Pastor alega ter ressuscitado mulher através de mensagem no Facebook, mas nega mostrar provas

0

Um caso controverso envolvendo um suposto milagre de ressurreição vem atraindo a atenção da mídia internacional para a figura do pastor David E. Taylor, que usou sua página no Facebook para alegar que a trouxe de volta à vida depois de enviar uma mensagem pela rede social.

Taylor é líder do Joshua Media Ministries International, nos Estados Unidos, e publicou uma imagem de uma mulher idosa, em um local que parecia um quarto de hospital. Na legenda, afirmou que havia “liberado” o poder sobrenatural da ressurreição sobre a mulher a pedido de sua filha.

Segundo informações do Christian Post, o pastor reproduziu uma suposta publicação da filha da mulher na rede social, dizendo que sua mãe teria sido trazida de volta à vida e curada da diabetes.

“Muito obrigado papai (apóstolo Taylor), os médicos ficaram muito espantados com a rápida recuperação da minha mãe, que esteve morta por 40 minutos, mas Deus a ressuscitou! Após estudos clínicos, eles experimentaram deixá-la sem a medicação da diabete e, adivinhe só, ela foi curada e não precisa mais tomar a medicação. Ela vai ir para casa hoje. Muito obrigado por quem esteve orando por nós… Isso foi ontem”, diz o texto reproduzido por Taylor.


A repercussão inicial não foi intensa, ficando restrita aos seguidores do pastor, mas chamou a atenção da mídia especializada em religião, que foi investigar o caso. No entanto, Taylor tem se recusado a passar o contato da mulher e de sua família aos veículos que o procuram, querendo entrevistar a suposta ressurreta.

Taylor é um líder neopentecostal norte-americano conhecido por sua pregação enfática da teologia da prosperidade e de curas, e o caso da alegada ressurreição trouxe de volta à tona suas polêmicas.

No passado, enfrentou problemas com o governo devido a irregularidades na declaração do Imposto de Renda, e atualmente responde a processos por “corrupção financeira” em Michigan, estado onde reside.


SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA