Visando apoio dos evangélicos, presidente Dilma evita falar sobre Marco Feliciano e casamento gay

10

Durante as eleições em 2010 a então candidata a presidência Dilma Rousseff prometeu manter intocadas as atuais legislações do país sobre aborto e casamento gay, tendo em vista conquistar o apoio de eleitorado evangélico.

Agora, visando manter o apoio desse mesmo publico, Dilma mandou sua equipe tomar distância da polêmica em torno do presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, p deputado e pastor Marco Feliciano (PSC-SP). De acordo com o jornal Folha de S. Paulo, a orientação dada pela presidente é de que as críticas, se forem inevitáveis, devem ser feitas unicamente ao deputado, jamais aos evangélicos.

Líderes do governo consideram particularmente delicada a relação do Planalto Central com as denominações pentecostais e neopentecostais que, inclusive, possuem representantes em altos cargos do governo, como Ministério da Pesca que é liderado desde 2012 por Marcelo Crivella, que é ligado à igreja Universal. O diálogo é melhor com as denominações protestantes tradicionais, como luterana, metodista e presbiteriana.

De acordo com o jornal, Crivella tem sido um dos interlocutores, ao lado do colega Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral da Presidência da República), responsável formal pela ponte entre Planalto e igrejas em geral.


A preocupação do governo estaria no fato de que, no legislativo, a bancada evangélica costuma se unir em torno de temas caros à religião, como casamento gay e aborto; atraindo, com isso, alas católicas e congressistas de linha mais conservadora.

Esses são temas que Palácio do Planalto espera que não sejam centrais na disputa por 2014, o que diminuiria o peso das demandas evangélicas na corrida eleitoral. Na última eleição, Dilma contou com o apoio de um líder evangélico para se esquivar da polêmica em torno desses temas. O deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), da Igreja Sara Nossa Terra, foi um dos que ajudou Dilma a desarmar boatos de que a petista liberaria, se eleita, o aborto e o casamento entre pessoas do mesmo sexo, discussão explorada à época por seu adversário, José Serra.

Por Dan Martins, para o Gospel+

10 COMENTÁRIOS

  1. Sopu npresidente de uma igreja tanto eu como os membros da minha Igreja não votasmos nessa senhora,pois é a favor do casamento gay,da adoção de crianças por eles,pelo aborto et.Não queremos nada com ela e acho que amioria não vai com ela nessa poroxima eleição.Quem viver verá.

    • Não deve esquecer que politica e religião não se mistura. vivemos em um pais laico. pais em que se mistura politica e religião o final não é dos melhores.

  2. Sou presidente de uma igreja tanto eu como os membros da minha Igreja não votamos nessa senhora,pois é a favor do casamento gay,da adoção de crianças por eles,pelo aborto et.Não queremos nada com ela e acho que amioria não vai com ela nessa poroxima eleição.Quem viver verá.

  3. A todos os cristãos que lerem este comentário:

    Quem quiser entender o que é o PT e o que está acontecendo, assistam ao vídeo abaixo do filósofo, escritor e jornalista Olavo de Carvalho e também do economista José Monir Nasser:



    Assine o Canal
  4. A todos os cristãos, assistam ao vídeo abaixo e comece a entender o que o PT está fazendo com o Brasil com o jornalista, escritor e filósofo Olavo de Carvalho:



    Assine o Canal
  5. No link acima mostra o documento com as resoluções do terceiro congresso do PT. Na pagina 82 do documento e 43 do PDF está escrito:

    “defesa da autodeterminação das mulheres, da discriminalização do aborto
    e regulamentação do atendimento à todos os casos no serviço público”

    Ou seja, quem vota no PT ajuda a legalizar o aborto.

  6. O maior concorrente da igreja cristã é a esquerda que quer ser na prática uma concorrente da da igreja na conquista das camadas mais baixas e executar seu gradual e paciente plano de destruição seletiva dos valores cristãos, bíblicos, para uma sociedade controlada pela anarquia e pela libertinagem. Os cristãos vão contribuir com este projeto de poder contra si mesmos??? A Igreja é um poder na terra, deve ser sal e luz em favor dos humanos, e como é que vai se aliar com alguém que quer lhe destruir ou eliminar sua influencia neste mundo???

  7. Não deve esquecer que politica e religião não se mistura. vivemos em um pais laico. pais em que se mistura politica e religião o final não é dos melhores.

DEIXE UMA RESPOSTA