Home » Brasil, Mundo Cristão

Rev. Augustus Nicodemus afirma que a Bíblia não ensina “que cada crente ou criança tem seu próprio anjo da guarda”. Leia na íntegra

Notícias Gospel em seu email

Receba Notícias Gospel em seu email gratuitamente! Insira seu email:

Gospel+ no Twitter!

ou no facebook

Rev. Augustus Nicodemus afirma que a Bíblia não ensina “que cada crente ou criança tem seu próprio anjo da guarda”. Leia na íntegra

Em uma série de artigos denominada “Ditos difíceis de Jesus”, o teólogo Augustus Nicodemus aborda passagens bíblicas em que Jesus Cristo faz afirmações que exigem uma interpretação mais apurada de sentido.

Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

Nicodemus publicou um artigo dessa série dedicado à passagem bíblica de Mateus 18:10 em que Jesus cita anjos como intercessores dos “pequeninos”. Essa passagem gera interpretações variadas, inclusive a de que Deus teria criado anjos da guarda para as crianças.

Em seu artigo, o teólogo e reverendo presbiteriano Augustus Nicodemus afirma que “a passagem não está ensinando que cada crente ou criança tem seu próprio ‘anjo da guarda’”, mas que “Ela simplesmente expressa o cuidado geral de Deus por seu povo através dos anjos”.

O argumento de Nicodemus se baseia nas passagens bíblicas em que Deus disponibilizaria anjos para o cuidado daqueles que o servem, em determinadas situações: “Esse ministério angélico para com os ‘pequeninos’ faz parte do cuidado geral que os anjos desempenham, pelo povo de Deus (cf. Sl 91.11; Hb 1.14; Lc 16.22)”, explica.

Augustus Nicodemus diz ainda que a expressão “pequeninos” pode ser interpretava como figurativa, pois Jesus estaria “se referindo aos discípulos” como um todo.

Confira a íntegra do artigo “Criança Tem Anjo da Guarda? Ditos Difíceis de Jesus – III”, de Augustus Nicodemus, publicado no blog “O Tempora, O Mores”:

“Vede, não desprezeis a qualquer destes pequeninos; porque eu vos afirmo que os seus anjos nos céus vêem incessantemente a face de meu Pai celeste” (Mateus 18:10).

Em certa ocasião, desejando dar aos discípulos uma lição sobre humildade (Mt 18.1), o Senhor Jesus chamou uma criança para perto de si (v. 2) e ensinou aos discípulos a necessidade de alguém se tornar como uma delas para entrar no Reino (v. 3-4). Receber uma criança no nome do Senhor significa receber ao próprio Senhor (v. 5). Em seguida, o Senhor falou do castigo dos que colocam tropeços diante dos “pequeninos” que crêem nEle (v. 6-9) e advertiu os discípulos a que não os desprezassem, diante do cuidado vigilante de Deus por eles, através dos anjos (v. 10).

Este dito é difícil porque sugere a existência de “ anjos da guarda” de crianças, que estariam constantemente na presença de Deus, velando e cuidando das crianças. O conceito de que cada crente tem um anjo da guarda enviado por Deus sempre foi popular entre os cristãos, e tem se tornado ainda mais popular com a crescente onda de fascínio pelos anjos que tem invadido as igrejas evangélicas, acompanhando o aumento do misticismo e do ocultismo no mundo.

Há várias interpretações para este dito difícil de Jesus.

1. Os anjos no céu são as almas das crianças quando morrem.

De acordo com este entendimento, Jesus ensinou que as almas das crianças (os “anjos” delas) vão para o céu após a morte das crianças, e ficam continuamente na presença de Deus. De acordo com esta interpretação, Jesus mandou que os discípulos não desprezassem as crianças pois elas, quando morrem, vão, na forma de anjos, morar na presença de Deus. Alegam que Jesus se referiu aos “seus anjos no céu”, indicando que se refere ao que acontece após a morte. A dificuldade óbvia com esta interpretação é que identifica alma com anjo, uma associação impossível à luz do Novo Testamento. A alma faz parte da personalidade humana, enquanto que um anjo é um ser distinto do homem. As pessoas não se transformam em anjos quando morrem, conforme a crendice popular, mas suas almas comparecem, como almas, à presença de Deus.

2. Cada criança tem um anjo da guarda.

Outra interpretação entende que a expressão “seus anjos” se refere a anjos destacados por Deus para guardar cada criança, e que neste labor, eles ficam subindo constantemente ao céu, na presença de Deus, para dar relatórios de suas atividades e interceder em favor das crianças. Esta doutrina é defendida pela Igreja Católica, que diz que no batismo cada criança recebe seu anjo da guarda, que é enviado por Deus para proteger e aconselhar esta criança toda a sua vida. Esse anjo é também chamado, na teologia católica, de “anjo custódio”.

Há várias passagens bíblicas usadas para defender esta interpretação. “O anjo do SENHOR acampa-se ao redor dos que o temem e os livra” (Salmo 34:7) é uma das mais conhecidas. Também Gênesis 48.16, onde Jacó se refere a um anjo que o teria livrado de todo o mal (na verdade, refere-se ao anjo do Senhor). Menciona-se também o anjo que veio em socorro de Daniel (Dn 6.22). Estas e outras passagens entretanto não provam o ponto, apenas mostram que Deus envia anjos para proteger e salvar seus servos em determinados momentos. A idéia de “ anjo da guarda” para cada criança é bastante estranha à luz da doutrina bíblica, muito embora esteja claro que uma das funções dos anjos é proteger os filhos de Deus. Nenhuma das passagens geralmente usadas para provar a existência de “anjo da guarda” realmente prova coisa alguma. Ao final, existe muita influência da crendice e da superstição popular sobre o assunto.

3. Os “pequeninos” são os crentes em Jesus Cristo.

A outra interpretação defende que a chave para entendermos este dito difícil de Jesus é a palavra “pequeninos”. A quem Jesus se refere? O termo pode ser tomado literalmente como se referindo às crianças, como as duas interpretações acima o fazem, ou figuradamente, como se referindo aos discípulos de Jesus. Esta última possibilidade resolve o problema e tem apoio bíblico. Primeiro, Jesus usa regularmente o termo “pequeninos” para se referir aos discípulos, cf Mt 10.42; 18.6; Mc 9.42; Lc 17.2. Note que nos versos 1-5 Ele se referiu claramente às “crianças”, e nos versos 6-10 Ele menciona os “pequeninos”.  Segundo, os discípulos são comparados com crianças, no que diz respeito à confiança em Deus. Terceiro, a passagem se encaixa no ensino geral do Novo Testamento sobre o ministério dos anjos em favor dos filhos de Deus, como Hebreus 1.14. Portanto, a melhor explicação para esta passagem é que Jesus está ensinando que Deus envia seus anjos para assistir aos “pequeninos”, que são os seus discípulos, os filhos de Deus pela fé, comparados a crianças, e que, portanto, nós não devemos desprezar estes “pequeninos”. Esse ministério angélico para com os “pequeninos” faz parte do cuidado geral que os anjos desempenham, pelo povo de Deus (cf. Sl 91.11; Hb 1.14; Lc 16.22).

A passagem não está ensinando que cada crente ou criança tem seu próprio “anjo da guarda”, como era crido popularmente  entre os judeus na época da igreja primitiva. Fazia parte desta crença que o “anjo guardião” poderia tomar a forma do seu protegido (cf. At 12.15). Ela simplesmente expressa o cuidado geral de Deus por seu povo através dos anjos.

Redação Gospel+

PS.: Comentários via Google+ estão logo abaixo desabilitados no momento.


Comentários via Facebook

25 comentaram, comente você também!

  1. Edson de Alvarenga Sodré disse:

    Rev. Augustus
    Devemo-nus prepara para agregar conhecimentos,mas devemos desenvolver espiritualidade para entender-mus o que é espiritual e sobrenatural de Deus,pois a Bíblia é um livro espiritual,e a qual o Senhor diz ser ela sua palavra e que zela por ela.
    E o texto em questão Mateus 18:10 Vede,não desprezeis algum deste pequeninos,porque eu vos digo que os seus anjos no céus sempre vêem a face de meu Pai que estas no céus.
    Os pequeninos são todos nós sim. E o Senhor Jesus usou o termo os seus anjos(definindo).
    O senhor usa Salmos 91:11 o plural de anjos aqui é quando necessário quando o anjo de cada um precisar,como aconteceu com o anjo que trazia uma resposta para Daniel teve ajuda do Arcanjo Miguel,Daniel:10:13b. Hebreus 1:14 não são todos eles espíritos ministradores,ENVIADOS PARA SERVIR A FAVOR DAQUELES QUE HÃO DE HERDAR A SALVAÇÃO?. Então o trabalho de guardar também faz parte do serviço dos anjos. E de novo o texto usa o plural, citado em Salmos 91:11. E de acordo com o que foi citado fica claro que cada pessoa tem no minimo um anjo a seu lado.Fique na paz Bispo Edson.

