Quem é Deus? Crianças de nove religiões diferentes dão suas impressões sobre a figura divina; Confira

10

Qual a percepção das crianças sobre Deus? Nas diferentes religiões, o ensinamento sobre Deus é algo muito variável, e mesmo nas principais crenças monoteístas do mundo – cristianismo, judaísmo e islamismo – a forma como as crianças encaram Deus é bastante diferente. Essa é a conclusão que se pode tirar do depoimento de nove crianças sobre o Criador.

A jornalista Anna Virginia Balloussier, da Folha de S. Paulo, colheu as impressões de nove crianças de diferentes credos sobre Deus. As religiões representadas na reportagem são as que mais têm representatividade na sociedade brasileira.

Beatriz Dias Samuel, 08 anos, católica; Pietra Hanna Castanho, 10 anos, evangélica; Clara Veiga Carvalho, 10 anos, espírita; Luke Saul Jospa, 09, judaísmo; Mohamed Hussein Abid Ali, 08 anos, muçulmano; Manuella Araújo da Costa, 10 anos, candomblé; Ariom Scheffer, 11 anos, budista; Núbia Selassie Cestari Granello, 06 anos, rastafári; e Darah Cally Patrício, 08 anos, União do Vegetal (grupo dissidente da religião Santo Daime), deixaram suas impressões sobre a figura divina.

Para a evangélica Pietra, Deus é um companheiro fiel: “Deus nos ama e nos ilumina. Ele me ajuda quando alguém briga comigo. Teve uma confusão na escola, e a professora disse que eu participei, mas só estava lá comendo meu lanche”, disse a menina, expressando sua percepção a respeito do Pai.


Já a católica Beatriz usa a representação visual (comum no meio católico devido ao uso de imagens de santos) para ilustrar sua impressão do Deus onipresente: “No antigo tempo, não cortavam cabelo, então Deus tem o cabelo longo. Hoje Ele tá no meio do coração de todo mundo. Eu rezo para Ele deixar a gente ficar com o recreio um pouquinho maior”, contou.

O seguidor do judaísmo Luke, curiosamente, expressa sua impressão de Deus com uma ilustração superdimensionada da graça: “Para nós não tem inferno, só céu. Assim: vamos fingir que você está no teatro. Se foi uma muito boa pessoa, ficaria na frente, mais perto de Deus. Se foi uma ruim pessoa, ficaria lá atrás”, disse o menino, que desenhou o palco, sua representação de Deus no teatro ilustrativo, como um enorme sol.

Segundo o budista Ariom, Deus não pode ser medido: “Não tem um Deus físico. Deus é tudo e tudo é Deus. Ele é feito de luz. O arco-íris, no budismo, representa uma pessoa com coração iluminado”.

A praticante do candomblé Manuella lembrou da discriminação religiosa ao falar de Deus: “Oxum é a santa que me protege. Ela tá no mato, para curtir a vida. Uma professora uma vez contou que um lobo ia na porta da criança que não é batizada [como cristã]. Fiquei com medo, chorando”, lamentou.

“Sonhei que Jah estava no deserto e fazia todas as pessoas ficarem felizes. Ele é o meu coração e fica batendo em todos os momentos. Peço a Jah que o mundo fique bem limpinho”, disse a rastafári Núbia.

Santo Daime é uma religião que baseia as experiências sobrenaturais a partir da ingestão de um chá alucinógeno. Essa crença sofreu uma divisão, a União do Vegetal, que é seguida por Darah. E as características do culto praticado dentro dessa religião foram expostas na impressão da menina sobre Deus: “Desenhei o mestre Gabriel, o nosso guia. É muito legal beber [ayahuasca]. Tem gente que vomita, mas eu não sinto medo, sinto amor. E vontade de rir muito! Já vi árvores falando comigo”, contou.

