Bancadas evangélicas nos Estados supera católicos e marca atuação política crescente de igrejas, diz jornal

42

O engajamento político dos evangélicos tem sua maior expressão através da Frente Parlamentar Evangélica no Congresso Nacional, mas não se resume a ela.

Um levantamento feito pelo jornal O Estado de S. Paulo identificou bancadas evangélicas nas assembleias legislativas de todos os 27 Estados brasileiros.

A constatação se deu através da análise de reportagens sobre o tema, entrevistas, currículos de políticos e dados oficiais. Como critério, o levantamento excluiu da chamada bancada evangélica os deputados que tem sua profissão de fé conhecida publicamente, mas que não pautam sua carreira política a partir da representação religiosa.

De acordo com o jornalista Lourival Sant’Anna, a estratégia de vincular a fé à política é um fato recente na história do país: “É um fenômeno relativamente novo no Brasil, que resulta de uma mobilização de diversas igrejas pentecostais – principalmente a Assembleia de Deus, a Igreja Universal do Reino de Deus e a do Evangelho Quadrangular – para ocupar espaço no Legislativo, na mídia e na paisagem das cidades, com seus templos espalhados pelo Brasil”, afirma o jornalista, especializado em política.


O levantamento constatou que o Rio de Janeiro é o Estado tem o maior número de evangélicos militantes: são 21% dos deputados eleitos para a Assembleia Legislativa. Comparando com a população fluminense, que possui 29% de evangélicos, o número é um retrato bastante semelhante da sociedade.

Em São Paulo, a população possui 24% de evangélicos, e a Assembleia Legislativa abriga 11% de deputados estaduais que são militantes evangélicos.

Na região Norte do país, são registrados os maiores índices de deputados estaduais militantes do movimento evangélico. No Acre, 33% dos parlamentares são evangélicos, porcentagem exatamente igual à da população acreana que se declara evangélica. No Amapá, 28% da população se diz evangélica, enquanto que 25% dos deputados estaduais militam no movimento.

Apesar de em todos os Estados brasileiros haverem deputados de militância evangélica, em 13 Assembleias Legislativas não foram encontrados deputados que tenham se elegido por sua atuação exclusivamente no meio católico.

As bancadas evangélicas superam as bancadas católicas em quase todos os Estados onde elas coexistem, empatando apenas no Rio Grande do Norte e na Paraíba, onde registram respectivamente, 4% e 1% dos deputados estaduais.

Confira no infográfico abaixo, a comparação Estado a Estado das bancadas evangélicas e católicas:

EvangelicosAssembleias-InforgraficosEstadao

Por Tiago Chagas, para o Gospel+

42 COMENTÁRIOS

  1. Como pastor de almas que sou, não posso que manifestar meu descontentamento com aqueles que deveriam pastorear o povo de Deus, fazendo suscitar em seu meios homems capazes de lideranças políticas. Infelizmente a maioria dos pastores envolvidos em política são corruptos e foram eleitos com o famoso voto de cabestro. Que Deus suscite no meio do seu povo bons e verdeadeiros pastores.

  2. Uma boa estatística para que os representantes leigos ligados a Igreja Católica sejam postulantes identificáveis nos próximos pleitos, pois a probabilidade de elegebilidade é grande.

    Ao longo dos últimos pleitos houve uma pressão da política de esquerda, após o fim do regime militar, para que a Igreja não incentivasse a participação de fiéis por terem um perfil maciçamente conservador. A destruição dos valores morais e da família foi resultado prático que essa esquerda nos trouxe, embaçado no pseudo projeto de “avanço social”.

    Agora é somarmos força política, desprovidos de interesses pessoais mas vocacionados para o bem comum, para que o país não caia no abismo do secularismo, do hedonismo e do relativismo que desconfigurou boa parte da Europa.

    • Martin Luther King”

      “O que me preocupa não é nem o grito dos corruptos, dos violentos, dos desonestos, dos sem caráter, dos sem ética… O que me preocupa é o silêncio dos bons.”

      +++

      Se escolhemos a democracia como regra de convivência social e política, precisamos conservá-la através da participação de todos. Se determinados segmentos são contrários a iniciativa de religiosos, então que os mesmos promovam os seus fiéis a participarem.

      Não adianta se fechar em feudos aguardando a providência divina.

  3. Um efeito prático da omissão dos cristãos é esse abaixo:

    Relatório preliminar de órgão do Ministério da Justiça diz que Dilma aceita debater a descriminação das drogas. É mesmo? Ela avisou isso aos eleitores em 2010?

    Pergunto a vocês, vai avisar em 2014?

  4. Brasil voltando à Idade do Bronze. Nossa política está infestada de gente querendo embasar suas decisões políticas em um livro que diz que a luz do dia foi criada antes do sol e que existiram cobra e jumenta falantes.

  5. TRISTE NOTÍCIA. AS IGREJAS EVANGÉLICAS HOJE EM DIA, ESTÃO DISFARÇADAS. NA REALIDADE SÃO PARTIDOS POLÍTICOS DESTINADAS A ELEGER SEUS DIRIGENTES. O EVANGELHO É UM MERO PRETEXTO PARA AGREGAR FIÉIS ( NA REALIDADE ELEITORES DE CABRESTO). TRISTE MESMO.

  6. TRISTE NOTÍCIA. AS IGREJAS EVANGÉLICAS HOJE EM DIA, ESTÃO DISFARÇADAS. NA REALIDADE SÃO PARTIDOS POLÍTICOS DESTINADAS A ELEGER SEUS DIRIGENTES. O EVANGELHO É UM MERO PRETEXTO PARA AGREGAR FIÉIS ( NA REALIDADE ELEITORES DE CABRESTO). TRISTE MESMO.

  7. Como cristão eu poderia dizer que bença! Mas não vou não! isso para mim não tem nenhuma relevância para o reino de Deus. Outro dia eu vi o apóstolo Valdomiro Santiago chorando e ao mesmo tempo esbravejando na tv porque um pastor da sua igreja foi proibido de usar o aparelho de som e ele estava quase sem voz. Ele dizia: cadê os deputados que nós o elegemos? Quando agente precisa deles não aparece nenhum! Tá mais do que evidente que as esperanças desses homens que se dizem pastores estão depositadas no braço de carne e não no Senhor dos Exércitos! O deus desses homens e poder secular e o ventre.

    • Alerta amarelo! A maioria da população não é evangélica, ao contrário. Então, está havendo uma apatia principalmente dos católicos, bem mais liberais do que os evangélicos e isso é negativo, pois a agenda crente é ultra-conservadora e teocratizante! Os políticos evangélicos formam o Hizbollá cristianista; a ideologia é a mesma, só mudam os métodos!

    • Paulo Agnóstico Teixeira Sectarismo é afirmação falasa sua. Se quer dizer isso se referindo à questão da CDHM. Sinto, mas deputados do PT e outros que apóiam agenda gay é que se retiraram, não querendo participar. Tal renuncia dos tais demonstaram não estarem dispostos a conviver com a divergência politica. Demonstram que não mereciam estar lá na comissão.

    • Tem católicos também na frente parlamentar de apoio a família tradicional.
      Este negócio de que lá só tem evangélicos é uma falácia.

      Tem até espíritas lutando lado a lado com católicos e evangélicos contra a legalização do aborto no Brasil.

    • Marcos Torres vcs são sectários sim, nem nas ditaduras do anos 70, se via tanto apelo em controlar a genitália alheia, havia naquela epoca repressão politica, mas havia grupos gays famosos Dzi Croquetes, Secos e molhados, peças de teatro com nudez, filmes de pornochanchada eram sucesso, nesta epoca os crentes eram inespressívos, depois dos anos 90, vcs começaram tirar as manguinhas de fora, começaram chutando imagens catolicas, depois começaram demonizar religiões afro, e agora os gays. vcs querem ser a policia do mundo.

    • Carlos Fomim Andrade A maioria dos catolicos e espiritas não tem este falso moralismo dos crentes, catolicos tomam pílulas e usam camisinha ao contrário que o papa pede…..alem do que a maioria dos católicos não gostam de crentes que geralmente hostilizam a fé em Maria. e falam que o deus católico é morto.

    • Marcos Torres insiste em agir como um jegue. A Comissão é de DIREITOS HUMANOS E MINORIAS! Não é para ter uma pauta que prejudique as minorias (gays e afro-religiosos). Não é somente para gays e afros, mas também para eles. A Comissão não existe para impôr a moral religiosa ou impedir leis que não se encaixam na Bíblia, mas sim para proteger as minorias de práticas discriminatórias. Se está controlada por fundamentalistas e está descaracterizada, é melhor que seja esvaziada. Tão simples.

