Presidente Dilma Rousseff afirma ter admiração por Israel porque parte do Brasil é formada por “cristãos novos”

14

Em entrevista na última semana, a presidente Dilma Rousseff comentou a declaração do porta-voz do Ministério das Relações Exteriores de Israel, Yigal Palmor, de que o Brasil é “politicamente irrelevante” e um “anão diplomático”. Durante sua declaração sobre o caso, a presidente negou qualquer ruptura com Israel e afirmou ter admiração pelo país, porque parte do Brasil é formada por novos cristãos.

A crítica de Palmor contra o Brasil foi feita depois que o Brasil retirou seu embaixador de Tel Aviv e o Itamaraty divulgou nota condenando a violência em Gaza.

Apesar das críticas do Governo Federal contra a ação de Israel, a presidente afirmou que não haverá nenhuma ruptura diplomática entre os dois países, mas disse lamentar as palavras usadas pelo porta-voz israelense par se referir ao Brasil.

– Não vai haver ruptura nem nada. Mas lamento as palavras do porta-voz, pois as palavras produzem um clima muito ruim e deveríamos ter cuidados com as palavras – afirmou a presidente, segundo informações da BBC.


Dilma Rousseff afirmou ainda que o embaixador do Brasil embaixador brasileiro, Henrique Sardinha Pinto, foi chamado para sanar algumas dúvidas e que “oportunamente” vai voltar a Israel.

Apesar de classificar a ofensiva israelense na Faixa de Gaza como um massacre, a presidente brasileira afirmou que o Brasil é uma nação amiga de Israel, e que tem grande admiração pelo país.

– Eu tenho uma grande consideração (por Israel), até porque grande parte dos brasileiros é formada por cristãos novos e o Brasil foi o primeiro país a reconhecer o Estado de Israel – afirmou a presidente, que também afirmou que a iniciativa da ONU de exigir um cessar-fogo imediato é muito bem-vinda.

– É uma faixa muito pequena, há muita mulher e criança morrendo. A gente sabe que em uma guerra desse tipo, quem paga o preço são os civis – afirmou.

14 COMENTÁRIOS

    • kkkkkkkkkkkkkk, espiga não mas safra do mesmo joio
      Planta da família das gramíneas, de sementes tóxicas, comum nos prados e nas culturas, onde prejudica o crescimento dos cereais.
      Fig. Coisa de má qualidade que se mistura às boas e as prejudica.
      Separar o joio do trigo, separar os bons dos maus, o bem do mal.

  1. Estatisticamente dizem que corre o sangue judeu em setenta por cento da população brasileira. Esse percentual é maior no nordeste, onde se concentram mais ainda distante do mar, todos com medo da inquisição católica que exigiu que se tornassem católicos à força.

    Quem não tem sangue judeu, eis que apresente outra peculiaridade, são cristãos. Por serem cristãos torcem e velam para os parentes de Cristo tenham paz no mundo, já sofreram demais mundo afora. Que os árabes concebam isso, e tentem persuadir os palestinos a se tornarem amáveis, pois não são eles os únicos povos a perderem terra, basta vê aqui no Brasil onde os índios perderam em parte, o mundo é grande, cabe todos nós, que nos unamos, que se faça esforços, que se tornem o que realmente são, um mesmo povo. Deixem de trazer pavor para suas crianças, seus idosos, suas mulheres, sentem-se e construam a paz.Já basta o que foi feito contra vocês e contra o mundo pelos aventureiros, tipo bim laden, o profeta do nada, da ilusão, do sofrimento, sentem-se junto à ONU, e como civilizados deem um basta das destemperanças. Idiotice tem limite.

    • Acho que setenta porcento seria um índice muito alto, creio que em torno de trinta porcento.
      Um dos estados brasileiros que tem um índice alto é Pernambuco.

      • Diga quem não tem nome de árvores ou de animais neste país, a sobra. A maioria carrega a identificação que os judeus escolheram para não serem esquecidos como um todo.

        Vamos lá, quem neste país não é: família cordeiro, carneiro, coelho, barata, formiga, bezerra, leão, nogueira, pereira, oliveira, ramos, varela, lima, flor, silva, barros, figueira, sousa, procure um lista recentemente feita pelo parlamento espanhol declinando mais de cinco mil nomes, e garantindo a todos eles uma segundo cidadania.

        Somos, sim judeus, e se quisséssemos todos morar lá, tomaria todos os estados árabes em derredor, não apenas os brasileiros, mas os latinos, os eurepeus, os americanos do norte, os asiáticos e os africanos, esse povo besta que fica defendendo a pau e pedra pedaço de terra, é que são bestas, pois deviam respeitar os judeus que lá se encontrarm e dividir as terras amigavelmente como os outros países dividem com os árabes.

        Senhores, malditos senhores da guerra, o lugar de vocês está preparado no inferno esperando para começar a queimar, pois terra é de ninguém, sim de Deus, e vocês árabes que não ajudam seus irmãos palestinos que vivem em taperas, que não lhes fazem altos edifícios para morarem já que são concentrados em espaços pequenos, que não tentam melhorar suas vidas, não lhes dão emprego, não lhes dão cidadania, aí fica esse povo querendo terra como se fossem minhocas, geração pós geração.

        Judeu voltou pra esse deserto em razão da incompreensão do mundo para com eles, eles não precisam dessa porcaria de terra deserta, olhem e encarem os que fizeram isso, como a igreja católica que sempre estimulou a perseguição a judeus, e dela exija uma mediação dia e noite, que ela seja árbitra, que ela seja pacificadora, que ela peça aos árabes recursos e lhes garanta casa, ruas asfaltadas, esgotos, empregos.

        Por sua vez, judeus façam o mesmo, não fiquem debaixo da saia dos americanos, enfrente de frente, saibam dividir, saibam encarar os árabes e exijam deles postura pacificadora, dinheiro e façam um família só. pois é isto que somos, aproveitando, quando em paz, os resultado do turismo internacional.

        Idiotice tem limite, monstruosidade também, e do que se vê cada dia mais essas figuras despejam toneladas de asneira, com isso deixando um rastro grande de sangue de inocentes.

        Judeus radicias e palestinos radicais a hora de vocês está próxima, pois o grande julgador do mundo vai julgar milimetro por milimetro a todos vocês.

        • Novamente não posso concordar com tudo que você escreveu.
          Nem todo Ferreira, Dias, Pereira e outros significa que teve uma ascendência judaica.
          Os forçados ao cristianismo tambem usavam os sobrenomes de seus padrinhos católicos e muitos desses nomes são comum a todos.

  2. “Cristãos novos”!, além de ser agnóstica essa senhora não entende nada de história, a não ser a de Poll Pot, Stalin, Mao, Fidel, etc.
    Cristãos novos eram os judeus convertidos, à força, ao catolicismo em Portugal, para fugir da Inquisição durante os séculos XV e XVI.
    Vá estudar dona senhora!

  3. Eu não sei onde Dilma quer chegar ,porque quando foi eleita o reporter a perguntou se ela Dilma acreditava em DEUS, ela disse com essas palavra:
    “Eu não acredito em DEUS acredito talvez numa deusa”

    voces continuam querendo votar nela,uma pessoa que não cre em DEUS?

    Que DEUS tenha misericordia dela.

DEIXE UMA RESPOSTA