  2. Edgar Hermes Teixeira disse:

    Jesus Cristo, é Onisciente, mas ele não age se não clamarmos, e se formos merecedor, ele nos socorre.Eu mesmo, estava fora da Palavra de Deus, fui acometido de um cancer,e no momento em que me reconciliei, com jesus Cristo fiquei curado.e hoje procuro ser fiel a sua Doutrina.embora o (D)diabo procure desmentir tudo oque é de Deus, mas somente ele pode nos socorrer nos momentos dificeis de nossas vidas.QUE O AMOR DE JESUS CRISTO, SEJA COM TODOS, OS QUE LEREM ESSAS FRAZES.

  3. Sr. Zagabufa. Porque haveria necessidade de se procurar um ser que se diz onipresente? E porque um ser onisciente precisaria esperar minha manifestação para saber que o procuro ? Porque, sendo onisciente, onipotente e onipresente, não se manifesta indubitavelmente ?-Abs.

  4. parabéns pastor pela materia, principalmente pela mês que nossa denominação faz 153 anos

  5. Esse não éh o primeiro e nem sera o ultimo?

  6. Glória a Deus! Muito bom! É fundamental o estudo das sagradas escrituras e que se peça a Deus que derrame entendimento e sabedoria do alto para que não seja inserido o entendimento humano que é limitado, mas a nós também é incumbida uma tarefa: Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam; (João 5. 39).

  7. Se alguém interpreta este texto de Mateus 18:10 como anjo intercessor de crianças ou anjo da guarda, não estamos falando do mesmo Deus, do mesmo Filho e da mesma Fé.

  8. Heleno Zagabufa disse:

    Amigo, porque Deus compartilha com a sua criação e concede responsabilidades. É a diferença entre um Deus ditatorial e um Deus que ama. Você só não o encontra, porque não o procura, pois aí saberia o que é onisciência e onipresença. Abs Heleno.

  9. Vixi, e a troca de anjo da IURD como fica?

  10. Acho que esse senhor está enganado. Veja:
    Atos dos Apóstolos 12:7 – E eis que sobreveio o anjo do Senhor, e resplandeceu uma luz na prisão; e, tocando a Pedro na ilharga, o despertou, dizendo: Levanta-te depressa. E caíram-lhe das mãos as cadeias.

  11. Mais uma vez, tiro o chapéu para o Rev. Augustus Nicodemos!!! Um grande mestre na sã doutrina bíblica !!! Pena que nós (ditos, pentecostais), em muitos casos, não damos a devida importância para a REAL interpretação das Escrituras!!! Parabéns Rev. Augustus Nicodemos !!!

  12. Essa balela de anjo de guarda é coisa de católico.

  13. Considerando que crentes creem que Deus deveria ser onisciente, onipotente e onipresente, porque haveria de precisar de auxiliares para suas funções ?

    • Deus gosta de participação de suas criaturas! Homens (igreja) – Evangeliza, Anjos – Guardam os escolhidos. Isso não diminui seu poder, só revela seu belo caráter!

      Temos não um, mas quantos anjos precisarmos para cuidar de nós!

      • O auto intitulado reverendo nao pode transmitir o que nao recebeu. Se ele recebeu de macedo ou malafaia ou mesmo Lutero, nao se deve esperar grande coisa.

        Vejamos seu desconhecimento colossal acerca dos anjos da guarda:
        ===============================================================

        Os anjos na doutrina da Igreja

        Após uma época de ceticismo e materialismo triunfante, durante a maior parte dos séculos XIX e XX, o Ocidente voltou a demonstrar uma definida apetência pelo mundo dos espíritos. Se até duas ou três décadas atrás, falar de anjos era considerado por muita gente como sinal de imaturidade ou de falta de cultura, hoje em dia tornou-se moda.

        Abundam os filmes e livros retratando seres extraordinários, poderosos, dotados de qualidades sobrenaturais, seres super-humanos ante os quais o comum dos mortais é impotente. Não será isso um sintoma de interesse pelo mundo angélico? Ao lado da fantasia e do mito, obras esotéricas de grande divulgação apresentam uma visão distorcida desses seres espirituais, e a ignorância religiosa só fez aumentar os equívocos nesta matéria.

