora afirmando que nada a impede de seguir em frente na fé: “Jesus disse: ‘Vinde a Mim todos os que estais cansados e sobrecarregados…’ (Mt. 11:28).  Se Ele a aceitou descasada, quem pode cobrar o seu casamento?”, questionou o bispo, que emendou: “Certamente, o diabo usa esse pretexto para criar dúvida e impedi-la de seguir na sua fé”.

Edir Macedo foi além, orientando a fiel a participar de todas as celebrações de fé da denominação: “Você pode se batizar, participar da Santa Ceia e desenvolver a sua salvação tranquilamente, porque não há nada de errado com você”, finalizou.

Redação Gospel+

278 COMENTÁRIOS

  1. A força do matrimônio
    O que fortalece o matrimônio? Como é possível viver com outra pessoa totalmente diferente de mim e ainda fazer com que essa união permaneça forte?
    Hoje em dia muitos matrimônios rompem-se facilmente, a sociedade prega que se não der certo a união entre o homem e a mulher eles que se separem e vão cada um para o seu lado. Assim, todos começam a concordar que não existe fortaleza no sacramento do matrimônio.
    “Se é possível dominar o homem que está sozinho, dois podem resistir ao agressor, e um cordel triplicado não se rompe facilmente.” (Eclesiastes 4,12)
    Afirmar que não existe força no matrimônio não está correto, a palavra escrita em Eclesiastes diz que um homem que está sozinho pode ser dominado, mas aquele que está unido a outra pessoa pode resistir ao agressor, ao inimigo, ao encardido. Se um casamento não está dando certo é provável que que o casal esteja junto no mesmo ambiente, porém não estejam unidos em seus corações.
    A cumplicidade do casal deve ser mútua para que a fortaleza comece a existir, o casal deve entender que o sacramento do matrimônio foi instituído por Deus e é um compromisso muito sério a ser assumido.
    “O casamento não é uma curtição, é uma missão!” (Prof. Felipe Aquino)
    Quando se faz as promessas matrimoniais, Deus está dando uma missão para o casal: fazer um ao outro feliz. Felicidade que somente será encontrada se ambos estiverem unidos e fortes em Deus.
    Muitos casais desprezam essa aliança com Deus. Mas se se colocassem a olhar para a aliança que está (ou estará) em seu dedo, perceberiam que não é só uma aliança que une um cônjuge ao outro, mas sim uma aliança que une ambos com Deus.
    Se não assumirmos nossa missão e não levamos o cônjuge para Deus, como poderemos fazê-lo feliz? Lembremos que a felicidade está escondida em Cristo e somente Nele pode ser encontrada.
    A proposta de Jesus para o sacramento do matrimônio é que Ele seja essa aliança, que une o homem e a mulher para que sejam uma só carne.
    Continuou Jesus: “Foi devido à dureza do vosso coração que ele vos deu essa lei; mas, no princípio da criação, Deus os fez homem e mulher. Por isso, deixará o homem pai e mãe e se unirá à sua mulher; e os dois não serão senão uma só carne. Assim, já não são dois, mas uma só carne. Não separe, pois, o homem o que Deus uniu.” (Marcos 10, 5-9)
    A união de um casal em matrimônio é tão forte que ao estarem em algum lugar isoladamente as pessoas notam que existe a presença dos dois no ambiente, a única forma de alcançar essa perfeição no matrimônio é assumir que a aliança foi banhada pelo Espírito Santo no momento que um colocou na mão do outro e que essa unidade não terá fim.
    O segredo para que essa união dê certo é lembrar que o sacramento do matrimônio é um sacramento de serviço que está no mesmo nível do sacramento do sacerdócio, ou seja, cada um do casal deve se colocar à disposição do outro.
    “Dois outros sacramentos, a Ordem e o Matrimónio, são ordenados para a salvação de outrem. Se contribuem também para a salvação pessoal, é através do serviço aos outros que o fazem. Conferem uma missão particular na Igreja, e servem a edificação do povo de Deus.” (Catecismo 1534)
    Da mesma forma que o padre serve ao próximo em sua paróquia, somos chamados a servir nossa família em casa. Devemos como pastores conduzir nossa família para Deus, somente assim existirá a verdadeira força do matrimônio.

DEIXE UMA RESPOSTA