Na 18ª Consciência Cristã, pastores divulgam carta rejeitando distorções do Evangelho no Brasil

19

A 18ª Consciência Cristã iniciou suas atividades na última segunda-feira, 08 de fevereiro, no Pavilhão Central do Parque do Povo, em Campina Grande (PB).

O evento, organizado pela Visão Nacional para a Consciência Cristã (VINACC), reúne pastores e lideranças evangélicas, e a expectativa é que aproximadamente 12 mil pessoas por dia participem das palestras.

“A expectativa de público é atingir uma média de 70 a 80 mil pessoas. São mais de 12 mil pessoas por noite e esperamos que em 2016 tenhamos um número maior que tivemos em 2015”, afirmou o pastor Valberto Cruz. “No evento, não tratamos apenas do lado religioso, mas de vários assuntos como teologia, fé, saúde, apologética, família, sexualidade, ciência e liderança. A variedade de temas faz com que pessoas se dirijam ao evento a fim de aprender, numa perspectiva cristã, a se comportarem perante a sociedade e para contribuírem com ela”, acrescentou.

Preocupados com as distorções do Evangelho que surgem nas diversas vertentes existentes no meio evangélico, os conferencistas publicaram a “Carta de Campina Grande”, um documento que sintetiza a crença protestante e delineia o significado do Evangelho.


“Estamos convictos de que fora de Cristo absolutamente ninguém pode ser salvo, portanto, com coração contrito, afirmamos que rejeitamos todo tipo de doutrina, ensino ou conceito teológico que afirme a possibilidade de salvação do pecador fora de Cristo. Declaramos também, como discípulos do Senhor, que assumimos o compromisso de proclamar Cristo a todos os povos, tribos, línguas e nações, como o único capaz de salvar o homem de seus delitos e pecados (João 10:6; 11:25; 14:6)”, subscreveram os pastores.

Confira a íntegra da “Carta de Campina Grande“:

Nós, membros da igreja de Jesus Cristo, participantes do 18º Encontro para a Consciência Cristã, celebramos a comunhão que desfrutamos como povo de Deus, e unidos ao redor do evangelho de Cristo afirmamos:

1-) Que a mensagem pregada pelos apóstolos tinha por conteúdo exclusivo a verdade inequívoca de que Jesus Cristo era o único capaz de salvar os homens de seus delitos e pecados, e que fora dele absolutamente ninguém pode ser salvo (Atos 4:12).

2-) Afirmamos também que através da morte de Cristo na Cruz todo escrito de dívida que era contra nós foi cancelado (Colossenses 2:13-14) e que, devido a isso, não existe nenhuma maldição ou condenação que possa prevalecer, amedrontar ou escravizar aqueles que por Ele foram salvos.

3-) Afirmamos que o sacrifício de Cristo na cruz do Calvário foi suficiente para livrar o crente de toda condenação do pecado. Em virtude disso, tornam-se desnecessárias ações humanas cujo foco destina-se a quebra de maldições hereditárias, repreensão de espíritos familiares que escravizam os homens ou até mesmo a observância de elementos místicos cujos conceitos não estão fundamentados nas Sagradas Escrituras. Ao contrário disso, afirmamos veementemente que cremos que a morte de Cristo na cruz foi suficiente para libertar os salvos das garras de Satanás dando a estes, vida eterna (Colossenses 1:13-14).

4-) Afirmamos que Cristo é suficiente para a salvação do pecador. Em virtude disso, não existe nada, nem ninguém, nem tampouco nenhuma observância religiosa capaz de corroborar com a salvação dos homens. Acreditamos que a salvação não se deve a uma conquista humana, mas é uma dádiva de Deus. Não nos é possível alcançá-la por mérito, mas sim por graça, e que também não é um tipo de troféu que erguemos como fruto do nosso esforço pessoal, mas um presente imerecido (Efésios 2:1-10).

5-) Afirmamos que o evangelho é a boa notícia da salvação graciosa de Deus de que somente pela fé em Jesus Cristo o homem pode ser salvo e que ninguém pode ser justificado por suas obras, visto que todos pecaram e distanciaram-se da glória de Deus (Romanos 3:23; 6:23; Efésios 2:8-9), tornando-se assim incapazes de se autojustificarem diante de Deus (Romanos 3:10-11).

Diante do exposto, concluímos:

Estamos convictos de que fora de Cristo absolutamente ninguém pode ser salvo, portanto, com coração contrito, afirmamos que rejeitamos todo tipo de doutrina, ensino ou conceito teológico que afirme a possibilidade de salvação do pecador fora de Cristo.

Declaramos também, como discípulos do Senhor, que assumimos o compromisso de proclamar Cristo a todos os povos, tribos, línguas e nações, como o único capaz de salvar o homem de seus delitos e pecados (João 10:6; 11:25; 14:6).

Portanto, confiantes na graça de Deus, assumimos este compromisso diante do Todo-poderoso e de Seu povo, a fim de vermos em nossa nação um poderoso progresso do Evangelho de Cristo.

Pr. Euder Faber Guedes Ferreira (presidente da VINACC)
Pr. Augustus Nicodemus Lopes (IPB/GO)
Pr. Aurivan Marinho (IC/PE)
Prof. Brenno Douettes (IB/PR)
Pr. Calvino Rocha (IPB/PB)
Pr. Ciro Sanches Zibordi (AD/RJ)
Pr. Conrad Mbewe (KBC/ZAM)
Pr. Franklin Ferreira (IB/SP)
Pr. Gaspar de Souza (IPB/PE)
Pr. Geremias Couto (AD/RJ)
Pr. Joaquim de Andrade (CREIA/SP)
Pr. Jonas Madureira (IB/SP)
Pr. Jorge Noda (ILEST/PB)
Pr. José Bernardo (AMME/SP)
Pr. Marcos Gladstone (SBB/SP)
Prof.ª Norma Braga (IPB/RN)
Pb. Solano Portela (IPB/SP)
Pr. Renato Vargens (ICA/RJ)
Miss. Rosali Melo (IC/PB)
Miss. Thomaz Litz (Juvep/PB)
Pr. Tiago Santos (IB/SP)

19 COMENTÁRIOS

  1. Unipensar…está tão difícil estacionar ,pra que complicar…não sabemos o que será no pós mortem & se realmente viemos dos pri matas ??? o homem criou Deus pessoal & na sua vaidade e orgulho cogita criar uma classe para si ,saindo do reino animal !!!

    • Talvez você não saiba qual o seu destino´pós-mortem, mas aqueles que creem em Jesus Cristo sabem exatamente paa onde vão. E você foi tão pedante, e ainda crê na evolução das espécies? Falta-lhe informação e experiência com Deus. Eu acredito que você acessou o iste errado. Nós nunca criamos um deus, o nosso Deus é o criador dos céus e da Terra, e caso você tenha alguma duvida, pergunte-se a si mesma de onde procede a vida?
      Se ela não vem de Deus de onde você ahca que vem? Além de já está mais que comprovado que os organismos complexos tendem a voltarem ao estado de molecúlas até voltarem a ser novamente simples minerais, e não o contrário como querem os defensores da teoria de Darwin.
      Abraços.

  2. Graças a DEUS, que Ele me levou para a uniersal, onde aprendi a lutar, por uma vida digna de ser realmente um filho de DEUS.
    ao contrario de muitos que acham e pregam que basta apenas aceitar JESUS, e pronto.
    tudo vai mudar, se você prosperar, é porque DEUS, quis e se você não prosperar, é porque DEUS, não quis, se sua vida for bem sucedida, é porque DEUS, quis e se sua vida não for bem sucedida, é porque DEUS, não quis… Infelismente é assim que muitos desses ai pensão, e por isso o povo vive escravisado se tornando arvores sem frutos.

    • Nessa tua IURD você esta enquadrado na mesma condição do contexto tipificado em Provérbios 5:5 – “Os seus pés descem para a morte; os seus passos estão impregnados do inferno”.
      Da sua seita ainda foi dito; “A sua casa (IURD) é caminho do inferno que desce para as câmaras da morte”. (Provérbios 7:27).

      Acorde cesar171! – Naquele dia vc não poderá dizer que não foi alertado.

      • vandelei obrigado pela sua preocupação.
        EU SEI EM QUEM TENHO CRIDO….

        E ao invez de você se preocupar comigo, deveria se preocupar com sigo mesmo.
        em ter um encontro com DEUS,
        coisa que até hoje você não tem.
        só sabe ficar como um tagarela gospel recitando versiculos da biblia que você não vive, e nem entende.

