Brasil

Evangélico, cinegrafista atacado por pitbull da Polícia testemunha: “Deus me livrou”; Assista

Comments (2)
  1. Não defendo excessos, mas com certeza se a massa reclamante não avançasse sobre a barreira de policiais, que ali exerciam o seu papel de preservar a ordem pública e de garantir o exercício da democracia, não haveria feridos.
    No dia do confronto, os deputados fariam a votação de um projeto que embora desagradasse o funcionalismo estadual (do qual faço parte), ainda assim, tinham eles o direito de exercer seu ofício livremente, é a democracia, e sabemos, conforme manifestação anterior, isso não seria permitido se o acesso à Assembleia fosse autorizado.
    Esta ocorrendo um exagero na defesa de quem realmente deu causa, ao que está se chamando de massacre – a classe reclamante – classe essa que não agiu tão inocentemente assim, prova disso são os inúmeros policiais feridos, pedras e paus foram arremessados contra a PM, e nessa instituição não ensinam a dar a outra face quando agredido.
    Certamente se o cinegrafista não tivesse invadido o espaço do animal, não teria sido mordido.

  2. nosferatu disse:

    O que deus (se existisse) teria a ver com a burrice desse acéfalo em passar ao alcance de um cão daquele porte em situação de estresse?

    o video é claro ao mostrar o burro filmando e passando ao lado do outro animal seguro pela coleira por um policial, ficando ao alcance do ataque do cão.

    compreensível a reação do cão em morder o repórter, já que se ve claramente a situação de estresse, mas é compreensível um ser humano que deveria ser “inteligente” passar ao alacance do cão?

    o policial é que tirou ele da boca do cachorro, se ele ficasse esperando por deus, teria ficado sem a perna ou sem a vida.

    sorte dessa besta quadrada desse cinegrafista que o cão realmente é treinado e se ve isso diante da atitude do cachorro em morder e segurara e não morder e estraçalhar a perna dele como seria atitude de um cão não treinado.

  3. Sandro disse:

    Como assim “Deus me livrou”? Então o cachorro não mordeu gravemente a perna do cinegratista? Então Deus livra pela metade? Mas entendo ele: é crente, e, como tal, tem do mundo aquela percepção mágica e medieval que permeia o imaginário evangélico.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *