Garotinho teria recebido caixa dois da Odebrecht em escritório de loja evangélica

0

O ex-governador do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho (PR) teria negociado e recebido caixa dois no escritório de uma loja virtual evangélica, no Rio de Janeiro (RJ), de acordo com uma delação premiada da Lava-Jato.

A acusação foi feita pelo ex-superintendente da Odebrecht no Rio de Janeiro, Leandro Andrade Azevedo, em depoimento ao Ministério Público Federal (MPF) na Operação Lava-Jato.

A loja virtual em questão, Palavra de Paz, é de propriedade do próprio Garotinho, de acordo com informações do G1. Os valores que o político evangélico teria recebido somam R$ 20 milhões, sendo que parte da soma teria sido repassada pela empreiteira via caixa dois.

Os R$ 20 milhões foram divididos entre as campanhas de 2008, 2012 e 2014. Nas duas primeiras eleições, Garotinho havia solicitado R$ 5 milhões para as campanhas de sua esposa, Rosinha Mateus, que concorreu à prefeitura de Campos dos Goytacazes, região norte do estado.


Em 2014, quando o próprio Garotinho disputou as eleições para o governo do Rio de Janeiro, ele voltou a solicitar dinheiro à Odebrecht, dessa vez, R$ 10 milhões, e parte dos valores foram repassados, segundo o delator, como doação oficial de campanha, enquanto o restante foi entregue via caixa dois.

Azevedo afirmou que em 2008, foi apresentado a Garotinho por Benedicto Júnior – seu superior na empreiteira e também delator da Lava-Jato -, em uma reunião com o ex-governador, no escritório da livraria evangélica. Nesse encontro, foram acertados os valores a serem repassados.

O executivo acrescentou que voltou ao local uma semana depois, sozinho, para acertar com Garotinho os detalhes dos pagamentos, e o ex-governador teria indicado as pessoas que seriam responsáveis por receber os valores.

O ex-governador afirmou, através de sua assessoria de imprensa, que nenhuma das afirmações feitas por Leandro Andrade Azevedo é verdadeira e que é vítima de uma “vingança”.

[ATUALIZAÇÃO 16H12]

A assessoria de imprensa do ex-governador Anthony Garotinho entrou em contato com o Gospel+ para reiterar que não houve recebimento de valores não oficiais da Odebrecht, e frisar que a empresa citada na delação não é uma loja física, e sim, um e-commerce, que vende artigos evangélicos em seu site. 
Abaixo, a nota oficial do casal Garotinho na íntegra:
Os ex-governadores Anthony Garotinho e Rosinha Garotinho negam que tenham recebido qualquer contribuição irregular da Odebrecht. Como os próprios delatores afirmaram, não houve benefício pessoal para eles ou favorecimento à empresa em nenhuma obra. Afirmam ainda que, se a petição virar inquérito, ficará claro que os delatores estão mentindo, já que não apresentaram nenhuma prova do que falaram. 
Anthony Garotinho acrescenta que a delação da Odebrecht contra ele é movida por vingança, pois foram de sua autoria as denúncias das obras da Odebrecht que geraram propina no governo Sérgio Cabral, e que resultaram na prisão dele e de outros corruptos.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA