Pautas ligadas aos cristãos devem voltar a ser o destaque nas eleições para Presidente do Brasil

8

Os cristãos e seus temas devem voltar a ser destaque e pautar as discussões durante as eleições de 2014 para Presidente do Brasil. Segundo o Censo Demográfico 2010, a população evangélica no Brasil está em franco crescimento, já constitui atualmente 22,2% da população brasileira. Tal crescimento tem colocado os evangélicos em destaque e tornado os assuntos tipo por essa parcela da população como importantes, pautas constantes nos debates e promessas eleitorais.

A força dessa parcela do eleitorado ficou evidente na última terça feira, com o anúncio da criação de um comitê evangélico por parte da campanha de reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT).

O professor de Sociologia da Religião da Universidade Metodista de São Paulo, Dario Paulo Barreira Rivera, comenta o aumento da presença de temas sensíveis à população evangélica nos debates eleitorais afirmando que pautas de cunho moral, como a proibição do aborto e do casamento homoafetivo, que marcaram os debates de 2010, deverão retornar aos palanques este ano.

Apesar da exposição recente na mídia e da presença cada vez mais constante de pastores e outros líderes evangélicos em cargos eletivos, a influência evangélica na política não é recente, como explica Dario Rivera.


– Desde a década de oitenta, os pentecostais, e dentro deles, principalmente, a Assembleia de Deus e a Igreja Universal, passam a participar da política eleitoral – explica o professor, segundo o site O Povo.

A professora de pós-graduação da Universidade Metodista de São Paulo e especialista em comunicação e religião, Magali do Nascimento Cunha, também comenta tal influência, comentando sobre o surgimento da bancada evangélica no congresso.

– A bancada evangélica surgiu no Congresso Constituinte de 1986. A partir dali ela se consolidou como força, o que resultou na criação da Frente Parlamentar Evangélica (FPE) em 2003 – resume a professora, que observa, porém, que o perfil conservador dos parlamentares evangélicos é algo recente.

– A novidade é o forte tradicionalismo moral que trouxe para si a defesa da família e da moral cristã contra a plataforma dos movimentos feministas e de homossexuais, valendo-se de alianças até mesmo com parlamentares católicos – explica Magali Cunha, afirmando que no início de suas atuações políticas, os evangélicos se preocupavam mais com a criação de feriados e de benefícios para seus templos.

A professora comenta também que a pauta conservadora que dará a tônica a boa parte dos debates nessas eleições já se iniciaram, na verdade, em 2013, quando o deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP) assumiu a presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados.

– Todos os desdobramentos daquele episódio, incluindo a realização de marchas de evangélicos a Brasília e em capitais de estados do País, estabeleceram a pauta conservadora que trabalha para frear todo avanço em termos de concessão de direitos sexuais – avalia a professora.

8 COMENTÁRIOS

  1. Quero só ver dona Dilma ganha essa eleição.
    Ainda mais tendo o apoio de Macedo.

    Vai acontecer igual Celso Russumano, fracasso total.

    PT e Dilma, NUNCA MAIS!!!

    • Olá Edson Souza, não sou petista, mas tô achando difícil a Dilma perder. Os nossos dois candidatos que deveria fazer oposição são fracos e não apresentam propostas diferentes e capazes de mudar o Brasil. A Marina Silva seria bola da vez, mas quis ser vice do Eduardo que não decola. O PSDB é partido de elite e não tem proposta nova. O interior do Nordeste é muito pobre e vide a custa do Bolsa Família. Jamais esse eleitorado vai trocar o certo pelo duvidoso. A chance é levar a eleição para o segundo turno. Aí, quem sabe, um blocão pode durrubar o PT. Fora isso, adeus planalto.

  2. Emgodo sem vergonha, agora em eleições todos os paidegua e mãidegua vem fazer suas mentirosas e safadas e sem vergonhas e bandidas mafiosas mequetrefianas mefistofilanas em resumo FALACIA MENTIRA PURA NUA E CRUA, e otarios burros babacas bobos jumentos são os que acreditão nos e nas tais pessoas candidatas e candidatos, os que acreditarem na dilmoca mossoroca são realmente hiper ultra super OTARIOSSSSSSSSSSSSSSSS, PT SATANIZADO E MEFISTOENTE NUNCA DE NUNCA DE NUNCA OU SEJA NUNCA MAIS

  3. E olhei por uma rachadura na parede e vi uma fumaça grossa subindo de um incensario e nas paredes toda sorte de idolos sendo adorados,e o que ali estava sendo falado ate repetir e profano.Esta descriçao esta me certo livro,de certo profeta no velho testamento,e descreve o que ocorre em gabinetes politicos,escritorios de corruptos e escritorios de mercenarios da fe donos de igrejas ou presidentes de instituçoes.Se vc ficou curioso comec a ler os profetas do antigo testamento tao esquecidos por conveniencia e medo pelos falso mestres que hoje sobem nos “pulpitos da hereticas igrejas comerciais.”

  4. Somos, de acordo com o IBGE, 44 milhões de evangélicos neste País. Fico pensando nesse gigante adormecido que não consegue sequer se posicionar e mostrar para o povo brasileiro que somos contra a corrupção, que temos um projeto para resolver o problema da saúde no Brasil, que a violência é uma questão de educação associada à pobreza, que as drogas tá matando os nossos jovens e que o poder do evangelho consegue recuperar o dependente químico em pouco tempo e com pouco dinheiro. Fico pensando numa igreja forte e poderosa com líderes fracos e sem visão de reino, uns puxando para um lado, outros para outro, cada um com sua visão míope. A CGADB sinaliza em direção ao Pastor Everaldo. Seria vergonhoso se fosse para outro rumo. O Bispo Valdemiro Santiago está procurando o Lula, o bispo Edir Macedo já doou, segundo a imprensa, 10 milhões de reais para a campanha de Dilma, a CONAMAD (AD Madureira) apoia também o Pastor Everaldo, as demais denominações Batista, Presbiteriana, Metodista, Brasil para Cristo, Deus é Amor, Igrejas de Deus e de Cristo, CONADI, Adventista, bem como as centenas de neopentecostais espalhados Brasil afora, se dividem cada uma pro lado dos seus interesses e conveniências. Só ouço o Pastor Silas Malafaia gritar sozinho na televisão contra o mal instalado na Esplanada dos Ministérios. Diria que Deus abriu a mente de alguns que fazem parte da bancada evangélica no Congresso Nacional, que como disse a professora Magali Cunha, não mais se preocupam com criação de feriados e de benefícios para templos, mas se posicionam contra o casamento homossexual, legalização do aborto e das drogas, entre outros males que o Estado quer impor à sociedade brasileira. Fico pensando, também, quando ligo a TV e me deparo com tantos canais da Igreja Católica (Aparecida, Canção Nova, Rede Vida, etc.), que a gigante Assembleia de Deus, se perdeu no tempo e não tem sequer uma rede nacional de TV e Rádio e nunca se preocupou em ter uma Universidade. Vive pendurada em horários daqui e dali, entra no ar hoje, sai amanhã, assina contrato com uma REDE hoje, amanhã aparece outra denominação cobrindo a oferta e aí lá vai o programa pro beleleu. Finalmente, fique pensando e me pergunto: aonde vamos chegar com tanta pobreza de espírito, falta de ideia, união, força e, sobretudo, falta de inteligência. Somos um gigante sim, os números mostra que somos, mas, adormecidos e sem previsão de se despertar. Unidos seremos mais fortes! Por que não lutar por um projeto de Estado e apresentar ao povo brasileiro um plano de governo capaz de extirpar dessa nação o câncer da corrupção, o espírito da insensibilidade e alma ineficiente? Fico pensando quando é que vou parar de pensar. Espero que o Pastor Everaldo tenha pelo menos a votação da Marina Silva nas eleições de 2010, esta, por sua vez, em quem eu depositava (com restrição) as minhas esperanças, seria a bola da vez nesta corrida ao Planalto, mas quis ser vice de quem não decola. E agora, alguém tem alguma sugestão?

DEIXE UMA RESPOSTA