Bernardinho fez um pacto com “o homem lá de cima” para deixar a seleção

Bernardinho revelou o que teria sido o principal motivo da sua aposentadoria da seleção brasileira de vôlei após o bicampeonato olímpico no Rio, uma promessa feita com "o homem lá de cima"

1

Bernardo Rocha de Rezende, mas conhecido como Bernardinho, atualmente ex-técnico da seleção brasileira masculina e feminina de vôlei, onde acumulou mais de trinta títulos ao longo de vinte e dois anos no comando dessas seleções, fez uma declaração que chamou atenção dos fãs após dirigir a vitória do time Rexona-Sesc sobre o Valinhos pela Superliga Feminina de vôlei.

Bernardinho contou após a vitória do seu time que uma promessa foi fundamental para que tomasse a decisão de se aposentar da seleção brasileira. Teria sido um pacto com “o homem lá de cima” feito antes de se tornar campeão olímpico pela segunda vez na carreira:

“Em certo momento da Olimpíada, fiz um pacto. Não sou muito religioso, mas pedi para me ajudar um pouco a sair de uma situação e falei que, se fizesse isso, prometia que iria embora. Então você não pode fazer uma promessa com o homem lá de cima e não cumprir. Estava na hora de cumprir. Eu deveria ter saído logo depois para evitar tudo isso (carinho da torcida). Eu fico constrangido, mas ao mesmo tempo muito grato por tudo isso”, contou o treinador em matéria publicada no blog Esporte Fera do Estadão.

Ao que parece, Bernardinho parece ter feito a “promessa” numa situação difícil da seleção brasileira, que por pouco não foi eliminada na primeira fase dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Na ocasião, a seleção conseguiu superar a má fase e alcançou o bicampeonato olímpico. Tendo deixado a seleção logo após a conquista, Bernardinho disse ainda estar assimilando a decisão, mas reconhece que não pode reclamar diante de tantas conquistas:


“Ainda preciso respirar um pouco, dar um tempo. Ainda estou machucado, mas é o certo a ser feito. Não posso pedir mais nada depois de tudo que conquistei”, afirmou.

Bernardinho ainda agradeceu o apoio dos colegas e pediu desculpas por situações a quem fez sofrer, referindo-se ao corte para os jogos no Rio do ex-capitão da seleção e duas vezes vice campeão olímpico em 2008 e 2012, Murilo Endres.

“Agradeço a cada pessoa que convivi nesse período, peço desculpas a quem fiz sofrer, aqueles que cortei, mas no fundo todos sabem que tentei fazer o melhor. Recebi mensagens muito gratificantes, como a do Murilo, que foi cortado agora, e para mim isso é o mais importante.”, disse o treinador.


1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA