Pastor Silas Malafaia orienta: “Jejum não é barganha com Deus e deve ser voluntário”

40

Jejuar e orar é uma recomendação bíblica para que, espiritualmente, o fiel esteja preparado para enfrentar adversidades. Porém, em alguns casos, o jejum tem sido sugerido por alguns líderes evangélicos como atalho para conquistas pessoais.

O pastor Silas Malafaia escreveu artigo em que afirma que “uma vida de oração e de jejum faz toda a diferença na trajetória do cristão”, mas para esclarecer “algumas controvérsias no meio evangélico quanto a essa prática”, resolveu publicar uma espécie de manual do jejum.

“Jejuar é abster-se total ou parcialmente de água/líquidos e alimentos por um período de tempo, seja por algum motivo espiritual ou por prescrição médica. É, acima de tudo, um sinal de humildade e tristeza pelo pecado, mas também uma disciplina interior que ajuda a limpar a mente e a manter o espírito em alerta”, disse o pastor.

Segundo o líder da Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC), o jejum “pode ser um período de abstinência só de alimentos sólidos, sem incluir líquidos, ou dos dois juntos”, e que, ao definir o jejum a que se propõe, o fiel deve ter “cautela”: “Quem tem problemas deve consultar primeiramente o médico e optar por um período curto de abstinência”, sugeriu o pastor.


De acordo com Malafaia, o jejum “deve ser feito voluntariamente, após a orientação de Deus, e somente tem validade se unido à oração, ao arrependimento e a uma autorreflexão”.

“É fundamental ter um bom motivo para jejuar, porque sem razões dificilmente haverá um resultado. Não faça, portanto, jejum para fazer barganha com Deus nem para impressionar os seus irmãos. O jejum deve ser apenas um propósito entre você e Deus, e ninguém deve tomar conhecimento (Mateus 6.18)”, orientou Silas Malafaia.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+

40 COMENTÁRIOS

      • eu passei jóinha, por falar nisto quer passear no meu barquinho heheh , o edson o nome do filme é a jornada, uma viajem pelo tempo, esta disponivel ai no site mega filmes hd, va a pagina inicial e digite o nome do filme, tenho certeza absoluta que vai gostar

      • VAI ARREBENTAR ESTOU MUITO FELIZ, É SÓ O CLAMANDO LANÇAR UMA IDEIA E ESTÁ LOGO É SEGUIDA POR STARDUST COLADOR DE PENSAMENTOS, E AGORA DIGO DE BONS POIS SEGUE OS MEUS E DE MAUS POIS SEGUE A DOS ATEUS GAYS….OU SERÁ QUE DEVO FICAR TRISTE, VAI ENTENDER

  1. A arte de fala o obvio!!Incrivel como estes oradores profissionais conseguem pegar algo claro e explicito e transformarem em algo de suas proprias sabedorias dando cara de uma revelaçao que ninguem mais teve ou venha a ter.E sempre a mesma conversa pelo mesmo assunto falado de forma diferente.Como eles se regogizam na ignorancia de seus sectarios.

  2. O jejum e um rudimento da lei, ou melhor de obra morta, sem valor nenhum diante de Deus, ensina a verdade pastor chega de mentira, o povo já conhecem a graça de Deus.

    • Nivaldo
      Falam mal de tudo que é de Deus.
      O povo já é preguiçoso porque ensinam coisas que não devem agora vem você falar que o jejum é obra da lei?
      Um deles, seu próprio profeta, disse: Os cretenses são sempre mentirosos, bestas ruins, ventres preguiçosos. (Tito 1:12)
      Você se encaixa neste versículo.

    • Estou curioso pra saber, quais pastores da época esse filme faz essas criticas grotescas dos bastidores dos pastores malandros da fé?

