David Fantazzini testemunha superação da depressão e vitória contra a obesidade

0

David Fantazzini é um nome que integra o cenário gospel desde os anos 1990 e, silenciosamente, lutava contra a depressão. Ex-vocalista da banda Praise Machine, ele chegou a lançar quatro álbuns solo nos anos 2000 e ficou nacionalmente conhecido por ser semifinalista do reality musical Fama, da TV Globo, em 2002.

Aos 26 anos, Fantazzini chegou ao ápice dos problemas de saúde: 26 anos, 150 kg, e uma compulsão por comer causada por traumas da infância. Na mesma época, o sucesso batia à porta, com a oportunidade de vencer um dos principais programas de calouros da época.

Ao ser eliminado do programa, decidiu que precisava se cuidar: “A música foi uma válvula de escape para a minha depressão. Optei pela saúde ao invés da imagem conhecida pelo público”, disse David Fantazzini ao G1, lembrando de quando decidiu fazer a cirurgia bariátrica.

Hoje, aos 40 anos de idade e com 73 kg a menos, Fantazzini vive em Sorocaba (SP), onde é pastor da Bola de Neve Church. “Hoje sou realizado e ajudo pessoas por meio de ações sociais. Seja estimulando a prática de exercícios ou dando conselhos, como pastor. Eu sentia uma felicidade gigantesca quando escutava uma música minha na rádio, mas, hoje, sou feliz e tenho dentro de mim o sentimento: ‘sou capaz, eu consigo”, pontuou.


Trauma

O caminho para a obesidade e a depressão resultante dessa situação foi o medo de passar fome na infância, quando sua família enfrentou uma crise financeira: “Íamos às festas de crianças e eu comia até não aguentar e vomitar”, contou. Quando terminava de pôr tudo para fora, comia mais. “Chegou ao ponto de meus pais cortarem visitas para que isso não acontecesse”, relembrou.

A única constante em sua vida, desde essa fase problemática até a vida adulta, foi a música. No Fama, acreditava que venceria a competição: “Estava confiante e, de verdade, achei que seria um finalista. Mas, mesmo que não tenha sido essa a minha missão, foi algo que trouxe muitos benefícios no meio artístico”, disse, referindo-se à consolidação de seu nome nos bastidores do meio gospel como artista talentoso.

Até essa época, sua maior realização pessoal tinha sido à frente da Praise Machine, banda ligada à Igreja Renascer em Cristo que havia lançado alguns álbuns pela extinta Gospel Records.

No Fama, fez amizades com artistas seculares, e também construiu boa reputação. Entre os mais próximos estão o cantor Thiaguinho (ex-Exaltasamba) e a sambista Roberta Sá.

“Ele [Thiaguinho] era uma pessoa do bem e lembro que logo ficamos colegas. Eu vi ele começando e fico orgulhoso pelo artista que se tornou e pela carreira que construiu. Quase todos os participantes daquele tempo estão em um grupo que conversamos pelo celular, menos ele e mais uma. Mas entendo que a carreira o tenha distanciado, não é fácil a vida de um artista, é corrida demais”, explicou.

Cura

Ao sair eliminado do Fama, David Fantazzini decidiu que precisava se livrar do peso que tinha e de hábitos alimentares prejudiciais, como comer até 22 pedaços de pizza.

“Depois do programa tomei a decisão de fazer uma cirurgia de redução no estômago. Mudar os hábitos era uma necessidade para não sofrer no futuro. No primeiro mês eu me arrependi. Eu estava acostumado a comer muito e, do nada, ter que tomar sopa por um longo tempo, não foi nada fácil, mas superei”, contou.

Agora, usa sua experiência e testemunho de superação para cuidar da esposa e dos filhos, além de ajudar pessoas com dificuldades parecidas: “Aprendi a comer devagar e faço musculação. São novos tempos, não como mais um quilo e meio de comida de uma vez”, comemorou.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA