Pastor diz que o cristianismo ignora o calendário judeu e faz celebração da Páscoa na data errada

15

A celebração da Páscoa pelos cristãos de todo o mundo pode estar sendo feita na data errada, de acordo com um pastor estudioso sobre a influência das tradições judaicas na religião cristã.

A Páscoa, que marca a crucificação de Jesus na sexta-feira e sua ressurreição no domingo, é apontada por muitos como a celebração mais importante da fé cristã, por marcar a vitória do Filho de Deus sobre a morte e seu ressurgimento, todo-poderoso.

Mas, assim como o Natal – que celebra seu nascimento numa data que provavelmente não seja nem próxima da correta – a Páscoa vem sendo comemorada fora de hora, segundo o pastor Mark Biltz, do El Shaddai Ministries.

Em um artigo para o WND, Biltz pede que os cristãos lembrem que a Bíblia possui um calendário próprio, descrito a partir de informações relevantes que não deveriam ser ignoradas.

“Esse é o problema quando seguimos as tradições dos homens, em vez da Bíblia”, alerta, apontando que a celebração da Páscoa pode estar antecipada em aproximadamente um mês.

Aparentando dar demasiada importância para a data, deixando em segundo plano a importância da celebração em si, o pastor pede que os cristãos voltem à tradição conforme descrita na Bíblia: “A principal razão para os cristãos voltarem-se para o calendário bíblico é entendermos os eventos proféticos. As profecias bíblicas seguem o calendário judaico. Se queremos entender o que está para acontecer, precisamos saber disso. Como podemos fazer a conexão com o que o Senhor fez no passado e compreender o que Deus fará no futuro, se não estamos fazendo essa conexão corretamente?”, pontuou.

No artigo, ele destaca que o calendário romano foi estabelecido 753 a. C., época em que o Império surgiu, seguindo o ano solar, ao invés do lunar, que era seguido pelos judeus. Em 46 a. C., os romanos alteraram seu calendário para o Juliano, que também não era seguido pelos judeus.

Atualmente, o mundo se baseia no calendário criado pelo papa Gregório XIII, em 1582, popularmente conhecido como “calendário Gregoriano”, que tem como principal peculiaridade as correções de tempo a cada quatro anos, com o acréscimo do dia 29 nos meses de fevereiro, formando os anos bissextos.

Todo esse contexto serve para formar o argumento do pastor, que lembra que a Páscoa é uma festa judaica, que marca a celebração da passagem do povo em êxodo pelo Mar Vermelho, quando foram libertos do Egito. E na celebração dos judeus, a Pascoa acontece no dia 14 do primeiro mês do ano judaico, Nisan, que em 2016, ocorre ao pôr do sol do dia 22 de abril.

Em 2016, a Páscoa comemorada pelos cristãos coincidiu com a celebração do Purim, “um feriado judaico que comemora a salvação dos judeus persas do plano de Hamã, para exterminá-los, no antigo Império Persa tal como está escrito no Livro de Ester”, segundo informações da Federação Israelita do Rio Grande do Sul.

Mark Biltz diz que é importante que a celebração seja feita na data correta pois em Mateus 26 a Bíblia descreve a Última Ceia como uma celebração pascal, simbolicamente cumprindo o plano divino de libertação da humanidade, assim como a Páscoa judaica (Pessach) representa a libertação dos hebreus da escravidão no Egito.

“A maioria dos cristãos admite que Jesus precisava seguir a Torá para cumprir a profecia. Fica claro nos Evangelhos que Jesus morreu na Páscoa. Quando você liga isso com Levítico, entenderá exatamente o que estava acontecendo”, contextualizou, antes de acrescentar que Jesus instruiu aos seus seguidores que mantivessem a celebração da Páscoa: “O Senhor disse durante a Última Ceia: ‘Fazei isto em memória de mim’. Bem, isso está intrinsicamente relacionado com a Páscoa, que é a crucificação. Devemos seguir o mandamento bíblico. Contudo, a maioria dos cristãos não lembram, simplesmente celebram a Ressurreição. Muitas vezes fazem isso no calendário errado!”.

A data correta, então, seria o dia 24 de abril: “Se Jesus cumpriu tudo, ele morreu na Páscoa… que deve ser celebrada no dia 14 do primeiro mês bíblico. Somente então devemos celebrá-la”.

15 COMENTÁRIOS

  1. A pêssach (Páscoa) é uma festa instituída pelo o Criador, mais veio a Igreja católica e mudou as datas e instituiu outras festas pagãs para desviar o foco das verdadeiras festas das escrituras. É o mundo cristão as obedece porque estão longe dos propósitos do Criador. Quem diz que as festas bíblicas não é importante simplismente não conhece o Criador e fica com essa de entretenimento de religião. Porque, se está escrito então porque não as obedecem? Se não obedecem estão desobedecendo as escrituras e os transgressores não terão parte com no mundo vindouro.