  3. Somente as obras não salvam ninguém, pois falhos somos.

    Desse modo Cristo veio se fazer elo entre o que fazemos enquanto obras e a nossa real possibilidade de salvação.

    Cuidemos com o exclusivismo que se quer emprestar ao sacrifício de Cristo, pois do modo como alguns falam, somente os que conhecem Cristo e acreditam nEle haverão de se salvar.

    O importante não é apenas a morte de Cristo, muito menos o é apenas as suas palavras, mas sim o conjunto disso e nossas posturas como ser humano, tanto é que fez menção à parábola do bom samaritano.

    Vejo que muitas e muitas pessoas não conseguiram ainda interpretar o verdadeiro gesto de Cristo, pois os transformaram num objeto de crendice e de único modo de se salvar desde que apenas crendo em Cristo, que crer, como Ele deixou bem claro, até e principalmente o diabo acredita e sabe bem quem Ele é e o que representa.

    • Verdade é o levi que JESUS abriu a porta.
      Porém nós temos que passar por ela, e isso exige a nossa caminhada até ela que é de sacrificios, e renuncias, Por isso JESUS disse aquele que quer vir após mim negue se a si mesmo, e sigame.
      Porém muitos desses ai dispensão isso, eles acham e pregam que se aceitou JESUS, ai pronto ja esta salvo. que o que JESUS fez é suficiente, nos não precisamos fazer nada, nem caminhar para passar pela porta podemos… pois segundo eles se fizermos isso estamos desmerecendo o que cristo fez por nos.

  4. O Evangelho da Graça que é o verdadeiro evangelho ressurge em um mar de apostasia.

    Este é o verdadeiro avivamento da igreja.

    Glória a Deus por isso.

    “E, na verdade, tenho também por perda todas as coisas, pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; pelo qual sofri a perda de todas estas coisas, e as considero como escória, para que possa ganhar a Cristo, E seja achado nele, não tendo a minha justiça que vem da lei, mas a que vem pela fé em Cristo, a saber, a justiça que vem de Deus pela fé;” – Filipenses 3:8,9

  5. Acertadamente, esta carta reflete o evangelho da graça, e melhor seria se não ficasse só no papel. Porém, o item 5 merece uma ressalva, devido ao significado da palavra “OBRA” no contexto de Romanos e Efésios, pois nestes livros, ela é usada para representar as ordenanças do AT que dividiam judeus e gentios.

    Em contrapartida, nós cristãos NÃO PODEMOS ESQUECER das OBRAS que estão pautadas pelo o amor ao próximo, as quais, segundo Mt25:31-46, distinguirão no Grande Dia, “ovelhas” de “cabrito”.

    Também é dever do verdadeiro cristão ficar atento quanto ao uso da palavra OBRA, quando esta é usada como “capa” para esconder projetos meramente humanos; para que, segundo Mt7:15-23, não venha se surpreender “naquele dia”.

    ” ORA, SE INVOCAIS COMO PAI AQUELE QUE, SEM ACEPÇÃO DE PESSOAS, JULGA SEGUNDO AS OBRAS DE CADA UM, PORTAI-VOS COM TEMOR DURANTE O TEMPO DA VOSSA PEREGRINAÇÃO, SABENDO QUE NÃO FOI MEDIANTE COISAS CORRUPTÍVEIS, COMO PRATA OU OURO, QUE FOSTES RESGATADOS DO VOSSO FÚTIL PROCEDIMENTO QUE VOSSOS PAIS VOS LEGARAM, MAS PELO PRECIOSO SANGUE, COMO DE CORDEIRO SEM DEFEITO E SEM MÁCULA, O SANGUE DE CRISTO, CONHECIDO, COM EFEITO, ANTES DA FUNDAÇÃO DO MUNDO, PORÉM MANIFESTADO NO FIM DOS TEMPOS, POR AMOR DE VÓS”(1Pe17:-20).

    Deus é onisciente, e sabe o que está por trás de cada ação do homem, Ele sonda o coração de cada um de nós.

    • As obras fazem parte da vida cristã, afinal foi para elas que fomos salvos, mas elas não podem salvar ninguém e é a isto que o texto da carta se refere de forma acertada conforme o testemunho bíblico.

      NINGUÉM É JUSTIFICADO POR OBRAS.

      “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus.
      Não vem das obras, para que ninguém se glorie; Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas.” – Efésios 2:8-10

      Não entendo qual a dificuldade em entender este texto.

      • Caro Marcos,

        Não há nenhuma dificuldade, e sim zelo pela Palavra, pois é evidente que a palavra “obra” no contexto de Romanos e Efésios é diferente daquela que está em Mt25:31-46, ou ainda Tg2:14-23.

        A minha intenção é apenas chamar atenção para os diferentes significados, para que em detrimento de um, não ocorra a negligência do outro.

        • Antonio,

          Obras são obras, o que difere são seus objetivos.

          Na nossa dispensação elas são o fruto de um coração regenerado e transformado e não um meio para a salvação. Os que praticarem boas obras frutos de um coração aperfeiçoado por Deus receberão galardões, os que fizerem obras que não tenham as motivações corretas ou más sofrerão danos, porém, isto não implica em perda de salvação e o texto abaixo deixa isto claro.

          “Porque ninguém pode pôr outro fundamento além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo.
          E, se alguém sobre este fundamento formar um edifício de ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha, A obra de cada um se manifestará; na verdade o dia a declarará, porque pelo fogo será descoberta; e o fogo provará qual seja a obra de cada um. Se a obra que alguém edificou nessa parte permanecer, esse receberá galardão. Se a obra de alguém se queimar, sofrerá detrimento; mas o tal será salvo, todavia como pelo fogo.” 1 Coríntios 3:11-15

          No contexto de Mateus 25 o tema é o julgamento das nações. Este julgamento é decorrente depois da grande tribulação quando Jesus dará inicio ao seu reino (milênio) (Vs 31).

          Quem serão julgados? Os povos das nações que estiverem vivos na grande tribulação (Vs 32, 33), neste período o evangelho da graça já não estará mais em cena e o critério no qual Jesus irá se basear para julgar estes povos é o tratamento que eles deram aos filhos de Deus neste período (vs 40).

          O problema é que a cristandade acha que Jesus vai arrebatar toda a igreja, voltará e vamos todos pro céu. Só não sei de onde tiram isto. Ignoram o reino milenar (Ap 20) e o arrebatamento dos cristãos vencedores e não sua totalidade (Ap 3:10).

          Sobre Tiago o erro de compreensão já começa logo no início da porção colocada pelo irmão.

          Tiago NÃO diz: “que aproveita se alguém QUE TEM FÉ, e não tiver as obras?”

          ELE DIZ: “que aproveita se alguém DISSER QUE TEM FÉ, e não tiver as obras?”

          Em resumo, o que Tiago diz em toda sua epístola é que uma fé fingida ou industrializada não é sinônimo de boas obras e as obras são um termômetro para saber se de fato a nossa fé é genuína. Por isso diz, “com as minhas obras eu mostro a minha fé”.

          O problema é que a cristandade busca as obras como meio de salvação, quando na verdade ela é o fruto da salvação já alcançada.

          • Caro Marcos,

            Primeiramente, quero deixar claro que não tenho a intenção de criar nenhum tipo de contenda, até porque é algo que está bem chato neste site, aliás são raras ás vezes que se pode, realmente, falar sobre a Palavra de Deus neste espaço.

            Bem! Não tenho a menor dúvida de que a salvação não está condicionada à méritos; para que ninguém se glorie; eis a parábola do filho pródigo(Lc15); porém minha preocupação reside na generalização de certos termos, no caso, a palavra obra, e na má aplicação desta resultar em prejuízo na qualidade espiritual da igreja, como por exemplo, a negligência por parte dos seus membros com relação ao seu próximo, principalmente, nos dias atuais, onde nos discursos, as benésses “são pra mim”, “dana-se quem está do meu lado”.

            Então, dentro deste cenário, infelizmente, é necessário pôr os “pingos nos is”, para que não haja margens para surgimentos de heresias.

            Pois bem! a palavra obra, ela tem sim significados diferentes, e eu vou tentar demonstrar o porquê:

            1º) Ef 2:8-9: Nessa passagem, OBRA, está relacionada com as leis do AT, tanto que em Rm3, Paulo menciona o mesmo assunto, a justificação pela fé em Jesus Cristo, e no vs28, ele diz: “CONCLUÍMOS, POIS, QUE O HOMEM É JUSTIFICADO PELA FÉ, INDEPENDENTEMENTE DAS OBRAS DA LEI.”
            É sabido que Paulo estava preocupado com o processo de judaização que os judeus estavam submetendo aos novos cristãos, isto está claro no livro de Gálatas, onde novamente ele ressalta a justificação pela fé em Cristo, “SABENDO, CONTUDO, QUE O HOMEM NÃO É JUSTIFICADO POR OBRAS DA LEI, E SIM MEDIANTE A FÉ EM CRISTO JESUS…” (Gl 2:16).
            Agora, vamos retornar a Ef 2, onde um pouco depois dos versículos citados, 8 e 9, Paulo diz entre vs.14-16: ” ABOLIU NA SUA CARNE, A LEI DOS MANDAMENTOS NA FORMA DE ORDENANÇAS….”
            Sendo assim , lendo TODO o capítulo 2 com atenção, o assunto em questão está na Lei que gerava conflitos entre judeus e gentios.

            2º) 1Co3:10-15 : Nesse contexto, a palavra OBRA, representa a pregação do evangelho, vamos ver o porquê:
            Paulo, primeiramente, associa Cristo como FUNDAMENTO, e a si, como CONSTRUTOR, menciona também a figura de outros construtores.
            Se não me engano, você já disse ser Pastor, e como tal, você CONSTRÓI a igreja com o material (membros, pedras vivas) que tem em mãos, com diferentes níveis de fé, onde perderás alguns(MADEIRA, FENO e PALHA) para as adversidades e tentações do mundo (FOGO), e os mais resistentes permanecerão com você (OURO, PRATA E PEDRAS PRECIOSOS); contudo aqueles que foram perdidos não implicará na perda da salvação do CONSTRUTOR, nesse caso, você.
            Entendeu o sentido da palavra obra?

            3º) Tg2 e Mt25: A palavra OBRA já possui caráter de assistencialismo, e é nesse aspecto que não podemos ser negligente.

            Enfim, não me queira mal, apenas acho que na atual conjuntura, as coisas de Deus precisam estar bem claras. E Que Deus continue abençoando o seu trabalho.

          • Amado irmão Antonio,

            De modo algum lhe interpretei mal e tenho certeza que seu objetivo não é a contenda, assim como não é o meu. Me desculpe se eu fui muito enfático, porém, a salvação pela graça é algo fundamental na Escritura e tem sido negligenciada na grande maioria das igrejas, mesmo por aquelas que dizem crer desta maneira, porém, quando olhamos a vida prática estão buscando sua salvação através de méritos próprios.

            Concordo com tudo o que você colocou e entendo a sua preocupação, mas tenho vivido na minha experiência que quando as pessoas entendem o que de fato é ser livre em Cristo elas se tornam mais santas do que antes, pelo simples fato de que não tem receio de se exporem como de fato são, sem máscaras ou hipocrisia, quando se veem nus (simbólicamente) os sinceros se corrigem e os demais não suportam, mas posso assegurar que a igreja é formada de uma maioria sincera que deseja buscar a Deus de fato e quando compreendem que pelos próprios esforços não alcançam a santificação que desejam passam a depender unica e exclusivamente de Deus e ele opera.

            Confesso que esta sua interpretação de I Co 3 eu não tinha e vou meditar nela afim de corrigir algum equivoco meu caso de fato haja.

            Deus te abençoe.

      • Marcos,

        “Em viagens muitas vezes, em perigos de rios, em perigos de salteadores, em perigos dos da minha nação, em perigos dos gentios, em perigos na cidade, em perigos no deserto, em perigos no mar, em perigos entre os FALSOS IRMÃOS;”
        2 Coríntios 11:26

        Essa última foi a pior que Paulo vivenciou.

        Os falsos irmãos se dizem alcançados pela salvação, mas pregam como que se os salvos pelo processo da cruz não carecessem demonstrar a nova fé ou mesmo Cristo neles com a prática do que é bom, ético, caridoso, exemplar, fiel, não contencioso, não julgador, amante da verdade, bom como aluno/professor/filho/pai/cidadão…, ou seja, nova vida.

        Sem deixar claro quanto a isso e/ou pior ainda, sem fazer tais coisas, eis que esses falsos irmãos se chegam ao pecador e procuram evenjelizá-los,mas que uma vez feito, ao invés de conduzir ao céu, os carrega direto pro inferno.

        • “Os falsos irmãos se dizem alcançados pela salvação, mas pregam como que se os salvos pelo processo da cruz não carecessem demonstrar a nova fé ou mesmo Cristo neles com a prática do que é bom, ético, caridoso, exemplar, fiel, não contencioso, não julgador, amante da verdade, bom como aluno/professor/filho/pai/cidadão…, ou seja, nova vida.”

          Levi, eu não sei de onde você tirou isto, nem mesmo nas igrejas mais heréticas que já conheci tal coisa é pregada.

          Vocêss comentam sem ler ou se leem não entendem (o que é mais provável). Efésiso 2:8-10 é claro quanto a isso, vou colocar de novo, pra ver se você entende:

          “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus.
          Não vem das obras, para que ninguém se glorie; Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas.” – Efésios 2:8-10

          Vou enumerar para ajudar:

          Deu por meio de graça e não de obras nos concede a fé para crermos, ao crermos somos salvos para um objetivo, as boas obras.

          O problema é que a cristandade inverte o processo e acha que pelas boas obras se alcança a salvação. Esta é a maior de todas as heresias, inclusive o ponto principal da reforma protestante contra a sua amiga ICAR.

          • Marcos

            Assentamos no mesmo entendimento, meu caro, apenas quis reforçar o que você falou, pois vejo que por conta disso, tendem muitos a denegar uma das duas ou então pôr em escala de prioridade o que não possui precedência, a inversão total.

            Primeiro o milagre de Cristo na cruz, depois o milagre individual, desde que aceite, desde que com mudanças.

            Isso foi tão bestamente discutido ao que parece na reforma ou a igreja católica fez disso um cavalo de batalha, que fica a impressão que os evangélicos e/ou protestantes proclamavam a salvação pronta e acabada pró ser humano, descarecendo de mudanças após o Cristo.

            Cristo nos deu o ingresso, e junto ao pai vai nos defender das fezes que tentando acertar, erramos.

            Ou seja, a glória da salvação via Cristo, depois esse Cristo, advogado que se fez, defenderá a situação caso a caso de cada um, sendo que ao depois, a triste sentença, afastai-vos de mim, pois por mas que procuramos fazer, mesmo assim não tu foste achado pesado e pesado permaneceste na balança.

          • Só existe uma salvação, porém ela se manifesta em dois aspectos na vida do crente.

            Primeiramente de forma judicial, somos tidos como justos, inocentados diante de Deus e recebemos o penhor da nossa salvação que é o próprio Espirito Santo. O segundo passo é desenvolver esta salvação visando o aperfeiçoamento do nosso eu e caráter afim de nos tornarmos dia a dia mais semelhantes a Cristo.

            Encontramos na igreja dois extremos equivocados, um que acha que não realizar obras perde-se a salvação e a a outra que só creem na salvação judicial e esquecem-se de desenvolvê-la.

          • Marcos

            Assentamos no mesmo entendimento, meu caro, apenas quis reforçar o que você falou, pois vejo que por conta disso, tendem muitos a denegar uma das duas ou então pôr em escala de prioridade o que não possui precedência, a inversão total.

            Primeiro o milagre de Cristo na cruz, depois o milagre individual, desde que aceite, desde que com mudanças.

            Isso foi tão bestialmente discutido ao que parece na reforma ou a igreja católica fez disso um cavalo de batalha, que fica a impressão que os evangélicos e/ou protestantes proclamavam a salvação pronta e acabada pró ser humano, descarecendo, pois, de mudanças após o Cristo.

            Cristo nos deu o ingresso, e junto ao pai vai nos defender das vezes que, tentando acertar, erramos.

            Ou seja, a glória da salvação via Cristo, depois esse Cristo, advogado que se fez, defenderá a situação caso a caso de cada um, sendo que ao depois, a triste sentença: “afastai-vos de mim, pois por mas que procuramos fazer, mesmo assim tu fostes achado pesado, e pesado permaneceste na balança ao depois também, inclusive lá na eternidade quando indagado for sobre a possibilidade de perdoar os que o feriram.

  6. Fiquei pasmo ao ler a carta e não encontrar nada que se oponha a “teologia da prosperidade”, enquanto estão preocupados com cultos de libertações e quebra de maldições.
    Bem característico de uma teologia tradicional, mas longe da realidade que vemos em nossos dias.

DEIXE UMA RESPOSTA