O muçulmano Mohamed expressou sua maneira de enxergar Deus como uma criança e as preocupações normais da idade: Deus é tudo para mim. Peço para Ele deixar chover, mas algumas vezes não penso na água. Penso em jogar Nintendo DS”.

Ao final, a espírita Clara associou Deus à natureza e à doutrina da reencarnação: “Deus criou a borboleta. Ela é bonita e feliz. Começa como se fosse um bicho horroroso, gosmento, e vira uma borboleta linda. É como o espírito que reencarna: você vai crescendo e evoluindo”.


10 COMENTÁRIOS

  1. Deus (Luz em grego) apenas uma denominação da origem, do criador do tudo e do todo. Adquire várias denominações de acordo com a cultura que o define. Nós, a criação, não somos capazes de criar os fenômenos que regem o todo e o tudo. Fazemos parte destes fenômenos gerados por uma força entidade inteligente e uni presente em tudo que existe. O existir é equilíbrio perfeito no micro e no macro universo. A questão primordial não é quem é Deus e sim o que é Deus.

    • Celso, meu caro. Devo distordar em número, gênero e grau contigo. Em primeiro lugar, a Palavra Théos, em grego, significa literalmente “Deus”, portanto, Deus, não pode ser luz em Grego já que Luz em grego é “Phos”, dela vem a palavra “Fósforo” por exemplo, que significa “Aquilo que trás luz”. Deus não é uma força, é um ser pessoal e dotado de atributos. É um Deus manifesto em 3 Pessoas Divinas Distintas. Pessoas? Sim, pois filosóficamente todo ser capaz de manifestar vontades, pensamentos, desejos, perspectivas, se comunicar, sentir […] é classificado como pessoa. A questão primordial não é “O que é Deus”, mas “Quem é Deus”. Deus é um ser inteligente que criou e controla todas as coisas, não uma força. nEle tudo existe e substite. Você pode conhecer muito sobre um construtor admirando a casa que ele construiu, mas saberia muito mais se ele deixasse encima da mesa da sala dessa casa um livro que falasse sobre ele. Da mesma forma, o Universo fala muito sobre Deus, mas só iremos conhecê-Lo mesmo através de Sua Palavra, que é a Bíblia Sagrada, do testemunho dos que crêem e das palavras de Cristo Jesus, o Filho desse Deus, que fala em nosso meio e vive em nós por meio do Espírito Santo, que é o Espírito desse Deus. Tudo isso está contido na Escritura. Examinai-a e cuidai achar nela a vida eterna, pois é ela mesma que testifica do Cristo, o qual morreu pelo perdão dos teus pecados, para que, crendo tu, sejas salvo da ira vindoura desse Deus por causa dos teus pecados. A salvação é pela graça mediante a fé, isso não vem de nós mesmos, é um dom de Deus; a salvação também não é pelas boas obras para que ninguém se vã glorie, mas pela fé no Filho de Deus, sendo Ele a propiciação pelos nossos pecados, a nossa salvação passa a ser mérito inteiramente dEle.

    • O daime é um sacramento religioso devidamente legalizado e regulamentado. Você pode acionar o Conselho Tutelar à vontade, que o máximo que vai acontecer é você ser chamado de fanático intrometido.

      Só uma observação: a UDV não é uma dissidência do Santo Daime. São duas religiões ayahuasqueiras com histórias bem diferentes.

  2. Desculpe Dona Imprensa, mas o Papa não disse que os cães vão para o céu

    Uma declaração polêmica foi atribuída ao Santo Padre Francisco. Muitos veículos de imprensa afirmaram que o Papa reconhece que os animais possuem uma alma e, por isso, terão a salvação eterna. Para variar um pouco na incompetência, a grande mídia não se deu ao trabalho de checar a fonte e mandou brasa na redação.

    Extra, extra: O Papa disse que os cães irão para o céu, anunciou os grandes jornais com trompetes. Os católicos, por sua vez, muito ocupados em fazer nada foram compraram a mentira da grande mídia. Afinal, quem precisa procurar no site da Santa Sé, onde se encontra os discursos oficiais do Papa, ou recorrer a mídia católica?!

    O resultado foi uma tragédia: Todos os grandes veículos de comunicação repetiram que Francisco teria dito a um garoto que todos os cães vão pra o céu!

    Como não podia ser diferente, a revolucionária mensagem ocupou destaque em veículos do mundo todo, como o jornal americano New York Times, o francês El Pais, a rede britânica BBC e a rede CNN . No Brasil, os gigantes da comunicação, como a revista Veja e o jornal Folha de São Paulo compraram a mesma história.

    Muito bem, passada a poeira que o vendaval dos veículos de comunicação produziu, podemos dizer com convicção: FRANCISCO NÃO DISSE ISSO!

    Como sabemos que Francisco não disse isso? Muito simples, indo até a raiz do problema. Rick Gladstone, repórter do jornal New York Times, atualizou seu artigo que deu origem a todo esse furacão midiático. Gladstone admitiu publicamente que errou na compreensão das palavras do Papa e explicou que, diferente do que foi noticiado anteriormente, Sua Santidade não teria dito isso para consolar um garotinho triste pela perda de seu cachorro. Por fim, na breve nota que deu sobre o caso, ele acaba por confessar, embora de forma um tanto quanto sutil, que a mensagem foi distorcida.

    O jornalista usou em sua defesa o fato de ter se baseado num suposto artigo do jornal italiano Corriere della Sera, onde o autor apenas sugeriu que Francisco poderia estar dizendo que exista vida após a morte também para os animais.

    A nada sutil gafe jornalistica foi denunciada pelo jornal americano USA Today, que desqualificou o jornalismo de segundo nível produzido com a matéria. O USA Today chegou a classificar o incidente de “lenda urbana” e um “desastre de trem jornalístico”.

    Para variar um pouco, os portais protestantes aproveitaram para inquerir ao Papa com argumentos de “grande” profundidade teológica como: “Onde está na Bíblia?” Enfim, tomemos cuidado, pois a imprensa está a serviço da desinformação. A grande mídia está aí para tirar as palavras da boca do Papa e por novas. O Papa da mídia é outro. Tomem cuidado.

    Fonte: fides pres. Com
    Que tal esse site fazer a correção da informção, se for do interesse dos seus redatores o trabalho em prol da verdade e não da mentira.

  3. porcaria nenhuam de religião presta. deve-se ensinar a Biblia que é a palavra de Deus e só. Olhem só o deus de um mora na mata , o outro é jah, o outro é dr. octopus inimigo do homem aranha. façam o favor . se eu descobrir que alguma professora ensinou sobre esses deuses para meus filhos ela vai apanhar tanto que vou mostrar pra ela que esses capetas não ajudam em nada.

  4. Interessante a influência da tradição dos pais nos filhos. Infelizmente muitas vezes querendo acertar podemos incutir tradições que não condizem com o que Deus deseja de nós e isto se aplica a todas as religiões sem distinção.

  5. E, a rigor, nem o Santo Daime nem a UDV podem ser enquadrado como “seitas”, já que não são um pequeno grupo a romper com uma tradição religiosa, nem questionam a legitimidade de outras doutrinas e religiões. O cristianismo foi uma seita judaica, assim como o budismo foi uma seita hindu; as religiões ayahuasqueiras formam uma tradição religiosa particular, que deve ser entendida nos seus próprios termos.

  6. Jesus Cristo é Deus

    20 E sabemos que já o Filho de Deus é vindo, e nos deu entendimento para que conheçamos ao Verdadeiro; e no que é verdadeiro estamos, isto é, em seu Filho Jesus Cristo.
    ———- Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna. ————–
    21 Filhinhos, guardai-vos dos ídolos. Amém.

DEIXE UMA RESPOSTA