Igreja Católica deverá acolher gays e divorciados que a busquem, diz documento sobre família

51

O propósito do papa Francisco de promover uma reforma na Igreja Católica que a torne mais inclusiva e próxima da realidade da sociedade está sendo levado adiante, e um documento com as bases dessa reforma passará a ser discutido durante a 3ª Assembleia Geral Extraordinária do Sínodo dos Bispos sobre a Família.

A reunião dos sacerdotes católicos deverá ratificar, dentre outros, dois itens que constam do relatório precedente ao debate: a definição de que divorciados pertencem à Igreja e que os homossexuais não devem ser discriminados.

Durante duas semanas os padres sinodais, bispos com voz e voto na assembleia, debaterão o assunto, com a missão de chegar a um consenso que permita à Igreja Católica ser vista de forma mais inclusiva por seus seguidores e acolher os que hoje são ignorados por conta da doutrina atual.

De acordo com informações da revista Exame, o texto aponta que há amplo consenso de que as “pessoas de tendência homossexual não devem ser discriminadas, como recalca também o Catecismo da Igreja Católica”.


Porém, o cardeal húngaro Peter Erdo, presidente-delegado do Sínodo, frisou que o relatório deixa claro que a pregação contra a discriminação dos homossexuais não significa que a Igreja Católica vá aceitar “uma equiparação destas relações [homossexuais] com o casamento entre homem e mulher”.

Com relação aos divorciados, haverá um capítulo especial sobre aqueles que voltam a se casar. Para os bispos, esse “é um dos desafios pastorais mais prementes” que a Igreja tem em mãos, e deve cuidar “deles de modo especial”.

“Os divorciados recasados civilmente pertencem à Igreja, precisam e têm o direito de ser acompanhados por seus pastores”, diz o relatório, que prevê que os “recasados” sejam convidados a fazer parte da Igreja, ouvindo a Palavra de Deus, participando da liturgia e das orações, além de realizar obras de caridade.


51 COMENTÁRIOS

  1. O Cardeal Peter Erdo, relator geral do Sínodo Extraordinário dedicado aos “Desafios pastorais da família no contexto da Nova Evangelização”, que está sendo celebrado no Vaticano entre os dias 5 e 19 de outubro, recordou que o matrimônio sacramental nunca poderá dissolver-se por vontade dos próprios contraentes.

    Com fundamento nos conteúdos do Instrumentum laboris, fruto também das respostas dadas no questionário elaborado pela Secretaria do Sínodo, o Cardeal Erdo afirmou em uma entrevista concedida à revista italiana Rossoporpora e publicada em 2 de outubro que “podemos concluir que a maioria dos católicos do mundo sabe que o matrimônio sacramental é indissolúvel por vontade dos próprios contraentes. Não é uma relação no tempo, não se pode dissolver”.

    “Há um grande acordo em relação a isso, não por motivos teológicos abstratos, mas por motivos bíblicos e de Catecismo da Igreja”, acrescentou.

    Durante o Sínodo da Família, a tarefa do Cardeal Erdo será moderar e recolher as contribuições que surgirão do debate entre os padres sinodais, para cujo desenvolvimento, convida a “ser fiéis ao método usado durante o Concílio Ecumênico Vaticano II, com argumentos teológicos grandes e profundos cujos resultados se ofereceram à vida da Igreja”.

    “Devemos comunicar-nos com os homens e mulheres de hoje para que os valores do Evangelho não sejam somente aceitos, mas também sejam atrativos, capazes de fazer a nossa vida feliz. Este é o grande desafio”, destacou.

    O Cardeal Erdo tem 62 anos, foi Arcebispo de Esztergom-Budapeste e primado da Hungria. Desde 2006 é Presidente da Conferência Episcopal Europeia.

    Em referência à polêmica desatada sobre a administração do Sacramento da Comunhão aos divorciados recasados, proposta pelo Cardeal alemão Walter Kasper para o Sínodo, o Cardeal Erdo explicou que “este não é o tema central do debate”.

    Na Igreja Católica, as pessoas divorciadas recasadas têm um acesso diferente ao sacramento da comunhão em relação ao resto dos fiéis, pode dar-se somente de modo espiritual. O motivo é que durante o matrimônio os cônjuges fazem um pacto com Deus, e Deus faz um pacto com eles, criando um sacramento indissolúvel, dentro do qual não tem sentido algum uma segunda união.