        Se quisermos saber a realidade sobre os anjos, onde achar a verdade no meio de tanta desinformação?

        As Sagradas Escrituras

        Muito antes das definições teológicas dos últimos séculos, o ensinamento sobre os anjos encontra-se fundamentado na autoridade das Sagradas Escrituras e dos

        Padres da Igreja.

        Tanto no Antigo quanto no Novo Testamento, numerosas passagens nos mostram os anjos em ação, na tarefa de proteger e guiar os homens, e servindo de mensageiros de Deus. O versículo 11 do Salmo 90 menciona claramente os Anjos da Guarda: “Deus confiou a seus anjos que te guardem em todos os teus caminhos”.

        Em algumas ocasiões os anjos da mais alta hierarquia celeste são os encarregados de missões na terra – casos de São Gabriel e São Rafael – em muitas outras trata-se por certo de uma atuação do anjo guardião da pessoa concernida, mesmo se a Bíblia não o mencione especificamente. Tem-se essa impressão na leitura do profeta Daniel, salvo de ser devorado no cárcere por feras famintas, pois ele declara ao rei Dario: “Meu Deus enviou o seu anjo, que fechou a boca dos leões, os quais não me fizeram mal algum” (Dn 6, 22). Do mesmo modo, nos Atos dos Apóstolos, quando vemos São Pedro ser libertado da prisão por um anjo (cf. At 12, 1-11).

        Nosso Senhor faz uma referência muito clara aos Anjos da Guarda, quando diz: “Vede, não desprezeis um só desses pequeninos; pois vos declaro que os seus anjos nos Céus vêem incessantemente a face de meu Pai, que está nos Céus” (Mt 18,10).

        São Paulo, na Epístola aos Hebreus, ensina que todos os anjos são espíritos a serviço de Deus, o qual lhes confia missões em favor dos herdeiros da salvação eterna (cf. Hb 1,14).

        Os Padres da Igreja

        Na esteira das Sagradas Escrituras, a maioria dos Padres da Igreja trata dos anjos enquanto nossos guardiães. São Basílio Magno, na obra Adversus Eunomium, declara: “Cada fiel tem a seu lado um anjo como protetor e pastor, para o conduzir à vida”.

        No século II, Hermas, na obra “O Pastor”, diz que todo homem possui seu Anjo da Guarda, o qual o inspira e o aconselha a praticar a justiça e a fugir do mal. No século III, a crença nos Anjos da Guarda de tal maneira estava arraigada no espírito cristão, que Orígenes lhe dedica várias passagens. E sobre a mesma matéria encontramos belos textos de São Basílio, Santo Hilário de Poitiers, São Gregório Nazianzeno, São Gregório de Nissa, São Cirilo de Alexandria, São Jerônimo, os quais nos ensinam: o Anjo da Guarda preside às orações dos fiéis, oferecendo-as a Deus por meio de Cristo; como nosso guia, ele solicita a Deus que nos guarde dos perigos e nos conduza à bem-aventurança; ele é como um escudo que nos envolve e protege; ele é um preceptor que nos ensina a cultuar e a adorar; nossa dignidade é maior por termos, desde o nascimento, um anjo protetor.

        Desdobramentos posteriores

        No século XII, Honório de Autun promoveu a doutrina de que cada alma, no momento em que é unida ao corpo, é confiada a um anjo cuja missão é induzi-la ao bem e dar conta de suas ações a Deus. Santo Alberto Magno e São Tomás de Aquino, no século XIII, ensinaram, com São Pedro Damião, que o Anjo da Guarda não abandona nem sequer a alma pecadora, mas procura levá-la ao arrependimento e reconciliação com Deus.

        Em 1608, o Papa Paulo V instituiu a festa dos Santos Anjos da Guarda. Posteriormente, em 1670, coube ao Papa Clemente X fixar sua comemoração de modo definitivo no dia 2 de outubro, tornando-a obrigatória para toda a Igreja.

        O Catecismo da Igreja Católica trata da missão do Anjo da Guarda em relação a nós, dizendo: “Desde o início até a morte, a vida humana é cercada por sua proteção e por sua intercessão” (nº 336). E o Papa João Paulo II, na Audiência Geral de 6 de agosto de 1986, acentua que “a Igreja confessa sua fé nos Anjos Custódios, venerando-os na Liturgia com uma festa especial, e recomendando o recurso à sua proteção com uma oração freqüente, como na invocação ao ‘Santo Anjo do Senhor’.”

        Orações ao Anjo da Guarda

        A mais popular oração ao Anjo da Guarda foi composta pelo Papa Pio VI, em 1796:

        Santo Anjo do Senhor, meu zeloso guardador, já que a ti me confiou a piedade divina, sempre me rege, guarda, governa e ilumina. Amém.

        Existem muitas outras preces, inspiradoras de sentimentos de piedade para com essa criatura espiritual, tão íntima de nossa vida no dia-a-dia. Uma delas, de autoria de Santo Anselmo, Arcebispo de Cantuária, é especialmente bela:

        Ó Espírito angélico, a cujos próvidos cuidados entregou-me Deus Nosso Senhor, rogo-vos que sempre queirais guardar-me, proteger-me, assistir-me e defender-me de todo assalto do demônio, quer eu esteja acordado, quer dormindo. Sim, assisti-me noite e dia, a toda hora e a todo momento! Permanecei sempre a meu lado, onde quer que eu me ache. Afastai para longe de mim todas as tentações de satanás.

        E, do misericordiosíssimo Juiz e Senhor Nosso, que vos constituiu meu guarda e a vós me confiou, obtende-me por vossa intercessão a graça, que de todo desmerecem os meus atos, de permanecer imune de toda culpa em minha vida. E se por infelicidade eu me encaminhar na estrada do vício, fazei tudo para reconduzir-me, pela senda da virtude, ao meu Divino Redentor. Quando me virdes oprimido pelo peso das angústias, fazei-me experimentar a ajuda de Deus Onipotente.

        Peço-vos também que me reveleis, se isto for possível, o termo dos meus dias, e não permitais que a minha alma, quando se desprender do corpo, seja aterrorizada pelos espíritos malignos, ou venha a ser objeto de escárnio para eles, ou deles seja presa desesperada. Não, não me abandoneis jamais, até que me tenhais conduzido ao Céu, para gozar da vista do meu Criador e ser eternamente feliz em companhia de todos os Santos. Seja-me dado atingir essa felicidade, por meio de vossa assistência e pelos merecimentos de Nosso Senhor Jesus Cristo.

        Por Guy de Ridder

        ================================================================

        Com a reproducao do artigo de autoria de Guy de Ridder, encerramos nossa participaçao contestando o lamentavel artigo de Nicodemus, guru e mestre de tantos.

        Pois entao demos a Nicodemus o que e proprio de Nicodemus e a DEUS o que E DE DEUS.

        • O interessante e trágico é como estes fariseus modernos que levando ao pé da letra a Bíblia tal como faziam os escribas no tempo de Jesus, acabam por reduzir a onipotência e majestade do altíssimo DEUS.

          Fazem a leitura da Bíblia em textos e versículos isolados. Não consideram o “todo”.

          Ora, DEUS pai não quer que nenhum de nós se perca. Isto é fato.

          E ama o mundo de tal maneira que enviou o seu próprio filho para resgate de todos. E Cristo sofreu morte cruel. Morte de cruz.

          Como não concluir que um DEUS que é amor o tempo todo e cuja misericórdia não tem fim, não seria capaz de designar um anjo para cada um de nós como auxílio nas aflições e tormentas da vida, e, sobretudo auxílio rumo a pátria celeste, justamente o local onde o coração de DEUS deseja que todos nós estejamos ?

          Ao invés de ouvir a Igreja com sua inteligência e sabedoria de 2.000 anos, o sujeito prefere ouvir um macedo ou um soares da vida com seus interesses meramente pecuniários.

          Deixa de ouvir a São Francisco ou Santo Antonio ou qualquer um dos grandes padres da antiguidade para escutar um santiago ou uma valadão.

          O que não faz cegueira espiritual e ignorância sobre os fatos históricos ?

          Que época terrível é esta que vivemos onde os falsos ungidos e falsos mestres ainda encontram espaço para pregarem suas heresias e fazem seguidores !!!

          O sujeito descarta a Igreja pela qual o Senhor Jesus morreu na cruz para concluir que alguém com terno e gravata e Biblia decorada debaixo do braço é um “ungido” que já pode definir doutrinas, apontar o dedo para os outros determinando quem é e quem não é herege e quem vai e quem não vai para o céu.

