Polícia Feferal estaria investigando envolvimento de pastores em boatos sobre o fim do Bolsa Família, diz jornalista

16

Os boatos recentes sobre o fim do programa assistencial Bolsa Família, que causaram tumulto em agências bancárias das regiões Norte e Nordeste, estão sendo investigados pela Polícia Federal, e segundo o jornalista Kennedy Alencar, comentarista da rádio CBN, uma das linhas de investigação adotadas supõe que pastores evangélicos teriam responsabilidade na questão.

De acordo com Kennedy, o tumulto pela antecipação dos valores referentes ao benefício do Bolsa Família do mês seguinte teria sido causado por uma série de fatores, como erros internos da Caixa Econômica Federal e politização do programa.

Entretanto, como os tumultos aconteceram em regiões específicas e coincidentemente as que concentram o maior número de beneficiados, há por parte da PF a suspeita que pastores tenham tido acesso à informação da antecipação e repassado à população, resultando nos tumultos.

Segundo o jornalista, o governo federal enfrenta uma indisposição com as lideranças evangélicas, devido às polêmicas e protestos contra o pastor Marco Feliciano, e também a indicação de Luiz Roberto Barroso para ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), na vaga do aposentado Carlos Ayres Britto, ex-presidente da Corte. A opção da presidente Dilma Rousseff por Barroso foi criticada pelo pastor Silas Malafaia recentemente, pois sua atuação seria contrária aos princípios defendidos pelos evangélicos.


Há ainda uma segunda linha de investigação da PF mencionada por Kennedy Alencar em seu comentário. O jornalista afirmou que uma empresa de telemarketing do Rio de Janeiro teria envolvimento com a difusão dos boatos sobre o fim do Bolsa Família.

Ouça o comentário de Kennedy Alencar na CBN:

[audio:http://cbn.globoradio.globo.com/Player/player.htm?audio=2013/colunas/kennedy_130528&OAS#.UaX0QuWI5vc.wordpress]

Por Tiago Chagas, para o Gospel+


16 COMENTÁRIOS

  1. Foram os evangélicos que puseram fogo em Roma, não pagam impostos, são terroristas quando contrariados.

    Caro jornalista, uma bela oportunidade pra ficar calado, mas você deixou passar.

    Democracia e estado de direito não é elaborados com essa postura.

    Não confundir posição política com anarquismo, isto foi o que aconteceu neste episódio, não pelos saques, mas pelo terrorismo.

    Como jornalista, devia concluir noutra linha, qual seja, a força de um boato, de uma conclusão errada e até mesmo da possibilidade do uso do dinheiro antecipado em face da disponibilidade, juntando a tudo isso, as classe ‘d” ‘ e “e” ´possuir celular, logo socializando com os parentes, conhecidos e vizinhos.

    • poxa, fico muito atento a tudo…
      analiso tudo e retenho o que é bom… Bom somente é deus…
      Jesus nunca quis libertar o povo judeu da potestade dos romanos…
      Ele era e foi e é o Rei , não do Judeus… mas sim de um Reino Celestial… Nunca se meteu em Politica, se quer o Apostolo Paulo se meteu em contendas Politicas…
      Dai a Cesar o que é de Cesar, Perguntaram-lhe se era Rei e Ele se omitiu em assuntos políticos, e sequer emitiu pareceres quanto as leis judaicas…
      Na minha opinião existe omissão na tarefa da igreja…
      Não se pode impor aos que não acreditam na Bíblia ou e Jesus Cristo a mesma crença daqueles a quem foi revelado tal coisa… Não é por força e nem por violência e sim pelo convencimento do Espirito Santo…
      Corre-se o risco de ditaduras Muçulmanas, Católicas e Protestantes ao se achar que tendo o poder secular, pode-se convencer alguém do pecado ou da salvação … tivemos cruzadas depois da conversão de Constantino… Milhares foram mortos, perseguição aos judeus, ciganos, Ateus…. atrocidades…Meu Reino não é desse mundo… Disse Jesus…
      Vejo com dor Ditos Líderes Evangélicos, Falando pela maioria sem ter mandato pra isso, e isso me dói muito…Usam membros, usam sua fé e até sua ignorância…
      Terrível, devastador… Repetição vil da História…
      A Igreja perde, por pecar na máxima do Ide e pregai o evangelho a toda criatura para que com seu livre arbítrio decida entre o pecado e a liberdade…
      A obrigação de todo cristão é se submeter a toda Lei, orar pelos seus governantes e Confiar em Deus que os Rege e Cuida..Respeitar e orar pelas autoridades constituídas…
      Vivemos num estado laico, graças a Deus… temos liberdade… quem tem que pregar aos impios e ateus sãos os cristãos, e não os impor regras e leis em que eles não creem…não é por força, poder ou violência, quem convence não são os pastores, ou maioria, ou seja lá o que for, é o Espírito Santo de Deus…
      Basta de farisaísmo, de quererem impor um poder ou Leis sobre todos…Jesus é Rei e Vive, mas não desse reino… E Sim daquele que Ele preparou para aqueles que crerem, e isso Ele mostrou que não vem de poder e sim de Amor, tolerância…Humildade…Rejeitou Ser Rei Terreno dos Judeus, para ser Rei eterno no Porvir…
      Sofro como tantos se arvoram ou se apoiam e até se apropriam indevidamente em Nome de Jesus para cometer tantas atrocidades, que se repetem ao longo dos tempos e da História… Que será do meu Neto? Confio em Cristo Jesus, meu Redentor e Salvador, antes disso em minhas escolhas…

      • Concordo com você em gênero e grau, tanto que vezes aqui neste site já me pronunciei que Cristo foi cuidadoso em não ir de encontro direto aos governantes e ás suas leis.

        Usou da sabedoria pra se opor a elas e aos governos, não um confronto direto e aberto como se passou a fazer por alguns cristãos.

        Já ás suas conclusões, com essas não comungo, pois os pastores é que estão sendo vítimas, como o foram os primeiros cristãos nas arenas, embora cultuassem e vivessem em catacumbas, às escondidas.

        Está sendo dada a versão de que os evangélicos, se um dia virem a estar no poder, criarão um estado não laico.

        Isso é mentira, pois os países em que são de maioria evangélica, cujos políticos são evangélicos também, como EUA, Suécia, Finlância…, aliás, dos de melhores enquanto qualidade de vida, suas políticas não são de cunho religioso, havendo liberdade pra todos os grupos, sem atritos, inclusive por serem assim os direitos discutíveis hoje noutras nações como aborto, casamento gay…, já foram resolvidos de há muito, não por concordarem, mas por respeito aos pensamentos dos demais.

        Se Deus não trouxe pra si o mister de impedir o homem de pecar, serão os seres humanos dessa ou daquela entidade religiosa que impedirão? Cadê o direito garantido por Deus do livre arbítrio?

  2. La vem perseguição contra a igreja. Será que não dar pelo menos essa vez colocar a culpa no Bin Laden, ou no Obama, ou no Papa, ou na Globo, ou na Glória Peres, ou no LGBT, ou no Islã, ou no etc…etc…etc.

  3. Perseguição religiosa. Quem deveria estar sendo perseguida era a Dilma e o PT pela compra de votos através desse bolsa familia, que diz que tirou as pessoas da miseria, no entanto essas pessoas continam na dependencia do governo. Coincidentemente, os Estados onde Dilma teve mais votos foram os Estados mais pobres. Isso pra mim é compra de votos na maior cara dura.

  4. Depois que este partido “PT” entrou no governo foi estabelecido a anarquia no pais ,o errado tornou certo o certo tornou errado,esta deformando a moral e os bons costumes e a familia que é formada desde que mundo é mundo,logo vão tapar a boca de quem discordar da agenda deles ” PT”. Todos os paises que a esquerda esta no governo é aprovada leis esdrúxulas , contra a família e a moral , a palavra conservador é soada como um câncer pra eles . É só ver o que esta acontecendo na França,Argentina , principalmente na Argentina ;estão calando a boca da imprensa que está contra a agenda do governo esquerdista.
    Aqui não vai demorar pra começarem a tapar a boca dos conservadores, a começar pela igreja Evangelica !!

  5. Agora, tudo que não presta neste país é culpa dos evangélicos. Só faltava essa, os pastores evangélicos serem culpados pelos erros da Caixa Econômica Federal sobre o Bolsa Família? Daqui a pouco quando dispertarem que o casamento gay foi uma aberração, vão dizer que foram os pastores que legalizaram tal desgraça.

  6. É uma bagunça mesmo! Estamos vivendo a era NERO, tudo agora são os Cristãos.Ontem foi Datena hoje é Kennedy depois são os mensaleiros. Não vou mais nem citar mais tragédias, se não já viu.MARANATA!

  7. a Politica e a religião sempre andaram lado a lado para um mesmo fim , ou seja , recrutando adeptos para obtero lucro mas o fim está próximo e o rei jesus não conservará nem uma desssas duas serpentes. maranata. ora vem SENHOR JESUS.

  8. Totonho lembrou bem,qdo lembra do q Nero fez ao tocar fogo em Roma e pôr a culpa nos cristãos.Agora ,e principalmente com a aproximação da vinda do papa católico,na tentativa de fortalecê-lo ainda mais ao pôr os pés aqui;estão nos fazendos de alvo pra tudo.Tudo de ruim q ocorrer agora daqui pra frente no nosso país terá um pastor pelo meio,pode esperar.É mais um ardil jesuíta.Lembrem-se : Hoje ñ dá pra fazer fogueira com corpos de suas vítimas, em chamas reais.A fogueira hoje funciona assim,espalhando boatos, acusando pastores,alardeando prisão de pastor mais do q o necessário,pra atingir a todos nós.Imprensa marrom,imprensa rosa,jesuitas,é tudo uma só mente,com um só propósito: Fazer os cristãos novos recuarem e até sumirem,se possível for,no nosso país.Os Torquemadas e Inácios de Loyola estão de volta e Nero tb.

  9. Só faltava essa! Tomara que isso não seja o que a bíblia já previu há muito tempo. Ou seja, perseguição aberta ao evangelho, já a perseguição existe, embora que de forma camuflada. Porém ser for isso não é surpresa pra quem conhece a Palavra de Deus.

  10. Sobre o “”boato “”do fim do programa Bolsa-família. O ruim disto tudo é que infelizmente é só um boato,bom mesmo seria que fosse verdade o fim do programa Bolsa-família.. Como disse o leitor acima, Valdecir “” Quem deveria estar sendo perseguida era a Dilma e o PT pela compra de votos através desse bolsa família. “””.

    O bolsa-família é só um maldito programa de compra de votos. Não entanto na cabeça de muita gente, o que não presta é só o boato sobre o fim do programa. O boato é o grande crime.

    Mas ! Contra esse programa dito social que é super pervertido,corrupto,imoral e que corrompe o povo quase ninguém fala nada.

    Vou dizer umas verdades sobre esse programa. Primeiro . Está sendo gasto agora mais de 24 (vinte quatro) bilhões de reais para custear o bolsa-família.

    Segundo. Como todos sabem o Governo não gera seus próprios recursos. Vejam essa verdade.. “””A questão moral sobressai com total nitidez quando reconhecemos que os programas de gastos sociais aprovados no Congresso não representam legisladores que utilizam dinheiro do próprio bolso. Além disso, não podemos supor que o dinheiro está vindo do nada. O fato de que o governo não tem recursos próprios nos obriga a reconhecer que o único jeito de o governo dar um único dólar a um cidadão é primeiramente tirando – com intimidações, ameaças e coerção – esse dólar de outro cidadão.””””

    Terceiro. Tanto é verdade que a arrecadação de impostos de 2012 pela União(Governo Federal,Estaduais e municípios) chegou á mais de Um Trilhão e 500 Bilhões de reais. Sendo somente do Governo Federal, um pouco mais de Um Trilhão.

    No entanto tal quantidade de dinheiro não suficiente para cobrir a GASTANÇA do Governo.

    Essa enorme Gastança é a principal causa da inflação.

    Como todos sabem a inflação prejudica a todos,mas ,ela é muito mais cruel com os pobres que tem menos recursos para se protegerem. O que o bolsa-família dá para as famílias pobres com uma “mão” a inflação tira com a outra. A inflação empobrece o povo terrivelmente,exemplos na História não faltam.

    Nessa hora me lembro das palavras do escritor evangélico Júlio Severo ————–de que em momento algum na Bíblia Deus delegou ao Estado o papel de Supremo Provedor .

    Veja por completo as palavras de Julio Severo aqui Quando debate com um tal de
    Bert Wilnerzon . Infelizmente ! Muitas pessoas querem o Estado com o Supremo Provedor de todas as suas necessidades,por isto o Socialismo faz tanto sucesso.

    Mas ! Quero dizer a essas pessoas que meu Supremo Provedor é Deus que possui recursos infinitos. E não um frágil Governo humano que para dar um real a um cidadão,primeiramente precisa tira de outro cidadão.

    Que Deus nos abençoe e abra nossos corações e mentes !

  11. O estado assistencialista sueco está em chamas.

    Os distúrbios em Estocolmo continuam, noite após noite. A baderna agora já se espalhou para outras cidades da Suécia. A polícia parece estar completamente impotente para lidar com a situação. Grupos de jovens seguem quebrando vitrines de lojas, saqueando e ateando fogo em carros. Um centro cultural foi incendiado na terceira noite de tumulto em Estocolmo. As demonstrações de violência começaram no domingo em um subúrbio predominantemente de imigrantes e, logo, se espalharam para o centro da cidade.
    No momento, jovens imigrantes estão nas ruas incendiando carros que pertencem a imigrantes adultos.

    Um grupo comunitário chamado Megafonens reclamou de “escolas com estruturas precárias para os imigrantes”, “desemprego” e “racismo estrutural”, seja lá o que isso signifique.

    A seguir, comento uma notícia do jornal britânico The Telegraph:

    Ao caminhar pelas ruas do bairro de Husby, na semana passada, era difícil estipular à primeira vista qual era realmente o problema. Construído na década de 1970 como parte do “Million Programme” [um ambicioso programa de habitação implantado pelo Partido Social Democrata Sueco], programa que tinha o objetivo de prover casas a preços acessíveis para todos os habitantes da Suécia, este conjunto habitacional é apenas um entre as dezenas que existem na periferia de Estocolmo e que hoje abrigam populações imigrantes, incluindo um grande número de imigrantes da Somália, da Eritréia, do Afeganistão e do Iraque.

    Imigração tende a ser uma coisa boa, mas apenas quando ela atrai pessoas dispostas a trabalhar duro para subir na vida. Já um arranjo que combina imigração livre com estado provedor está propenso ao desastre, pois ele se transforma em um chamariz para parasitas que querem apenas direitos e que se acham credores das benesses dos nativos.

    Na Suécia, ao que tudo indica, a imigração livre em conjunto com generosos auxílios estatais concedidos a imigrantes — e uma tolerância que certamente é a maior de todas na Europa — não funcionou como o planejado. Que surpresa…

    Duas décadas depois, “a fuga dos brancos” fez com que apenas um em cada cinco apartamentos em Husby fosse ocupado por suecos. E vários dos imigrantes que passaram a ocupar estes apartamentos não parecem compartilhar a visão de que uma nova vida na Suécia é um sonho que se tornou realidade. Na semana passada, a vizinhança irrompeu em revoltas e manifestações violentas, desencadeando uma das mais ferozes convulsões urbanas que a Suécia já vivenciou em décadas, o que gerou um novo debate sobre os sucessos da integração racial.