    Nesta linha e segundo os dados obtidos do questionário enviado às conferências episcopais para a elaboração do Instrumentum Laboris do Sínodo em referência a todos os âmbitos da família, o Cardeal Erdo explicou que “na maioria dos países, tais divorciados não pedem nada”.

    “Em muitos países, explicou, é muito raro que os divorciados recasados queiram voltar para a comunhão. Muitos divorciados celebraram o seu primeiro matrimônio na Igreja, mas depois não se preocuparam em frequenta-la e, portanto, para eles, a questão da readmissão aos sacramentos não é algo importante, nem lhes supõe um problema. Em algumas regiões inclusive, os divorciados recasados não sabem nem sequer que não podem aproximar-se a certos sacramentos”.

    Para o Cardeal Erdo, o debate desatado a respeito deste sacramento e as pessoas em segunda união, encontra sua explicação em “pessoas de 40 anos ou mais que começam a conhecer verdadeiramente a fé, provavelmente através dos amigos”.

    “São pessoas batizadas, que celebraram seu primeiro matrimônio na Igreja, e depois, do ponto de vista católico ficaram parados aí. Nunca foram realmente praticantes. Divorciados e recasados, depois de um caminho de aproximação à fé, começam a compreender que a sua situação matrimonial não é compatível com o redescobrimento da fé”, assinalou.

    Do ponto de vista pastoral, o cardeal indicou que esta é uma oportunidade para explicar o verdadeiro valor do matrimônio, refletir sobre o passado, e sobre os motivos do desafio matrimonial. “Pode acontecer que, aprofundando em sua história, descubram motivos reconhecidos pela Igreja como elementos potenciais de declaração de nulidade do primeiro matrimônio. Caso isso aconteça, a sucessiva sentença eclesial de nulidade do primeiro matrimônio não será apenas um ato oficial, formal para poder considerar válida a segunda união, mas uma verdadeira e própria libertação psicológica e pastoral”, afirmou.

    Para o Cardeal Erdo, o principal inimigo da família é a tendência atual de conviver sem estar casados. Trata-se de “um problema global que estatisticamente é a mais relevante de todas as questões”. “As pessoas já não se casam. Na Hungria, mais de 50 por cento dos casais, de qualquer idade, convive sem forma alguma de instituição, nem religiosa nem civil”.

    “O matrimônio e a família não são somente uma realidade espiritual, mas têm uma incidência na sociedade, portanto, querendo ou não, assumem um papel institucional importante”, ressaltou.

    Por último, o Cardeal Erdo indicou que a competência do Sínodo será falar do matrimônio no contexto da evangelização, “um tema muito importante, comprovado pela realidade dos fatos”. “Em muitos continentes as famílias se converteram no núcleo operativo paroquial, fazem o trabalho de caridade e o anúncio entre os não crentes”, concluiu.

    Fonte: ACI

    • Marcos, o G+ tem mania de publicar os achismos dos meios seculares, por isso vou na fonte e post com conteúdo real.

      Ou seja, o sínodo está avaliando a questão dos divorciados na Igreja Católica. Está longe de decidir algo sobre o assunto.

      • mauro,

        Pelo que eu vi não há nenhuma referência à questão da homossexualidade, estou correto? Confesso que li rapidamente pois está meio corrido aqui pra mim.

        Se for isso mesmo é estranho, pois, saiu em tudo que é lugar essa informação, tudo bem, que há uma força descomunal de todos os lados afim de implantarem a agenda LGBT.

      • Exato Marcos, não saiu nada sobre uma temática lgbt. A questão da não discriminação já é uma instrução prevista em nosso catecismo.

        O sínodo só aborda temas pertinentes as famílias.

        • mauro,

          Vi uma matéria na Folha de São Paulo que abre desta maneira:

          O Papa Francisco pediu aos Bispos nesta segunda-feira (6) paar opinar sem medo sobre questões contenciosas como contracepção, gays, casamento e divórcio.

          Depois desta introdução nada é mencionado acerca da agenda LGBT, somente sobre a questão do divórcio.

          Nitidamente uma forçassão de barra da mídia.

  2. Segundo dia do sínodo sobre a família: um resumo dos trabalhos no Vaticano.

    Na manhã desta terça-feira, 7 de outubro, no Vaticano, os padres sinodais deram continuidade às intervenções no sínodo sobre a família. Nesses dois primeiros dias foram 70 padres sinodais que falaram durante as conferências e as intervenções.

    A terceira Congregação geral teve prosseguimento com o tema previsto segundo a ordem do Instrumentum laboris: “Evangelho da família e lei natural” (1 parte, Cap 3) e “A família e a vocação da pessoa em Cristo” (I parte, Cap 4).

    Ao início da Congregação, o cardeal Sodano, por designação do Papa Francisco, anunciou que o Consistório convocado pelo Papa para o próximo dia 20 de outubro será dedicado à situação do Oriente Médio, com base nos resultados da reunião de alguns Representantes Pontifícios e dos Superiores dos Dicastérios competentes, na última semana. O tema do Consistório será representado pelo cardeal Pietro Parolin, secretário de Estado, e terá presença de seis Patriarcas orientais e do Patriarca latino de Jerusalém, S. B. Fouad Twal.

    A questão das dificuldades das famílias do Oriente Médio, diante da realidade do conflito, foi tema das intervenções dos padres sinodais. Essas famílias vivem em situações dramáticas pelo fato de defenderem e viverem a fé, fato que reflete em suas vidas. Uma das propostas dos interlocutores foi que o sínodo seja uma mensagem de aproximação a essas famílias.

    Alguns pontos que se destacaram das intervenções foram apresentados no briefing de hoje.

    É preciso uma abordagem progressiva onde existe um caminho por onde o fiel se aproxima do que é ideal da família cristã e do casamento cristão. O tema da abordagem progressiva foi tocado com considerações aprofundadas, em particular a analogia com a qual o Concílio Vaticano II diz que existem elementos importantes e preciosos para a santificação também fora da Igreja Católica. Uma pessoa pode entender que existe uma visão plena e ideal docasamento e da família cristã, mas também existem elementos válidos e importantes de santificação e amor verdadeiro mesmo quando não se alcança esse ideal.

    Catequese matrimonial

    É importante ter conhecimento do Magistério da Igreja, sendo relevante a preparação de catequeses para o casamento. Surge também a preocupação em dar continuidade às etapas da vida cristã, a fim de que exista uma coerência. Uma evangelização com continuidade e não episódica.

    Temas importantes do dia de hoje estão ligados e aprofundados na questão exegética, leitura das passagens do Evangelho sobre ocasamento, desta forma não se coloca em dúvida a vontade de Jesus, mas se encontram também momentos de dificuldades daquela época, mostrando que era preciso lutar para alcançar a vontade de Jesus. A problemática de colocar em prática as exigências radicais do Evangelho acompanha toda a história da Igreja.

    Posicionamento da Igreja

    Muitos padres sinodais deram exemplos de modelos de pastorais familiares com serviços de preparação para a família. Foi proposto também como tema o acompanhamento daqueles que se encontram em dificuldades, a fim de que se sintam amados e tenham a atenção da Igreja.

    Uma intervenção significativa trouxe a preocupação de se verificar com maior precisão a existência da disposição para o casamento. Ou seja, a Igreja deve ser mais exigente ao aceitar os casais que se apresentam com a intenção de se casar. Fato este que busca diminuir os problemas posteriores dentro das famílias, tais como crises e até mesmo a ruptura por meio do divórcio.

    A família

    A questão da missão da família, do anúncio do Evangelho aos outros, dando testemunho e ajudando aqueles que se encontram em dificuldades, foi um ponto referencial. Nesta questão foram lembrados os movimentos e tantos outros que, como família, ajudam na evangelização, razão pela qual os padres sinodais manifestaram grande gratidão.

    Um dos padres sinodais disse que “os filhos são o testemunho permanente da doação recíproca dos pais e o dom mais precioso do casamento. Se a Igreja foca neste dom, a família pode aprender a caminhar junto com a Igreja”. A sociedade, por sua vez, nos propõe o individualismo que nos leva ao egoísmo.

    Foi proposto o resgate do valor da sexualidade. Fala-se tanto, de forma crítica, da sexualidade fora do matrimônio que a sexualidade conjugal parece quase a concessão a uma imperfeição. A sexualidade dentro do casamento tem seu valor. Não devemos lutar contra o sexo, mas propor uma autêntica sexualidade que é caminho de santificação, neste caminho é preciso ser paciente.

