Cientista se esforça para preservar o aramaico, idioma falado por Jesus

5

Cientistas britânicos estão trabalhando na tentativa de preservar o aramaico, idioma falado por Jesus e amarrado ao hebraico e ao árabe. Nesse esforço, o professor de linguística da Universidade de Cambridge, Geoffrey Khan, começou uma cruzada para registrar a língua antiga antes que ela finalmente desapareça.

Khan decidiu gravar o idioma depois de falar com um judeu de Erbil, no norte do Iraque.

– Explodiu completamente a minha mente – disse Khan ao Smithsonian.com, ao enfatizar o quanto o conhecimento sobre o idioma o impactou.

– Descobrir uma língua viva, através dos lábios de uma pessoa viva, foi incrivelmente emocionante – acrescentou o professor.


Ao registrar alguns dos falantes nativos de aramaico que ainda restam, o linguista espera preservar a língua de 3.000 anos de idade, que está à beira da extinção. Falantes do idioma podem ser encontrados em diferentes partes do mundo, da América ao Iraque.

Nos últimos 20 anos o professor Khan publicou vários livros importantes sobre os dialetos anteriormente indocumentados de Barwar, Qaraqosh, Erbil, Sulemaniyya e Halabja, todas as áreas no Iraque, bem como Urmi e Sanandaj, no Irã. Ele também está trabalhando em um banco de dados baseado na web com texto e áudio, que permite gravações palavra por palavra e comparações entre dezenas de dialetos do aramaico.

O aramaico, que pertence à família de línguas semitas é conhecido por seu uso em grandes partes dos livros bíblicos de Daniel e Esdras. É também a língua principal do texto-chave do judaísmo rabínico, o Talmud. Peças dos antigos pergaminhos do Mar Morto também foram escritos em aramaico

A linguagem foi usado em Israel a partir de 539 aC a 70 dC. De acordo com os linguistas era provavelmente a língua falada por Jesus.

Por Dan Martins, para o Gospel+

5 COMENTÁRIOS

    • Segundo o Pastor e Professor Isaías Lobão Pereira Júnior, essas línguas
      usadas para escrever o Antigo Testamento, hebraica e aramaica, bem como
      as nunca usadas, dos moabitas e fenícios, babilônios e assírios, e ainda dos
      árabes e etíopes, se originam de um mesmo tronco proto-semita (referência a
      Sem, irmão de Can e Jafé, filhos de Noé, descritos em Gênesis, um dos livros
      escritos parte em aramaico). As línguas faladas na judéia, galiléia, gádara,
      jordania, samaria e síria, babilônia e pérsia, tinham a mesma origem e se
      confundiam em seus radicais de formação, mas Jesus falava em todas as
      línguas conhecidas, incluindo-se o latim. Os exegetas fariseus elegeram o
      hebreu como idioma do clero e desprezava o aramaico, o grego e as outras
      línguas semitas, bem como detestavam o latim, que era a língua dos
      conquistadores romanos. O que distanciou essas línguas foi o tempo e a
      cultura separada daqueles povos, e é claro a dispersão
      dos povos após a confusão das línguas na história da torre de Babel.
      Quanto ao fato de Jesus pregar em aramaico, que abrange minoria dos textos
      do Antigo Testamento, creio que seja correto afirmar, porém ele falou com os
      gadarenos, como falou com a samaritana do poço de jacó, como falou com as
      multidões de judeus que não conheciam o aramaico muito bem, então sou
      forçado a crer que falou em pelo menos mais três línguas, o hebreu, o árabe
      (gadareno) e na língua dos samaritanos, que talvez fosse moabita.
      Nada nas escrituras fala da exclusividade no uso da língua essênia
      (aramaico), mas ao contrário, diz que Jesus pregava por onde ia e todos o
      entendiam muito bem.
      A cisão entre os saduceus, fariseus e essênios, baseava-se na visão
      cosmológica e na visão espiritualista de cada um dos grupos, mas os fariseus
      aprofundaram o cisma quando elejeram o hebreu como língua única e superior
      às outras, desprezando a história e rompendo com o tronco lingüístico de
      onde saíram todas as línguas do oriente médio.
      Falar em línguas quer dizer que alguém se fez entender, e o Espírito Santo
      está presente em pentecostes quando os apóstolos, recebendo-o falavam em
      línguas e todos os entendiam.

      • A tradução das palavras de Jesus para o aramaico traria muitas interpretações novas.
        Por ex.:

        (cenário: A Judéia sob jugo do Império Romano vinha à décadas absorvendo à força hábitos sexuais pagãos…)

        “Disse Jesus a seus discípulos: ’É inevitável que venha o homossexualismo, mas ai do homem pelo qual ele vêm!” – Lucas 17:1

        Ou, na versão João Ferreira de Almeida Revista e Atualizada, :

        “Disse Jesus a seus discípulos: ’É inevitável que venham escândalos (*qãdhes*), mas ai do homem pelo qual eles vêm!”- Lucas 17:1
        (escândalo, em hebraico, é *qãdhes* = DEVOTO À IDOLATRIA LICENCIOSA; PROSTITUTO BISSEXUAL – CULTUAL; SODOMITA).

        Ou você pensa que Jesus pregava em grego ? (*Scandalus*)

        *Qãdhes* aparece fartamente nas escrituras :

        “Havia também rapazes *escandalosos* na terra;
        fizeram conforme todas as abominaçõesdas nações que o SENHOR tinha
        expulsado de diante dos filhos de Israel”.– I Reis 14.24– (Também em I Reis 22.46-47; I Reis 15:12 ;etc.).

        • E a pedofilía homossexual :
          “E, lançando mão de um *menino*, pô-lo no meio deles e, tomando-o nos seus braços, disse-lhes: -“Qualquer que receber um destes meninos em meu nome, a mim me recebe; e qualquer que a mim me receber, recebe, não a mim, mas ao que me enviou” .(Marcos9:36-37) – (…) “E qualquer que *escandalizar* um destes pequeninos que crêem em mim, melhor lhe fora que lhe pusessem ao pescoço uma mó de atafona, e que fosse lançado no mar”. Marcos9:42 (Versão: João Ferreira de Almeida Corrigida e Revisada, Fiel.)
          Em concordância, Mateus:
          “Mas, qualquer que *escandalizar* um destes pequeninos, que crêem em mim, melhor lhe fora que se lhe pendurasse ao pescoço uma mó de azenha, e se submergisse na profundeza do mar”.Mateus18:6 (Versão João Ferreira de Almeida Corrigida e Revisada, Fiel.)
          Aí está a razão da ira santa de Jeová, que seria a de todos nós também, contra as culturas e civilizações cananitas: 80% dos casos de pedofilia ocorre contra meninos, logo, uma simples regra de três estabelece uma associação concreta entre homossexualismo e pedofilia.
          Moisés mandava apedrejar. Jesus sugeriu amarrar uma pedra no pescoço e jogar no abismo do mar. Deus é o mesmo ontem , hoje e sempre.”Eu, O Senhor, não mudo” (Malaquias 3.6).
          Repare como o texto escatológico (fim dos dias) fica mais identificável com as tendências atuais da nossa sociedade, em Mateus 24 ( o nº deve ser coincidência):
          “Mas todas estas coisas são o princípio de dores. Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome. Nesse tempo muitos SERÃO ESCANDALIZADOS, e trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se odiarão.” (Mateus 24:7-10). (…)”E este evangelho do Reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim”. (Mateus 24:14) (…) “Porquanto, assim como, nos dias anteriores ao dilúvio, comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, (casamento gay não é novidade, é ante-diluviano!!) até ao dia em que Noé entrou na arca, E não o perceberam, até que veio o dilúvio, e os levou a todos, assim será também a vinda do Filho do homem”. (Mateus24:38-39..).
          Ou seja, “muitos serão sodomizados” e “este evangelho”,isto é, “esta notícia que vos dou”, esta informação (incluindo casamento gay), “será a Minha prova testemunhal” (“em testemunho”) de que o fim estará próximo.
          O Mestre dos mestres cumpriu sua Palavra falando a verdade…mais uma vez…

          • …………Tudo que Jesus disse nos evangelhos, em aramaico, foram traduzidos muitos anos depois para o grego, e obviamente, sempre se perde algo na tradução (como nostalgia e saudade, por exemplo), mais ainda quando uma língua é muito mais rica do que outra, caso do hebraico. Mas o Rabi dos rabis pregava em cima das Escrituras, e certamente a palavra aramaica que usou intermediando o hebraico para o grego estava muito mais próxima do hebraico do que o grego.
            ……….De toda forma, as palavras em aramaico usadas por um povo que vivia estudando as Escrituras em hebraico, certamente estavam muito mais próximas do hebraico do que do grego que era usado na tradução décadas depois da ressurreição, ainda mais se considerarmos que a história da conquista das terras cananeias pelo povo judeu e, portanto, das raízes de sua formação (sua IDENTIDADE NACIONAL), estava repleta de combates contra culturas sodomitas, fazendo disto um ponto de identificação nacional em que todos conheciam bem o significado de “rapazes escandalosos”, coisa que podia escapar à percepção de um estrangeiro.
            Eles foram o “povo eleito”…para quê ? Para guerrear e conter a contaminação sobre a terra. Jesus não pregaria sobre isto ?

  1. Prof. Fábio Sabino da Silva. Th.B; Th.M; D.D. pela University Universal Life Church (ULC), Modesto, Califórnia, EUA. Certificado em Aramaico Bíblico e Aramaico Targúmico pela Universidade de São Paulo (USP). Professor de Hebraico Bíblico, Exegese do Antigo Testamento e Grego Clássico Instrumental na Faculdade Evangélica de São Paulo (FAESP).

    Professor Fábio Sabino dá aulas de hebraico, aramaico, grego, arqueologia bíblica e crítica textual, um dos maiores exegese do Brasil, ele confirma passo a passo a transliteração do nome Jesus. Fábio é muito crítico e interpreta a Bíblia pelo lado literal dos escritos originais e não leva os escritos pelo lado espiritual, ele não frequenta nenhum sistema religioso (igreja). Também fala os idiomas japonês, inglês, castelhana e entende Acadiano, Paleo-hebraica, Protomassorético, Massorético e TETRAGRAMA.

    Paleo-hebraica deu início ao processo de formação do "antigo alfabeto semítico", idêntico ao alfabeto fenício. Foi usado para escrever a língua hebraica pelos Israelitas, tanto Judeus como Samaritanos. Foi deixando de ser usado pelos Judeus por volta do século V, tendo sido substituído pelo alfabeto aramaico como escrita para o Hebraico. A atual escrita Hebraica de forma quadrada descende dessa antiga escrita. Os Samaritanos que não são hoje mais do que mil pessoas, continuam a usar uma forma derivada desse antigo Alfabeto, o chamado alfabeto samaritano (da língua samaritana)

    Fonte:
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Escrita_paleo-hebraica

    Canal Fábio Sabino:
    http://www.youtube.com/user/prof221877

    Abraços

  2. Para aqueles que acreditam que o NT foi escrito em boa parte pelo aramaico vai aqui uma pergunta: Por que quando Jesus falava em aramaico o texto explicava? Por que explicar uma coisa que todos entendem? E se no NT foi escrito no aramaico, por que as primeiras versões aramaicas só continham 22 livros dos 27 atuais? Mesmo na Tanakh, os textos que estão inseridos o aramaico por que tem mais vocábulos hebraico do que aramaico? (cf. 2 Rs 18.18; Esd 4.8-6.18; 7.12-26; Jr 10.11 e Dan 2.4-7 etc.). Imagine numa sala de aula em que as crianças ouvissem explicações repetidas de algo que já entenderam! O plano de curso seria alcançado?

DEIXE UMA RESPOSTA