Igreja usa linguagem do Pokémon Go em convite para evangelizar jogadores; Confira

1

O jogo Pokémon Go é um dos assuntos mais comentados nas redes sociais, e no meio evangélico, é alvo de especulações, com muitos fiéis atribuindo sua criação a pessoas comprometidas com satanás. Alheia a tudo isso, uma Igreja Presbiteriana resolveu inovar e colocou um banner na entrada do templo, identificando o local como uma Pokéstop, local onde os jogadores podem recarregar itens do jogo e também se “enfrentarem”.

Cabe uma explicação: o jogo foi criado seguindo o conceito de realidade aumentada, e os desenvolvedores, usando informações de serviços de GPS, como o Google Maps, instalaram as Pokéstops em locais de grande circulação de pessoas, o que transformou igrejas, faculdades, cemitérios e outros pontos das áreas urbanas em destino de quem joga o game.

Nesse contexto, os dirigentes da Igreja Presbiteriana Vila Formosa, em Campinas, cidade do interior de São Paulo, resolveram se comunicar com os jogadores usando a linguagem do game, oriundo de um desenho animado do final dos anos 1990.

“Aqui é uma pokéstop. Algumas coisas que você precisa saber: um grande mestre nos capturou. Ele nos amou tanto que não nos colocou numa pokébola, ele nos libertou de uma. Agora somos livres!”, diz o texto no banner colocado pela igreja, que tem como responsável o reverendo Ricardo Renó.


“Antes de sermos capturados pelo bom mestre, muitos de nós nem sabíamos, mas éramos escravos de um mestre muito mau. Ele é conhecido como ekans, arbok, serpente ou satanás. O bom mestre que nos capturou com amor chama-se Jesus Cristo. Ele deixou sua casa nos céus, veio ao mundo, não com pokébolas, mas com os braços abertos para capturar muitos outros. Ele está vivo e chama você para caminhar com ele e viver nova vida”, diz outro trecho do banner, que conclui as informações aos jogadores com um convite: “Vamos começar uma nova jornada?”.

Confira:

igreja presbiteriana - pokemon go


1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA