Jogador que recusou a Seleção Brasileira há 3 anos agradece a Deus por nova oportunidade

5

O jogador Mário Fernandes protagonizou há alguns anos um episódio raríssimo ao recusar servir à Seleção Brasileira após ser convocado pelo então técnico Mano Menezes. Agora, convertido ao Evangelho, o jogador recebeu outra oportunidade do técnico Dunga e se disse mais maduro.

Mário é lateral direito do CSKA, na Rússia, e afirmou que após sair do Brasil precisou amadurecer, e esse processo foi intensificado graças à religião.

“Eu mudei muito, foi Deus quem me mudou. Quando eu jogava no Grêmio, tinha algumas atitudes que não eram certas. Queria saber bastante de festas. Conseguia jogar, mas não era feliz. Quando fui para a Rússia, tive um encontro com Deus. Ele tem me honrado bastante, ainda mais agora com a Seleção Brasileira. Só agradeço e dou honra e glória a Ele”, afirmou o jogador ao Globo Esporte.

A recusa à Seleção Brasileira há pouco mais de três anos aconteceu quando Mário foi chamado para o Superclássico das Américas em 2011, e a nova chance na Seleção também acontece numa partida do mesmo evento, contra a mesma seleção rival.


O lateral direito alega que recusou a convocação por problemas particulares, e que no tempo em que não foi chamado novamente pela Seleção, não perdeu a fé em ter nova oportunidade: “Eu sabia que havia possibilidade, mas que seria muito difícil por tudo que aconteceu. Nunca perdi a esperança. A porta se abriu com meu grande trabalho na Rússia. O que aconteceu foi passado, devido a problemas que tive. Deus é tão bom comigo que me deu mais uma chance de estar aqui”, agradeceu o jogador.

Agora aos 24 anos e mais experiente, Mário é apontado como um jogador versátil e talentoso: “Comecei como zagueiro, então marco mais do que ataco. Tenho que saber diferenciar bem as coisas. Hoje, o lateral tem de saber marcar e ajudar na frente. Sempre busquei fazer o melhor no CSKA para estar aqui novamente”, concluiu.

A Seleção Brasileira enfrenta a Argentina amanhã, em Pequim, China, a partir das 09h00 (horário de Brasília), na disputa do Superclássico das Américas. A TV Globo e o canal por assinatura Sportv transmitem a partida.

5 COMENTÁRIOS

    • Tudo bem Rubem?
      Na verdade conhecer o evangelho muitos conhecem… quando vc entrega todo o entendimento da sua vida ao evangelho, o encontro com Deus ocorre de uma maneira que muda tudo ao seu redor… sua perspectiva de vida.
      Você se torna uma nova criatura.
      Não tem como vc se converter ao evangelho, quando tem uma vida cheia de dogmas religiosos.
      Ler a bíblia diariamente por uns 15 min, responderia sua pergunta com uma transformacao da sua propria vida.
      E no cume da revelacao, a conversao ao verdadeiro evangelho.
      Abraços.
      Deus lhe abençoe, e vire a sua face para ti!

      • Olá irmão, saudações!

        O que são dogmas? do que se refere? são variados os dogmas que o mundo joga, como o não questionar as políticas, as guerras, os pecados, os roubos, às religiões que impõe religiosidade que não abraçaram as verdades do Evangelho.

        Os verdadeiros dogmas, os de fé são todos confirmados perante a Santa Palavra e necessariamente, antes, revelado pelo o Espírito Santo à consciência do homem que a lê.
        A existência de Deus, por exemplo é o primeiro Dogma de Fé. Sem este, como existiria a fé que iria caracterizar o dogma? É a confiança de que é verdadeiro a sentença. É bíblico e ao mesmo tempo que acompanhado do ensino bíblico, as experiencias religiosas são válidas para se confirmar este dogma de fé, que seria da esperança em Deus no dia a dia.

        Deus dá o livre-arbítrio as 2 possibilidades, pela dúvida, se afasta, e pela fé ganha a aceitação, e se torna imbatível a partir do momento em que a confiança detém o acessório da certeza, daí o carácter de Dogma de fé, por não duvidar, mesmo diante dos sofismas “científicos” não refletidos que os homens venham a impor-nos, a vela não se apaga.

