[Renúncia do Papa] Bento XVI compara momentos de crise durante seu pontificado com passagem bíblica: “O Senhor parecia dormir”

9

A Igreja Católica anunciou que Bento XVI poderá continuar a usar sua nomenclatura de pontífice, mas será tratado como Papa Emérito, uma vez que não terá mais autoridade para decisões na cúpula do Vaticano.

Hoje o Papa encerra seu ciclo à frente da igreja romana, e deverá realizar sua última aparição em público por volta das 12h45, no horário de Brasília. De acordo com informações do Estadão, às 20h00, o ciclo de Bento XVI como líder da Igreja Católica chega ao fim, num prazo determinado por ele mesmo.

Ontem, 27 de fevereiro, Bento XVI afirmou numa audiência geral realizada na Praça São Pedro, no Vaticano, que nos sete anos e dez meses que esteve à frente da Igreja Católica, momentos de alegria e também de turbulência testaram a capacidade da denominação de superar desafios, e fez uma analogia com a passagem bíblica em que os discípulos de Jesus enfrentaram uma tempestade, quando o Mestre parecida dormir.

“Foi um trecho do caminho da Igreja que teve instantes de alegria e de luz, mas também momentos difíceis. Me senti como São Pedro e os apóstolos no barco no Mar da Galileia. O Senhor nos deu muitos dias de sol e brisa leve, em que a pesca foi abundante. E momentos em que as águas estiveram agitadas e o vento contrário, como em toda a história da Igreja, em que o Senhor parecia dormir. Mas eu sempre soube que naquele barco estava o Senhor e que o barco não era meu, nem de vocês, mas Dele, que não o deixa naufragar. É Ele que o conduz, certamente através também dos homens que escolhe, porque os quer. Esta foi e é uma certeza que nada pode ofuscar”, disse.


O Papa afirmou ainda que sentia suas forças diminuírem, e a pediu a Deus que o orientasse na melhor escolha a ser feita: “Fiz este passo na plena consciência de sua gravidade e da novidade, mas profundamente tranquilo no espírito. Amar a Igreja significa também ter a coragem de tomar decisões difíceis, tendo sempre em vista o bem da Igreja e não de si próprio”, ressaltou.

Um trecho do discurso de Bento XVI foi em português, e nessa fala, ele disse que quando foi escolhido como pontífice, entregou seus caminhos à frente da Igreja Católica a Deus: “É um peso grande que colocais aos meus ombros! Mas, se mo pedis, confiado na vossa palavra, lançarei as redes, seguro de que me guiareis”, revelou.

Afirmando que não pretende retornar à sua vida privada, mas sim, seguir em reclusão com meditações e orações, Bento XVI reforçou que pretende continuar atuando como Papa no sentido pessoal: “Minha decisão não implica no retorno à vida privada. Não terei mais viagens, audiências, conferências, etc; mas não abandonarei a cruz, continuarei junto ao senhor crucificado, de um modo novo. No ofício da oração, permanecerei no ‘espaço’ de São Pedro. São Bento, cujo nome adotei como Papa, será um grande exemplo para mim. Ele mostrou o caminho para uma vida que, ativa ou passiva, pertence totalmente à obra de Deus”.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+

9 COMENTÁRIOS

  1. Com todo o respeito, em verdade não é quem parecia dormir ser Cristo, é a igreja católica que está dormindo. De há muito coisas estranhas vem ocorrendo, vem sendo alertadas, vem sendo cantadas em prosa e verso, aí botar a culpa em Deus?

    O que é de Deus é de Deus, o que é do homem, Deus algum vai fazer. E se agente não fizer, simplesmente seremos julgados, condenados e executados. Aliás, já está sendo julgada.

    • Por um acaso Deus Todo Poderoso foi responsabilizado por algo ?

      A imagem é forte, mas não surpreendente. Trata-se de uma das mais conhecidas passagens dos Evangelhos. Transcrevo, por exemplo, os versículos 14 a 32 do capítulo 8 de São Mateus.

      +++
      Tendo Jesus chegado à casa de Pedro, viu a sogra deste acamada e ardendo em febre.
      Mas Jesus tomou-a pela mão, e a febre a deixou. Ela se levantou e passou a servi-lo.
      Chegada a tarde, trouxeram-lhe muitos endemoninhados; e ele meramente com a palavra expeliu os espíritos e curou todos os que estavam doentes;
      para que se cumprisse o que fora dito por intermédio do profeta Isaías: Ele mesmo tomou as nossas enfermidades e carregou com as nossas doenças.
      Vendo Jesus muita gente ao seu redor, ordenou que passassem para a outra margem.
      Então, aproximando-se dele um escriba, disse-lhe: Mestre, seguir-te-ei para onde quer que fores.
      Mas Jesus lhe respondeu: As raposas têm seus covis, e as aves do céu, ninhos; mas o Filho do Homem não tem onde reclinar a cabeça.
      E outro dos discípulos lhe disse: Senhor, permite-me ir primeiro sepultar meu pai.
      Replicou-lhe, porém, Jesus: Segue-me, e deixa aos mortos o sepultar os seus próprios mortos.
      Então, entrando ele no barco, seus discípulos o seguiram.

      E eis que sobreveio no mar uma grande tempestade, de sorte que o barco era varrido pelas ondas. Entretanto, Jesus DORMIA.
      Mas os discípulos vieram acordá-lo, clamando: Senhor, salva-nos! Perecemos!
      Perguntou-lhes, então, Jesus: Por que sois tímidos, homens de pequena fé? E, levantando-se, repreendeu os ventos e o mar; e fez-se grande bonança.
      +++

      O que dorme acima, em meio à tempestade, é o “filho de Deus”. E, como se nota, dormia mais para ser didático e expor, pelo exemplo, a força da fé do que para descansar. Bento XVI, como fica evidente, fez alusão a essa passagem, também relatada no capítulo 4 do Evangelho de São Marcos (versículos 35 a 40) e no capítulo 8 do Evangelho de São Lucas, versículos 22 a 33. O texto de Lucas (não coloquei mas foi citado ) acabou ficando mais famoso porque é ali que os demônios se identificam como “legião”.

      Uma das perífrases para designar a Igreja é justamente a “Barca de Pedro”.

      Um pouquinho de boa vontade basta, meu caro Levi, para interpretar um escritor brilhante, é melhor do que criar factóides e jogar pra galera pouco atenda e teleguiada do post.

      • Mauro,

        Tudo bem com tua igreja, pois nada de ruim está acontecendo nela.

        Papa com morte não esclarecida, o de 33 dias; papa sofrendo tentativa de assassinato pós três anos de papado em plena praça do vaticano; crianças molestadas sem que a igreja baixe sequer uma instrução normativa; os escândalos financeiros; bom está tudo bem, durma tranquilo, mas depois não venha dizer que não foi esclarecido por mim e pela própria bíblia, apocalipse parte final do capítulo 16, o 17,18 e o 19. Ao invés de fazer igual ao povo de Níneve que escutou o profeta, ficam tapando o sol com peneira: o cego que não quer enxergar.

        • A sua afirmativa de que nada de mal vemos e negamso que coisas podem mudar demosntram sua má fé.Leia bem os atos deste pontificado e verá que ele mandou que os seminarios apurassem com mais rigor se os estudantes e candidatos a padre tinhma tendencias homo(maior passo pra pedofilia) e exigiu maior rigor nos casos de denuncias.

          • Meu amigo,

            Pior coisa que existe é você lidar as coisas como se amador o fosse, esquecendo que devia agir com profissional.

            Uma instituição com abrangência internacional, pipocando inúmeros boatos, aí não estabelece normas de pronto para inibir, sequer faz.

            A questão não é que ele mandou apurar, sim que não fez uso do poder para inibir, como seja, agindo e atuando como amador. Mas também pudera, uma igreja que póe como principal figura idosos que já eram para estar aposentados.

            Meu caro, o serviço público, seguindo estudos e desdobramentos da OMS, determina aposentadoria aos 75 anos, aí vocês fazem o inverso.

            Por Deus, e ainda acha ruim quando se diz que o comando foge dele, papa.

    • seja cristaov de verdade age igual nao critique somente reze ou ore como queira o importante e voltar nossa atençao a cristo e nao a criticas ou escandadlos pois so deus pode julgar os pecados olhe para o seu e redime se dele o do papa deus o julgara conforme for nessecario

  2. Dormindo! Quer dizer que a crise que está aí é culpa de Deus mesmo! Pensei que todos os anos que esse idiota passou acobertando e transferindo pedófilos seriam os responsáveis por essa bagunça toda! Ao menos não acusou o diabo, como a maioria dos crentes!

    • Se ele é a rigor um idiota você deve ser o sábio, perfeito ! Portanto, senhor sábio, qual o instrumento legal que Ratzinger tinha para punir alguém, sabendo-se que qualquer denuncia seja criminal ou não, em qualquer segmento, civil, religioso, não governamental, estatal, militar…é necessário uma denuncia formal espedida por quem de direito ? Pastor, padre, aiatolá, monge …só podem afastar até que haja uma condenação, sob pena da liderança agir por conta própria não permitindo o direito de defesa do acusado.

      Aguardo suas ponderações.

      • Você está falando das 100.000 crianças americanas ou das 16.000 irlandesas ou dos sete anos que o Papa levou para avaliar os inúmeros documentos e casos do padre da Bélgica? Porque estes documentos não correm junto com as investigações policiais? Lógico que estamos falando de sociedades e poderes paralelos, onde um frade colocou a culpa nas vítimas! Saber que parte desta sacanagem toda ficará acessível apenas ao novo papa é realmente frustrante!

        • Mauro, Mauro, Mauro,

          O incêndio passando do pescoço e você dizendo que não tem prova cabal.

          Coisas desta natureza não precisa de provas, não.

          Basta o primeiro caso para a gente tomar as ações de precauções, meu caro.

          Era para a igreja ter criado uma estrutura na forma de ouvidoria intinerante para dar ouvidos a supostas coisas nessa área, aliás sequer sairiam do âmbito da igreja, afinal intimidaria os supostos lobos.

          Aliás, na época da inquisição, os padres temiam a esse colegiado, pois julgavam os excessos. Será que a igreja é o único seguimento humano em que não haveria abusos sexuais dessa natureza?

          Ora, por Deus, faltou vigilância constante, faltou norma impeditiva da permanência de clérigos com menores a sós.

      • caro amigo nao perca tempo nao condene sua salvaçao com comentarios futil pois o verdadeiro serviçor de cristo nao critica ele ora por um mundo cada vez melhor olhe pra sua vida veja se ta sendo sinal de cristo se preocupe com sua salvaçao nem o papa e nem pastor algum neste mundo pode te dar a salvaçao entao pegue com deus e va em frente nao pare nos erros de outras pessoa abraço deus abemçoen e a vrigem maria santa e simples te abençoe em nome de cristo salvador e redentor

    • amigo pensa se vc ia gostar se seu vizinho cuidase de sua vida a primeira coisa que tu ia falar é pra ele cuidar da vida dele e deixar a sua pois bem faça o mesmo cuida da sua igreja do seu apstor da sua familia esqueça a do seu vizinho se relamente vc é cristao de verdade vai pegar uma biblia e orar em vez de ficar apontando o pecado do proximo

  3. Renúncia do Papa
    Duas leituras podem ser feitas para entender a renúncia do Papa. A primeira, dentro do cenário mundial onde a igreja está inserida como uma instituição administrativa e política.
    Seu Objeto Social, nesse caso, é arregimentar o maior número de pessoas em torno de uma ritualística que, em princípio, professa a fé em Deus, revelada e vivida por Jesus Cristo que trouxe ao mundo o gérmen da justiça social. Mas, ao mesmo tempo a instituição mantém vínculos políticos com chefes de estados, acordos, goza de prestígio, influência e tem autonomia e autoridade em outros setores mundiais, nesse viés compõe e tolera todas as mazelas inerentes ao mundo atual, em frontal incoerência e contradição com seu objeto principal.
    Nessa linha de gestão o administrador, nesse caso o Papa, tem que negociar suas decisões de modo a manter o status e equilibrar as tensões que surgem em vários segmentos. Essas tensões, mazelas e práticas espúrias ameaçam de ruptura o compromisso com a fé em Deus e coloca em dúvida a mensagem que a ritualística transmite ao Povo.
    Diante do impasse surgem reuniões para buscar a melhor saída, consenso, apoio e decidir qual o caminho a ser trilhado. Imaginemos que o chefe empenhado em manter e defender a ritualística não obteve o apoio necessário. Tenta de todas as formas mostrar que a realização da ritualística é o mais importante para a instituição; contudo, seus principais apoiadores sustentam o contrário: manter o status político e representativo é imprescindível, depois disso a ritualística.
    O chefe fica só. Ele tem três caminhos: primeiro, se lançar sozinho na tentativa de defender a prevalência da ritualística, com chances remotas de sucesso; segundo, se acovardar e aceitar a decisão da maioria, situação na qual perde sua autoridade; e, terceiro, alegar motivo de foro íntimo e renunciar; foi o que aconteceu, o chefe da instituição renunciou.
    Política e administrativamente optou pelo caminho mais curto e menos oneroso. Nesse particular o Papa mostrou ser um homem corajoso e capaz. Mas, ao se despedir ele citou, discretamente, a Carta de Paulo aos Colossenses, escrita por volta do ano 60 dC. Aí ele se complicou e complicou ainda mais seus pares; sendo que um deles será seu sucessor.
    A segunda leitura, com base na cartinha do Apóstolo Paulo – quem melhor traduziu e difundiu os ensinamentos do Mestre Jesus Cristo, Senhor e autor dos rudimentos da Justiça Social, da qual a Igreja Católica se diz herdeira, propagadora e defensora – o Papa, os Cardeais e os demais membros da igreja jamais poderiam tergiversar. Mesmo que uma atitude radical significasse o maior tumulto e desequilíbrio que o mundo já tenha vivido.
    Os verdadeiros missionários, propagadores e defensores da Cristandade, embora prejudicados em termos de recursos e constantemente perseguidos, não mediram esforços e jamais alegaram fraquezas e incapacidades físicas ou materiais para renunciarem, eles tinham a certeza e a convicção que estavam no caminho certo e que a energia para o exercício do bom combate vem de Deus.
    Nessa segunda década do Século XXI, com toda evolução tecnológica que propicia a comunicação em tempo real, com abundância de recursos e até com liberdade para falar, denunciar e defender ideias e doutrinas, momento mais que oportuno para a grande transformação social que o Povo tanto espera, a igreja poderia se redimir de todas as atrocidades e equívocos já cometidos ao longo da história e dar início ao processo de resgate da dignidade humana, fazendo jus ao título de Igreja de Jesus Cristo.
    Os Cardeais e demais membros da igreja, por dever de ofício, devem cumprir suas promessas e votos de lutarem pela Justiça Social, em favor do Povo, da Honra, da Ética, dos Sãos Princípios da Moral e da Razão, tudo com fundamento nos ensinamentos de Jesus Cristo. Não podem, por dever de ofício, fazerem composições espúrias para manter as politicalhas e atrocidades conhecidas e sentidas pela grande maioria das pessoas do mundo todo.
    O Papa que ora renuncia ao comando da igreja deixa grandes dúvidas: A instituição religiosa, igreja católica, tem o sagrado compromisso com Jesus Cristo ou com o mundo de iniquidades a que estamos sendo submetidos? E o sucessor tal e qual, colocará o nome na história e pronto? E a igreja indefinida, continuará ostentando? E o Povo oprimido, dizendo amém, acreditando e inerte?
    Com tais atitudes estaremos protelando o inevitável, ou seja, prolongando o sofrimento coletivo.
    Atentem, pois a Profecia maior diz que: “O Céu e a Terra não passarão antes que tudo seja cumprido até o último ‘jota’. Com isso Jesus disse que é preciso que a lei de Deus seja cumprida, seja praticada na Terra, em toda sua pureza, com todos os seus desenvolvimentos e todas as suas consequências; pois de que serviria estabelecer essa lei, se fosse para o privilégio de algumas pessoas, ou mesmo de alguns grupos. Sendo todos filhos de Deus, são todos, sem distinção merecedores da mesma dedicação”. Em outras palavras isso é JUSTIÇA SOCIAL, o quanto antes começarmos sua prática, mais rápido estaremos cumprindo a Lei Maior e desfrutando do bem estar que ela propicia aqui na Terra.
    Com Ética, exercício da Cidadania e práticas da boa Gestão – pública e privada, podemos reverter esse quadro, no curto prazo. Comecemos agora.
    Para reflexão, sem julgamentos. Só observações, dúvidas e chamamento.
    28/02/2013 – Brasília(DF) – Edimar Miguel da Costa

  4. “E momentos em que as águas estiveram agitadas e o vento contrário, como em toda a história da Igreja, em que o Senhor parecia dormir. Mas eu sempre soube que naquele barco estava o Senhor e que o barco não era meu, nem de vocês, mas Dele, que não o deixa naufragar. É Ele que o conduz, certamente através também dos homens que escolhe, porque os quer. Esta foi e é uma certeza que nada pode ofuscar”.
    Esquecem de acrescentar o resto da frase dita pelo Papa Bento, “…eu sempre soube que naquele barco estava o Senhor…”, ou seja, parecia estar dormindo, mas estava sempre ali. O Senhor está ao lado da Igreja. O barco não é nosso, muito menos de pessoas que não conhecem a verdadeira doutrina católica. O barco é do Senhor, e é Ele quem comanda. É Ele quem escolhe o nosso Papa, é Ele quem envia seu Espírito Santo sobre a Igreja.

  5. é inacreditável como existem pessoas tão ignorantes. Muitos absorvem notícias, falsas ou equivocadas, em relação a renuncia do santo padre, e, sem conhecimento algum, acabam com a Igreja, não respeitam o pontífice.

DEIXE UMA RESPOSTA