    • Os católicos e os espíritas são, do ponto de vista teológico e comportamental, bem mais liberais do que a pentecada. Achar que há em marcha um movimento cristão contra os gays é delírio fascista! E pretender que os não-evangélicos encampem o discurso puritano dos crentes sobre sexualidade é burrice, além de falta de conhecimento sobre a realidade social do país.

  8. Alerta amarelo! A maioria da população não é evangélica, ao contrário. Então, está havendo uma apatia principalmente dos católicos, bem mais liberais do que os evangélicos e isso é negativo, pois a agenda crente é ultra-conservadora e teocratizante! Os políticos evangélicos formam o Hizbollá cristianista; a ideologia é a mesma, só mudam os métodos!

    • Bobo é você que não acompanha o trabalho legislativo da bancada ou então é mal intencionado. Alguns exemplos:

      1) PEC de João Campos, a PEC da teocracia, que acaba na prática com o Estado laico!
      2) Projetos de lei anti-gays (cura gay, contra o casamento CIVIL igualitário etc), ou seja, imposição da visão de mundo e da moral pentecostais aos não-pentecostais!
      3) Lei do pai nosso em Ilhéus (felizmente julgada inconstitucional)
      4) Expulsão de cidadão por recursar-se a levantar-se durante a leitura de bíblia em sessão legislativa de uma Câmara Municipal (inconstitucional, e lesiva tanto ao Estado laico quanto à cidadania da pessoa expulsada)
      5) etc etc etc

      A maioria não-evangélica deve realmente acordar porque os pentecostais do Hizbollá cristão de bobos não têm nada!

    • Carlos Fomim e sua cara de leão de chácara desempregado, depois de uma noite de farra.

      O que tem a ver minha opção religiosa aqui? Nada a ver, maior cagada a sua. Por outro lado, não vou debater sobre ser budista e não romper com o catolicismo, pois você não entenderá, até porque como evanja excludente, sectário e fundamentalista, e sem condições de falar filosoficamente sobre budismo e catolicismo, seria a maior perda de tempo. Além de fiscal do cu alheio, virou patrulheiro da vida religiosa de terceiros?

      Por fim, o texto fala do ativismo político pentecostal de cunho teocrático! O que você tem a dizer sobre isso, além de creditar ao seu interlocutor o seu próprio nível intelectual? Negar os fatos não pode! Vai justificá-los?

  9. Que triste noticia para o EVANGELHO pois a cada dia vemos as intencoes claras essa gente, pastores gananciosos, cantores gospel estrelas, politicos teocratas que apenas querem poder e dinheiro engodarem a maior parte com suas falácias. ACORDA IGREJA, MASSA DE MANOBRA E CURRAL ELEITORAL.

  10. Aqui não tem mascara não. Com 30 anos comecei ler a biblia. Acaboou-se a covardia. Ano de 2014, tchau partido dos traidores e assassinos de crianças, que não podem se defender. E os que defendem esses criminosos, vai cair uma praga sobre ele. A justiça vem de Deus.

  11. o povo esta de saco cheio com essas mutretas de politicos oportunistas, mas quer uma naçao povoada de familias que sejam tementes a D`us, e respeitem a natureza ! nao importa se evangelicos ou catolicos, e sim que seja restabelecida a familia tradicional!!

  12. Glória a Deus! A Bíblia diz que quando o justo governa o povo se alegra, mas quando o ímpio está no poder o povo Geme. É a hora do GOVERNO DOS JUSTOS!

  13. As vezes gostaria muito de ter nascido na Suécia ou na Noruega, porque francamente quando será que a população irá se mancar de que RELIGIÃO E POLÍTICA NÃÃÃÃÃÃOOOOO SE MISTURAM? nada contra políticos terem a sua fé ou descrença, mas desde que NÃO use os seus princípios religiosos para interferir na política. E PARECE QUE ESTAMOS LONGE DISSO!!! E NÃO TEM Nem como contra-argumentar a esse fato de que religião e política não devem andar lado a lado ou que é maluco para discordar disso?

  14. Jesus está feliz com seus pastores líderes do povo tomando o poder, aliás quando jesus estve na terra o que ele mais queria é tirar o poder das mãos dos romanos de césar, ele fez até a frase: dá para jesus o que é de césar e o dinheiro obtido na política é de jesus também teve até um trecho na bíblia que jesus aceita alegremente as moedas que judas coletou, porque assim como seus pastores jesus gostava de poder e dinheiro.

DEIXE UMA RESPOSTA