        Vamos a um outro “dogma” que muitos vem dialogando sobre.

        O Espiritismo, por exemplo, é incontestável para quem crê nele, detendo um carácter dogmático, porém, não é um Dogma de Fé, revelado pela Verdade, pois é desmentido pelo próprio Cristo no seu falar e na sua historicidade marcada pelos que viram e escreveram no decorrer dos evangelhos.

        Outro dogma, a Trindade Santa, que diz que Deus são três pessoas, mas ao mesmo tempo, Deus é Uno. Uno, de um conceito de filosofia grega, como diz a própria palavra, é um. Visto como um todo, e não somente em partes. Sendo pessoas distintas, são da mesma substância, Eterno, imutável, criador que rege todas as coisas do universo, inclusive as Leis. Não são três deuses.

        Digo de Fé este Dogma? Se têm alicerce bíblico, sim. Daí tornará-se incontestável.

        Quem contestou ou contesta este Dogma agora de Fé e revelado pelo Espirito, confirmado pelas Escrituras, foram e são pessoas que tentam separar a humanidade de Cristo da parte Divina, tornando-o tão somente homem, inclusive dizem que até pecou! (há passagens que dão más interpretações, muito usadas por espiritas pra atacar os cristãos)
        Ou que Divinizam a Cristo de tal maneira que ele perdera todas as características e feições inerentes no ser humano, como a fome, a dor, o cansaço, a defecação, os sentimentos de tristeza, medo, ira, solidão. (o exemplo dos Gnósticos no primeiros séculos (I-II d.C.) durante a fundamentação da filosofia cristã, mas duramente combatidos por outros fundamentadores da filosofia Cristã.

        Os Dogmas, em si, não devem ter tom de serem criados pelos homens, pelo contrário: eles devem reafirmar algo que já existia, antes que o homem soubesse, então necessariamente, seria uma revelação do Espírito Santo, porque o homem por sua sabedoria, Deus os viria como imersos em loucura.

        Se algo é Dogma Digno de Fé, subtende-se que haja recursos bíblicos. Claro que as revelações pessoais que o Espirito Santo diz ao(à) filho(a) de Deus não devem ser postas de lado, mas acolhidas.

        Qualquer suposta menção que seja atribuída ao Santo Espírito, deve ser analisada. Se bate CONTRA a essência da Verdade que é Deus, sendo essa Verdade que fundamenta sua vontade imutável, que não varia conforme passe os tempos, então há que se portar com o pé atrás.

        Continue avançando, questione, observe bem externamente mas também internamente cada detalhe que lhe pareça estranho, não desista de indagar-se, por mais que pareça obvio, sempre há detalhe que escapa que muda todo o valor que compõe o cenário.
        Até a capa de um livro pode ser parte do livre-arbítrio, não da escolha de quem está dentro, mas para quem está fora. Quem vai ler opta em abrir o livro, mas não há garantia de que este vá ler até o final e frusta tanto que para no primeiro capítulo.

        Quem deixa fechado, prefere ver as sinopses alheias, mas nunca se aprofundará além das sinopses, sem falar que a maioria delas, não trata além do primeiro capítulo.

        Questione, ache respostas enquanto Deus segura suas mãos, observando-o. Ou acomode-se, e deixe como está. É livre-arbítrio, Deus confirma e aceita suas escolhas.

        A leitura bíblica sempre transforma-nos, pois são inúmeros os detalhes que Deus demonstra através da Sua Santa Palavra. As alegorias bíblicas se reveladas pelo Espírito sempre admiráveis o são.
        Estar diante do mar vermelho e ser perseguido pelo faraó, de que serve esse contexto bíblico se é apenas uma narração? Ela tudo tem a ver para amparar a todos em momentos de aflição. O sentimento de desespero, vindo diante de calamidades, medos, e inimigos, sem ao menos sabermos por onde ir, pode simplesmente acabar com a esperança Nele. Orar para que o mar Vermelho se abra em nossas vidas.
        Ao mesmo tempo significa um teste. Após o mar vermelho, virão outros problemas, e Deus verá se ficaremos confiantes Nele, se continuaremos a pedir as graças que venham Dele.

        A paz irmão, uma boa noite. Deus o abençoe.

DEIXE UMA RESPOSTA