Estudos querem comprovar a contribuição da fé para evitar ou recuperar problemas no coração

1

A máxima de que a fé ajuda de forma prática na vida e contribui de maneira significativa para a saúde está se tornando alvo de estudos médicos.

No próximo 68º Congresso Brasileiro de Cardiologia, que acontecerá em setembro, no Rio de Janeiro, um dos temas tratados pelos profissionais será a importância da espiritualidade na recuperação de pacientes com problemas cardíacos.

“Baseado em alguns casos, resolvemos estudar se a religiosidade realmente faz com que os pacientes adoeçam menos e tenham menos problemas cardiovasculares”, explica o cardiologista Álvaro Avezum, do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia, localizado em São Paulo.

O estudo leva em consideração as diferenças entre espiritualidade e religiosidade, que são significativas no âmbito da ciência. A religiosidade está intimamente atrelada às crenças e cultos, enquanto a espiritualidade refere-se à forma como a pessoa lida com as dificuldades diárias e como absorve os sentimentos.


“Pesquisamos se, antes de o problema celular se manifestar no corpo, o agir e o pensar podem antecipar essa desorganização celular”, contextualiza o médico cardiologista.

Um levantamento feito junto a colegas de profissão leva Álvaro Avezum a frisar que “algumas escolas médicas afirmam que pessoas assíduas a um determinado culto religioso ou que se apegam à religião têm uma evolução melhor” em tratamentos de saúde.

Ainda sem uma conclusão sobre o tema, é possível que a ciência descubra o que muitos fiéis já adotam como verdade. “Sem fé, a vida se torna muito mais curta”, disse o aposentado  João de Oliveira, ao jornal Extra.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+


1 COMENTÁRIO

  1. Da forma como as pessoas se vêem nas igrejas, com invejas, ciúmes, dissenções, fofocas e otras cositas mais (vide recentes escândalos evangélicos). A pesquisa pode se tornar inócua, tamanhos os problemas causados pela religião!

DEIXE UMA RESPOSTA