          E o Brasil para variar está sempre atrasado. Enquanto as falsas doutrinas desmoronam na Alemanha e nos Estados Unidos, por aqui avançam e fragmentam a mensagem evangélica.

          Fazem da Bíblia um ídolo. Maior do que o próprio DEUS.

          Ora, alguém disse e disse bem:

          “A nossa religião não é a religião do livro, mas da palavra viva e encarnada. E o nosso DEUS não está preso a tinta e ao papel, mas todas as coisas trouxe a existência e tudo que há visível ou invisível sobrevive por sua força e vontade”

    • Mesmo com tantos anjos nos cuidando, o diabo está vencendo de goleada,. jogando sozinho.

    • Edson Alvarenga Sodré disse:

      Pitagoras. A Bíblia é a palavra de Deus, e ela tem respostas para todas as perguntas e não devemos comentar de forma tão acintosa do que não conhecemos principalmente em relação a palavra de Deus.
      Bispo. Edsom

      • Sr.Bispo Edson, não me venha com a falácia de que a Bíblia tem respostas para todas as perguntas.

        A Bíblia não tem resposta para tudo. E nem poderia ter. Pois desde o surgimento da Bíblia no mundo já se passaram quase 1.700 anos.

        E o mundo nestes últimos 1.700 anos não é o mesmo quando a Bíblia foi finalmente apresentada ao mundo, diga-se de passagem pela Igreja Católica. A Bíblia não caiu do céu e nem foi entregue por Jesus a protestante algum.

        Martinho Lutero, ídolo dos protestantes, surgiu no mundo 1.200 anos depois da Bíblia.

        E nem foi pretensão de DEUS que tudo estivesse na Biblia.

        Do contrário, não seria preciso Espírito Santo.

        A Bíblia ainda diz que Jesus disse e fez muitas outras coisas as quais não foram escritas.

        E a Bíblia ainda ensina que aquilo que foi escrito é suficiente para que o homem possa crer. Não diz que todas as respostas estão ali.

        A Bíblia ensina em quem votar ?
        A Bíblia condena o comunismo ou o capitalismo ?
        A Bíblia ensina escolher o colégio dos filhos ?
        A Bíblia ensina sobre preservativos ? Devem ser usados ou não ?
        A Bíblia dá dicas de saúde ou ensina a reduzir o colesterol ?
        A Bíblia fala sobre a necessidade de exercícios físicos ?
        A Bíblia explica se podemos ou não torcer para times de futebol ?:
        A Bíblia proíbe o uso de cigarro ? Me dá o texto que proíbe o uso de cigarro. Seja literal tal como vocês são para dizerem que Maria teve outros filhos com José. Use o mesmo critério.

        A Bíblia ensina que a Igreja é coluna e sustentáculo da verdade. E o crente finge que não leu.

        A Bíblia ensina que interpretação alguma é de caráter privado. E o crente fazendo diferente do que ensina a Bíblia “interpreta” cada qual ao seu bel prazer. Por isto tantas divisões, contendas e acusações entre protestantes.

        Finalmente, a Bíblia diz que a fé vem pelo ouvir. A fé protestante vem através de sua própria leitura individual.

        E ouvir neste caso é ouvir de uma fonte confiável. Ouvir da igreja que é definida pela Bíblia como coluna e sustentáculo da verdade.

        E o crente ouve de quem ?

        Ouve de macedo, malafaia, soares, terra nova, hernandez, santiago e alguns batem palmas para o auto proclamado reverendo autor do artigo Augustus Nicodemos.

        Não nos tome por bobos, ignorando que nós católicos não estamos obrigados ao Sola Scriptura de Martinho Lutero.

        Não somos protestantes. Não temos que procurar explicação para tudo na Bíblia.

        E você sabe muito bem disto. Pode discordar. Mas não pode ignorar que Martinho Lutero ficou de um lado e a Igreja de outro.

        Vocês seguem Lutero. Nós rejeitamos Lutero. Vocês copiaram dele o critério Sola Scriptura. Nós não seguimos Lutero e rejeitamos o critério que ele criou.

        Ficou claro ?

        Seguimos a Igreja. E seguimos a Bíblia. E o que Paulo ensina ?

        Ensina que tudo que nos foi transmitido deve ser guardado. Quer por espístola(escrito) ou não (transmissão oral).

