Convertida, ex-stripper evangeliza outras dançarinas em boates: “Quem irá até elas anunciar Jesus?”

1

Uma ex-stripper que abandonou a vida do entretenimento adulto para se tornar missionária e anunciar a graça às dançarinas que continuam no ramo foi destaque de uma reportagem especial de uma emissora de TV nos Estados Unidos.

Jaime Hindman, 35 anos, fundou um grupo de trabalho chamado Strip Church, que se aproxima das strippers de um modo bastante informal, sem apontar falhas e exaltando o amor de Jesus.

Na entrevista, Jaime destaca que trabalhou como stripper por três anos, e sua mudança de vida começou quando foi estuprada por um de seus clientes. Apesar de, após o episódio permanecer trabalhando por mais dois anos, Jaime afirma que o fato traumático fez crescer nela o desejo de abandonar a profissão.

Questionada sobre a característica incomum de seu ministério, Hindman reconhece que não exerce o Ide da maneira mais tradicional, mas devolve os questionamentos perguntando: “Quem irá até elas anunciar Jesus?”.


Na matéria, o programa Nightline percorreu boates com Hindman e as voluntárias que a acompanham para distribuir às strippers um kit que contém um livro intitulado Jesus Loves Strippers (“Jesus ama as Strippers”, em tradução livre), cremes hidratantes e um lanche.

Ao sair de uma das boates, Hindman conta o que ouviu de uma das dançarinas: “Ela acabou de nos contar uma história horrível. Um cara se masturbou e ejaculou sobre ela, e agora, para sentir-se limpa, ela precisa jogar álcool em seu corpo”, revelou a missionária. “Ela só está tentando sair dessa vida, mas ela tem uma família para sustentar. Ela está nesse ramo há 10 anos”, acrescentou.

Em sua jornada, Hindman recarrega as energias nos cultos, onde comunga com os demais fiéis e encontra forças para continuar espalhando o amor que encontrou em Jesus.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+

1 COMENTÁRIO

  1. Será que nao dá pra tirar esse comentarios desses satanistas do google daqui não? a gente tem que pular o que eles escrevem, só lixo que sai da boca deles mesmo.

    Parabéns a essa moça, atitude de evangelizar essas mulheres nesses lugares é demais, ainda mais que dificilmente as pessoas pensam em ir nesses lugares levar a palavra de salvação, em centros de prostituição é muito difícil irem, em minha cidade uma vez por ano existe 1 grupo grande de irmãos que fazem isso nos prostibulos, e as experiências que eles dizem são fantásticas, de mulheres que aceitaram o evangelho e se sentiram amadas por Deus, mesmo tendo uma vida marcada e estigmatizada aos olhos da sociedade.

DEIXE UMA RESPOSTA