      Nisso,lembrei dos pastores pentecostais que usavam o orkut e a internet para enganar os fieis, realizar os chamados revelações.(isso é desde os anos 90.Esse tipo de revelação existe nas igrejas pentecostais)

      É esse caso que estou falando.

      https://www.youtube.com/watch?v=YFwA9kEi-68

  3. a graça esta ai mais o jejum e uma orientaçao das escrituras no antigo testamento como no novo testamento paulo e prova viva disso o jejum nao move o coraçao de DEUS mais da ao cristao uma sitonia entre corpo alma e espirito para voce te o entendimento das coisas espirituais atraveis da pessoa do ESPIRITO SANTO examine as escrituras passo a passo ai voces vao entende por que do jejum passo a passo

  4. O MELHOR FILME RELIGIOSO, RECOMENDADO POR STARDUST

    ” O QUARTO SÁBIO ” (“The Fourth Wise Man”) – EUA – 1985 – com Martin Sheen, Alan Arkin e outros.

    sinopse: A história de um homem sábio, contada de forma fascinante. Artaban (Martin Sheen), filho de um rei da antiga pérsia, procura nas sagradas escrituras o significado real da vida e descobre as profecias sobre Jesus, o rei dos reis. Artaban leva consigo três pedras preciosas, para oferecer ao messias e inicia, então, uma jornada através do deserto para encontrar-se com outros três reis magos e, com eles, ir ao encontro do rei Jesus.
    Entretanto não chega a tempo de encontrá-los. Por 33 anos, Artaban e Orantes (Alan Arkin) procuram por Jesus. Sempre que estavam prestes a encontrá-lo, acontecia um imprevisto, e eles o perdiam. no decorrer do seu caminho. A história atinge o seu clímax no domingo de páscoa, quando Artaban, velho e morrendo, encontra o rei Jesus e compreende finalmente, o verdadeiro sentido da vida.

    RECOMENDADO: para todas as idades, sem classificação etária, e principalmente para que lideres religiosos compreendam o verdadeiro evangelho pregado por Jesus Cristo.

    http://youtu.be/dO1fa7s3CqU

    • POIS ENTÃO COMO AS COISAS MUDAM O STARDUST QUE DISSE QUE NÃO ERA ADEPTO A FABULAS, COMO A DO SAPO NA PANELA, AGORA APRESENTA O QUARTO REI MAGO, E NÃO IMPORTA QUE NA BÍBLIA FALE SÓ EM TRES, E O QUE É PIOR FALAVA DE PASTORES LADRÕES DE DÍZIMOS E AGORA FAZ FESTA E PROPAGANDA PARA O HOMEM DO TRIZÍMO, VAI ENTENDER, MEXE COM DEUS E VIRA DIABO HEHEH

      • clamando

        Vc está com inveja, pois o filme que eu indiquei é melhor que o seu. O meu filme fala sobre um homem sábio que sai a procura do Salvador… o seu, pelos relatos que li, fala de maquina do tempo…

        ou seja, mais fábula que ensinamento propriamente dito…

        Já que vc gosta de filmes de maquina do tempo, pq vc não dá um tempo, clamando???

        Assista ao filme que eu indiquei e se converta!!!