    O sacramento do matrimonio é um caminho e o objetivo final é ser mais autêntico em amar, ser mais humano e chegar à santidade.
    Fonte : VATICAN

  3. A MENTIRA E SUA PERNA CURTA
    DIZIAM , NÃO BENTO NÃO RENUNCIOU POR CAUSA DA ALA GAY E SEU PROJETOS CONTRA A FAMÍLIA
    ALGUM TEMPO DEPOIS CASAM GAYS NA ARGENTINA
    ALGUM TEMPO DEPOIS BATIZAM FILHO ILEGITIMO DE GAYS
    E POR FIM ACOLHEM OS GAYS…
    ESTA É A UNICA VERDADE A IGREJA ESTÁ FAZENDOI SE CUMPRIR A TERCEIRA REVELAÇÃO DO DEMONIO CHAMADO FATIMA
    TERCEIRO SEXO.

    • Zé, tá parecendo a dilma, mentir é pecado grave.

      O batizado da menina aconteceu com a presença dos padrinhos, os responsáveis pelo batismo, conforme estabelece as regras.

      Zé, somente é vedado aos gays praticantes os sacramentos.

    • Fala como se a ICAR inteira comungasse das mesmas ideias… tem padres comunistas, e você acharia certo? Se a Santa Sé vê isso eles excomungam para que eles se arrependam e voltem pro Evangelho de Cristo.

      Acho engraçado chamar uma mulher que é mãe do Deus Filho de vocês de demônio.
      Engraçado que essa mesma mulher pede pra se arrependerem dos pecados, orar pela conversão dos pecadores. Essa mesma mulher denunciou apostasia dentro da ICAR e inclusive marçonaria e a perdição de sacerdotes, incluindo a pedofilia (dentro dos segredos há menções sobre)

      Um demônio trabalhando pra Deus, pela sua lógica, supõe espírito de anjo caído arrependido e que trabalha pra denunciar males dentro de uma igreja de maneira a dar precaução e atenção aos que estão dentro.
      É um dos motivos pelo qual nem questiono essas visões. Questionaria se Maria pedisse “Me adorem como o criador do universo” e nem frase similar saiu.

      Pesquisei sobre, e nem adianta vier com “mimimi Imaculado Coração”, até porque ela nem pede adoração nesse momento, adora quem quer, mesmo assim, até uma pessoa humilde iria discernir, só uma besta quadrada sendo católico iria adorar sendo que a catequese da ICAR diz que ela é criatura, não portando divindade alguma, apenas se resalta o que é bíblico, a proclamação da” bem-aventurança” dela por todas as gerações.

      Ser bem-aventurado não significa ser Deus. Não precisa nem ser teólogo pra entender isso, até Cristo diz.

        • Só digo que Jesus disse que o diabo não se divide, não faria sentido nem pro inimigo atuar contra si mesmo. Onde há lógica nisso?

          Sim, Satanás penetrou, e diversas pessoas no passado que hoje são reconhecidas como santos católicos já receberam mensagens do alto de que a ICAR iria se profanar com o tempo, curioso não? Santo padre Pio de Pietrelcina que falecera século passado, disse que a fumaça de Satanás entrou nas brechas da Igreja com o Concílio Vaticano II (a moda evangélica se perdeu muito entre muitos católicos, infelizmente).
          A Mãe de Jesus em diversas visões de Fátima, Salette, etc. já avisara sobre os erros dos Sacerdotes infiéis, a marçonaria eclesiástica.

          De fato, quando Cristo vier, irá purificar o que profanaram.

      • Frank, peguei um trecho de uma citação do grande historiador Fernand Braudel (1902-1985) onde ele nos informa:

        “O tráfico negreiro não foi uma invenção diabólica da Europa. Foi o Islã, desde muito cedo em contato com a África Negra através dos países situados entre Níger e Darfur e de seus centros mercantis da África Oriental, o primeiro a praticar em grande escala o tráfico negreiro (…). O comércio de homens foi um fato geral e conhecido de todas as humanidades primitivas. O Islã, civilização escravista por excelência, não inventou, tampouco, nem a escravidão nem o comércio de escravos”.

        Aqui chegamos à escravidão negra. Muitos séculos ANTES da chegada dos brancos europeus à África, tribos, reinos e impérios negros africanos praticavam largamente o escravismo, exatamente como os berberes (e demais etnias muçulmanas). Os europeus do século XVI tinham verdadeiro pavor de deixar o litoral ou mesmo desembarcar de seus navios e avançar para longe da costa e capturar escravos. Estes eram trazidos pelos próprios africanos, que tinham grandes mercados espalhados pelo interior do continente, abastecidos por guerras entre as tribos, ou mesmo puro sequestro. Isso pode ser facilmente comprovado, por exemplo, com a descrição do império de Mali feita pelo cronista muçulmano Ibn Batuta (1307-1377), um dos maiores viajantes da Idade Média, e o depoimento de al-Hasan (1483-1554) sobre Tumbuctu, capital do império de Songai. Ademais, havia tribos africanas que praticavam sacrifícios humanos, naturalmente de escravos. Às vezes, para interromper a chuva, mulheres negras (e escravas) eram crucificadas.

        Entrementes, a Igreja Católica, reiteradamente, condenava a escravidão. Há inúmeras bulas papais a respeito: Sicut Dudum (1435) – Eugênio IV manda libertar os escravos das ilhas Canárias; em 1462, Pio II instrui os bispos a pregarem contra o tratamento de escravos negros etíopes, e condena a escravidão como um tremendo crime; Paulo III, na bula Sublimus Dei (1537) recorda aos cristãos que os índios são livres por natureza (isto é, ao contrário dos negros, eles não praticavam a escravidão); em 1571 o dominicano Tomás de Mercado declarou desumana e ilícita a escravidão; Gregório XIV (Cum Sicuti, de 1591) e Urbano VIII (Commissum nobis, de 1639) condenaram a escravidão.

        Paro no século XVII. Há muito mais. Mas qual é o resumo da ópera? Devemos estudar o passado, não inventá-lo.

      • mauro,

        Vi uma matéria na Folha de São Paulo que abre desta maneira:

        O Papa Francisco pediu aos Bispos nesta segunda-feira (6) paar opinar sem medo sobre questões contenciosas como contracepção, gays, casamento e divórcio.

        Depois desta introdução nada é mencionado acerca da agenda LGBT, somente sobre a questão do divórcio.

        Nitidamente uma forçassão de barra da mídia.

  4. A IGREJA CATÓLICA, EM SUA REFORMA FRANCISCANA, não precisa dizer nada aos gays além , nem aquém, do que diz a Santa palavra de Deus. Está escrito: DEUS AMA OS HOMOSSEXUAIS, MAS CONDENA A PRÁTICA HOMOSSEXUAL
    Deus ama os homossexuais, as prostitutas e a todos os que se desviam dos princípios da palavra de Deus. Deus ama sim. Mas eles não podem querer respaldo para sua conduta homossexual, com base na Lei de Deus. Isso é gravíssimo. Pecado muito grave. O mesmo Deus que é amor também é Deus de justiça. Ele é o SUPREMO LEGISLADOR DO UNIVERSO. E, mais que isso, ELE É O SUPREMO JUIZ DO UNIVERSO. Seu Tribunal não é o STF nem o STJ. É o S. T. U. (SUPREMO TRIBUNAL DO UNIVERSO”). Deus fez o ser humano “macho e fêmea” (Gn 1.27,28); e não uniu dois homens ou duas mulheres pelo casamento., e decretou: “´PORTANTO, DEIXARÁ O HOMEM SEU PAI E SUA MÃE, E SE UNIRÁ À SUA MULHER, E SERÃO AMBOS UMA SÓ CARNE” (GENESIS 2.24). Aí, de maneira mais clara que a luz, temos a origem do casamento, da união sexual, de pai, de mãe e da família. Na Bíblia, não há espaço para a aprovação da homossexualidade. Pelo contrário: ela a condena : “Quando também um homem se deitar com outro homem como com mulher, ambos fizeram abominação; certamente morrerão; o seu sangue é sobre eles. (Levítico .20.13; ler 18.22); No Novo Testamento, não é menor a reprovação da união homossexual. S. Paulo, o maior teólogo do cristianismo, ensina que a união homossexual é considerada “torpeza”, “paixão infame” , “uso antinatural” do sexo, tanto pelo gay como pela lésbica. (Ler Romanos 1.24-27). Concluindo: devemos amar a todas as pessoas, incluindo os homossexuais; eles são pessoas dignas e merecedoras do amor de Deus; e do nosso, também; mas não podemos usar o amor de Deus como argumento para a aceitação do que Ele, o Criador, condena. O pecado deve ser confrontado. E esperamos que não venhamos a ter, no país, uma ditadura que criminalize a liberdade de opinião, de crença e de fé. Esperemos que os homossexuais e lésbicas reflitam, à luz da palavra de Deus, e não da lógica humana ou dos “avanços” do liberalismo social. ATENÇÃO. Dra. Damaris, assessora jurídica da Frente Parlamentar Evangélica, alertou que, no orçamento do governo federal, estão previstos milhões de reais, para cursos que vão formar 140.000 PROFESSORES HABILITADOS NA TEMÁTICA LGBT. Ou seja, mestres em homossexualismo! E com dinheiro público! O “beijo gay” é apenas um detalhe. O poço da depravação é muito mais fundo”