    “Antigamente, a vizinhança era mais sueca e a vida parecia um sonho; hoje, há um número excessivo de estrangeiros, e há toda uma nova geração de imigrantes que cresceu aqui dentro apenas da sua cultura”, disse o imigrante Mohammed Abbas, apontando para os jovens encapuzados que vagueiam pelo centro comercial de Husby.

    “Ademais, na Suécia, o estado proíbe você de dar palmadas nos seus filhos para discipliná-los, e isso é um problema para pais estrangeiros. As crianças sentem que podem criar todas as confusões que quiserem, e a polícia nem mais tenta prender nenhum deles”.

    Além das fartas benesses para os imigrantes, o estado sueco assumiu para si a tarefa de como deve ser a educação paterna das crianças. E proibiu a punição de malfeitorias, certamente sob o argumento de que um indivíduo em determinadas condições sociais não pode ser responsabilizado por seus atos. O progressismo está apresentando sua fatura para o país que é tido como o modelo de bem-estar social na Europa.

    Os distúrbios irromperem em Husby no fim de semana do dia 18 de maio, após a polícia atirar e matar um homem que brandia uma machete dentro de sua casa. Enfurecidos com aquilo que viram como brutalidade policial, jovens atearam fogo em carros e prédios, e apedrejaram policiais e bombeiros. A polícia foi então forçada a trazer efetivos adicionais de fora de Estocolmo à medida que os problemas foram se difundindo para outros subúrbios dominados por imigrantes e também para outras cidades, como Orebro, no centro da Suécia, onde 25 jovens mascarados atearam fogo a uma escola em uma sexta-feira à noite.

    Então eles queimaram uma escola pública. Isso é o equivalente a um sacrilégio na Europa estatista: pior do que queimar uma igreja.

    O que provocou isso? Esquerdistas, social-democratas e progressistas em geral têm a resposta na ponta da língua:

    Enquanto isso, políticos da esquerda sueca, a qual comandou o país durante a maior parte do período pós-guerra, atribuíram os problemas aos cortes de gastos sociais introduzidos pelo atual primeiro-ministro Frederik Reinfeldt, cujo Partido Moderado prometeu retocar — mas não cortar — o orçamento assistencialista quando foi eleito em 2006.

    É isso aí. O real problema da Suécia — o mais assistencialista e tributador país europeu — é que o país precisa de mais tributação, de mais assistencialismo e de mais redistribuição de riqueza. Isso sim vai corrigir tudo.

    É fato que acusações de racismo irritam vários suecos, que praticamente não possuem uma história colonizadora, e cuja decisão de aceitar um grande número de imigrantes do Terceiro Mundo a partir da década de 1980 não adveio de nenhuma obrigação política, mas apenas da noção sueca de dever humanitário para com o resto do mundo. Desde o início, o governo procurou evitar a criação de uma classe de “estrangeiros com permissão para trabalhar”, algo tipicamente alemão. E o governo evitou isso criando vários direitos para os imigrantes e introduzindo uma pletora de programas que visavam promover a integração racial.

    No entanto, não obstante o governo oferecer cursos gratuitos do idioma sueco para todos os imigrantes, guetos povoados exclusivamente por estrangeiros que não falam o idioma surgiram aos montes nos últimos anos.

    Que inesperado! Conceda toda uma pletora de direitos e subsídios, e se surpreenda ao constatar que não há nenhum esforço para se adaptar à cultura do país. Será que algum dia o espanto vai terminar?

