Padre responde porque a Igreja Católica não permite o casamento de pessoas “inválidas”

24

O sacramento do matrimônio é cercado de dogmas e regras em todas as tradições religiosas, inclusive entre as diferentes vertentes do cristianismo. Muitas dessas regras são motivos de polêmica e, muitas vezes, não são compreendidas pela maioria das pessoas. Entre tais regras que motivam polêmica está a da Igreja Católica em não permitir o casamento de uma pessoa “inválida” ou impotente sexualmente.

Em um artigo no site Aleteia, o padre Francesco Romano, professor de Direito Canônico, respondeu a um questionamento sobre o assunto, baseado no fato de recentemente o bispo de Viterbo ter negado a um casal de noivos a possibilidade de casar-se pela Igreja depois que o noivo ficou inválido devido a um acidente.

Em sua resposta, o principal argumento apontado pelo professor é o entendimento do casamento pela Igreja Católica, não como apenas uma união por amor, mas como um “consórcio íntimo de toda a vida, ordenado por sua índole natural ao bem dos cônjuges e à procriação e educação da prole”.

– O amor natural é uma realidade psicológica muito importante, poderíamos dizer prévia, mas indeterminada, não qualificável nem quantificável. O casamento, de fato, nasce e se funda não sobre um genérico sentimento volúvel, mas sobre o consenso como ato de vontade que duas pessoas manifestam – afirmou Romano.


– Em outras palavras, o casamento não pode depender somente de um sentimento natural como o amor, bastante volúvel e imprevisível por natureza – completou, ressaltando que para os cristãos, o casamento “é um sacramento que transforma os esposos em sinal e participação do mistério de unidade e amor fecundo entre Cristo e a Igreja”.

O padre citou ainda o Código de Direito Canônico para explicar que, por meio do pacto conjugal, os esposos manifestam seu consentimento, ou seja, “constituem entre si o consórcio íntimo de toda a vida, ordenado por sua índole natural ao bem dos cônjuges e à procriação e educação da prole”.

– Este “consórcio”, como ato voluntário, que o diferencia da união de fato, não tem somente uma extensão temporal, mas expressa o envolvimento total dos dois cônjuges em todas as suas dimensões comunicáveis, tanto no âmbito psicológico como físico, até tornar-se “uma só carne”, de maneira irreversível, até a morte – explica o padre Francesco Romano.

Citando novamente o Código de Direito Canônico, o padre explica que a impotência sexual, de qualquer natureza, “impede a pessoa de realizar a união sexual conjugal”.

– A incapacidade de realizar o ato conjugal impede, além disso, de assumir os atos idôneos para a procriação, à qual, por natureza, o casamento é ordenado – explica o religioso.

24 COMENTÁRIOS

  1. A igreja catolica tem esse poder dado por deus,tudo que ligardes na terra sera ligado no ceu,foi a promess de jesus.as vezes no nosso sentimento humano nao consigamos entender os motivos,mas a igreja e sua decissoes tem algo sobrenatural , por isso jesus disse quem vos ouve,a mim ouve,quem vos rejeita,a mim rejeita,e aquele que me enviou. Por isso os catolicos confiam na santa igreja catolica.

    • Roberto,

      O primeiro ponto é a interpretação deste versículo, a melhor tradução para ele é a da NVI:

      “Eu lhe darei as chaves do Reino dos céus; o que você ligar na terra TERÁ SIDO ligado nos céus, e o que você desligar na terra TERÁ SIDO desligado nos céus”. – Mateus 16:19

      Ou seja, o agente é Deus e não à igreja.

      Em segundo lugar, neste texto Jesus se refere à Pedro e não à igreja:

      “E eu lhe digo que VOCÊ É PEDRO, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do Hades não poderão vencê-la. Eu LHE DAREI as chaves do Reino dos céus; o que VOCÊ ligar na terra terá sido ligado nos céus, e o que VOCÊ desligar na terra terá sido desligado nos céus”. – Mateus 16:18-19

      Em suma, Pedro de fato foi quem liderou os Apóstolos após o Pentecostes e no inicio da igreja foi o enviado de Deus para dar inicio à pregação do evangelho. Após isto Cristo levantou ao Apóstolo Paulo afim de que ele fosse o Apóstolo dos gentíos.

      sinto em dizer mas o catolicismo não está nesta passagem sob nenhum aspecto.

    • Roberto, isto so funciona para quem nunca investigou a traducao da biblia no grego a lingua original do novo testamento .Meu amigo Pedro e pedra no texto de mt 16/18 sao palavras diferentes.Pedro Petros,- pedra ou homem pedra,pequena pedra, pedra fragil e sobre esta pedra e substantivo feminino referindo-se a Jesus a Pedra angular Atos 4/11,1co10/4,observe efesios 2/20,21 e 1 pedro 2/6.Um abraco e nao engula -estude.

DEIXE UMA RESPOSTA