    • Tem casamentos gays que duram muito mais que casamentos evangélicos.
      Jesus nunca foi contra os gays.Chamar de forma genérica gays que trabalham, estudam, tem sonhos, etc.de promíscuos mostra como muitos evangélicos são ignorantes !
      Segue a bíblia ? Segue ela toda, apedreje seu filho desobediente !

      • Frank,

        ao que padece gravemente da tentação à sodomia, assim como a todos os que sofrem da tentação de qualquer outro pecado, fazemos o convite a dizer não a essa mídia pecaminosa e hipócrita que praticamente quer obrigá-lo a praticar o erro, cegando-o para a vida de castidade. A unanimidade é burra, dizia um certo escritor; assim como os bilhões de cristãos que abraçaram os ensinamentos de Cristo, lute contra a correnteza viciada do mundo, porque o Príncipe deste, o Demônio, ruge como um leão buscando a quem corromper (I Pd 5,8). A solução contra o pecado da impureza é o desejo da castidade, seja no casamento, que reiteramos ser entre homem e mulher, e na vida de solteiro celibatário, mesmo não abraçando o sacerdócio.

        A caridade cristã manda respeitar e mostrar a essas pessoas que Nosso Senhor Jesus Cristo, faz o convite à santidade. Deboches, piadas e discriminação, mostram apenas o egoísmo daqueles que se preocupam apenas com o próprio brio ofendido por tal pecado, e não enxerga bem maior de todo o ser humano: a Salvação das Almas, sua e de seu semelhante.

        Paz e Bem

    • É isto que está escrito….muito bem captado e escrito nestas respostas admoestativas….Jesus pregou entre as prostitutas, ladrões, entre os pecadores em geral, incluindo tais práticas desaprovadas pelo DEUS Pai….Ele é Amor e Justiça…e a todos julgará retamente retamente…
      Jesus NÃO é religião; Ele é salvação a todos que O buscarem com o coração humilde e contrito.
      As nossas doenças, sofrimentos, morte, morte eterna, desajustes sociais, desajustes de personalidade, etc…de onde são originadas? Estas vem de DEUS o Santo dos Santos? Claro que não! Elas vem do erro, da desobediência de nossos antepassados e que afetam as pessoas direta e indiretamente assim: “…porque Eu Sou o Senhor, Teu DEUS, DEUS Zeloso, que visito a INIQUIDADE (pecado repetido e repetido e repetido) dos pais NOS FILHOS até terceira e quarta geração daqueles que Me aborrecem”. Certamente os nossos antecessores cometeram estas iniquidades que lhes afetaram e nos afetam ainda hoje. Estas tendências de aberrações, de mudança de “estatus naturais” certamente tem cura, com o “chá da Raiz de Jessé” que exclarecidamente podemos chamar de JESUS CRISTO DE NAZARÉ. É só seguir o que Ele ensinou e tudo corre para o bem de todas as coisas. Conheço um local onde ministram este “chá” em doses contínuas, de manhã, de meio dia, de tarde, de noite e às 3hs da madrugada, com leituras da Bíblia e aprendizados de versículos Bíblicos que devem ser recitados no café, no almoço e na janta. É o colocar da LUZ na nossa mente que foi corrompida pelo pecado de nossos antepassados e os nossos próprios que colocam TREVAS na mente humana. DEUS É LUZ e o mundo que jaz no maligno nos coloca TREVAS em nossas ações, nos tornando malignos e condenados. Sem a Luz do Mundo não alcançaremos a salvação eterna. Quem não quiser ouvir as Palavras de Jesus e as seguir fielmente, assim como eu estou TRANSCREVENDO agora, e não dando minhas opiniões, achismos, etc…mas TRANSCREVENDO O QUE ELE ENSINOU, estes Não Seguidores, se assim o quiserem vão viver eternamente no abismo, nos infernos….cada um faz o que quer fazer. Avisar com o uso da Palavra de DEUS em Jesus Cristo NÃO É JULGAR mas um ato de amor ao próximo e querer para ele a SALVAÇÃO ETERNA, porque está desinformado no momento. Porém ao ler isto e confrontar com a Palavra, já não estará mais desinformado e sim INFORMADO. Faço como Paulo, o Apóstolo de Cristo disse, escrito em 1 Co 11.1, onde ele nos deixa um recado assim, como o faço meu, sem querer julgar a ninguém, mas ajudar, como fui ajudado, tirar da lama como fui tirado por DEUS com ajuda de pessoas sérias: ” Sede meus imitadores, como também sou de Cristo”. Aqui não tem nada de soberba ou vaidade, tem sim, temor a DEUS e o querer passar adiante o que Jesus ensinou porque Ele disse assim, ao finalizar Seus Ensinos ao Mundo, representado pelos Apóstolos e Discípulos na Sua estada aqui na terra: “IDE, portanto, FAZEI DISCÍPULOS de todas as nações….ENSINANDO-OS A GUARDAR ( e praticar os Seus Ensinos Puros, não os ensinos de religiões) TODAS AS COISAS QUE VOS TENHO ORDENADO” ( Mt 28 19,20 )… Gente, a Palavra de DEUS, em Jesus Cristo, NÃO precisa de religiões, de achismos, de interpretações particulares deste ou de aqueles, nem precisa de serem criados dogmas, ensinos diferentes daquilo que Jesus ensinou, e muito menos não precisa de tradições e costumes humanos…a nossa mente é corrupta, facciosa, que tem a tendência para o mal. Só a Mente de Cristo, em nossa vida prática e que nos santifica porque RETIRA TODAS TREVAS da nossa mente e coloca TODA LUZ dentro para nos alinhar com a Vontade Soberana de DEUS. Veja o que diz Isaías no capítulo 64, verso 6, sobre a nossa mente: “Mas TODOS NÓS SOMOS COMO O IMUNDO, e todas nossas justiças, COMO TRAPO DE IMUNDÍCIAS….e nossas INIQUIDADES, como um vento, nos arrebatam (mandando-nos para os infernos eternos)”. E reforçado pelo escrito em Jeremias, capítulo 17, verso 9, DEUS nos admoesta assim: “Enganoso é o coração, MAIS DO QUE TODAS AS COISAS, e desesperadamente CORRUPTO; quem o conhecerá?”. Somente DEUS conhece este nosso coração, mais ninguém pode dizer que eu sou bom, etc. Só DEUS. Portanto TUDO DEVE VIR DE DEUS e nunca da mente humana que tem um coração corrupto….Sigamos a Cristo que foi um Homem Perfeito….e sigamos a Paulo, a Tiago, a Pedro e certamente a Maria, mãe natural de Jesus, e a todos aqueles que fazem exatamente o que Cristo ensinou. Nunca seguir a religiões contaminadas, seguir só aquelas que ensinam A DOUTRINA PURA, SEM ACRÉSCIMOS, SEM DIMINUIÇÕES, SEM TIRAR ESTE OU AQUELE MANDAMENTO DA LEI DE DE DEUS. Será que DEUS faz coisas incompletas? Jesus, antes de morrer pronunciou estas Palavras: “Está comsumado”.( Jo 19.30). Ora, se está consumado, tudo está feito, é só seguí-Lo….

  5. “…a pregação contra a discriminação dos homossexuais não significa que a Igreja Católica vá aceitar “uma equiparação destas relações [homossexuais] com o casamento entre homem e mulher”.”

    Estava desconfiando dessa conversa de pastoral a uns meses, mas essa frase deu uma esvaziada na sensação de angústia. A Igreja de longa data acatar a homossexualidade como normal e a “revogação” do divórcio para se permitir casar seria triste, já que em ambos os casos são anti-bíblicos.

    A CIC (catequese da Igreja Católica) não tem meias palavras, homossexualidade é instrinsecamente desordenado. Apesar disso, as pessoas não devem ser expulsas mas acolhidas com amor e respeito, e nesse acolhimento que não se ausente a instrução bíblica, como também a explicação racional da ciência de que há “imperfeições” na relação homossexual.

  6. COMO A MENTIRA TEM PERNAS CURTAS E NÃO POSSO MAIS GUARDAR SEGREDO, O CASAL DE GAY QUE SE CASOU FOI O MAURO E O REINALDO, O PADRE ERA EU, MAS AGORA ME CONVERTI EU JURO, A ICAR ESTÁ ME PERSEGUINDO MAS NÃO VOLTO ATRAS.

  7. Amados, entendo, que assim como Jesus sempre esteve entre os publicanos e meretrizes, a Igreja, também deve buscar essas almas. Jesus sempre foi discriminado por estar entre eles, mas nunca foi compreendido acerca do porque estava entre eles. A missão do Evangelho é resgatar os “doentes”. Homossexualidade, alcoolismo, prostituição, mentiras, entre outras práticas contrárias ao Evangelho são enfermidades, cujo único remédio é a conversão! Nenhuma Igreja se nega a receber pecadores; somos terminantemente contrários, à que permaneçam na prática suicida do pecado! Afinal, já nos instruiu o apóstolo Paulo: “O salário do pecado é a morte” (Romanos 6.23a). Agora se o pecador se converter: “Mas o dom gratuito de DEUS é a vida eterna, por Cristo Jesus, nosso Senhor” (Romanos 6.23b). Maranata!

  8. só mesmo a seita catolica que não segue a Palavra de Deus , pra fazer tal afirmação. Esse papa capim com sua liberalidade está expondo o que realmente é a seita catolica. a igreja de satanas na terra.

  9. babilonia a mae das meretrizes,nunca Deus aceitou e nem aceitara pq o Senhor Deus nao muda( Porque eu, o SENHOR, não mudo; por isso vós, ó filhos de Jacó, não sois consumidos. Malaquias 3:6 ) se continuarem assim vao queimar no juizo final estamos no mundo do eu acho,so eu acho e oq o SENHOR DEUS ACHA , JA SE PERGUNTAO?OQ DEUS acha?

  10. Senhores, a igreja catolica passa por momentos dificeis, a evassao avassaladora de seus fieis, a tem levado a inclusive discutir sobre temas muito antigos (a biblia nos mostra que é abobinaçao, antogo testamento Levitico).
    Lembramos que a pratica de homoxessualismo é algo inclusive tratado pela psicologia como uma doença.
    Alem disso quem nao lembra que Deus enviou um anjo p destruir uma cidade inteira por tals praticas: sodoma e gomorra. A igreja e formada por maos humanas nao e perfeita, vem errando ao longo dos seculos, alguem lembra da “santa inquisiçao”?
    Nao vamos condenar a igreja, e generalizar alguns atos pontuais. Os seus verdadeiros fieis (sal da terra), permanece, e permanecera fiel a Deus e a seus mandamento, e nos nao vamos julgar o homem e sim o pecado.
    Homossexualismo e pecado e gravissimo (abobinaçao ao olhos de Deus), mas existem muitas pessoas q possuem essa tendencia pela genetica, ou instruçao de pais, colegas, influencia de novelas, etc, isso nao pode ser condenado, e sim trabalhado p/ a mudança do coraçao da pessoa. Conheço varios “sapatoes” e homoxessuais que dão um testemunho de fe em varias comunidades, de como largaram seus comportamento de “velho homem” e agora sao novas criaturas servido de corpo e alma somente a Deus. Lembrem-se ao longo de toda criaçao a familia intituida por Deus lá em Adão, vem sendo perseguida seculo a pois seculo, decada a decada, mas Deus nao a deixa perecer. Nos focamos muito na excessao que novelas, filmes, noticiarios nos apresenta, para ficarmos preocupados com coisa futeis que nos leva a apenas nos desunirmos, e nao focamos no q .e necessario p fazermos crescer como sociedade. Um grande exemplo e a desigualdade social e a exploraçao ao trabalhador, que cresce a cada dia no mundo inteiro. Vamos abrir os nossos olho, e começar a enxergar realmente o que ir.a fazer diferença em nossa vida como comunidade global.

DEIXE UMA RESPOSTA