Entidade evangélica é condenada pela Justiça por “misturar política e religião”

16

Uma prática comum no Brasil – embora questionável – resultou na condenação de um grupo evangélico na Costa Rica, por misturar religião e política. A sentença prevê o pagamento de uma multa por “danos e prejuízos”, pois pastores pediram a fiéis que votassem num determinado candidato a presidente.

A Aliança Evangélica da Costa Rica havia publicado, seis dias antes do primeiro turno das eleições no país, uma nota de convocação aos fiéis para que estes votassem de acordo com os valores e princípios cristãos.

O Supremo Tribunal Eleitoral entendeu, no entanto, que o grupo “ultrapassou as faculdades que lhe outorga o direito à liberdade de culto” e praticou um atentado à liberdade de consciência. Segundo os magistrados, “é inadmissível” que se misture política e religião no âmbito eleitoral.

O pedido da Aliança aos fiéis claramente favorecia o candidato Johny Araya, do Partido de Libertação Nacional, que havia se comprometido a não aprovar qualquer legislação que permita o aborto ou o casamento entre pessoas do mesmo sexo.


Seu oponente, Luiz Guillermo Solís, do Partido Ação Cidadã, é favorável à união civil de pessoas do mesmo sexo, e disse ser favorável ao aborto apenas em situações específicas.

De acordo com a agência ALC, a Aliança Evangélica reúne igrejas e organizações protestantes da Costa Rica. Num encontro da Aliança, o candidato Johny Araya pediu voto e garantiu que governaria o país “sob a guia de Deus”, defendendo valores cristãos.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+


16 COMENTÁRIOS

  1. Paulo,
    Tudo bem com vc?
    Eu assisti in loco na Iurd, bispo vindo do Rio orientar o povão da igreja a votar em determinado candidato a presidência da República!
    Isso sem contar o “apoio” aos candidatos da igreja para cargos locais.
    Mas já vi na IEQ a mesma coisa tb.

    • Mary, no caso da IURD isso sempre aconteceu, mesmo antes da Universal lançar candidatos proprios. As vezes os politicos apareciam de surpresa num domingo em nossas igrejas no interior com cartas assinadas pelo pastor lider do estado, dizendo que era pra gente dedicar os ultimos 30 minutos do culto para o sujeito falar os beneficios que trariam para a igreja se fosse eleito e a gente tinha que fazer o povo assinar uma pacto de compromisso num livro. Uma vez la’ na Bahia apareceu o ACM de surpresa com o candidato a prefeito da cidade onde eu estava com uma carta do Goncalves.. ACM subiu no pulpito, tomou o microfone e falou por mais de uma hora e eu em pe’ do lado com cara de idiota hahaha

      • Ah ah ah! Paulo, imagino vc, ainda garotão, olhando o Toninho Malvadeza falar e não podendo nem fazer um descarrego nele! Ossos do ofício, meu caro, rsrsrs….

        • Mary, eu via coisas ali que nao me deixava durmir a noite… hoje a gente discute isso nas redes socias, ate’ damos risadas, mas naquela epoca tinhamos que engolir tudo isso calados e nem com a familia em casa podiamos discutir isso por medo de afastar os familiares da fe’.

  2. Evangelista Billy Graham afirma que muitos evangélicos idolatram o dinheiro e o poder
    Por Dan Martins em 29 de abril de 2012
    Tags: Billy Graham, Teologia da Prosperidade
    O evangelista Billy Graham, que recentemente foi considerado um dos homens mais admirados dos Estados Unidos, afirmou essa semana que os evangélicos adoram a ídolos odinheiro, o poder e as posses.
    Em resposta à pergunta de uma leitora, em sua coluna no site Chicago Tribune, Graham comparou a idolatria à preocupação contemporânea com dinheiroe bens materiais. “Ambos podem facilmente tornar-se “ídolos” que seguimos servilmente e deixamos de lado as coisas mais importantes em nossas vidas. Em vez de servir a Deus, servimos ao dinheiro e às coisas”, ressaltou, citando em seguida o trecho do evangelho de Mateus no qual Jesus advertiu: “Ninguém pode servir a dois senhores …. Vocês não podem servir a Deus e ao Dinheiro”.
    “Não podemos nos curvar aos ídolos feitos de pedra ou de metal, como as pessoas faziam antigamente (e algumas ainda fazem em diferentes partes do mundo). Mas isso não significa que nós [evangélicos] não temos nossos próprios ‘ídolos’ hoje. Ou seja, temo que ainda servimos a coisas com a mesma devoção que eles tinham” afirmou o evangelista.
    Billy Graham prosseguiu listando outras coisas que podem ser consideradas ídolos nos dias de hoje: “Tenho certeza que você pode pensar em várias coisas que se tornaram ídolos para nós. Por exemplo, o prazer, o sexo, o entretenimento, o prestígio social, a beleza ou o poder. Contudo, a verdadeira questão é esta: A que a ídolos servimos? O que temos colocado em nossa vida no lugar que pertence somente a Deus?”
    Compartilhar
    Aos 92 anos, Graham está afastado das cruzadas evangelísticas que o tornou mundialmente famoso. Ele completou seu texto dizendo: “Certifique-se de seu compromisso com Jesus Cristo, e procure segui-Lo todos os dias. Não se deixe influenciar pelos falsos valores e objetivos deste mundo, mas coloque Cristo e Sua vontade em primeiro lugar em tudo que você faz”

  3. VÃO ME DIZER QUE AS OUTRAS ENTIDADES DE CLASSE NÃO ORIENTAM SEUS MEMBROS A VOTAR PARA AQUELES QUE APRESENTAM AS MELHORES PROPOSTAS, É BRINCADEIRA, OU SERÁ QUE OS ATIVISTAS GAYS NÃO FAZEM LOBY PARA SEUS PARES, DENTRO DOS PRÓPRIOS PARTIDOS POLITICOS ESTADOS INFLUENCIAM NA ESCOLHA DE SEUS REPRESENTANTES….QUEREM É CALAR AQUELES QUE DE ALGUMA MANEIRA PODEM MUDAR AS COISAS ONDE SE CONCENTRA O PODER…..FICA MAIS DIFICIL ROUBAR

    • Na verdade nao sao duas coisas antagônicas, tanto a politica quanto a religiao sempre tiveram suas bases firmadas na corrupçao, sao tao ligadas que nem mesmo a autoridade da Constituiçao consegue separa-las, por isso temos no Congresso nacional figuras como Feliciano, Malta, Crivella & cia..

DEIXE UMA RESPOSTA