Manifestantes protestam contra o pastor Marco Feliciano durante Encontro de Missões Culturais

13

Um grupo de 200 manifestantes protestou contra o pastor Marco Feliciano no último sábado, 15 de junho, na cidade de Santa Cruz do Sul, no Vale do Rio Pardo, RS.

Feliciano era um dos palestrantes convidados para o Encontro Interdenominacional de Missões Culturais, realizado pela Igreja Pentecostal Ebenézer Conversavadora.

O grupo portava cartazes, faixas e pedia a renúncia do pastor à presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) com gritos e palavras de ordem, de acordo com informações do G1.

A Brigada Militar, força policial gaúcha equivalente à Polícia Militar, acompanhou os manifestantes no trajeto do protesto, que começou na Praça Getúlio Vargas,  passou pelas principais ruas da cidade e chegou ao Parque da Oktoberfest, local onde o evento estava sendo realizado.


A manifestação foi pacífica, e nenhum confronto ou tumulto foi registrado pela Brigada. No momento que o pastor chegou ao local, por volta das 20h00, os manifestantes já não estavam no local.

De acordo com o site do jornal Gazeta do Sul, a manifestação foi organizada para expressar o desejo de que o pastor seja retirado da CDHM por incompatibilidade com o cargo.

“Há um insatisfação nacional em relação ao deputado estar na presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias e expressar publicamente suas opiniões com base religiosa sobre um assunto hoje tão polêmicos no mundo todo, como a busca por uma sociedade sem racismo, e também a aceitação da união homossexual. O que incomoda não é fato de ele ser pastor, ou estar à frente de um grupo de religiosos, ter certas opiniões e lutar pelos seus ideais – a liberdade de expressão é lei no nosso país e deve ser cumprida. O que indigna é ele ter sido escolhido para representar minorias e grupos que exatamente lutam por uma igualdade. O que ele está fazendo é exatamente o contrário de ajudar essas pessoas, está ‘lutando’ por uma sociedade patriarcal, onde negros sejam considerados amaldiçoados (palavras do próprio deputado), e onde o aborto seja um crime. Essa indignação contra políticos que não nos representam já foi demonstrada em outros movimentos, como os protestos ‘Fora Renan’ e o do ‘Basta à corrupção’ em maio”, declarou um dos organizadores.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+

13 COMENTÁRIOS

  1. o que são 200 manifestantes? falam que nem na parada gay .. esperando cerca de 2 milhoes de pessoas e não apareceram 70 mil ..
    Se querem protestar, protestem contra a corrupção lá em brasíia.. São contra o Marco feliciano, mas nada falam do Jenuino e outros corruptos que estão no Conselho de JUSTIÇA .. Deus salve estas vidas.

  2. Encontro de missões misóginas, racistas e homofóbicas???? É só o que pode ser recrutando o Marco Feliciano. Querem ser vistos como evangélicos normais? Quanta idiotice e atraso!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  3. protesto com duzentas pessoas tá muito fraco. esse pessoal não deve ter nada pra fazer na vida. um bando de hipócritas,se intitulam defensores dos direitos humanos,mas são a favor do assassinato de crianças indefesas ou seja o Aborto. outro sim,que o sr. Feliciano fala muita besteira,concordo plenamente. mas o mesmo foi eleito Democraticamente quer vc goste ou não. E de lá não deve sair. E a vida continua, e temos assuntos mais importantes para dedicarmos nosso tempo.

  4. “Há um insatisfação nacional em relação ao deputado estar na presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias e expressar publicamente suas opiniões com base religiosa sobre um assunto hoje tão polêmicos no mundo todo, como a busca por uma sociedade sem racismo, e também a aceitação da união homossexual. O que incomoda não é fato de ele ser pastor, ou estar à frente de um grupo de religiosos, ter certas opiniões e lutar pelos seus ideais – a liberdade de expressão é lei no nosso país e deve ser cumprida. O que indigna é ele ter sido escolhido para representar minorias e grupos que exatamente lutam por uma igualdade”

    As palavras dessa manifestante está fortemente equivocada quanto as funções da CDHM.

    **************

    Quais os reais objetivos da CDHM.

    Suas atribuições constitucionais e regimentais são receber, avaliar e investigar denúncias de violações de direitos humanos; discutir e votar propostas legislativas relativas à sua área temática; fiscalizar e acompanhar a execução de programas governamentais do setor; colaborar com entidades não-governamentais; realizar pesquisas e estudos relativos à situação dos direitos humanos no Brasil e no mundo, inclusive para efeito de divulgação pública e fornecimento de subsídios para as demais Comissões da Casa; além de cuidar dos assuntos referentes às minorias étnicas e sociais, especialmente aos índios e às comunidades indígenas, a preservação e proteção das culturas populares e étnicas do País.

