No Encontro, Thalles fala sobre a necessidade de dar exemplo: “É difícil ser referência”

7

O cantor Thalles Roberto participou do programa Encontro com Fátima Bernardes na última quinta-feira (13), e falou sobre seu passado de dependência química, sobre seu novo projeto musical e também sobre o exemplo que as pessoas com grande visibilidade na mídia precisam dar.

O assunto girava em torno do caso em que o juiz João Carlos de Souza Correa foi parado numa blitz da Lei Seca e não portava a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e o carro estava sem placas. Na operação, o juiz se desentendeu com a agente de trânsito depois que ouviu dela que ele não era “deus”, apesar de sua profissão. Na Justiça, o juiz terminou por receber uma indenização de R$ 5 mil por danos morais.

“É muito difícil ser referência para as pessoas. Eu não sou perfeito. Mas as pessoas te acompanham, ouvem o que você fala e é muito difícil dar exemplo. Eu, por exemplo, não tenho carteira de moto, mas comprei esses dias uma moto para mim. Quando fui sair de casa, a minha esposa me falou: ‘Amor, você não pode andar de moto sem habilitação para isso. Precisar dar exemplo’. Então eu estou há algum tempo com ela na garagem, esperando”, relatou o cantor, que destacou sua grande influência nas redes sociais.

Por outro lado, Thalles Roberto afirmou que é imprescindível que as pessoas aprendam a valorizar os bons exemplos, independentemente de quem os dá: “Nós temos que ser reconhecidos pelo exemplo que nós damos e não pela nossa profissão, ou pela carteira [que usamos]”, ponderou.


Além de participar do debate promovido pela apresentadora, o cantor também cantou no programa, abrindo sua participação com a música “Arde Outra Vez”, e comentou sobre a iniciativa que teve de doar uma parte das vendas de seu novo álbum, “Id3”, para o projeto social-missionário MCM.

“O meu primeiro disco explodiu, foi um sucesso, incrível. A gente vendeu, um projeto ao vivo em estúdio, mais de um milhão de cópias. E eu tinha tanto problema, financeiro, tive [um período como] dependente químico… Então, eu torrava tudo com drogas, loucura. E o meu disco passado [Sejam Cheios do Espírito Santo), eu passei resolvendo meus problemas do passado, e fazendo uns investimentos, coisas da minha família, que a gente não tinha. Esse projeto novo, ‘Id3’, era o meu projeto da independência financeira. ‘Agora vou vender muito, e ficar tranquilo’. E eu fiquei sabendo de uma história de meninas no Nepal, que com seis anos de idade são vendidas pelos pais para serem escravas sexuais. Quando eu ouvi essa história, um sininho tocou na minha cabeça e disse ‘você vai dar a renda do seu CD e do seu DVD’.  Esse dinheiro é usado para comprar essas meninas. É um projeto chamado MCM. Eles compram as meninas, tiram elas da escravidão, e dão uma vida de criança [a elas]. Eu falei: ‘mas esse projeto, é a minha liberdade’. E a gente abriu mão de vender o disco e ficar com a grana pra gente pra ajudar a melhorar a vida dessas meninas. Imagina uma menina de seis anos… Tem meninas de sete a oito anos, que são estupradas 20 vezes por dia, e com nove anos estão se submetendo a cirurgias de reconstrução vaginal para serem revendidas como virgens. Então é uma honra poder [saber] que cada disco que vende, meninas vão ser salvas”, relatou Thalles.

7 COMENTÁRIOS

  1. Quem falou pra esse coitado que homem algum é rferncia de santidade? Santo só o Senhor Jesus . Ele sim é a referencia para todo e qualquer cristão. Não esses cantores que cobram milhares de reais para cantar, porque louvar eles estão longe.

  2. Lamentável o nefasto corporativismo no TJRJ, porém, devemos perdoar o irmão João Carlos de Souza Correa que exerce o cargo de juiz de direito no referido tribunal, cujo salário é pago pelos contribuintes, sem distinção de classe. O orgulho, a vaidade, a prepotência e a ignorância do nobre magistrado sucumbirão diante da Carta Universal, conforme está escrito em Gênesis Capítulo 3, Versículo 19. Além disso, o comportamento do nobre juiz é perfeitamente compatível com a parábola do juiz iníquo, segundo Lucas, Capítulo 18, que diz:: ” Havia em certa cidade um juiz que não temia a Deus , nem respeitava pessoa alguma …”.
    O combustível do mundo em que vivemos são duas (02) forças antagônicas, ou seja: 1)” Força do Bem”; 2) “Força do Mal”. No momento existe pequeno domínio da “Força do Mal” em forma de energia diabólica sobre o ser humano.
    Destarte, OREM pelo cidadão João Carlos de Souza Correa pedindo ao Supremo Criador do Universo que o desvie do abismo das trevas, onde predomina a escuridão da energia do MAL.

    Fraternalmente,

    Ambrósio da Cruz Viana.

  3. sei que meu comentário referente ao cantor Thalles Roberto não muda o pensamento de alguns idolatras deste ser destituído de qualquer coisa que se diga evangélica.
    O cantor Thalles Roberto escreve letras pobres e desprovida de boa teologia e creio que por s ignorância e principalmente para manipulação religiosa e atrair gente para seus shows altamente caro e com fins financeiros. Até quando a igreja brasileira continuará consumindo lixo?”
    ele não tem responsabilidade nenhuma em passar nada, não sabe nem para ele quando se trata de santidade (ser separado para Deus).
    Ele se utiliza de inumeros sinais ocultos para mostrar aos parceiros ocultistas a quem ele serve.

  4. que referencia este mercenario tem os altos caches que ganha as custos desse show buziness ala religiao,juntamente com imperio multi milionario,da igreja batista maçonaria lagoina,da familia valadão quem conhece a verdadeira historia desse espertalhão chamados Thalles roberto,a frustada queda dele como back vocal do J quest,a passagem dele foi muito rapida,e o rapaz ai tao idolatrado pelo atual $how buzzines go$pel no nomento,viu que o barco de la estava afundando atolado em nostalgias,decepções pulou pro barco esta emergindo o do gado go$pel,este cara e mesmo um cara de pau,deveriam ungir a cara dele com oleo de peroba…

    outro comedor de grana,isso e o espirito desta religiao criada por roma chamada de cristianismo.

    veja o status da outra materia

    Reality show gospel quer descobrir novo Thalles; AssistaMercado gospel movimenta R$ 1,5 bilhão e

    esta TATICA DA PILANTROPIA E VELHA DEMAIS,rsrsrsr e a desculpa de ajudar os doentes,os necessitados mais pensando na venda volume de cds,produtos esse mercantilismo protestante e uma aberração so..

  5. TODOS ESTES ARTI$TAS PROTE$TANTE$,sao controlados pela maçonaria todos estes estao na midia,com poderio,grana,fama,ninguem chega la por que e bom,bonito,por que e super isso e aquilo,o cara tem uma cartilha a seguir,isso que chamam erroneamente de louvor nunca foi e nunca sera louvor que Sh’aul ensinou nas escrituras foi estes citados em hebreus:

    Portanto, ofereçamos sempre por ele a YHWH sacrifício de louvor, isto é, o fruto dos lábios que confessam o seu nome.

    Hebreus 13:15

    toda vez confessamos ao eterno,em nossos labios isso e louvor….nada a ver com essas patifarias protestantes…

DEIXE UMA RESPOSTA