    “Nós somos o país que mais se esforçou para integrar essas pessoas, muito mais do que qualquer outro país europeu; gastamos bilhões em um sistema de bem-estar que foi criado para ajudar imigrantes desempregados e garantir a eles uma boa qualidade de vida”, disse Marc Abramsson, líder do Partido Nacional Democrata. “Ainda assim, temos áreas em que existem grupos étnicos que simplesmente não se identificam com a sociedade sueca. Eles veem a polícia e até mesmo as brigadas de incêndio como parte do aparato repressor, e os atacam. Já tentamos de tudo, de tudo mesmo, para melhorar as coisas, mas nada funcionou. Não se trata de racismo; a questão é simplesmente que o multiculturalismo não reconhece como os humanos realmente funcionam”.

    Além de benesses, de direitos copiosos e da ausência de contrapartidas por parte dos beneficiados, estimule também uma integração forçada. Adicione a esta integração forçada uma boa dose de redistribuição de renda e de estímulo ao parasitismo.

    No final, quando nada sair como o planejado e os beneficiados se sentirem excluídos pelo aparato opressor, faça como os suecos e se pergunte: “Mas cadê a gratidão?”.

    Ainda assim, membros das gerações mais jovens de Husby afirmam ser desarrazoado os suecos esperarem que eles sejam eternamente “gratos” por aceitá-los em seu país, mesmo levando-se em conta a pavorosa situação de seus países de origem.

    Entre estes está o jovem Rami al Khamisi, de 25 anos, cuja família fugiu do Iraque de Saddam Hussein em 1994, passando clandestinamente primeiro pela Turquia e depois pela Rússia, e então cruzando o báltico em um barco de pesca comandado por um contrabandista de gente. “Eu tinha seis anos e o barco estava lotado, com umas 60 pessoas”, disse ele. “Um idoso morreu durante a jornada, e eles o jogaram ao mar porque seu corpo estava fedendo muito”.

    Mas esta, diz ele, é a sua única memória real das privações de sua vida anterior. Por isso, ele considera ser muito difícil demonstrar a mesma gratidão que seus pais ainda demonstram para o país que os acolheu. “Meus pais sempre tentam fazer comparações com Bagdá ou com a Somália para mostrar como aqui tudo é melhor”, disse ele. “Mas nós, que somos da geração mais nova de imigrantes, só conhecemos realmente apenas a Suécia, e por isso só podemos comparar a nossa situação com esta que nos rodeia”.

    E então eles saem incendiando carros em sua própria vizinhança.

    Tudo isso é a inveja em ação. Trata-se de um ressentimento contra todos os sinais visíveis de sucesso. É algo que não pode ser apaziguado com esmolas e outros tipos de assistencialismo. Assistencialismo não gera riqueza, mas gera parasitismo e dependência. E parasitismo e dependência geram ainda mais ressentimento contra aqueles que realmente trabalham e são bem de vida.

    O próprio fato de que os progressistas defensores do estado assistencialista quererem apaziguar a situação oferecendo mais assistencialismo gera apenas mais ressentimento. O fato de os suecos genuínos terem dinheiro para oferecer como forma de pacificar os baderneiros enfurece ainda mais os baderneiros.

    Em toda a Europa, os europeus não mais estão se reproduzindo às taxas mínimas de reposição. O futuro da Europa está nos guetos de imigrantes, os quais são atraídos pelos generosos benefícios concedidos pelo estado. Uma grande ideia.

    Gary North , ex-membro adjunto do Mises Institute, é o autor de vários livros sobre economia, ética e história. Visite seu website.

    XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

    Estados Assistencialistas estão em crise no mundo inteiro. NO BRASIL NÃO VAI SER DIFERENTE. CEDO OU TARDE NÃO VAI HAVER MAIS DINHEIRO PARA PROGRAMAS ASSISTENCIALISTAS E POPULISTAS.. É SÓ OLHAR PARA A HISTÓRIA PARA ENXERGAR ESSA VERDADE.

DEIXE UMA RESPOSTA