Pastor é espancado por extremistas e escapa de ser queimado vivo louvando a Deus

0

Um pastor evangélico escapou da morte ao cantar louvores quando estava prestes a ser queimado vivo por extremistas religiosos na Índia.

O pastor Prashant Bhatnager, 45 anos, ligado à igreja Assembleia de Deus, foi agredido quando estava fazendo evangelismo nas ruas da aldeia de Taloja, distrito de Raigad, no estado de Maharashtra.

Ele e outros fiéis distribuíam folhetos e oravam pelos doentes, mas a iniciativa incomodou os extremistas hindus, que a princípio, pediram que eles parassem. No entanto, não demorou muito para que os pedidos se tornassem ameaças de morte.

De acordo com informações do Morning Star News, ao anoitecer, outros extremistas se juntaram aos que já vigiavam o pastor e os fiéis, e sequestraram Bhatnager, que foi jogado em um carro. Onze motos com extremistas seguiram o veículo, segundo relato de outro pastor, Baban Kamble.


Quando chegaram a uma área isolada, os extremistas começaram a agredi-lo, enquanto o acusavam de converter pessoas à força e “destruir as mentes dos aldeões com sua mensagem sobre Cristo”.

Sob a mira de uma arma e um intenso espancamento, que durava horas, Bhatnagar começou a sangrar pela boca e nariz, indicando ferimentos internos sérios. A essa altura, ele disse lembrar que sentiu seu corpo ser molhado por gasolina.

“Comecei a louvar e orar a Jesus em voz alta. Os homens que me atacavam ficaram cada vez mais irritados e batiam, chutavam e socavam com mais força, me mandando calar a boca. Um deles cuspiu no meu rosto enquanto outro urinava em mim”, narrou.

Debilitado, o pastor desmaiou e quando acordou, todos os extremistas tinham ido embora: “Como eu sobrevivi a esse ataque foi algo milagroso. Eu vejo o amor e a fidelidade de Deus em meio a todo esse incidente”, comemorou.

Ele lembra que um homem o acordou jogando água em seu rosto. Uma pessoa avisou o pastor Kamble, que providenciou o transporte para o Hospital Municipal em Navi Mumbai. Bhatnagar sofreu fraturas nas mãos, braço e pernas, assim como cortes na cabeça e outras partes do corpo.

Em depoimento à Polícia, que investiga o caso, o pastor negou que tenha forçado conversões e relatou que cinco ex-hindus se tornaram cristãos, mas de forma espontânea. “Nós somente oramos para que que as pessoas aceitem nosso convite e venham à igreja”, explicou.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA