U2 e a busca por Deus: críticos analisam letras e falam sobre as origens da banda liderada por Bono Vox

4

A banda irlandesa U2 é sabidamente originária de uma reunião de seus músicos na Igreja Metodista, e muitas de suas letras são alusivas aos princípios cristãos ou às reflexões propostas por pensadores cristãos, como C. S. Lewis, por exemplo.

Em sua trajetória, a banda passou por diversas fases, e essas variações de pensamento foram registradas em suas músicas.

Desde as declarações explícitas de fé nas músicas do começo de carreira, até à rebeldia contra a teologia da prosperidade registrada nos álbuns dos anos 1990, a trajetória da banda relata uma “busca por Deus”, segundo especialistas.

“Um bebê nasce em um presépio, em um tempo particular e em uma comunidade particular… Então, não é preciso ir à universidade ou fazer um doutorado para entender isso, basta ir à pessoa de Cristo”, declarou Bono Vox numa entrevista recente à FOFT, em Nova York.


A entrevista por ocasião do lançamento do 13º álbum da banda em 2014 mostra declarações contundentes do líder do U2 a respeito de sua fé em Deus. “Ou Jesus era quem dizia ser, ou realmente foi um louco. É preciso tomar uma decisão. E eu acredito que Jesus é o Filho de Deus”, afirmou Bono.

Em muitas das músicas da banda, a letra fala sobre a busca por Deus e a necessidade de viver em amor. Em “The Wanderer”, a banda fala de arrependimento e lamenta a futilidade de uma vida sem o Criador: “Eu saí à procura de experiência. Para experimentar, tocar e sentir… Enquanto o homem puder antes de se arrepender…”, dizem os versos da canção.

“Apesar disso, Bono e os demais componentes do grupo (com exceção de Clayton, que sempre se declarou agnóstico) passaram por uma crise de fé na década de 90, o que os levou aos excessos de álcool, sexo, drogas, ao divórcio de The Edge e a uma fratura no grupo carismático ao qual pertenciam, como reconheceu Bono: ‘Fui em busca do espírito e encontrei o álcool; fui em busca da alma e comprei a moda; quis encontrar Deus, mas me venderam religião’ (em alusão aos pregadores americanos)”, escreveu Enrique Chuvieco, no site Aleteia.

Em diversos artigos sobre a banda, os críticos musicais frisam o surgimento da banda no colégio Mount Temple, em Dublin, Irlanda, onde mais de 100 alunos se reuniam para orar diariamente, e questionam se as declarações atuais de Bono estariam evidenciando uma volta às origens.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+


4 COMENTÁRIOS

  1. Que bom saber disso, já desconfiava de Bono desde do dia que assisti um clip do Kirk Franklin “Le on me” (eu acho). Acredito que alguns crentes irão critica-lo ao invés de orarem, fazer o que né eles acham que o céu é só pra eles :( e esquecem do AMOR de Cristo que foi pra todos. Muitos famosos estão dizendo que são cristão, eu não me importo como eles vivem a vida deles como Cristãos, quem conhece o coração deles é Deus e espero que todos eles tenham e vivam uma VERDADEIRA intimidade com Deus.

    Pray for you U2

  2. Esse Bono Vox não tem nada de cristão. Para mim ele é mais um satanista disfarçado!! Ele é mais um que faz parte da Agenda dos inocentes ou seja, é mais um daqueles artistas que enganam a muitos com a sua imagem inofensiva.

DEIXE UMA RESPOSTA