Evangélica lamenta perda do marido e diz que “não deseja mal” ao assassino: “Não leva a nada”

5

A esposa de um homem assassinado a sangue frio concedeu uma entrevista e, com palavras de perdão, disse que não se deve “pagar o mal com mal”. A postura nobre da viúva comoveu uma cidade inteira, que havia ficado revoltada com o crime.

O frentista Márcio Rangel, 42 anos, evangélico, foi morto a tiros durante um assalto ao posto de gasolina onde trabalhava. O criminoso ainda revirou os bolsos do rapaz agonizante e levou R$ 74. A divulgação das imagens da câmera de segurança revoltou os moradores da cidade de Franca, no interior paulista.

Policiais da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) chegaram ao criminoso um dia após o enterro do frentista, e o prenderam. No momento da abordagem, Hyago de Paula Rodrigues, 22 anos, empinava pipa próximo à residência de sua irmã, e confessou o crime. Em depoimento, afirmou que precisava do dinheiro e o frentista teria reagido.

Frentista assassinado
Frentista assassinado

Ainda em luto, a esposa do frentista – que preferiu não ser identificada – afirmou ao site GCN que deixou o caso para que Deus resolva: “A gente crê que Deus sabe de todas as coisas. Não quero mexer com isso. Quero guardar o luto. O que ocorreu com meu marido foi uma fatalidade. Aconteceu o que tinha que acontecer”, disse.

Demonstrando consternação com o fato, ela manteve a serenidade e expressou sua forma de confiar em Deus: “O que tenho a dizer é que não desejo mal de ninguém. Nem desse moço. Se meu marido estivesse vivo hoje, ele não desejaria o mal dele. Não podemos pagar o mal com o mal”, resumiu.

Toda a família é evangélica, e a fé, segundo a viúva, tem sido fundamental para suportar a dor da perda: “Remexer nisso não leva a nada. Muita gente gostava do Márcio e só temos a agradecer pelo apoio. Temos de aceitar a vontade de Deus. A gente tem de ser diferente. Espero que Ele conforte a família desse moço”, finalizou, emocionada.

Uma das filhas do casal seguiu a mesma linha, e desejou que o criminoso mude de vida: “A dor não vai passar, mas desejamos que o Hyago e a família conheçam Deus. Espero que, quando isso tudo passar, ele seja uma pessoa muito melhor”.

5 COMENTÁRIOS

  1. Evangélicos perdoam corruptos, ladrões, assassinos e tudo o que não presta, mas quando se trata de gays a conversa é outra, é na p/o/r/r/a/d/a como ensinou Malafaia.

    • Perdoar, a quem quer perdão.
      vc. quer perdão eu te perdoo, pronto perdoado agora, te pergunto qual caminho vais seguir?.
      Com Cristo sem blasfemar contra Deus.
      Ou vai continuar a escarnecer dele dizendo que vai para o céu, praticando atos promíscuos.

      • jose carvalho.

        parabéns, sabias palavras..

        é isso mesmo, só verá a glória de DEUS, quem se purificar, ir pro céu tudo mundo quer iro, mais fazer a vontade de DEUS, são poucos..

        • ZEZE
          Obrigado irmão! estou indignado com estes homens que usam da palavra do sr. para ativismo gay.
          Pior não vejo nenhuma,moderação nem no linguajar e menos ainda em ofensas pessoais.

      • E quem disse que o assassino pediu perdão, José Carvalho?

        Aqui em Curitiba algumas semanas atrás um ladrão frio e cruel assassinou covardemente uma atendente de loja de venda de celulares que sequer reagiu, e, capturado alguns dias depois, disse não estar arrependido, mas tenho certeza de que não faltarão evangélicos para visitá-lo na prisão. Agora, com os gays vocês agem muito diferente, já que nos perseguem o tempo todo, lutam covarde e desonestamente contra nossos direitos civis e ainda nos apresentam como inimigos de Deus, da igreja e da familia sempre no contexto de imbecilizantes teorias conspiratórias. Moral da história: para evangélicos qualquer ladrão, assassino e psicopata tem mais valor que um gay honesto, trabalhador e que reivindica apenas direitos civis igualitários.

DEIXE UMA RESPOSTA