Pastor Rubens Teixeira analisa visita do papa ao Brasil e possíveis efeitos na sociedade e política: “Passou a imagem de credibilidade”

15

A visita do papa ao Brasil foi amplamente divulgada pela mídia internacional, não apenas por ser parte da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), mas também pelo fato de que seus discursos no âmbito social e político foram bastante extensos e pontuais.

O pastor Rubens Teixeira, colunista deste portal, foi convidado pelo jornal O Dia a fazer uma análise sobre a visita do papa ao Brasil e os efeitos que poderão ser sentidos daqui para frente.

Teixeira afirmou que a visita de Francisco “fortalece a fé dos católicos e também dá respaldo ao próprio papa para que ele consiga fazer as reformas que pretende na Cúria”.

O pastor ainda ressaltou que o pontífice “passou a imagem de ter muita credibilidade”, e que suas posturas públicas podem surtir efeito fora do campo religioso: “Sabemos que a Igreja Católica é muito representativa dentro da vida política. A vinda do papa Francisco pode, de alguma forma, influenciar os representantes políticos dessa religião a fortalecer as ideias defendidas por ele. Mas para isso, ainda teremos que esperar um pouco mais para ver”, observou.


Questionado sobre o crescimento das igrejas evangélicas às custas da perda de fiéis da Igreja Católica, o pastor Rubens Teixeira disse que esse fenômeno pode ter origem nas características das duas denominações: “Há vários fatores. Mas um dos principais é o fato de que a Igreja Católica possui uma estrutura muito rígida. No fim, seu direcionamento depende das decisões do papa. As igrejas evangélicas são descentralizadas, não seguem uma liderança única. Isso aumenta demais a sua abrangência”, teorizou.

Esclarecimentos

O pastor publicou em sua coluna um artigo de esclarecimento com questões que, segundo ele, foram abordadas na entrevista por telefone mas não foram reproduzidas na matéria do jornal.

“Não havia como eu me furtar de ser honesto e admitir a importância, para a Igreja Católica, da vinda do papa, seu líder internacional, ao Brasil. A presença do pontífice, como observamos, aumentou o fervor dos religiosos […] Deixei claro também que, do ponto de vista de defesa política dos princípios cristãos, como a posição contrária ao aborto e outros temas também defendidos por evangélicos, a Igreja Católica, seja através de seu líder, da CNBB e dos padres, com a vinda do papa ao Brasil, tornaria estas posições mais evidentes, pois certamente o fervor dos católicos seria elevado e os tornariam mais sensíveis à defesa dos princípios cristãos reforçados pelos seus líderes”, ressaltou o pastor.

O pastor afirmou ainda que na entrevista, ressaltou as diferenças doutrinárias entre as duas linhas como preponderantes na questão do êxodo de fiéis católicos para as igrejas evangélicas: “Destaquei diferenças doutrinárias com relação à Teologia Católica e a Evangélica. Apontei que a Igreja Católica dá ao Papa (clero), ao Catecismo e à Bíblia um status de autoridade para a formulação da doutrina religiosa; os evangélicos dão essa autoridade somente à Bíblia. Enfatizei que a Bíblia Católica era semelhante à evangélica, mas contém sete livros a mais, considerados apócrifos e que não fazem parte do cânon sagrado. Reforcei que a Igreja Católica utiliza santos como intermediários para acessar a Deus e que isto era visto pelos evangélicos como idolatria, pois o único caminho para se chegar a Deus é Jesus Cristo, como o próprio Senhor definiu (João 14.6)”, escreveu.

Confira a íntegra do artigo do pastor Rubens Teixeira em sua coluna, neste link.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+

15 COMENTÁRIOS

  1. a verdade seja dita muitos pastores querem pegar carona, no papamóvel dqa fama acham muitas estruturas para comparar isto com aquilo e se fazerem bons moços…mas certo é que idolatria leva para o inferno e.

    • “Clamando”, qual é o seu nome mesmo? Mais vale uma opinião ruim com nome do que uma eventualmente boa sem nome. O anonimato não tem amparo bíblico e nem na lei dos homens. Contudo, ainda assim, devo comentar seu post. Se você leu a entrevista verá que foi dito que a idolatria, seja de católicos ou evangélicos, ou de qualquer pessoa é abominável aos olhos de Deus e, portanto, os idólatras não herdarão o reino dos céus. É também transgressão contra Deus julgar. Isso também está na entrevista (Mt. 7.1). Devemos julgar a nós mesmos. Idólatras e os que não cumprem outros mandamentos de Deus, se não se arrependerem dos seus erros, serão condenados. Vamos estar vigilantes para que agrademos ao Senhor Jesus em tudo e orarmos pelos nossos irmãos. Mas não se esqueça de assinar suas opiniões, como eu fiz com as minhas. Como não sei sequer se você é homem ou mulher, Deus o abençoe, ou Deus a abençoe!

      • RUBENS TEIXEIRA QUANTO AO NICK DIGAMOS E APENAS UM DIREITO QUE A MIM ME CABE, SEGUNDO LI BEM O QUE POSTOU, E APESAR DE FALAR ESTAS COISA VOCE FOI APENAS POLITICAMENTE CORRETO, USANDO A VINDA DO PAPA PARA PROMOVER TUA OPINIÃO…PEGOU CARONA NO PAPAMÓVEL..NÃO HAVENDO POSSIBILIDADE DE COMUNHÃO DAS TREVAS COM A LUZ… VENDO EM TEU COMENTÁRIO APOIO INTRICICO A SUA VINDA. NA VERDADE ESTE PAPA, FOI ACUSADO DE SUMIR COM CRIANÇAS NA DITADURA ARGENTINA…O ANTERIOR FOI ACUSADO E NÃO PODE BOTAR SEUS PÉS FORA DO VATICANO…NÃO VEJO COMO HOMENS QUE REPRESENTAM A DEUS..FORTALECER UMA IMAGEM QUE TENTARAM PASSAR PARA O MUNDO…O QUE SATANAS NÃO PRECISA É DE NOSSA AJUDA………E SÓ PARA TERMINAR SOU DO SEXO MASCULINO…E SE VOCE PROCURAR POR AI VAI ACHAR CLAMANDO EM VARIOS LUGARES ENTÃO NÃO SOU TÃO ANONIMO ASSIM…LEMBRE-SE O QUE DISSE JESUS SE ESTES SE CALAREM LOGO AS PEDRAS CLAMARÃO ..SOU APENAS UMA PEDRINHA

        • Clamando

          Ja vi que neste caso do suposto envolvimento que o cardeal Bergoglio teria no sequestro de crianças argentinas vc SO OUVE O LADO DE QUEM ACUSA. OU SEJA VC DIZ QUE ELE SÓ PODE SER CULPADO E DEVE CONFESSAR.

          Se é pra julgarmos alguem então até a justiça dos homens que é falha, admite juiz, promotor e defesa. Percebo que é um tema onde vc muito insiste SEMPRE E NEM BUSCA OUVIR O CONTRADITORIO.
          Ouçamos pois todos os lados. E depois diga se vc pode de FATO E COM TODA CERTEZA CONDENÁ-LO:

          Bergoglio, então cardeal, foi denunciado em 2005 por supostas conexões com o sequestro, pela ditadura argentina, dos padres jesuítas Orlando Virgilio Yorio e Francisco Jalics, em 23 de maio de 1976, quando trabalhavam sob o comando de Bergoglio. A denúncia teve por base artigos jornalísticos e o livro Igreja e Ditadura, escrito por Emilio Mignone, fundador do Centro de Estudos Legais e Sociais (CELS) . Além do trabalho de pesquisa de Mignone, também o livro El Silencio de Horacio Verbitsky, membro do grupo guerrilheiro de extrema-esquerda Montoneros, faz referência a supostas ligações com a ditadura. No capítulo “As Duas Faces do Cardeal”, Verbitsky explora o eventual papel de agente duplo desempenhado por Bergoglio junto à ditadura argentina. Segundo o autor do livro, que ALEGA TER acesso a documentos do Ministério das Relações Exteriores e do Culto da Argentina, Bergoglio “vai à Chancelaria, pede um trâmite em favor do sacerdote (Jalics), mas, por baixo do pano, diz para não o concederem porque se trata de um subversivo”..

          Porém, TODAS essas DENÚNCIAS foram DESMENTIDAS por pessoas envolvidas direta ou indiretamente nos fatos. O próprio Francisco Jalicz desmentiu de forma categórica as insinuações, numa declaração sua publicada no site da ordem jesuíta alemã: “O missionário Orlando Yorio e eu mesmo não fomos denunciados pelo padre Bergoglio.”

          Sergio Rubin,75 o seu biógrafo autorizado, relatou que Bergoglio, após a prisão dos dois sacerdotes, trabalhou nos bastidores para a sua libertação e intercedeu, de forma privada e pessoal, junto do ditador Jorge Rafael Videla: a sua intercessão poderia ter contribuído para a posterior libertação destes sacerdotes. Ele também relatou que, em segredo, Bergoglio deu frequentemente abrigo a pessoas perseguidas pela ditadura em propriedades da Igreja, e houve uma vez que chegou mesmo a dar os seus próprios documentos de identidade a um homem que se parecia com ele, para que pudesse fugir da Argentina.

          Também o vencedor do Prêmio Nobel da Paz de 1980, o argentino Adolfo Pérez Esquivel, refutou todas as acusações referentes ao Papa Francisco. Esquivel, perseguido pela ditadura, afirmou que alguns bispos foram cúmplices do regime, mas não foi o caso de Bergoglio.77 A argentina Graciela Fernández Meijide, membro da organização não governamental “Assembleia Permanente para os Direitos Humanos” (APDH) e ex-membro da Comissão Nacional sobre o Desaparecimento de Pessoas (CONADEP), também declarou que não há provas que ligam Bergoglio com a ditadura. Numa entrevista ao Clarín (15 de Março de 2013), ela afirmou que “NÃO HÁ informação e a Justiça NÃO CONSEGUIU provar [esta ligação]. Eu estava na APDH durante todos os anos da ditadura e recebi centenas de depoimentos. Bergoglio NUNCA FOI MENCIONADO. Aconteceu o mesmo na CONADEP. Ninguém falou dele nem como instigador nem como nada.”

          O ex-promotor argentino, Julio Strassera,79 que ganhou notoriedade por seu trabalho de investigação e acusação no histórico julgamento das juntas militares, afirmou também que é “UMA CANALHICE” vincular o Papa Francisco com a última ditadura argentina (1976-1983). “Tudo isto é uma canalhice, ABSOLUTAMENTE FALSO, em todo o julgamento não houve uma só menção a (Jorge) Bergoglio”, declarou Strassera a “Rádio Mitre”, em referência ao julgamento das juntas militares no qual atuou como promotor em 1985. Após a eleição de Bergoglio como Papa, organizações de direitos humanos denunciaram o papel da Igreja na ditadura e lembraram que o cardeal argentino depôs como testemunha em duas causas por delitos de lesa-humanidade. Para Strassera, estas acusações estão motivadas, porque nem a presidente argentina, Cristina Kirchner, nem os seus partidários “podem suportar que alguém a quem desprezaram antes esteja acima deles”.

          Nos seus últimos anos como arcebispo de Buenos Aires, a relação entre Bergoglio e os Kirchner se tornou ainda mais turbulenta com a aprovação das leis sobre o aborto e o casamento homossexual na Argentina. Após todas estas desavenças, o Papa recebeu em 18 de março de 2013 a presidente Cristina Kirchner para um almoço, em um gesto que o Vaticano considerou “de cortesia e afeto” para com a chefe de Estado e o povo argentino, e não uma visita formal ou de Estado.

          • LEANDRO COMO VAI ESPERO QUE BEM
            O QUE EU QUIS DIZER QUE NÃO PODEMOS SER POLITICAMENTE CORRETOS, DEVEMOS ESPRESSAR OPINIÃO, APENAS DIRETA E RETA.. ORA SE PESA ACUSAÇÕES QUE AINDA NÃO FORAM CLARAMENTE RESOLVIDAS E VEJA BEM..SE FOSSE COM VOCE QUE TIVESSEM DITO, QUE ESTARIA ESCONDENDO OU SUMINDO COM CRIANÇAS, SENDO VOCE REPRESENTANTE DE UMA IGREJA COMO É FRANCISCO NÃO FARIA DE TUDO PARA TRAZER A LUZ EXPLICAÇÃO OU PENALIZAR QUEM ACUSA SEM PROVAS..O BENTO ESTA AI NÃO É BALELAS NÃO PODE SAIR DO VATICANO SENÃO É PRESO…O CERTO É A IGREJA CATÓLICA TEVE UM PAPA SENÃO PEDÓFILO MAIS APOIOU OS PEDÓFILOS..CRIME PARA MIM HEDIONDO.. O CERTO É QUE FICOU MAL EXPLICADO..ENTÃO COMO APOIAR E DAR AVAL PARA O PAPA SUA HUMILDADE E TRAQUEJO POLITICO É APENAS PARA O MUNDO VER..E EU NUNCA PODERIA ENDOSSAR..OQUE ELE VAI FAZER DAQUI POR DIANTYE É QUE VAI NA VERDADE DIZER QUEM ELE É HOJE..ESPEREMOS FIQUE NA PAZ E AMOR DE CRISTO COM UM FORTE ABRAÇO DO CLAMANDO

          • Vou bem, mas confesso que por estes dias ainda estou me curando da saudade que fiquei dos peregrinos que recebi em casa. Toda a familia gostou deles. Graças a Deus não me deram trabalho.

            Depois que sairam parece que a casa ficou tão grande e vazia.

        • A verdade é que Malafaia e Macedo fazem escola.

          Ao final todos acabam copiando seus mestres.

          É verdade que Rubens Teixeira é mais educado e mais sútil.

          Mas no fundo reforça as mesmas críticas e apontamentos dos seus mestres.

          E por mais que se explique, é como se nada tivesse sido dito ou explicado.

          Ora, quando Macedo, Malafaia, Abner, Manoel Ferreira, Santiago, Valadão, Terra Nova, Casal Hernandez e Soares estão contra o papa e contra a Igreja, é melhor conceder aos acusados o benefício da dúvida.

          Se eles todos estão juntos contra a Igreja e contra o papa e com eles concorda Rubens Teixeira, é possível que Rubens Teixeira esteja errado. Aliás, é o mais provável.

          Ademais, se Rubens Teixeira condena a infalibilidade, tal como foi sutilmente sugerido em seu texto, como é possível que ele não se julgando infalível, deseja que alguém creia no que diz ou no que escreve ?

          Pois a DEUS o que é de DEUS e a Macedo e cia o que é próprio de Macedo e Cia.

          • Uma coisa é certa. Nós católicos não comentamos a visita deste ou daquele pastor aqui ou acolá.

            Impressionante como o catolicismo é odiado e ao mesmo tempo ninguém consegue dele se afastar ou ser indiferente a ele.

            Mas compreende-se. A Igreja de Jesus Cristo tem uma força tão grande que seus inimigos não conseguem viver longe dela.

            Rubens Teixeira não consegue produzir nada diferente. São as mesmas acusações já proferidas pelos Malafaias, Macedos, Soares e Santiagos.

            Mas estamos acostumados. A verdadeira igreja tem a marca da perseguição.

            E francamente, a Igreja já venceu inimigos bem mais fortes do que os atuais pregadores tupiniquins.

            Ao invés de olhar para o próprio umbigo e condenar as doutrinas do aborto, divórcio, prosperidade e casamento entre pessoas do mesmo sexo, patrocinadas, exclusivamente por denominações evangélicas, concentra-se o nobre e ilustre pastor nos ataques sutis, mas não menos agudos a Igreja de Jesus Cristo na terra.

            Ao invés de condenar as unções do chulé, da vaca, da meia, do chifre, do boi, do ganso ou da galinha, prefere o digno pastor concentrar-se nos mesmos temas patrocinados pelos seus mestres televisivos.

            Temas estes que nunca foram propostos pelos protestantes históricos com os quais, diga-se de passagem, realizamos trabalhos comuns e esforços na busca da tão sonhada e indispensável unidade.

            Mas fiquem certos. Quando surgirem as estatísticas e as pesquisas do IBGE, Rubens Texeira engrossará o coro dos “salvos” e “eleitos” de véspera e dirá como os demais: “Nós o Povo de DEUS somos 30% da população.” “A igreja Evangélica não para de crescer. Glória a DEUS.”

            Nesta hora, Rubens Texeira, tal como seus pares, tentará convencer aos demais que existe uma “una” e “única” Igreja Evangélica no país.

            E depois dirá que rótulo de Igreja não salva ninguém.

            Mas como não ? Basta desfilar com os rótulos protestante ou evangélico que já está “salvo”.

            E quando Malafaia aparecer na Globo, todos correrão para ve-lo e ainda postarão mensagens triunfalistas sobre sua pretensa “vitória” sobre este ou aquele adversário.

            Para estes nunca foi importante conhecer a verdade, mas apenas vencer o debate bíblico.

            No passado Jesus já condenou os “mestres” e “sábios” que julgavam ter vida eterna porque “conheciam” as escrituras e não perceberam que elas próprias davam testemunho do Senhor.

            Hoje todos fazem a leitura da Bíblia e todos “interpretam”, muito embora a Bíblia condene em Pedro a interpretação privada.

            E são estes que julgando-se sábios aos seus próprios olhos e desfilando com rótulos e títulos de pompa que pretendem ensinar para a Igreja que deu a Bíblia ao mundo como interpreta-la.

            DEUS nos livre desta época tenebrosa de falsos ensinos !!!

            De uma hora para a outra, Malafaia, repudiado pela maioria, passa ser o representante de todos quando vier a ser entrevistado no programa da Gabi, por exemplo.

            O mesmo se dá com Feliciano ou Macedo.

            O mesmo se deu quando Von Helder chutou a santa católica.

            O mesmo se dá com o auto proclamado Bispo Guaracy da Igreja do Macedo quando responde as supostas ofensas de um padre.

            Tudo depende do momento e do adversário que se pretenda derrubar.

            Na hora das pesquisas, acusadores e acusados são todos “irmãos em Cristo.”

            O macedo que chamou de endemoníados os cantores Gospel é considerado irmão em Cristo daqueles a quem acusou.

            Malafaia é “irmão em Cristo” daqueles a quem acusou de serem trouxas ou idiota porque não pregam a teologia da prosperidade.

            Malafaia é “irmãos em Cristo” dos blogueiros evangélicos a quem ele acusou de serem filhos do diabo.

            Santiago que nega que Jesus Cristo seja DEUS ou Soares que diz que ajudar os pobres desvia recurso da igreja, são “irmãos” em Cristo da Valadão ou do Terra Nova.

            Até o reverendo Moon que prega na Assembléia de DEUS que Jesus realizou um obra imperfeita é tido como “Benção” e profeta.

            Até mesmo aqueles que disseram que o Papa João Paulo II era a besta do Apocalipse e cuja profecia não se cumpriu, continuam sendo “profetas” e fazendo seguidores.

            Por tudo isto se diz: “Fora da Igreja Católica encontra-se de tudo. Encontra-se honra. Encontra-se quem defenda a trindade. Encontra-se quem prega a fé no Pai, no Filho e no Espírito Santo. Encontra-se quem diga amém ou aleluia. Fora da Igreja Católica encontra-se de tudo. Menos salvação(Santo Agostinho).”

  2. Sobre pedofilia e Homossexualismo

    O pontífice é coerente com a posição histórica da Igreja Católica com relação à homossexualidade: as práticas realizadas são consideradas intrinsecamente imorais, mas que os homossexuais devem sempre ser respeitados. De tal forma, opôs-se fortemente à legislação argentina que permite o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Tendo dito que: “se o projeto de lei que prevê às pessoas do mesmo sexo a possibilidade de se unirem civilmente e adotarem também crianças vier a ser aprovado, poderia ter efeitos seriamente danosos sobre a família. O povo argentino deverá afrontar nas próximas semanas uma situação que, caso tenha êxito, pode ferir seriamente a família. Está em jogo a identidade e a sobrevivência da família: pai, mãe e filhos. Não devemos ser ingénuos: essa não é simplesmente uma luta política, mas é um atentado destrutivo contra o plano de Deus”

    Pedofilia
    Em 5 de abril de 2013 o Papa Francisco, em audiência com o prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, arcebispo Gerhard Ludwig Müller, pediu que a congregação continue com a linha desenvolvida por Bento XVI, agindo de forma decisiva contra os abusos sexuais cometidos por membros da Igreja, promovendo medidas para a proteção e ajuda às crianças que sofreram esse tipo de violência e auxiliando nos processos contra os culpados. Essas ações devem reafirmar o compromisso das Conferências Episcopais na formulação e aplicação das diretivas necessárias nesta área, tão importantes para o testemunho da Igreja e sua credibilidade.
    Seguindo essa linha de conduta, o Papa Francisco assinou em 11 de julho de 2013 um decreto de Motu proprio, reformando o código penal do Vaticano e tornando mais rígidas as sanções para este tipo de crime.

    Agora Clamando, EU E VC SOMOS COMENTADORES ASSIDUOS DESTE SITE. Tenho muitas divergências em relação ao protestantismo, ate porque se não fosse seria um evangelico. Mas aqui mesmo vemos noticias de ex-travestis, ex homossexuais que mudaram de vida. Mas mudaram como?

    Eles mesmo falam: ” Primeiro o pastor, ou bispo, ou apostolo, me deixaram entrar na Igreja e me ensinaram que Jesus me ama. E depois com o tempo eles foram largando seu pecado(ou vicio).”

    Deixar ou homossexual frequentar a Igreja e não ir logo de cara falando:” ô gay vc é um queima rosca, um perdido” pode funcionar muito mais falar pro mesmo o que ele ja sabe: que se permanecer em pecado vai pro inferno. Já vi um belo depoimento do pastor Marcio de Souza mostrando como um travesti, que ele aceitou no templo que pastoreava e como ele foi mudando ao longo dos meses em que entrou na igreja.

  3. Uma coisa é certa. Nós católicos não comentamos a visita deste ou daquele pastor aqui ou acolá.

    Impressionante como o catolicismo é odiado e ao mesmo tempo ninguém consegue dele se afastar ou ser indiferente a ele.

    Mas compreende-se. A Igreja de Jesus Cristo tem uma força tão grande que seus inimigos não conseguem viver longe dela.

    Rubens Teixeira não consegue produzir nada diferente. São as mesmas acusações já proferidas pelos Malafaias, Macedos, Soares e Santiagos.

    Mas estamos acostumados. A verdadeira igreja tem a marca da perseguição.

    E francamente, a Igreja já venceu inimigos bem mais fortes do que os atuais pregadores tupiniquins.

    Ao invés de olhar para o próprio umbigo e condenar as doutrinas do aborto, divórcio, prosperidade e casamento entre pessoas do mesmo sexo, patrocinadas, exclusivamente por denominações evangélicas, concentra-se o nobre e ilustre pastor nos ataques sutis, mas não menos agudos a Igreja de Jesus Cristo na terra.

    Ao invés de condenar as unções do chulé, da vaca, da meia, do chifre, do boi, do ganso ou da galinha, prefere o digno pastor concentrar-se nos mesmos temas patrocinados pelos seus mestres televisivos.

    Temas estes que nunca foram propostos pelos protestantes históricos com os quais, diga-se de passagem, realizamos trabalhos comuns e esforços na busca da tão sonhada e indispensável unidade.

    Mas fiquem certos. Quando surgirem as estatísticas e as pesquisas do IBGE, Rubens Texeira engrossará o coro dos “salvos” e “eleitos” de véspera e dirá como os demais: “Nós o Povo de DEUS somos 30% da população.” “A igreja Evangélica não para de crescer. Glória a DEUS.”

    Nesta hora, Rubens Texeira, tal como seus pares, tentará convencer aos demais que existe uma “una” e “única” Igreja Evangélica no país.

    E depois dirá que rótulo de Igreja não salva ninguém.

    Mas como não ? Basta desfilar com os rótulos protestante ou evangélico que já está “salvo”.

    E quando Malafaia aparecer na Globo, todos correrão para ve-lo e ainda postarão mensagens triunfalistas sobre sua pretensa “vitória” sobre este ou aquele adversário.

    Para estes nunca foi importante conhecer a verdade, mas apenas vencer o debate bíblico.

    No passado Jesus já condenou os “mestres” e “sábios” que julgavam ter vida eterna porque “conheciam” as escrituras e não perceberam que elas próprias davam testemunho do Senhor.

    Hoje todos fazem a leitura da Bíblia e todos “interpretam”, muito embora a Bíblia condene em Pedro a interpretação privada.

    E são estes que julgando-se sábios aos seus próprios olhos e desfilando com rótulos e títulos de pompa que pretendem ensinar para a Igreja que deu a Bíblia ao mundo como interpreta-la.

    DEUS nos livre desta época tenebrosa de falsos ensinos !!!

    De uma hora para a outra, Malafaia, repudiado pela maioria, passa ser o representante de todos quando vier a ser entrevistado no programa da Gabi, por exemplo.

    O mesmo se dá com Feliciano ou Macedo.

    O mesmo se deu quando Von Helder chutou a santa católica.

    O mesmo se dá com o auto proclamado Bispo Guaracy da Igreja do Macedo quando responde as supostas ofensas de um padre.

    Tudo depende do momento e do adversário que se pretenda derrubar.

    Na hora das pesquisas, acusadores e acusados são todos “irmãos em Cristo.”

    O macedo que chamou de endemoníados os cantores Gospel é considerado irmão em Cristo daqueles a quem acusou.

    Malafaia é “irmão em Cristo” daqueles a quem acusou de serem trouxas ou idiota porque não pregam a teologia da prosperidade.

    Malafaia é “irmãos em Cristo” dos blogueiros evangélicos a quem ele acusou de serem filhos do diabo.

    Santiago que nega que Jesus Cristo seja DEUS ou Soares que diz que ajudar os pobres desvia recurso da igreja, são “irmãos” em Cristo da Valadão ou do Terra Nova.

    Até o reverendo Moon que prega na Assembléia de DEUS que Jesus realizou um obra imperfeita é tido como “Benção” e profeta.

    Até mesmo aqueles que disseram que o Papa João Paulo II era a besta do Apocalipse e cuja profecia não se cumpriu, continuam sendo “profetas” e fazendo seguidores.

    Por tudo isto se diz: “Fora da Igreja Católica encontra-se de tudo. Encontra-se honra. Encontra-se quem defenda a trindade. Encontra-se quem prega a fé no Pai, no Filho e no Espírito Santo. Encontra-se quem diga amém ou aleluia. Fora da Igreja Católica encontra-se de tudo. Menos salvação(Santo Agostinho).”

DEIXE UMA RESPOSTA