      • AGORA QUANTO A TRES MAGOS, POIS A BÍBLIA TAMBÉM NÃO DIZ QUE ERAM REIS, PRESUMIMOS, PELA NARRATIVA DE MATEUS, UNS PRIMEIRO E DEPOIS PELO NUMERO DE PRESENTES, O OURO QUE ERA P´RESENTE PARA UM REI, INCENSO PARA UM SACERDOTE SIMBOLIZANDO ESPIRITUALIDADE, E MIRRA QUE ERA USADO PARA EMBALSAMAR CORPOS , SIMBOLIZANDO SUA IMORTALIDADE, ENTÃO NÃO É POR ACASO CITADO TRES MAGOS, CORRETO, É COMO ABRAÃO TER DADO DÍZIMO DE TUDO QUE GANHOU NA BATALHA, NÃO APARECE MAS ELE FAZ, ESTÁ TUDO AI, É SÓ USAR Exegese é a interpretação profunda de um texto bíblico, jurídico ou literário. A exegese como todo saber, tem práticas implícitas e intuitivas. A tarefa da exegese dos textos sagrados da Bíblia tem uma prioridade e anterioridade em relação a outros textos. Isto é, os textos sagrados são os primeiros dos quais se ocuparam os exegetas na tarefa de interpretar e dar seu significado. A palavra exegese é oriunda do grego exegeomai, exegesis: ex tem o sentido de retirar, derivar, ex-trair, ex-ternar, ex-teriorizar, ex-por e “hegeisthai” o de conduzir, guiar.
        Por isso, o termo exegese significa, como interpretação, revelar o sentido de algo ligado ao mundo do humano, mas a prática se orientou no sentido de reservar a palavra para a interpretação dos textos bíblicos. Exegese, portanto, é a denominação que se confere à interpretação das Sagradas Escrituras desde o século II da Era Cristã. Orígenes, cristão egípcio que escreveu nada menos que 600 obras, defendia a interpretação alegórica dos textos sagrados, afirmando que estes traziam, nas entrelinhas de uma clareza aparente, um sentido mais profundo. O termo exegese ficou ligado à interpretação alegórica, ensejando abusos de interpretação, a ponto de alguns autores afirmarem, ironicamente, que a Bíblia seria um livro onde cada qual procura o que deseja e sempre encontra o que procura.
        Ser exegeta é contextualizar o que foi escrito com a cultura da época e extrair os princípios morais para o tempo presente.
        Responder Comentar
        clamando disse: 5 de dezembro de 2013 ás 12:14 pm
        ENTENDEU VOU EXPLICAR MELHOR , ME DIGA ONDE ESTÁ ESCRITO ISTO NA BÍBLIA Sou um cirurgião, e dou aulas há algum tempo. Por treze anos vivi em companhia de cadáveres e durante a minha carreira estudei anatomia a fundo. Posso portanto escrever sem presunção a respeito de morte como aquela. ‘Jesus entrou em agonia no Getsemani e seu suor tornou-se como gotas de sangue a escorre
        r pela terra’. O único evangelista que relata o fato é um médico, Lucas.
        E o faz com a precisão de um clínico. O suar sangue, ou “hematidrose”, é um fenômeno raríssimo. É produzido em condições excepcionais: para provocá
        -lo é necessário uma fraqueza física, acompanhada
        de um abatimento moral violento causado por uma profunda emoção, por um grande medo. O terror, o susto, a angústia terrível de sentir-se carregando todos os pecados dos homens devem ter esmagado Jesus.
        Tal tensão extrema produz o rompimento das finíssimas veias capilares que estão sob as glândulas sudoríparas, o sangue se mistura ao suor e se concentra sobre a pele, e então escorre por todo o corpo até a
        terra.
        DOR
        Conhecemos a farsa do processo preparado pelo Sinédrio hebraico, o envio de Jesus a Pilatos e o desempate entre o procurador romano e Herodes. Pilatos cede, e então ordena a flagelação de Jesus. Os soldados despojam Jesus e o prendem pelo pulso a uma coluna do pátio.
        A flagelação se efetua com tiras de couro múltiplas sobre as quais são fixadas bolinhas de chumbo e de pequenos ossos. Os carrascos devem ter sido dois, um de cada lado, e de diferente estatura. Golpeiam com chibatadas a pele, já alterada por milhões de microscópicas hemorragias do suor de angue.
        FLOR
        A pele se dilacera e se rompe; o sangue espirra. A cada golpe Jesus reage em um sobressalto de dor. As forças se esvaem; um suor frio lhe impregna a fronte, a cabeça gira em uma vertigem de náusea, calafrios lhe correm ao longo das costas. Se não estivesse preso no alto pelos pulsos, cairia em uma poça de sangue. Depois o escárnio da coroação.
        Com longos espinhos, mais duros que os de acácia, os algozes entrelaçam uma espécie de capacete e o aplicam sobre a cabeça. Os espinhos penetram no couro cabeludo fazendo-o sangrar (os cirurgiões sabem o quanto sangra o couro cabeludo).
        Pilatos, depois de ter mostrado aquele homem dilacerado à multidão feroz, o entrega para ser crucificado. Colocam sobre os ombros de Jesus o grande braço horizontal da Cruz; pesa uns cinqüenta quilos. A estaca vertical já está plantada sobre o Calvário. Jesus caminha com os pés descalços pelas ruas de terreno irregular, cheias de pedregulhos.
        DORR
        Os soldados o puxam com as cordas. O percurso, é de cerca de 600 metros. Jesus, fatigado, arrasta um pé após o outro, freqüentemente cai sobre os joelhos. E os ombros de Jesus estão cobertos de chagas. Quando ele cai por terra, a viga lhe escapa, escorrega, e lhe esfola o dorso. Sobre o Calvário tem início a crucificação.
        Os carrascos despojam o condenado, mas a sua túnica está colada nas chagas e tirá-la produz dor atroz. Quem já tirou ma atadura de gaze de uma grande ferida percebe do que se trata. Cada fio de tecido adere à carne viva: ao levarem a túnica, se laceram as terminações nervosas postas em descoberto pelas chagas. Os carrascos dão um puxão violento.
        Há um risco de toda aquela dor provocar uma síncope, mas ainda não é o fim. O sangue começa a escorrer. Jesus é deitado de costas, as suas chagas se incrustam de pé e pedregulhos. Depositam-no sobre o braço horizontal da cruz. Os algozes tomam as medidas. Com uma broca, é feito um furo na madeira para facilitar a penetração dos pregos.
        Os carrascos pegam um prego (um longo prego pontudo e quadrado), apóiam-no sobre o pulso de Jesus, com um golpe certeiro de martelo o plantam e o rebatem sobre a madeira. Jesus deve ter contraído o rosto assustadoramente. O nervo mediano foi lesado.
        PREGO
        Pode-se imaginar aquilo que Jesus deve ter provado; uma dor lancinante, agudíssima, que se difundiu pelos dedos, e espalhou-se pelos ombros, atingindo o cérebro. A dor mais insuportável que um homem pode provar, ou seja, aquela produzida pela lesão dos grandes troncos nervosos: provoca uma síncope e faz perder a consciência.
        Em Jesus não.
        O nervo é destruído só em parte: a lesão do tronco nervoso permanece em contato com o prego: quando o corpo for suspenso na cruz, o nervo se esticará fortemente como uma corda de violino esticada sobre a cravelha.
        A cada solavanco, a cada movimento, vibrará despertando dores dilacerantes. Um suplício que durará três horas. O carrasco e seu ajudante empunham a extremidade da trava; elevam Jesus, colocando-o primeiro sentado e depois em pé; conseqüentemente fazendo-o tombar para trás, o encostam na estaca vertical. Depois rapidamente encaixam o braço horizontal da cruz sobre a estaca vertical.
        Os ombros da vítima esfregam dolorosamente sobre a madeira áspera. As pontas cortantes da grande coroa de espinhos penetram o crânio. A cabeça de Jesus inclina-se para frente, uma vez que o diâmetro da coroa o impede de apoiar-se na madeira. Cada vez que o mártir levanta a cabeça, recomeçam pontadas agudas de dor. Pregam-lhe os pés. Ao meio-dia Jesus tem sede. Não bebeu desde a tarde anterior. Seu corpo é uma máscara de sangue. A boca está semi-aberta e o lábio inferior começa a pender. A garganta, seca, lhe queima, mas ele não pode engolir. Tem sede. Um soldado lhe estende sobre a ponta de uma vara, uma esponja embebida em bebida ácida, em uso entre os militares.
        Tudo aquilo é uma tortura atroz. Um estranho fenômeno se produz no corpo de Jesus. Os músculos dos braços se enrijecem em uma contração que vai se acentuando: os deltóides, os bíceps esticados e levantados, os dedos, se curvam. É como acontece a alguém ferido de tétano. A isto que os médicos chamam tetania, quando os sintomas se generalizam: os músculos do abdômen se enrijecem em ondas imóveis, em seguida aqueles entre as costelas, os do pescoço, e os respiratórios. A respiração se faz, pouco a pouco mais curta. O ar entra com um sibilo, mas não consegue mais sair. Jesus respira com o ápice dos pulmões.
        Tem sede de ar: como um asmático em plena crise, seu rosto pálido pouco a pouco se torna vermelho, depois se transforma num violeta purpúreo e enfim em cianítico. Jesus é envolvido pela asfixia. Os pulmões cheios de ar não podem mais esvaziar-se.
        A fronte está impregnada de suor, os olhos saem fora de órbita. Mas o que acontece?
        Lentamente com um esforço sobre-humano, Jesus toma um ponto de apoio sobre o prego dos pés. Esforça-se a pequenos golpes, se eleva aliviando a tração dos braços. Os músculos do tórax se distendem. A respiração torna-se mais ampla e profunda, os pulmões se esvaziam e o rosto recupera a palidez inicial.
        Por que este esforço?
        Porque Jesus quer falar: “Pai, perdoa-lhes porque não sabem o que fazem”.
        Logo em seguida o corpo começa afrouxar-se de novo, e a asfixia recomeça. Foram transmitidas sete frases pronunciadas por ele na cruz: cada vez que quer falar, deverá levar-se tendo como apoio o prego dos pés.
        Inimaginável!
        Atraídas pelo sangue que ainda escorre e pelo coagulado, enxames de moscas zunem ao redor do seu corpo, mas ele não pode enxotá-las. Pouco depois o céu escurece, o sol se esconde: de repente a temperatura diminui.
        Logo serão três da tarde, depois de uma tortura que dura três horas. Todas as suas dores, a sede, as câimbras, a asfixia, o latejar dos nervos medianos, lhe arrancam um lamento:
        “Meu Deus, meu Deus, porque me abandonastes?”. Jesus grita: “Tudo está consumado!”.
        Em seguida num grande brado diz:
        “Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito”.
        E morre.
        Em meu lugar e no seu.