    O poder exercido pela CDHM advém da representação intrínseca dos mandatos de seus integrantes e do poder moral que os direitos humanos representam, como construção do processo civilizatório, legitimado por instituições e normas internacionais e nacionais. A Constituição Federal e a legislação ordinária brasileiras são relativamente avançadas na garantia dos direitos humanos, em que pesem os obstáculos que impedem a plena observância e cumprimento desses direitos. De qualquer forma, é possível afirmar que o Brasil avança na proteção dos direitos humanos.

    O principal objetivo da CDH é contribuir para a afirmação dos direitos humanos. Parte do princípio de que toda a pessoa humana possui direitos básicos e inalienáveis que devem ser protegidos pelos Estados e por toda a comunidade internacional. Tais direitos estão inscritos em textos e diplomas importantes de direitos humanos, que foram construídos através dos tempos, como são, no âmbito da ONU, a Declaração Universal dos Direitos Humanos (1948) e, no âmbito da OEA, a Declaração Americana de Direitos Humanos (1948). O Brasil é signatário desses e de outros instrumentos internacionais, o que significa que assumiu compromissos com os direitos humanos perante a Humanidade e diante de seu povo.

    Aos descontentes, só restam lamentar dado o exposto acima pela própria página informativa da câmara.

  5. “Há um insatisfação nacional em relação ao deputado estar na presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias e expressar publicamente suas opiniões com base religiosa sobre um assunto hoje tão polêmicos no mundo todo, como a busca por uma sociedade sem racismo, e também a aceitação da união homossexual. O que incomoda não é fato de ele ser pastor, ou estar à frente de um grupo de religiosos, ter certas opiniões e lutar pelos seus ideais – a liberdade de expressão é lei no nosso país e deve ser cumprida. O que indigna é ele ter sido escolhido para representar minorias e grupos que exatamente lutam por uma igualdade”

    As palavras dessa manifestante está fortemente equivocada quanto as funções da CDHM.

  6. Quais os reais objetivos da CDHM.

    Suas atribuições constitucionais e regimentais são receber, avaliar e investigar denúncias de violações de direitos humanos; discutir e votar propostas legislativas relativas à sua área temática; fiscalizar e acompanhar a execução de programas governamentais do setor; colaborar com entidades não-governamentais; realizar pesquisas e estudos relativos à situação dos direitos humanos no Brasil e no mundo, inclusive para efeito de divulgação pública e fornecimento de subsídios para as demais Comissões da Casa; além de cuidar dos assuntos referentes às minorias étnicas e sociais, especialmente aos índios e às comunidades indígenas, a preservação e proteção das culturas populares e étnicas do País.

    O poder exercido pela CDHM advém da representação intrínseca dos mandatos de seus integrantes e do poder moral que os direitos humanos representam, como construção do processo civilizatório, legitimado por instituições e normas internacionais e nacionais. A Constituição Federal e a legislação ordinária brasileiras são relativamente avançadas na garantia dos direitos humanos, em que pesem os obstáculos que impedem a plena observância e cumprimento desses direitos. De qualquer forma, é possível afirmar que o Brasil avança na proteção dos direitos humanos.

    O principal objetivo da CDH é contribuir para a afirmação dos direitos humanos. Parte do princípio de que toda a pessoa humana possui direitos básicos e inalienáveis que devem ser protegidos pelos Estados e por toda a comunidade internacional. Tais direitos estão inscritos em textos e diplomas importantes de direitos humanos, que foram construídos através dos tempos, como são, no âmbito da ONU, a Declaração Universal dos Direitos Humanos (1948) e, no âmbito da OEA, a Declaração Americana de Direitos Humanos (1948). O Brasil é signatário desses e de outros instrumentos internacionais, o que significa que assumiu compromissos com os direitos humanos perante a Humanidade e diante de seu povo.

    Aos descontentes, só restam lamentar dado o exposto acima pela própria página informativa da câmara.

  7. Esse elias e essa Liliane são mesmo um casal de bossal –que qui os evangélicos tem haver -com estes seus comentários seus burros –se vocês não tem conhecimentos da historia da humanidade ou seja conhecimentos gerais não faça seus comentários idiotas –porque demonstra as claras que são incultos e que não tem conhecimento de causa–seus evergumenos–se vocês não gostam dos crentes o problema e seus nos não precisamos de vocês também–e vocês quem presisa de DEUS–nos já o temos e o amamos e o obedecemos em seus santos preceitos –vao estudar as historias mundiais o que aconteceu ao longo dos tempos para depois dar suas opiniões –de repente os crentes são também culpados pelas suas burrices e falta de saber –não e mesmo —

  8. CDHM = comissão direitos homossexuais e macumbeiros. Hoje quem comanda é um homem de Deus.
    PASTOR MARCO FELICIANO o povo de Deus não desistiu de orar pela sua vida pela vida do pastor Silas Malafaia e todos os demais incluindo as 70.000 pessoas (valentes) que compareceram em Brasilia.
    Deus continue abençoando todos que lutam em favor da família tradicional.
    P.S.: Só foi oficializar o “casamento” gay que o Brasil virou essa baderna e agora vai legalizar o aborto também ???

DEIXE UMA RESPOSTA