        Não me venha com este pulo do gato protestante de usar Lutero para quem não está obrigado a seguir Lutero.

        O criador do Sola Scriptura(Só a Bíblia) é vosso guru. Tão e somente vosso.

        Jesus nunca ensinou que tudo está na Bíblia.
        Nem os apóstolos ensinaram.
        Nem a Igreja que vocês rejeitam.
        E Nem a própria Bíblia fala de si própria como única fonte de revelação.

        A Bíblia diz que as escrituras são úteis. Útil é uma coisa e suficiente é outra. Não confunda as coisas. Deixe de escutar Macedo. Vai te fazer bem.

        Escute São Thomas de Aquino, Teresa de Lesieux, Santo Agostinho, Padre Pio.

        Deixe os “mestres” desta época tenebrosa caminharem sós para o abismo. Eles não entram no reino e não deixam que outros entrem. São cães gulosos. Lobos devoradores.

        E se a Bíblia testificasse de si mesma como única fonte de revelação, o que não é o caso, ainda assim você desconfiar.

        Pois Jesus foi bem claro sobre o testemunho inválido que alguém possa dar sobre si mesmo.

        Ele mesmo testemunha o pai e vice-versa.

        Nem quando lhe perguntaram se ele era o filho de DEUS ele disse que sim. Disse apenas: “Tu o dissestes.”

        Nem a Pedro ele disse ser o filho de DEUS. Ele disse a Pedro que o pai lhe havia revelado.

        Viu o que acontece Sr.Bispo quando deixamos de ouvir a coluna e sustentáculo da verdade para escutar os “sábios” e “fariseus” modernos ?

        Está escrito: “…ávidos por novidades, ajustarão mestres para si.”

        Passar bem.

        • Dani Aciole. Quando eu disse que a Bíblia tem respostas para todas as perguntas, não me referi as seculares, pois estamos falando de Bíblia e da sua palavra poderosa,pois nisso estamos de pleno acordo creio!..não defendo nenhuma religião como certa e são todas passivas de erros, pois são adiministradas por seres humanos e os mesmos são falhos. Mas adimiro e dou valor aos ensinos de homens como Gerônimo,Agustinho e outros que eram da igreja católica. Não sou alienado nem ando a seguir e defender homem algum, sou estudioso da palavra de Deus e procuro extrair dela o conhecimento, Não sei como me acusa de seguir a Macedo ou qualquer outro famoso da mídia, pois para mim o mais famoso é Jesus, e capaz de me dar tudo o que eu preciso para ensinar a cerca do Evangelho. Você sabe quando a sua religião Católica foi fundada? não venha me dizer que foi Pedro pois ela foi fundada no império de Constantino e isso aconteceu no ano 324 da era Cristã. Mas isso não vem ao caso em termos de salvação,pois toda religião tem de estar de acordo com aBíblia pois se não estiver é vã. Eu não defendo religião defendo a ordem de Jesus ide por toda a terra e pregai o Evangelho, pois ele é a palavra da salvação. E se estou errado em fazer assim me desculpe não sei fazer melhor, pois o melhor para mim e ensinar e disciplinar de acordo com a Bíblia, fique na paz .

    • Sr. Sodré. Se não é para comentar sobre o que não conhecemos, ninguém deve comentar nada sobre seres sobrenaturais, que apenas se supõem que existam. Mas penso, que é se trocando opiniões e idéias, que se chega o mais perto da realidade, e a realidade só se baseia em evidências irrefutáveis ou provas.

      • Edson de Alvarenga Sodré disse:

        Pitagoras
        Eu não disse para não comentar,sugeri que devemos respeitar,você disse sobre o que não conhecemos,você não conhece,você supõem,você não troca opiniões e idéias. E o assunto em questão refere-se ao espiritual e sobrenatural de Deus com cada um que crê,que não é o seu caso.Que Deus te abençoe e te dê a oportunidade de experimentar o seu sobre natural.Fique em paz,Bispo Edson.

    

Sua resposta

Adicione seu comentário abaixo, ou faça trackback de seu site ou blog. Você pode também assinar esses comentários via RSS.
Seja legal. Não escreva em CAIXA ALTA. Mantenha no tópico. Limite de 3000 caracteres no comentário.

Há 456,552 comentários no Notícias Gospel.

Da Internet e em Inglês para Praticar