  2. Quando a pessoa diz que há erro no calendário hebraico ela está dizendo que o Criador errou e que o homem não errou com este novo calendário gregoriano. Por que então o calendário gregoriano, tem a forma bissexta? E por que os judeus seguem o calendário bíblico e não veem erro algum e seguem a vida normalmente?

  3. Totalmente correto o Pastor.
    Roma fez de tudo para desconectar Israel e os Judeus da originalidade da Palavra. Mudou tudo: A Lei, as Festas, os Nomes e o Calendário, devido ao sincretismo com o paganismo, e infelizmente o povo não abre os olhos para isso, preferem seguir as determinações dos papas, ao invés de seguir as determinações do Próprio Todo-Poderoso que falou com a Sua própria boca como o homem deveria viver. Impressionante a força que a Igreja teve e ainda tem sobre todos, é o antigo Império Romano que usou a religião para impor suas “leis”.

    Isso mesmo evangélicos, continuem obedecendo os papas!

  4. Olha na verdade ninguem sabe de nada a data certa, então cada um responde por si. Agora a verdade mesmo seria não comemorar nada para que o sistema religioso tome conta da igreja.

  5. É verdade! A grande maioria das atuais religiões que se dizem cristãs (mas não são bíblicas) são totalmente antissemitas e antisionistas. Qualquer referência aos costumes judaicos a Igreja logo evoca o Concílio de Laodiceia (lá por volta de 364dC), onde seguir qualquer coisa que lembrasse o judaísmo era penalizado até com a morte. A guarda do sábado é um desses exemplos. É só estudar a história eclesiástica e a verdade aparece. Aliás, Lutero também embarcou nessa onda, escrevendo “Os Judeus e Suas Mentiras”. Hitler seguiu ipsis literis esta cartilha! Deu no que deu! Sejamos bereanos, conferindo na Palavra o que está sendo ensinado!

  6. e quem disse que a Páscoa judaica de êxodo é a Páscoa que Jesus Cristo instituiu nos evangelhos e o apóstolo Paulo comenta em 1corínteus. A Páscoa para a igreja de Cristo é a santa ceia para nos lembrar-mos da sua morte até que venha ao contrário da ressurreição. venha Senhor JESUS a sua igreja está de plantão.

  7. Vereador de Campo Belo (também pastor) é preso por embriaguez em Pedra do Indaiá
    Luiz Libério dos Santos dirigia carro que bateu em outro na MG-050.
    Bafômetro comprovou embriaguez; político não foi encontrado pelo G1.
    Um vereador e pastor de Campo Belo, no Sul de Minas, foi preso durante a noite de terça-feira (22), na MG-050 em Pedra do Indaiá, na região Centro-Oeste, por dirigir embriagado. Luiz Libério dos Santos, de 58 anos, eleito pelo PSC, se envolveu em um acidente. O G1 não conseguiu contato com o político. A assessoria de imprensa da Câmara de Campo Belo informou que ele só deverá falar sobre o caso na segunda-feira (28).
    De acordo com a Polícia Militar Rodoviária (PMR), o vereador dirigia um carro pelo quilômetro 162 da MG-050 quando bateu o veículo na traseira de um automóvel à frente, que havia reduzido a velocidade em um trecho que passa por obras. Ninguém ficou ferido.
    O boletim de ocorrência informa que Luiz Libério dos Santos apresentava sinais de embriaguez alcoólica. Ele soprou no etilômetro e o resultado foi 0,79 mg/l de sangue, valor muito acima do permitido pelo Código de Trânsito Brasileiro, que é de 0,1 mg/l.
    Libério foi levado pelos militares à delegacia de Polícia Civil em Bom Despacho, onde foi autuado em flagrante. Ele pagou fiança e responde em liberdade.
    Globo.com

    • Cada um que julgue-se a si mesmo. Quem sou eu para julgar se determinada pessoas é cristã ou não, quando essa diz que crê?
      Uma coisa posso dizer, mas só e unicamente com base bíblica: Aquele que faz pre-julgamento teológico da vida alheia usando o seu eu, comete heresias!
      A verdade incomparável da palavra de Deus (bíblia), que não foi escrita pelos católicos romanos, mas escrita: Velho Testamento pelos profetas e novo Testamento pelos discípulos de Jesus, homens inspirados pelo Espírito Santo e todos judeus.
      Ninguém poderá usurpar a bíblia, nem mesmo os judeus que a escreveram, João 10:16, por ela adquirimos o conhecimento, tão somente em obediência, aceite a recomendação de Paulo, que diz: “Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo, tu e a tua casa” Atos 16:31.

    • vergonha é uma italiana fiel defedida…defensora do papabixa do satanaz não ter um PAPA-MÓVEL particular,tem que andar e t.público sentando a bunda muxa nos acentos podres!
      *
      agora chama cacau pra ser sua AMIGA no facebook…a gordra gão não vai gostar!

DEIXE UMA RESPOSTA