Adolescentes cristãos reagem ao “bullying religioso” questionando a censura à liberdade de crença

3

Uma espécie de censura à manifestação religiosa nas escolas norte-americanas provocou uma reação por parte dos adolescentes cristãos, que agora, protestam contra o que chamam de “bullying cristão”.

O colunista do Christian Post, Todd Starnes, publicou um artigo em que cita uma constatação da instituição Reach America, voltada às crianças cristãs: “Há um monte de intimidações  dirigida a crianças cristãs nas escolas públicas e da cultura em geral”, afirmou Gary Brown, fundador da entidade.

Porém, Todd afirma em seu texto que os adolescentes cristãos, que estariam sendo relegados ao ostracismo nas escolas, resolvem lutar para que a situação seja modificada.

“O vídeo apresenta adolescentes fazendo perguntas básicas, como ‘Por que eu não posso orar na escola?’ ou explicando posturas como a crença no casamento da maneira que Deus projetou. Como um aluno comentou, ‘as pessoas que não amam o nosso Deus estão roubando o nosso país’. Os alunos proclamam que eles querem ‘fazer a América uma nação sob Deus – de novo’”, escreveu Todd Starnes.


Em seu artigo, Starnes revela um episódio em que uma palestra que deveria combater o bullying, se tornou símbolo da prática: “Em abril passado, um grupo de adolescentes cristãos foi vaiado e levado às lágrimas depois de terem sido publicamente repreendido por Dan Savage, especialista em ‘anti-bullying’. Savage estava fazendo um discurso em uma conferência nacional de estudantes de jornalismo, quando ele começou a atacar a Bíblia. Como um grupo de adolescentes cristãos levantou-se para ir embora, que ele os chamou de ‘maricas de merda’”, denunciou o colunista.

Todd ressalta que há “relatos em todo o país de jovens cristãos chamados de ‘fanáticos’ e ‘mente fechada’ por causa de sua fé em Deus”, e menciona que qualquer expressão de fé cristã tem se tornado motivo de piada.

O texto de Todd Starnes relata que a Reach America tem incentivado adolescentes a buscarem formação para serem os novos líderes cristãos nos Estados Unidos, e cita a iniciativa C4, que traduzida para o português pode ser interpretada como “Contra Cultura Centrada em Cristo”, e que visa o Evangelismo em todos cantos do país.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+


3 COMENTÁRIOS

  1. Que benção! Que esse jovens sejam cheios do Espírito Santo de Deus e possam mudar a realidade dos lugares onde ele vivem e serão levados por Deus para pregar essa mensagem de amor, tão bela, deixada pelo nosso Amado Jesus Cristo.

    Deus vai honrrar a vida desses jovens, eu creio, e essas pessoas que tem tido esse comportamento abominável com eles verão a Glória de Deus manifestada na vida dos Seus servos, em nome de Jesus.

  2. Mas sempre foi assim! a igreja sempre foi perseguida e sempre será. mas Jesus disse tenham bom anímo eu venci o mundo e vocês também vencerão.

  3. Temos que observar bem antes de falarmos qualquer coisa.
    Mas uma coisa que vejo hoje no meio do povo em geral, não é perseguição ao evangelho, mas críticas a cristãos (se é que são realmente) que dão opiniões agressivas ou que não sabem lidar com pessoas que não confessam a mesma fé.
    Tudo é questão de educação e bom senso.
    Jesus é o melhor exemplo. Pregava o evangelho, sem forçar.
    Até mais.

  4. povo de Deus abrão a boca não se calem,estão querendo de uma forma camuflada e as vezes aberta nos silenciar.não podemos aceitar a cultura do mundo e perder espaço para o que está sendo pregado e dito por pessoas que não respeitam a palavra de Deus.

DEIXE UMA RESPOSTA