  5. Stardust

    Estou curioso pra saber, quais pastores da época esse filme faz essas criticas grotescas dos bastidores dos pastores malandros da fé?

    Nisso,lembrei dos pastores pentecostais que usavam o orkut e a internet para enganar os fieis, realizar os chamados revelações.(isso é desde os anos 90.Esse tipo de revelação existe nas igrejas pentecostais)

  6. Não sou advogado do Pastor Sillas Malafaia,porque quem justifica a ele é a própria palavra!
    O que me deixa triste são os cometários maldosos das pessoas que desconhecem a palavra,ou tem o prazer de distorce-las. Que DEUS,JESUS e o ESPIRITO SANTO tenha misericórdia desses.

  7. A questão amados, não é se o pastor é profeta ou falso profeta como alguns o estão denominando. A questão é que ele está falando de um assunto que trás frustração a alguns irmão que insistem em caminhar pelos rumos do achismo e do esoterismo evangélico e acabam esquecendo de atentar para o conhecimento da Palavra. E acreditem! Eu nem adoto tudo o que o pastor Silas fala. Às vezes ele viaja na maionese da petulância sacerdotal e acaba ficando nervoso. Mas com relação a questão do jejum, ele está certíssimo. O jejum bíblico não é feito para barganhar, comprar ou receber agrados de Deus. O jejum é uma forma bíblica para o cristão que observa a Palavra Revelada está em dia com o seu espirito e também com o seu corpo para que haja um balanceamento entre um e outro na nassa comunhão com Deus. O que deixa muita gente furibunda com uma declaração dessas é que o sujeito aprendeu errado, faz a coisa errada e não admite que está agindo errado. Ai, prefere se enfurecer com aquilo que está lhe contrariando. Mas, fazer a coisa certa amados, não é tão simples assim. Fazer a coisa certa é uma questão de olharmos para dentro de nós e buscar respostas na Palavra de Deus e melhorarmos a cada dia. Agora, se alguns entre nós prefere buscar a verdade nas ondas do achismo evangélico ou mesmo no esoterismo cristão que algumas igrejas adotam equivocadamente, então paciência. É como diz aquela canção. – Eu prefiro ficar com Jesus. Eu prefiro aprender com a Palavra.

DEIXE UMA RESPOSTA